Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de julho 2011

Brasil com força total no Supersurf Mundial Masters da ASP

30 de julho de 2011 0


ASP/ Cestari

Com grandes apresentações, Fabinho tem sido muito elogiado pelos gringos. Foto ASP/ Cestari


Com seis surfistas na briga pelo título mundial Masters, o Brasil entra com força total no último dia de competição do SuperSurf ASP World Masters Championship, no Rio de Janeiro. Neste sábado, Victor Ribas, Renam Rocha, Guilherme Herdy, Fabio Gouveia, Fabio Silvas e Peterson Rosa se garantiram na disputa ao lado do aussie Nathan Hedge e o norte-americano Shea Lopez, formando o grupo dos oito finalistas da categoria Masters.
Mas, o domingo será iniciado com as quartas de final da Grand Masters, sem nenhum brasileiro entre os oito classificados.


ASP/ Cestari

Michael Ho tem arrebentado mesmo nas merrecas do Arpoador. Foto ASP/ Cestari


Nesta categoria, o único invicto é o havaiano Michael Ho. O sul-africano Shaun Tomson também tinha três vitórias, mas ficou em terceiro na última bateria, e dividiu o segundo lugar na classificação com o aussie Wayne Bartholomew.Os australianos Terry Richardson, Cheyne Horan, Glen Winton e Simon Anderson, e o neozelandês Iain Buchanan completam a lista dos classificados para as quartas de final.
– Eu só queria passar para as baterias homem a homem – disse Cheyne Horan, que no sábado confirmou o sexto lugar na classificação com uma vitória e um segundo lugar nas suas baterias.


ASP/ Cestari

Cheyne Horan vai em busca do título da Grand Masters. Foto: ASP/ Cestari


O sábado começou com as melhores condições da semana, mas o vento sudoeste entrou forte ao meio-dia e paralisou a competição, que só retornou às 14h. As disputas haviam começado às 7h e só foram encerradas quando já anoitecia na Capital carioca.

- Estou muito feliz. Competi em condições difíceis para mim, que prefiro ondas maiores, mas eu gosto aqui do Arpoador porque sei que é um lugar que dá boas ondas. Infelizmente tivemos uma semana ruim quanto a isso, mas muito boa por rever todo mundo, pois nos divertimos bastante aqui no Rio de Janeiro – falou Michael Ho.


ASP/ Cestari

Neozelandês Iain Buchanan garantiu uma das oito vagas da Grand Masters. Foto:ASP/ Cestari


O adversário do havaiano será o inventor das três quilhas, Simon Anderson. Eles vão disputar a última vaga para as semifinais. A primeira será entre Cheyne Horan e Glen Winton. A segunda terá o sul-africano Shaun Tomson contra o neozelandês Iain Buchanan. E o terceiro duelo das quartas de final da Grand Masters será entre Wayne Bartholomew e Terry Richardson.

Na Masters, a invasão verde-amarela garante pelo menos três brasileiros no pódio. Isto porque três baterias das quartas de final serão só entre eles, já que os dois únicos estrangeiros que passaram para o domingo se enfrentam na primeira delas. O invicto Victor Ribas disputa a segunda com o cearense radicado em Florianópolis, Fabio Silva. O paraibano Fábio Gouveia, também radicado em Floripa, pega o paulista Renan Rocha na terceira. O duelo entre o paranaense Peterson Rosa e o niteroiense Guilherme Herdy fecha as quartas de final.


ASP Cestari

Nathan Hedge encara Shea Lopez nas quartas. Foto ASP/Cestari



A quinta vitória de Victor Ribas foi conquistada no finalzinho da bateria que era liderada por Fabio Silva. Os dois foram os surfistas mais elogiados pelos ídolos do surfe mundial que competiram na estreia do SuperSurf ASP World Masters Championship, que já está confirmado para os próximos dois anos no Brasil.

- Eu até achei que o Fabinho (Fabio Silva) tinha levado essa bateria. Ele surfou bem uma direita, mas na soma das duas notas eu consegui mais uma vitória e fico feliz com isso. Acho que fiz uma boa campanha no evento e o meu patrocinador (Pier) deve ter ficado feliz com isso – disse Vitinho.


Fabio Minduim

Vitinho batendo forte: patrocinador agradece. Foto: Fabio Minduim


No domingo será conhecido um novo campeão mundial Masters, pois os oito classificados são estreantes na categoria. A vitória no SuperSurf ASP Masters vale o título e um prêmio de 25.000 dólares. Nas duas categorias a premiação é igual. O vice-campeão leva 10.000 dólares, os terceiros colocados ganham 5.500 dólares e os que perderem nas quartas de final ficam com 4.500 dólares. Porém, todos receberam pelo menos o prêmio mínimo pelas participações, de 3.500 dólares para a categoria Masters e 4.000 dólares para a Grand Masters.

O australiano Nathan Webster comentou sobre a invasão brasileira nas quartas de final Masters:
– Eles estão bem mais acostumados a surfar aqui no Arpoador, além de estarem surfando muito bem. Vai ser difícil alguém ganhar deles amanhã (domingo), então tomara que tenha boas ondas no último dia para a disputa ficar mais equilibrada.
A competição poderá ser acompanhado ao vivo pelo www.supersurf.com.br.


ASP/ Cestari

Guilherme Herdy encara Peterson Rosa na quarta bateria da Masters. Foto: ASP/ Cestari


RESULTADOS DO SÁBADO NA PRAIA DO ARPOADOR:

7h30min – 4ª fase da categoria Masters:
1ª: 1-Fabio Gouveia (BRA), 2-Nathan Webster (AUS), 3-Ricardo Toledo (BRA), 4-Barton Lynch (AUS)
2ª: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Peterson Rosa (BRA), 3-Gary Elkerton (AUS), 4-Marty Thomas (HAV)
3ª: 1-Rob Bain (AUS), 2-Richard Lovett (AUS), 3-Richie Collins (EUA), 4-Derek Ho (HAV)
4ª: 1-Flavio Padaratz (BRA), 2-Tom Curren (EUA), 3-Renan Rocha (BRA), 4-Brad Gerlach (EUA)
5ª: 1-Guilherme Herdy (BRA), 2-Mark Occhilupo (AUS), 3-Kaipo Jaquias (HAV), 4-Jake Paterson (AUS)
6ª: 1-Victor Ribas (BRA), 2-Luke Egan (AUS), 3-Shea Lopez (EUA), 4-Jojó de Olivença

