Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 28 maio 2011

Willian nas quartas de final do Oakley Saquarema Prime

28 de maio de 2011 0

Willian segue firme em busca do bicampeonato. Foto Daniel Smorigo ASP South America

Saquarema não decepcionou e o sábado foi de altas ondas na Praia de Itaúna, durante o Oakley Saquarema. rês brasileiros já garantiram presença nas quartas de final: Willian Cardoso, Jesse Mendes e Raoni Monteiro. Defensor do título do ano passado, Willian ainda recuperou um lugar no G-32 com a pontuação alcançada. Além dos três brasileiros, o australiano Yadin Nicol também garantiu lugar nas quartas de final. Os quatro venceram suas baterias na rodada dos 12 melhores que fechou o sábado de ondas desafiadoras de seis pés sólidos na Praia de Itaúna.
Willian Cardoso saiu do mar quando faltavam quatro minutos para o término da sua segunda bateria no sábado, após a excelente onda que surfou e valeu nota 8,83. Com ela, o catarinense confirmou a vitória sobre os australianos Adam Robertson e Kai Otton.
– A hora que eu vi a onda dobrando, eu sabia que ia conseguir virar o resultado com uma manobra forte, mas ainda deu para fazer outra na sequência e a nota saiu – vibrou Willian Cardoso.

Australiano Yadin Nicol briga por lugar no G-32. Foto Daniel Smorigo ASP South America
As outras três classificações foram conquistadas com viradas sensacionais no último segundo das baterias. Na primeira, Yadin Nicol precisava de 7,06 pontos e ganhou nota 7,60 na sua última onda para tirar a vitória do norte-americano Cory Lopez. Os dois estão na briga direta para entrar no G-32 do ASP World Ranking. Nicol passou a aparecer logo abaixo de Willian Cardoso, em 34º lugar e Cory Lopez é o 35º com a atualização dos resultados do sábado na Praia de Itaúna.
– Foi realmente fantástico. Eu fiquei preso na arrebentação durante um tempão, só pensava em chegar lá fora pra surfar, está muito difícil entrar na onda, mas joguei tudo nessa última onda e estou muito feliz que a nota saiu. É muito bom passar direto nessa fase, principalmente porque não precisarei competir tão cedo amanhã – disse Nicol.

Raoni está em casa e sabe os atalhos. Foto Daniel Smorigo ASP South America
O carioca Raoni Monteiro fez o maior placar na rodada dos 24 melhores, quando eliminou o americano Nathan Yeomans por 14,83 x 11,43 pontos. Na bateria da fase classificatória, o paulista Junior Faria liderou até o último segundo, mas Raoni conseguiu a virada com duas manobras numa rara direita.Ele precisava de 6,33 pontos e ganhou nota 6,50.
– Essa direita do canal é só pra quem conhece. Eu lutei até o fim. Precisava de uma onda boa pra virar e acho que essa direita foi uma benção de Deus. A bateria só termina quando toca a sirene e eu acreditei até o final – completou.

Jesse vem de um ótimo resultado no Nike 6.0 em Trestles. Foto Daniel Smorigo ASP South America
Na última bateria do dia, o fato se repetiu e o paulista Jessé Mendes tirou a última vaga direta para as quartas de final do norte-americano Damien Hobgood também no minuto final. O australiano Adam Melling, outra estrela do ASP Tour, também caiu para a repescagem nesta bateria e os dois falaram sobre as condições desafiadoras do mar no sábado em Saquarema.

Junior Faria derrotou mais dois tops. Foto Daniel Smorigo ASP South America
O paulista Junior Faria também vai disputar a repescagem que começa às 8 horas do domingo na Praia de Itaúna. Seu adversário será o australiano Lincoln Taylor na segunda bateria do dia. Ele foi o grande destaque do sábado de grandes ondas em Saquarema. Na primeira que surfou, acertou duas manobras seguidas muito potentes no outside para arrancar a maior nota do dia, 9,23. Ela foi decisiva para Junior Faria despachar a sensação australiana, Julian Wilson, dono dos recordes de nota – 9,87 – e placar – 18,34 pontos – do Coca-Cola apresenta Oakley Saquarema Prime 2011.

