Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Volta à Ilha de Stand Up Paddle concluída

28 de maio de 2011 0

Galera passando em direção a Praia do Forte na sexta-feira. Foto: Roberto Scola

O projeto idealizado pelo brasiliense Marco Antônio Gorayeb, abraçado pelo catarinense Roger Souto e outros adeptos do Stand Up Paddle se encerra neste sábado, início da tarde, na Praia dos Ingleses. A Odisseia, como eles batizaram, foi nada menos do que uma volta na Ilha de Santa Catarina, na remada, a bordo das pranchas de Stand Up Paddle.

A Odisséia começou na última segunda-feira, quando as condições de vento nordeste permitiram que Gorayeb, Roger Souto, Rafael Maia, Marcelo Batata e Roberto Vicentin partissem da Praia dos Ingleses, no Norte da Ilha, em direção à Barra da Lagoa, a primeira parada. Na terça-feira, a trupe saiu da Barra e foi até a Ilha do Campeche, tendo o privilégio de admirar os costões da parte da Leste da Ilha e fazer um contato com os pescadores em plena época da safra da tainha.

- Foi bem legal esse contato, houve muito respeito e os pescadores também curtiram nossa aventura _ afirma Gorayeb, que tenta resgatar um pouco desse sentimento de amor às belezas naturais da Ilha.

Cartão postal da Ilha ao fundo. Foto: Roberto Scola

Na quarta-feira, a galera remou da Ilha do Campeche até a Caieira. Nesse dia,  os supistas conseguiram aproveitar as condições de vento para fazer o downwind, o surfe sobre as ondas com ajuda do vento. Na quinta-feira, com o vento já mudando para Sul, o trajeto foi da Caiera até a base da Aeronáutica, no Sul da Ilha.

De acordo com Gorayeb, a maior dificuldade da expedição foi conciliar as condições climáticas com a estratégia de passar a ponta de Naufragados sem colocar em risco a aventura.

- Pegamos uma condição de vento difícil do Campeche até o Sul, mas conseguimos – disse Gorayeb.

Na sexta-feira, a galera realizou aquilo que apenas barcos, jet skis e lanchas fazem o ano todo. Cruzaram o vão da principal cartão postal da Ilha, a ponte Hercílio Luz, além é claro da pontes Colombo Sales e Pedro Ivo. O momento foi registrado pelo fotógrafo Roberto Scola e está na coluna de Roberto Alves na edição deste sábado do Diário Catarinense, escrita pelo interino, o subeditor Olavo Moraes. Após cruzarem as pontes, eles remaram até a Praia do Forte, em condições tranquilas pela parte continental, apesar do vento Sul, completando 108 km desde a largada, nos Ingleses.

Odisseia começou na segunda-feira. Foto: Roberto Scola

Neste sábado,  a Odisseia chega ao final, na Praia dos Ingleses. Além dos supistas citados acima, também integraram a expedição o waterman Romeu Bruno, especialista em resgates, e Carlos Ilha, que prestava auxílio em um jet ski para garantir a segurança. Certamente, a expedição é um divisor de águas na divulgação do esporte na Ilha e não poderia ter sido realizada sem o apoio de muitas pessoas. Gorayeb agradece principalmente ao apoio do Floripa Surf Clube, do Praia Mole Eco Village e do Costão do Santinho Resort.

O waterman Romeu Bruno (a frente), especializado em resgates, participou da Odisseia por 3 dias. Foto: Roberto Scola

No último mês de março, o Diário Catarinense publicou matéria sobre os planos da galera, que ganhou repercussão nacional, atraindo revistas especializadas como a Náutica e a Almasurf . Reproduzo abaixo, para vocês terem uma ideia melhor do projeto que acabou se concretizando nesse sábado:

Odisseia para curtir a Ilha

Dupla quer difundir na Capital a modalidade, que faz bem à saúde e resgata o espírito de confraternização

Contornar a Ilha de Santa Catarina em pé, sobre uma prancha impulsionada a remo e com ajuda das correntes marinhas. Este é o plano do brasiliense Marco Antônio Gorayeb, 48 anos, e do catarinense Roger Souto Mayor, 40 anos, que pretendem difundir a modalidade na Capital e conhecer melhor a Ilha.
Ex-técnico de surfistas profissionais, Marco Antônio Gorayeb encontrou no stand up paddle (SUP) a fórmula para superar uma artrose no quadril e um câncer. Gorayeb morou 20 anos na Ilha e retornou para mostrar o que aprendeu no Lago Paranoá, em Brasília, onde começou a praticar o SUP.
A ideia da aventura, logo batizada de Odisseia, surgiu há cinco meses e teve a adesão do amigo Roger Souto Mayor, professor da escola Floripa Surf Club.
– A gente quer ter um outro ponto de vista da Ilha e apoiar a jornada de superação do Gorayeb – justifica Roger.
Com os pescadores, a dupla buscou informações como a direção das correntes marítimas na parte continental e a necessidade de usar o vento como aliado no lado leste, onde o mar aberto exige mais.
– Precisamos ter a condição certa para chegar até a ponta de Naufragados. Não podemos lutar contra o mar – conta Gorayeb, que arrisca marcar a aventura para esta quinta-feira, dia 28 de abril.
A dupla prevê remar até 40 quilômetros a cada seis horas, para percorrer em um dia os 125 quilômetros de percurso. A aventura ainda terá outros convidados como o brasiliense Rafael Maia, 25 anos.

Maiores detalhes acompanhe no Facebook: Projeto Volta a Ilha de Santa Catarina Eco Sup.

Envie seu Comentário