10h30min – 3ª fase da categoria Grand Masters – 50 anos ou mais:

1ª: 1-Shaun Tomson (AFR), 2-Iain Buchanan (NZL), 3-Terry Fitzgerald (AUS), 4-Simon Anderson (AUS)
2ª: 1-Wayne Bartholomew (AUS), 2-Terry Richardson (AUS), 3-Daniel Friedman (BRA), 4-Ian Cairns (AUS)
3ª: 1-Michael Ho (HAV), 2-Hans Hedemann (HAV), 3-Zé Alla (BRA), 4-Peter Townend (AUS)
4ª: 1-Cheyne Horan (AUS), 2-Glen Winton (AUS), 3-Buzzy Kerbox (HAV), 4-Lula Menezes (BRA)

14h – 4ª fase da categoria Grand Masters:

1ª: 1-Lula Menezes (BRA), 2-Terry Richardson (AUS), 3-Shaun Tomson (AFR), 4-Peter Townend (AUS)
2ª: 1-Wayne Bartholomew (AUS), 2-Buzzy Kerbox (HAV), 3-Zé Alla (BRA), 4-Simon Anderson (AUS)
3ª: 1-Michael Ho (HAV), 2-Glen Winton (AUS), 3-Daniel Friedman (BRA), 4-Terry Fitzgerald (AUS)
4ª: 1-Iain Buchanan (NZL), 2-Cheyne Horan (AUS), 3-Hans Hedemann (HAV), 4-Ian Cairns (AUS)

14h30min até 17h30min – 5ª fase da categoria Masters – 36 a 49 anos:
1ª: 1-Victor Ribas (BRA), 2-Fabio Silva (BRA), 3-Marty Thomas (EUA), 4-Barton Lynch (AUS)
2ª: 1-Renan Rocha (BRA), 2-Nathan Webster (AUS), 3-Jake Paterson (AUS), w.o-Gary Elkerton (AUS)
3ª: 1-Fabio Gouveia (BRA), 2-Guilherme Herdy (BRA), 3-Flavio Padaratz (BRA), w.o-Derek Ho (HAV)
4ª: 1-Tom Curren (EUA), 2-Peterson Rosa (BRA), 3-Ricardo Toledo (BRA), 4-Richie Collins (EUA)
5ª: 1-Jojó de Olivença (BRA), 2-Mark Occhilupo (AUS), 3-Shea Lopez (EUA), 4-Rob Bain (AUS)
6ª: 1-Kaipo Jaquias (HAV), 2-Richard Lovett (AUS), 3-Luke Egan (AUS), w.o-Brad Gerlach (EUA)

Programação de domingo no Supersurf ASP Masters:

7h – Quartas de Final Grand Masters – 4 baterias de 25 minutos:
1ª: Cheyne Horan (AUS) x Glen Winton (AUS)
2ª: Shaun Tomson (AFR) x Iain Buchanan (NZL)
3ª: Wayne Bartholomew (AUS) x Terry Richardson (AUS)
4ª: Michael Ho (HAV) x Simon Anderson (AUS)

8h40min – Quartas de Final Masters – 4 baterias de 25 minutos:

1ª: Shea Lopez (EUA) x Nathan Webster (AUS)
2ª: Victor Ribas (BRA) x Fabio Silva (BRA)
3ª: Fabio Gouveia (BRA) x Renan Rocha (BRA)
4ª: Peterson Rosa (BRA) x Guilherme Herdy (BRA)

10h20min – Semifinais Grand Masters – 2 baterias de 25 minutos
11h10min – Semifinais Masters – 2 baterias de 25 minutos
12h – Final da Grand Masters – 35 minutos
12h35min – Final da Masters – 35 minutos
13h15min – Cerimônia de premiação

Vitinho é 100% no Supersurf Mundial Masters da ASP

29 de julho de 2011 0


ASP/Kelly Cestari

Vitinho venceu três seguidas no Arpex. ASP/Kelly Cestari

O cabofriense Victor Ribas praticamente confirmou sua classificação para as quartas de final do SuperSurf ASP World Masters Championship no Rio de Janeiro. Ele é o único surfista com três vitórias na categoria Masters. O aproveitamento de 100% foi confirmado no último confronto da ensolarada sexta-feira na Capital carioca, mas de ondas pequenas e séries demoradas na Praia do Arpoador.

A categoria Grand Masters abriu o dia com o sul-africano Shaun Tomson estabelecendo novos recordes no evento especial para os ídolos do esporte, que não acontecia desde 2003. Com nota 9 na melhor onda surfada no Arpoador e 15,90 pontos, Shaun superou até as marcas dos Masters de 36 a 49 anos de idade.

- O mar está complicado, difícil de achar onda boa, mas veio uma pra mim e minha prancha está encaixada neste mar. Ela acabou armando uma boa parede e eu fui manobrando até o fim – contou Shaun Tomson, após vencer a primeira bateria da sexta-feira.

ASP/Kelly Cestari

Shaun Thomson está voando com sua pranchinha mágica. Foto: ASP/Kelly Cestari

Assim como Vitinho na Masters, Shaun Tomson também está invicto no Arpoador, com vitórias nas suas duas baterias pela categoria Grand Masters. Além dele, o havaiano Michael Ho é o outro único com duas vitórias na Grand Masters.

Com a atualização dos resultados, também estariam se classificando para as quartas de final da categoria os australianos Wayne Bartholomew, Cheyne Horan, Glen Winton, Terry Richardson, Simon Anderson e o havaiano Hans Hedemann. No entanto, ainda faltam duas rodadas para definição dos oito nomes.

ASP/Kelly Cestari

Peterson Rosa continua firme na briga pelo título da Masters. Foto: ASP/Kelly Cestari

Na Masters, Victor Ribas confirmou o seu na última bateria da sexta-feira, quando as ondas praticamente sumiram do Arpoador. Na verdade, ele garantiu sua terceira vitória no SuperSurf ASP World Masters nas ondas que entraram no início do confronto contra Occy, Richard Lovett e Richie Collins. Como as condições do mar se deterioraram, a sexta e última bateria da terceira fase Masters foi adiada para as 7h de sábado no Rio de Janeiro.