Segunda fase (48 MELHORES)- 3º=25º (US$ 2 mil e 800 pts) / 4º=37º($ 1,5 mil e 650 pts):

Baterias que abriram o sábado:
8ª: 1-Shaun Cansdell (AUS), 2-Adam Robertson (AUS), 3-Tom Whitaker (AUS), 4-Miguel Pupo (BRA)
9ª: 1-Kai Barger (HAV), 2-Jessé Mendes (BRA), 3-Glenn Hall (IRL), 4-Sebastien Zietz (HAV)
10ª: 1-Tanner Gudauskas (EUA), 2-Willian Cardoso (BRA), 3-Chris Davidson (AUS), 4-Kiron Jabour (HAV)
11ª: 1-Adam Melling (AUS), 2-Royden Bryson (AFR), 3-Nathaniel Curran (EUA), 4-Mason Ho (HAV)
12ª: 1-Damien Hobgood (EUA), 2-Josh Kerr (AUS), 3-Charlie Brown (BRA), 4-Dion Atkinson (AUS)

Terceira fase (24 MELHORES) 2º=13º lugar – US$ 3.000 e 1.200 pontos:

1ª: Lincoln Taylor (AUS) 10.50 x 8.23 Michel Bourez (TAH)
2ª: Yadin Nicol (AUS) 10.33 x 7.43 Simão Romão (BRA)
3ª: Cory Lopez (EUA) 11.66 x 7.00 Jadson André (BRA)
4ª: Raoni Monteiro (BRA) 14.83 x 11.43 Nathan Yeomans (EUA)
5ª: Junior Faria (BRA) 14.00 x 9.27 Julian Wilson (AUS)
6ª: Gabriel Medina (BRA) 12.74 x 10.90 Pedro Henrique (BRA)
7ª: Adam Robertson (AUS) 13.33 x 12.20 Masatoshi Ohno (JAP)
8ª: Kai Otton (AUS) 14.03 x 12.50 Shaun Cansdell (AUS)
9ª: Willian Cardoso (BRA) 13.83 x 9.83 Kai Barger (HAV)
10ª: Jessé Mendes (BRA) 9.83 x 9.20 Tanner Gudauskas (EUA)
11ª: Adam Melling (AUS) 10.26 x 6.37 Josh Kerr (AUS)
12ª: Damien Hobgood (EUA) 9.57 x 7.37 Royden Bryson (AFR)

Quarta fase (12 melhores) 1º=quartas de final / 2º e 3º= quinta Fase (repescagem):

1ª: 12.70=Yadin Nicol (AUS), 12.16=Cory Lopez (EUA), 11.24=Lincoln Taylor (AUS)
2ª: 11.17=Raoni Monteiro (BRA), 11.00=Junior Faria (BRA), 9.10=Gabriel Medina (BRA)
3ª: 13.33=Willian Cardoso (BRA), 8.67=Adam Robertson (AUS), 5.10=Kai Otton (AUS)
4ª: 11.70=Jessé Mendes (BRA), 11.00=Damien Hobgood (EUA), 1.83=Adam Melling (AUS)

Quinta fase – Repescagem – 1º= quartas de final / 2º=9º lugar (US$ 5 mil e 2.400 pontos):

1ª: Cory Lopez (EUA) x Gabriel Medina (BRA)
2ª: Lincoln Taylor (AUS) x Junior Faria (BRA)
3ª: Adam Melling (AUS) x Adam Robertson (AUS)
4ª: Damien Hobgood (EUA) x Kai Otton (AUS)

Com informações de João Carvalho – assessoria de imprensa da ASP South America

Scheidt e Prada campeões na Holanda, Bruno segue em 2º

28 de maio de 2011 0

Dupla lidera ranking da Copa do Mundo. Thom Touw Divulgacão

Robert Scheidt e Bruno Prada venceram a classe Star, neste sábado (28/5), na Delta Lloyd Regatta, em Medemblik, na Holanda. A competição, válida pela etapa da Copa do Mundo de Vela da Isaf, teve um dia muito difícil, com ventos incrivelmente fortes. Robert e Bruno venceram a sétima regata da fase de classificação. Depois, na Medal Race, apenas marcaram a dupla da Polônia, chegando em segundo, para confirmar a vitória na competição. A dupla terminou com 16 pontos perdidos, à frente dos poloneses Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki (33 pontos perdidos) e dos noruegueses Eivind Petter e Melleby Moerland Pedersen (35 pontos perdidos).