- Estou amarradão porque só deu onda no começo da bateria e eu estava bem posicionado para aquela esquerda que valeu nota 7. Depois peguei uma direita também e o mar parou, porque a maré encheu e as ondas desapareceram – disse o cabofriense.

Vitinho só lamenta o evento ser realizado numa semana fraca de ondas no Arpoador:

- Eu queria muito ver essa galera surfando boas ondas aqui, mas infelizmente aconteceu de não estarem rolando. O fundo está excelente e faltou pintar as ondas. Esses caras são meus heróis. O Occy (Mark Occhilupo) foi campeão mundial quando eu fiquei em terceiro no ranking (até hoje melhor posição de um brasileiro), o Tom Curren, Tom Carroll, são caras que eu sempre me espelhei e a maioria dos meus ídolos está aqui.

ASP/Kelly Cestari

Fabinho Silva é o RTMF no Mundial Masters. Foto: ASP/Kelly Cestari

Os brasileiros já garantiram 11 vitórias em 17 baterias disputadas na categoria Masters. Nos cinco confrontos da sexta-feira, foram quatro: Victor Ribas (RJ), Renan Rocha (SP), Peterson Rosa (PR) e Fábio Silva (CE). Radicado no Rio Tavares, em Floripa, Fabinho Silva bateu ontem ao tricampeão mundial Tom Curren.

A única exceção do dia foi o norte-americano Shea Lopez, que derrotou o baiano Jojó de Olivença e os australianos Rob Bain e Gary Elkerton. Tricampeão nas três últimas edições da Masters, Elkerton ficou em último nas três baterias que disputou no Arpoador.

- Eu tive muita sorte de começar já pegando três ondas boas – falou Shea Lopez, que divide o segundo lugar na tabela de classificação para as quartas de final da Masters com o brasileiro Renan Rocha, ambos com 27 pontos de duas vitórias e uma segunda posição nas baterias.

ASP/Kelly Cestari

Shea Lopez mostrou todo seu talento nas ondinhas do Arpex. Foto: ASP/Kelly Cestari

- Surfei com a prancha do Richard Lovett, já que as minhas não são para esta condição de mar. O Jojó (de Olivença) pegou a maior onda da bateria, mas consegui vencer na soma das duas notas e foi muito legal voltar a competir com ele. Estivemos juntos tantos anos no circuito, tivemos grandes batalhas e ele está sempre sorrindo, é um cara muito legal, um grande amigo – completou Lopez.

O paulista Renan Rocha também deu um grande passo para ficar entre os oito primeiros nas fases classificatórias que avançam para as quartas de final. Ele venceu a primeira bateria da Masters da sexta-feira ao registrar um novo recorde de 14,85 pontos para a categoria na vitória sobre o havaiano Kaipo Jaquias (2º), o australiano Barton Lynch (3º) e o norte-americano Brad Gerlach (4º).

- Eu estou muito feliz em voltar a competir com essa galera das antigas, mas, para ser honesto, a confraternização ficou na primeira fase. Agora estou vendo todo mundo focado na competição, com um semblante mais sério, enfim todos querem mesmo ganhar este título – declarou Renan.

ASP/Kelly Cestari

Renan Rocha garantiu mais uma vitória brazuca. Foto: ASP/Kelly Cestari

Resultados de sexta-feira na Praia do Arpoador:
3ª fase – Masters – 36 a 49 anos:
1ª: 1-Renan Rocha (BRA), 2-Kaipo Jaquias (HAV),3-Barton Lynch (AUS), 4-Brad Gerlach (EUA)
2ª: 1-Shea Lopez (EUA), 2-Jojó de Olivença (BRA), 3-Rob Bain (AUS), 4-Gary Elkerton (AUS)
3ª: 1-Peterson Rosa (BRA), 2-Ricardo Toledo (BRA), 3-Derek Ho (HAV), 4-Marty Thomas (EUA)
4ª: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Tom Curren (EUA), 3-Fabio Gouveia (BRA), 4-Nathan Webster (AUS)
5ª: 1-Victor Ribas (BRA), 2-Richard Lovett (AUS), 3-Mark Occhilupo (AUS), 4-Richie Collins (EUA)

2ª fase – Grand Masters – 50 anos ou mais:

1ª: 1-Shaun Tomson (AFR), 2-Glen Winton (AUS), 3-Zé Alla (BRA), 4-Ian Cairns (AUS)
2ª: 1-Wayne Bartholomew (AUS), 2-Lula Menezes (BRA), 3-Hans Hedemann (HAW), 4-Terry Fitzgerald (AUS)
3ª: 1-Michael Ho (HAW), 2-Terry Richardson (AUS), 3-Iain Buchanan (NZL), 4-Buzzy Kerbox (HAW)
4ª: 1-Simon Anderson (AUS), 2-Cheyne Horan (AUS), 3-Daniel Friedman (BRA), 4-Peter Townend (AUS)


ASP/Kelly Cestari

Rabbit Bartholomew é outra lenda viva do surfe mundial. Foto: ASP/Kelly Cestari


Baterias programadas para abrir o sábado, a partir das 7h:
3ª fase Masters – 36 a 49 anos:
6ª: Luke Egan (AUS), Jake Paterson (AUS), Flavio Padaratz (BRA), Guilherme Herdy (BRA)

4ª fase Masters – 36 a 49 anos:

1ª: Barton Lynch (AUS), Fabio Gouveia (BRA), Nathan Webster (AUS), Ricardo Toledo (BRA)
2ª: Gary Elkerton (AUS), Peterson Rosa (BRA), Marty Thomas (HAV), Fabio Silva (BRA)
3ª: Derek Ho (HAV), Rob Bain (AUS), Richie Collins (EUA), Richard Lovett (AUS)
4ª: Tom Curren (EUA), Brad Gerlach (EUA), Flavio Padaratz (BRA), Renan Rocha (BRA)
5ª: Mark Occhilupo (AUS), Jake Paterson (AUS), Kaipo Jaquias (HAV), Guilherme Herdy (BRA)
6ª: Luke Egan (AUS), Victor Ribas (BRA), Shea Lopez (EUA), Jojó de Olivença


ASP/Kelly Cestari

Havaiano Kaipo Jaquias também está no Rio. Foto: ASP/Kelly Cestari


3ª fase da Grand Masters – 50 anos ou mais:
1ª: Shaun Tomson (AFR), Simon Anderson (AUS), Terry Fitzgerald (AUS), Iain Buchanan (NZL)
2ª: Wayne Bartholomew (AUS), Terry Richardson (AUS), Ian Cairns (EUA), Daniel Friedman (BRA)
3ª: Michael Ho (HAV), Hans Hedemann (HAV), Peter Townend (AUS), Zé Alla (BRA)
4ª: Cheyne Horan (AUS), Glen Winton (AUS), Buzzy Kerbox (HAV), Lula Menezes (BRA)


ASP/Kelly Cestari

Neozelandês Iain Buchanam busca vaga na Grand Masters. Foto: ASP/Kelly Cestari


Classificação da Grand Masters – após duas fases:
1º: Shaun Tomson (AFR) – 20 pontos
1º: Michael Ho (HAW) – 20
3º: Glen Winton (AUS) – 17
3º: Terry Richardson (AUS) – 17
3º: Simon Anderson (AUS) – 17
6º: Wayne Bartholomew (AUS) – 14
7º: Cheyne Horan (AUS) – 11
7º: Hans Hedemann (HAV) – 11
7º: Iain Buchanan (NZL) – 11
7º: Zé Alla (BRA) – 11
11º: Lula Menezes (BRA) – 8
12º: Buzzy Kerbox (HAW) – 5
12º: Ian Cairns (AUS) – 5
12º: Daniel Friedman (BRA) – 5
15º: Peter Townend (AUS) – 2
15º: Terry Fitzgerald (AUS) – 2

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa do Supersurf ASP World Masters Championship

Segunda etapa do circuito nacional de bodyboard confirmada

28 de julho de 2011 0
Cbrasb/Divulgação

Leandro Chagas e Neymara Carvalho venceram etapa baiana em 2010. Foto: Cbrasb/Divulgação

A segunda etapa do Circuito Brasileiro de Bodyboard está confirmada para acontecer entre os dias 7 e 10 de setembro. O evento oferece premiação de R$ 30 mil, 1.000 pontos no ranking nacional, e será sediado na Praia do SESC (Jaguaribe), em Salvador(BA).

A partir deste evento, a CBRASB decidiu aumentar de três para quatro dias de competição, devido a grande procura dos atletas na etapa de abertura do Brasileiro, em Búzios.

- Com a confirmação da segunda etapa, o circuito brasileiro ganha forma e esquenta ainda mais a disputa pelo título deste ano. Essa é a terceira temporada consecutiva que temos eventos de grande porte em Salvador e agora com a perspectiva de lotar todas as categorias de atletas – ressalta Flávio Brito, diretor técnico da CBRASB.

As inscrições foram abertas nesta quarta-feira, dia 27, e se estendem até o dia 30 de agosto. Os atletas interessados em competir devem se inscrever através do site www.cbrasb.com.br. No total, serão disponibilizadas 168 vagas distribuídas da seguinte maneira entre cinco categorias: Super Top – 16 vagas; Pro Trials – 48 vagas; Pro Girls – 32 vagas; Open Masculino – 48 vagas; Sub-16 masculino (nascidos a partir de 1995) – 24 vagas

É importante lembrar que os atletas filiador terão prioridade numa eventual disputa por vagas com atletas não filiados. Caso haja demanda e o cronograma suporte, a CBRASB poderá abrir mais vagas. Além disso, a CBRASB anunciou o possível calendário para o segundo semestre com as próximas etapas do Circuito Brasileiro:

Terceira etapa – de 6 a 9 de Outubro, no Farol de São Thomé, em Campos dos Goytacazes (RJ)
Quarta etapa – 20 a 23 de Outubro, na Praia do Tombo, no Guarujá (SP)
Quinta etapa – 3 a 6 de Novembro, em Fortaleza (CE)

Além das etapas, Rio de Janeiro (Capital) e Pernambuco ainda podem entrar na programação de eventos ou até mesmo substituir alguma etapa no calendário.

Com informações de Danilo Caboclo – assessoria de imprensa CBRASB

Scheidt e Prada rumo a Weymouth para evento-teste

28 de julho de 2011 0


Flavio Pilatti/Divulgação

Scheidt e Prada treinaram no Lago di Garda, na Itália. Foto: Flavio Pilatti/Divulgação


Após encerrarem o período de treinos no Lago di Garda, na Itália, Robert Scheidt e Bruno Prada seguem nesta quinta-feira  para Weymouth, na Inglaterra, onde disputam o evento-teste para a Olimpíada de Londres/2012 na classe Star. Durante os treinos na Itália, após a participação na Rolex Ilhabela Sailing Week, Scheidt e Prada encararam o desafio de acertar o novo barco, um PStar, americano, que será usado na competição, de 31 de julho a 13 de agosto. As regatas da Star começam apenas no dia 6.
– Os treinos foram muito bons e produtivos, sempre misturando testes de velocidade com regatas e manobras. O barco tem nos surpreendido positivamente. Ainda é um pouco cedo para um julgamento completo de seu desempenho, falta ajustar algumas coisas, mas espero que até o evento-teste estejamos 100% confiantes no equipamento – afirma Scheidt.


On Edition

Scheidt e Prada vão testar o novo barco também. Foto: On Edition


Em Garda, Scheidt e Prada contaram com a companhia dos suecos Fredrik Loof e Max Salminen, também em preparação para correr em Weymouth.
– Ter o Loof como companheiro de treinos foi excelente, pois hoje a dupla é das melhores e mais dedicadas do mundo – avalia Scheidt.
Bruno Prada comemora o fato da dupla ter conseguido ser tão veloz nos treinos quanto os suecos.
– É um bom sinal. O PStar aparenta ser muito bom. Vamos ver em Weymouth – diz o proeiro, confiante.

Scheidt e Prada seguem para Weymouth como líderes do ranking mundial da Star, posição que ocupam desde julho de 2010. Na relação divulgada na quarta-feira, dia 27, pela Federação Internacional de Vela (Isaf), a dupla soma 4.418 pontos, seguida pelos suecos Fredrik Loof e Max Salminen, com 4.241, e os alemães Johannes Polgar e Markus Koy, com 4.149. Robert Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil, Prada e Rolex. Scheidt e Bruno Prada têm o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Vela e Motor.