Com a vitória, Robert Scheidt e Bruno Prada somaram mais 20 pontos para permanecer na liderança da Star na Copa do Mundo, com 73 pontos. A próxima etapa será em Weymouth (ING), a Scandia Sail For Gold Regatta, de 5 a 11 de junho, em Weymouth, na Inglaterra. Scheidt e Prada já vinham na liderança da competição quando entraram para a sétima regata, com ventos fortíssimos.

- Fizemos uma regata muito consistente e fomos beneficiados pela quebra do mastro da dupla inglesa (Iain Percy e Andrew Simpson) que vinha em quarto. Além disso, passamos os irlandeses (Peter O’Leary e David Burrows) no final e ganhamos a regata – comentou Bruno Prada.
- Estamos muito felizes. Fizemos uma competição muito consistente, regular, sempre entre os cinco primeiros na fase de classificação. Hoje, as condições de vento estavam extremas. Sobrevivemos à regata da manhã (7ª) sem nenhuma quebra. Vencemos a regata e entramos na Medal Race numa posição bem confortável – completou Scheidt.

Bruno ainda acrescentou que fazia tempo que a dupla não disputava uma competição com ventos tão fortes.
- Mas são condições de que gostamos. A grande diferença de pontos para os poloneses (17) veio do vento forte e da ausência do Iain Percy, que teve o mastro quebrado na regata da manhã e não correu a Medal Race – observou Bruno Prada.

 Foto Bruno Van der Borsch
Já o catarinense Bruno Fontes entra neste domingo em busca de um lugar no pódio na classe Laser. Neste sábado, em mais um dia gelado e de fortes ventos, que passaram dos 60 km/h., o velejador disse ter sobrevido ileso, em virtude das dificeis condições. Na primeira regata, B runo terminou um 9ª após um trabalho de recuperação. Na segunda, Bruno fez um duelo a parte com o Tom Slingby. Chegou a liderar a regata até o final, mas perto da ultima bóia o barco virou e acabeu em segundo. Apesar disso, Bruno já garantiu o pódio e neste domingo, na Medal Race, vai definir sua posição.

Volta à Ilha de Stand Up Paddle concluída

28 de maio de 2011 0

Galera passando em direção a Praia do Forte na sexta-feira. Foto: Roberto Scola

O projeto idealizado pelo brasiliense Marco Antônio Gorayeb, abraçado pelo catarinense Roger Souto e outros adeptos do Stand Up Paddle se encerra neste sábado, início da tarde, na Praia dos Ingleses. A Odisseia, como eles batizaram, foi nada menos do que uma volta na Ilha de Santa Catarina, na remada, a bordo das pranchas de Stand Up Paddle.

A Odisséia começou na última segunda-feira, quando as condições de vento nordeste permitiram que Gorayeb, Roger Souto, Rafael Maia, Marcelo Batata e Roberto Vicentin partissem da Praia dos Ingleses, no Norte da Ilha, em direção à Barra da Lagoa, a primeira parada. Na terça-feira, a trupe saiu da Barra e foi até a Ilha do Campeche, tendo o privilégio de admirar os costões da parte da Leste da Ilha e fazer um contato com os pescadores em plena época da safra da tainha.

- Foi bem legal esse contato, houve muito respeito e os pescadores também curtiram nossa aventura _ afirma Gorayeb, que tenta resgatar um pouco desse sentimento de amor às belezas naturais da Ilha.