Com informações da Local Assessoria de Imprensa

Segundo dia do Mundial Masters da ASP no Arpex

28 de julho de 2011 0
ASP/Cestari

Shaun Thomson fez sua estreia no Arpex com vitória. Foto ASP/Cestari

As ondas continuaram pequenas na quarta-feira, mas com melhor formação e paredes mais longas para as manobras dos grandes ídolos do surfe mundial e brasileiro no Arpoador, Rio de Janeiro. O segundo dia do SuperSurf ASP World Masters Championship marcou a estreia da categoria Grand Masters, que reúne as verdadeiras lendas vivas do início do circuito mundial na década de 70. Eles entraram logo após a segunda fase Masters, que abriu o dia de competição no Arpex.

O campeão mundial de 1977, Shaun Tomson, conquistou a primeira vitória da categoria Grand Master com a nota 8 na onda que pegou nos minutos finais da bateria. Ele somou 12,75 pontos e venceu os havaianos Hans Hedemann e Buzzy Kerbox e o brasileiro Daniel Friedman.
– É demais estar na água com a lycra de competição, a mente voa direto para os tempos de competidor – falou Shaun Tomson.
O clima de confraternização na Grand Master se fez mais presente na maioria das baterias. Maior vencedor de baterias da Masters, Glen Winton completou 50 anos e estreou na Grand Masters superando dois campeões mundiais: Peter Townend (1976) e Wayne Bartholomew (1978).

ASP/Cestari

Havaiano Michael Ho é outra lenda que está surfando do Arpex. Foto ASP/Cestari

Na disputa seguinte, devido a uma contusão no ombro, o australiano Ian Cairns foi autorizado a entrar de “Stand Up”, modalidade que o surfista fica em pé na prancha com um remo para pegar as ondas. O havaiano Michael Ho ganhou a bateria e chegou a brincar com ele, balançando a prancha com as duas mãos por trás até derrubá-lo na água.
O clima mais competitivo só aflorou no último confronto do dia, com Terry Richardson e Terry Fitzgerald, na disputa pelas ondas no Arpoador. Os dois discutiram na saída do mar, mas ficou nisso. Zé Alla ficou em segundo na bateria e teve o melhor resultado brasileiro da categoria.

ASP/Cestari

Peterson Rosa levou a primeira bateria nesta segunda fase da Masters. Foto ASP/Cestari

Na Masters, foram quatro vitórias brasileiras nas primeiras baterias do dia. O paranaense Peterson Rosa ganhou a primeira, contra o norte-americano Shea Lopez, o niteroiense Guilherme Herdy e o australiano Barton Lynch.
– É muito legal esse formato porque você sabe que tem outras chances, mas fiquei nervoso antes da bateria ontem (terça-feira), hoje também, é competição mesmo, sempre tem a ansiedade, o frio na barriga. É como o Barton Lynch falou lá dentro, que há 8 anos ele não vestia uma lycra de competição. Para mim é um prazer estar aqui com todos estes ídolos que fizeram a história do surfe, além de fazer parte disso também – falou Peterson Rosa.


ASP/Cestari

Renan Rocha diz que os competidores estão com "70% de sangue nos olhos". Foto ASP/Cestari

No segundo confronto do dia, o tricampeão mundial Masters nas últimas edições do evento, Gary Elkerton, chegou tarde, entrou depois da bateria ser iniciada e saiu antes dela terminar, sem achar ondas na difícil condição do mar no Arpoador. O paraibano Fábio Gouveia ainda derrotou o havaiano Kaipo Jaquias e o australiano Richard Lovett nesta segunda bateria. Na terceira, o paulista da Equipe Hang Ten, Renan Rocha, festejou sua primeira vitória contra o havaiano Derek Ho, o australiano Jake Paterson e o americano Richie Collins.
_ Essa fórmula desse campeonato é sensacional não só para os atletas, mas também pro público. Está rolando sim um clima de competição dentro d´agua. Quando começa a bateria, tem uns 70% que estão com sangue nos olhos – destaca Renan.


ASP/Cestari

Victor Ribas está levando a competição com muita seriedade. Foto: ASP/Cestari

A quarta vitória brasileira seguida foi conquistada pelo cabofriense Victor Ribas, que bateu o tricampeão mundial Tom Curren, além dos brasileiros Flavio Padaratz e Jojó de Olivença. Só Vitinho e o australiano Nathan Webster ganharam as duas baterias que disputaram no Arpoador e lideram a tabela de classificação para as quartas de final com 20 pontos.
– A bateria foi bem disputada, o Tom Curren quase virou no final e optei em sair pegando onda, tática de sobrevivência. Acho até que peguei onda demais e o pessoal reclamou – contou Victor Ribas, que está encarando o evento de forma totalmente profissional.

ASP/Cestari

Aussie Nathan Webster está invicto no Arpoador. Foto ASP/Cestari



O outro invicto no Arpex, Nathan Webster, derrotou Mark Occhilupo, Ricardo Toledo e Brad Gerlach, que ficou só brincando com as ondinhas, surfando de base trocada.
– Eu estou muito feliz, me sentindo um garoto de novo (risos), como se fosse meu primeiro ano no Circuito Mundial, com todos esses caras que já estavam lá quando eu comecei. É muito irado e estou me divertindo bastante – disse Webster.

ASP/Cestari

Tom Curren passou em segundo na bateria vencida por Victor Ribas. Foto: ASP/Cestari

Resultados da quarta-feira:
2ª fase da categoria Masters – 36 a 49 anos:

1ª: 1-Peterson Rosa (BRA), 2-Shea Lopez (EUA), 3-Guilherme Herdy (BRA), 4-Barton Lynch (AUS)
2ª: 1-Fabio Gouveia (BRA), 2-Kaipo Jaquias (HAV), 3-Richard Lovett (AUS), 4-Gary Elkerton (AUS)
3ª: 1-Renan Rocha (BRA), 2-Jake Paterson (AUS), 3-Derek Ho (HAV), 4-Richie Collins (EUA)
4ª: 1-Victor Ribas (BRA), 2-Tom Curren (EUA), 3-Flavio Padaratz (BRA), 4-Jojó de Olivença (BRA)
5ª: 1-Nathan Webster (AUS), 2-Mark Occhilupo (AUS), 3-Ricardo Toledo (BRA), 4-Brad Gerlach (EUA)
6ª: 1-Luke Egan (AUS), 2-Fabio Silva (BRA), 3-Rob Bain (AUS), 4-Marty Thomas (EUA)

1ª fase da Grand Masters – 50 anos ou mais:
1ª: 1-Shaun Tomson (AFR), 2-Hans Hedemann (HAV), 3-Buzzy Kerbox (HAV), 4-Daniel Friedman (BRA)
2ª: 1-Glen Winton (AUS), 2-Iain Buchanan (NZL), 3-Wayne Bartholomew (AUS), 4-Peter Townend (AUS),
3ª: 1-Michael Ho (HAV), 2-Simon Anderson (AUS), 3-Ian Cairns (AUS), 4-Lula Menezes (BRA)
4ª: 1-Terry Richardson (AUS), 2-Zé Alla (BRA), 3-Cheyne Horan (AUS), 4-Terry Fitzgerald (AUS)


ASP/Cestari

Neozelandês Iain Buchanan só ficou atrás de Glen Winton. Foto: ASP/Cestari

Baterias programadas para quinta-feira, às 8h:
2ª fase da Grand Masters (50 anos ou mais):
1ª: Shaun Tomson (AFR), Glen Winton (AUS), Ian Cairns (AUS), Zé Alla (BRA)
2ª: Wayne Bartholomew (AUS), Hans Hedemann (HAV), Terry Fitzgerald (AUS), Lula Menezes (BRA)
3ª: Michael Ho (HAW), Terry Richardson (AUS), Buzzy Kerbox (HAV), Iain Buchanan (NZL)
4ª: Cheyne Horan (AUS), Simon Anderson (AUS), Peter Townend (AUS), Daniel Friedman (BRA)

3ª fase da Masters (36 a 49 anos):

1ª: Barton Lynch (AUS), Brad Gerlach (EUA), Kaipo Jaquias (HAV), Renan Rocha (BRA)
2ª: Gary Elkerton (AUS), Rob Bain (AUS), Shea Lopez (EUA), Jojó de Olivença (BRA)
3ª: Derek Ho (HAV), Peterson Rosa (BRA), Marty Thomas (EUA), Ricardo Toledo (BRA)
4ª: Tom Curren (EUA), Fabio Gouveia (BRA), Nathan Webster (AUS), Fabio Silva (BRA)
5ª: Mark Occhilupo (AUS), Victor Ribas (BRA), Richie C ollins (EUA), Richard Lovett (AUS)
6ª: Luke Egan (AUS), Jake Paterson (AUS), Flavio Padaratz (BRA), Guilherme Herdy (BRA)

ASP/Cestari

Luke Egan venceu bateria com Fabio Silva em segundo, na Masters. Foto: ASP/Cestari

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa do Supersurf ASP World Masters Championship

Fotos do Supersurf Mundial de Masters da ASP

27 de julho de 2011 0
Foto ASP/Kelly Cestari

Guilherme Herdy foi destaque na primeira fase do Masters. Foto ASP/Kelly Cestari

Foto ASP/Kelly Cestari

Tom Curren nas pequenas ondas do Arpoador. Foto ASP/Kelly Cestari

Foto ASP/Kelly Cestari

Teco Padaratz garantiu a primeira vitória brasileira no Masters. Foto ASP/Kelly Cestari

Foto ASP/Kelly Cestari

Rich Lovett afiou o backside nas esquerdas do Arpex. Foto ASP/Kelly Cestari

Foto ASP/Kelly Cestari

Occy veio para mostrar o velho e bom power surf. Foto ASP/Kelly Cestari

Fábio Silva e Ricardinho Toledo no Mundial Master

25 de julho de 2011 0
Supersurf/Fabio Minduim

Fabio Silva é o RTMF no Mundial Masters da ASP. Supersurf/Fabio Minduim

O paulista e bicampeão brasileiro Ricardo Toledo e o cearense radicado no Rio Tavares, em Florianópolis, Fábio Silva, se classificaram na triagem master (36-49 anos) enquanto Zé Alla e Lula Menezes garantiram as vagas da triagem Grand Master (mais de 50 anos) para o Supersurf ASP World Masters Championship, que começa nesta terça-feira, na Praia do Arpoador, Rio de Janeiro. A disputa da triagem aconteceu num clima descontraído e reuniu grandes nomes do surfe brasileiro na segunda-feira com ondas de dois pés e boa formação.

No total, 32 surfistas disputaram as triagens, 16 deles na Grand Master, com algumas lendas vivas como Rossini “Maraca” Maranhão, os irmãos Otavio e Fabio Pacheco, Paulo Proença e Wadih Mansur, que fizeram parte das primeiras gerações do surfe brasileiro. Na final, Zé Alla e Lula Menezes leveram a melhor sobre Antônio Abrantes e Fabio Pacheco e garantiram seus lugares no SuperSurf ASP World Masters.

Na triagem Master, Santa Catarina foi representada por Guga Arruda, Carlos Santos, Junior Maciel e Roni Ronaldo, mas todos caíram antes da grande final.

Supersurf/Fabio Minduim

Ricardinho está com o surfe afiado para o Mundial. Foto: Supersurf/Fabio Minduim

A batalha que decidiu a segunda vaga foi decidida no último minuto, quando o cearense Fábio Silva, radicado em Floripa, surfou sua melhor onda na bateria para superar o carioca Sergio Noronha, o “Fedelho”. A primeira vaga já era do paulista Ricardinho Toledo, campeão brasileiro em 1991 e 1995, que achou boas ondas em todas as três baterias que disputou no Arpoador nesta segunda-feira.

O baiano Armando Daltro, ex-campeão do WQS, também fez belas apresentações, mas acabou em quarto lugar e será o primeiro alternate do evento.  Outra atração da segunda-feira foi a coletiva de imprensa com as principais estrelas do SuperSurf ASP World Masters Championship no Copacabana Praia Hotel. Compuseram a mesa o tricampeão mundial Tom Curren, o bicampeão Master Gary Kong Elkerton, o australiano Cheyne Horan, que venceu duas vezes a etapa do Brasil no Arpoador na década de 70, além dos brasileiros Daniel Friedman, Fábio Gouveia e Renan Rocha.

- Fiquei muito contente quando soube da volta do evento e principalmente em poder rever e compartilhar bons momentos com os amigos que há muito tempo eu não via. Cada um seguiu seu caminho e este evento é a chance de podermos estar todos juntos de novo, inclusive com as gerações mais novas – falou Cheyne Horan, campeão mundial Master de 1999 que já completou 50 anos de idade e vai estrear na Grand Master.