Cartão postal da Ilha ao fundo. Foto: Roberto Scola

Na quarta-feira, a galera remou da Ilha do Campeche até a Caieira. Nesse dia,  os supistas conseguiram aproveitar as condições de vento para fazer o downwind, o surfe sobre as ondas com ajuda do vento. Na quinta-feira, com o vento já mudando para Sul, o trajeto foi da Caiera até a base da Aeronáutica, no Sul da Ilha.

De acordo com Gorayeb, a maior dificuldade da expedição foi conciliar as condições climáticas com a estratégia de passar a ponta de Naufragados sem colocar em risco a aventura.

- Pegamos uma condição de vento difícil do Campeche até o Sul, mas conseguimos – disse Gorayeb.

Na sexta-feira, a galera realizou aquilo que apenas barcos, jet skis e lanchas fazem o ano todo. Cruzaram o vão da principal cartão postal da Ilha, a ponte Hercílio Luz, além é claro da pontes Colombo Sales e Pedro Ivo. O momento foi registrado pelo fotógrafo Roberto Scola e está na coluna de Roberto Alves na edição deste sábado do Diário Catarinense, escrita pelo interino, o subeditor Olavo Moraes. Após cruzarem as pontes, eles remaram até a Praia do Forte, em condições tranquilas pela parte continental, apesar do vento Sul, completando 108 km desde a largada, nos Ingleses.

Odisseia começou na segunda-feira. Foto: Roberto Scola

Neste sábado,  a Odisseia chega ao final, na Praia dos Ingleses. Além dos supistas citados acima, também integraram a expedição o waterman Romeu Bruno, especialista em resgates, e Carlos Ilha, que prestava auxílio em um jet ski para garantir a segurança. Certamente, a expedição é um divisor de águas na divulgação do esporte na Ilha e não poderia ter sido realizada sem o apoio de muitas pessoas. Gorayeb agradece principalmente ao apoio do Floripa Surf Clube, do Praia Mole Eco Village e do Costão do Santinho Resort.

O waterman Romeu Bruno (a frente), especializado em resgates, participou da Odisseia por 3 dias. Foto: Roberto Scola

No último mês de março, o Diário Catarinense publicou matéria sobre os planos da galera, que ganhou repercussão nacional, atraindo revistas especializadas como a Náutica e a Almasurf . Reproduzo abaixo, para vocês terem uma ideia melhor do projeto que acabou se concretizando nesse sábado:

Odisseia para curtir a Ilha

Dupla quer difundir na Capital a modalidade, que faz bem à saúde e resgata o espírito de confraternização

Contornar a Ilha de Santa Catarina em pé, sobre uma prancha impulsionada a remo e com ajuda das correntes marinhas. Este é o plano do brasiliense Marco Antônio Gorayeb, 48 anos, e do catarinense Roger Souto Mayor, 40 anos, que pretendem difundir a modalidade na Capital e conhecer melhor a Ilha.
Ex-técnico de surfistas profissionais, Marco Antônio Gorayeb encontrou no stand up paddle (SUP) a fórmula para superar uma artrose no quadril e um câncer. Gorayeb morou 20 anos na Ilha e retornou para mostrar o que aprendeu no Lago Paranoá, em Brasília, onde começou a praticar o SUP.
A ideia da aventura, logo batizada de Odisseia, surgiu há cinco meses e teve a adesão do amigo Roger Souto Mayor, professor da escola Floripa Surf Club.
– A gente quer ter um outro ponto de vista da Ilha e apoiar a jornada de superação do Gorayeb – justifica Roger.
Com os pescadores, a dupla buscou informações como a direção das correntes marítimas na parte continental e a necessidade de usar o vento como aliado no lado leste, onde o mar aberto exige mais.
– Precisamos ter a condição certa para chegar até a ponta de Naufragados. Não podemos lutar contra o mar – conta Gorayeb, que arrisca marcar a aventura para esta quinta-feira, dia 28 de abril.
A dupla prevê remar até 40 quilômetros a cada seis horas, para percorrer em um dia os 125 quilômetros de percurso. A aventura ainda terá outros convidados como o brasiliense Rafael Maia, 25 anos.

Maiores detalhes acompanhe no Facebook: Projeto Volta a Ilha de Santa Catarina Eco Sup.