Foto ASP Kelly Cestari

Coletiva reuniu lendas do surfe nacional e mundial. Foto ASP Kelly Cestari

Ele chegou até a arriscar responder as perguntas em português e arrancou aplausos. Grande atração do evento, Tom Curren só participou das duas últimas edições do Mundial Masters da ASP e foi vice-campeão na estreia dele na categoria, em 2000, na França. Até hoje, é o único surfista que foi campeão mundial amador Junior (1980) e Open (1982) e do circuito profissional da ASP três vezes, em 1985, 1986 e 1990. Curren acabou questionado se o título Master completaria o seu o ciclo de conquistas no surfe mundial.

- Muitas pessoas me falam isso, mas para mim o mais importante é estar aqui revendo todos que competiram comigo no passado, podendo ter este convívio novamente, mas num clima diferente, de confraternização – disse Curren.
- Mas, claro que existe a competição e todos estão aqui para isso, então tem um objetivo que é vencer. Não é como antigamente, o clima é diferente, mais relaxado, sem tanta pressão por resultado. Estou feliz por estar aqui no Brasil de novo para competir e espero que dê boas ondas durante essa semana para que todos possam sair felizes daqui – completou.

Supersurf/Fabio Minduim

Zé Alla vai encarar Cheyne Horan, Terry Richardson e Terry Fitzgerald na Grand Master. Foto:Supersurf/Fabio Minduim

Gary Elkerton lamentou a lacuna de 10 anos sem realização do Mundial Masters e elogiou a iniciativa dos brasileiros em resgatar a competição.

- Para muitos de nós, que ficamos 10, 15 anos competindo, parar de repente é complicado. Eu procurei trabalhar em outras coisas, mas a vontade de competir está dentro da gente. É importante ter esse evento para que possamos continuar nossa carreira, mesmo que num patamar diferente – falou Kong, que vai tentar o tricampeonato Master no Arpoador.

O maior ídolo do surfe brasileiro, Fábio Gouveia, também comentou o retorno do evento:

- Eu senti falta do evento. Lembro que quando estava parando de competir a nível profissional, eu via esta categoria Master como uma válvula de escape, só que foi bem na hora que não teve mais o Mundial. Estar aqui agora com todas essas feras e com a possibilidade de competir de novo com eles é quase um sonho para mim e para todos os brasileiros que até agora não tiveram a chance de participar desta categoria – falou Fábio Gouveia.

Supersurf/Fabio Minduim

Lula Menezes terá lendas do surfe mundial como adversários na água. Foto: Supersurf/Fabio Minduim


Nesta terça-feira todos se apresentam nas ondas no Arpoador. O início do SuperSurf ASP World Masters Championship está previsto para as 8h, mas dependerá das condições do mar.  A competição poderá ser acompanhada ao vivo pelo www.supersurf.com.br

1ª fase da triagem Master – 36 a 49 anos:
1ª: 1-Armando Daltro (BRA), 2-Renato Phebo (BRA), 3-Jeronimo Telles (BRA), 4-Rosaldo Cavalcanti (BRA)
2ª: 1-Carlos Santos (BRA), 2-Rodrigo Jorge (BRA), 3-Mauro Pacheco (BRA), 4-Frederico Delfin (BRA)
3ª: 1-Pedro Muller (BRA), 2-Junior Maciel (BRA), 3-Alex Miranda (BRA), 4-Ismael Miranda (BRA)
4ª: 1-Ricardo Toledo (BRA), 2-Christiano Spirro (BRA), 3-Rodolfo Lima (BRA), 4-Renato Coutinho (BRA)
5ª: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Sergio Noronha (BRA), 3-Roni Ronaldo (BRA), 4-Sergio Penna (BRA)
6ª: 1-Ricardo Tatuí (BRA), 2-Savio Carneiro (BRA), 3-Caia Souza (BRA), 4-Hugo Pacheco (BRA)
7ª: 1-Guga Arruda (BRA), 2-Kiko Ferreira (BRA), 3-Nelson Ferreira (BRA), 4-Frederico D´Orey (BRA)
8ª: 1-Piu Pereira (BRA), 2-Dadá Figueiredo (BRA), 3-Eduardo Chalita (BRA), 4-Eraldo Gueiros (BRA)

Quartas de final triagem master:
1ª: 1-Christiano Spirro (BRA), 2-Armando Daltro (BRA), 3-Carlos Santos (BRA), 4-Junior Maciel (BRA)
2ª: 1-Pedro Muller (BRA), 2-Ricardo Toledo (BRA), 3-Renato Phebo (BRA), 4-Rodrigo Jorge (BRA)
3ª: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Ricardo Tatui (BRA), 3-Dadá Figueiredo (BRA), 4-Kiko Ferreira (BRA)
4ª: 1-Sergio Noronha (BRA), 2-Piu Pereira (BRA), 3-Guga Arrruda (BRA), 4-Savio Carneiro (BRA)

Semifinais triagem master:

1ª: 1-Ricardo Toledo (BRA), 2-Armando Daltro (BRA), 3-Pedro Muller (BRA), Christiano Spirro (BRA)
2ª: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Sergio Noronha (BRA), 3-Piu Pereira (BRA), 4-Ricardo Tatui (BRA)

Final da triagem master (os dois primeiros se classificam para o evento principal):

1º Ricardo Toledo (BRA), 2º Fabio Silva (BRA), 3º Sergio Noronha (BRA), 4ºArmando Daltro (BRA)

1ª fase da triagem Grand Master – 50 anos ou mais:

1ª: 1-Odalto Castro (BRA), 2-Fred Rozario (BRA), 3-Otavio Pacheco (BRA), 4-Rossini Maranhão (BRA)
2ª: 1-Antonio Abrantes (BRA), 2-Fabio Pacheco (BRA), 3-Larry Ipanema (BRA), 4-Paulo Proença (BRA)
3ª: 1-Zé Alla (BRA), 2-Marcio Mundin (BRA), 3-Roberto Andrade (BRA), 4-Ronaldo Alvarenga (BRA)
4ª: 1-Lula Menezes (BRA), 2-Renato Larica (BRA), 3-Italo Marcelo (BRA), 4-Wadih Mansur (BRA)

Semifinais da triagem Grand Master:

1ª: 1-Fabio Pacheco (BRA), 2-Antonio Abrantes (BRA), 3-Fred Rozario (BRA), 4-Odalto Castro (BRA)
2ª: 1-Lula Menezes (BRA), 2-Zé Alla (BRA), 3-Marcio Mundin (BRA), 4-Renato Larica (BRA)

Final da triagem da Grand Master:

1ºZé Alla (BRA), 2º Lula Menezes (BRA), 3º Antonio Abrantes (BRA), 4º Fabio Pacheco (BRA)

Baterias da 1ª fase do evento principal master – 36 a 49 anos:

1ª: Barton Lynch (AUS), Rob Bain (AUS), Flavio Padaratz (BRA), Richard Lovett (AUS)
2ª: Gary Elkerton (AUS), Brad Gerlach (EUA), Richie Collins (EUA), Guilherme Herdy (BRA)
3ª: Derek Ho (HAV), Victor Ribas (BRA), Kaipo Jaquias (HAV), Jojó de Olivença (BRA)
4ª: Tom Curren (EUA), Jake Paterson (AUS), Shea Lopez (EUA), Renan Rocha (BRA)
5ª: Mark Occhilupo (AUS), Fabio Gouveia (BRA), Marty Thomas (EUA), Fabio Silva (BRA)
6ª: Luke Egan (AUS), Peterson Rosa (BRA), Nathan Webster (AUS), Ricardo Toledo (BRA)

1ª fase do eventpo principal Grand Master – 50 anos ou mais:

1ª: Shaun Tomson (AFR), Hans Hedemann (HAV), Buzzy Kerbox (HAV), Daniel Friedman (BRA)
2ª: Wayne Bartholomew (AUS), Glen Winton (AUS), Peter Townend (AUS), Iain Buchanan (NZL)
3ª: Michael Ho (HAV), Simon Anderson (AUS), Ian Cairns (AUS), Lula Menezes (BRA)
4ª: Cheyne Horan (AUS), Terry Richardson (AUS), Terry Fitzgerald (AUS), Zé Alla (BRA)

Campões mundiais master (35 a 44 anos) e grand master (45 ou mais):

2001: Gary Elkerton (AUS) e Mark Richards (AUS) em Bundoran – IRLANDA
2000: Gary Elkerton (AUS) e Michael Ho (HAV) em Lafitenia – FRANÇA
1999: Cheyne Horan (AUS) e Wayne Bartholomew (AUS) em Lafitenia – FRANÇA
1998: Joey Buran (EUA) e Buzzy Kerbox (HAV) em Puerto Escondido – MEXICO
1997: Terry Richardson (AUS) foi o primeiro campeão em Cloudbreak, Tavarua Island – FIJI

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa Supersurf ASP World Masters Championship

Triagem brasileira abre Semana do Mundial Master da ASP

24 de julho de 2011 0



Foto Pierre Tostee

Teco Padaratz volta a competir no Rio de Janeiro. Foto Pierre Tostee



Uma triagem especial para os brasileiros abre a semana do SuperSurf ASP World Masters Championship, nesta segunda-feira, na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro. A disputa pelas últimas vagas começa às 8h e os classificados serão conhecidos ainda no mesmo dia. As finais estão previstas para acontecer entre 14h40min e 15h30min.

Na Master, nomes como Pedro Muller, Ricardo Toledo, Dadá Figueiredo, Fred Dorey, Ricardo Tatuí estarão misturados com atletas de outras gerações como Fábio Silva e o catarinense Guga Arruda, que ainda estão em atividade. Na Grand Master, Paulo Proença, Wadih Mansur e os irmãos Otávio e Fábio Pacheco são algumas da lendas que estarão na disputa.

Os dois primeiros colocados de cada categoria completam o quadro dos 24 participantes da Master, para surfistas de 36 a 49 anos, e dos 16 da Grand Master, para 50 anos ou mais, de que reúnem os grandes ídolos da história do Circuito Mundial. Eles só competem na terça-feira, mas algumas estrelas estarão na coletiva de imprensa da segunda-feira, às 15h30min, no Copacabana Praia Hotel.

Entre os destaques do evento que resgata uma competição que não acontecia desde 2002 estão Tom Curren, Barton Lynch, Gary Elkerton, Cheyne Horan, Shaun Tomson, Wayne Bartholomew e Terry Richardson, ao lado dos  brasileiros Fabio Gouveia, Victor Ribas, Daniel Friedman e Renan Rocha, novo contratado da Hang Ten, única marca de surfwear entre os patrocinadores do evento.



Foto Pierre Tostee

Fabinho, em ação, no Tahiti. Foto Pierre Tostee



Na terça-feira, todos estarão na Praia do Arpoador. O início da disputa dos títulos mundiais está previsto para as 8h, conforme as condições do mar. O formato da competição é especial para a categoria. Todos são divididos numa mesma fase e competem outras vezes com adversários diferentes, somando os pontos das suas colocações nas baterias. O vencedor marca 10 pontos, o segundo lugar ganha 7, o terceiro leva 4 e o último fica com 1 ponto.

No encerramento das fases classificatórias, os oito maiores pontuadores se classificam às quartas de final, onde os duelos serão homem-a-homem, formato que prossegue até a final. Na Master, os 24 surfistas são divididos em seis baterias com quatro atletas. Nesta categoria, cada um compete no mínimo de cinco vezes com adversários diferentes. Na Grand Master, os 16 participantes são divididos em quatro baterias e cada um entra no mar quatro vezes.



Foto Pierre Tostee

Cheyne Horan já ganhou etapa no Rio. Foto Pierre Tostee



Na terça-feira, se o evento começar pela categoria Master, os primeiros a se apresentar serão os australianos Barton Lynch, Rob Bain, Richard Lovett e o brasileiro Flávio ‘Teco’ Padaratz. Atual bicampeão mundial Master, Gary Elkerton entra na segunda, com os americanos Brad Gerlach e Richie Collins e Guilherme Herdy, do Brasil. O desfile das estrelas continua com os campeões mundiais Derek Ho na terceira bateria, o tricampeão Tom Curren, na quarta, e Mark Occhilupo, na quinta, ao lado do grande Fábio Gouveia.

Se o SuperSurf ASP World Masters Championship for iniciado pela Grand Master, a bateria inaugural será entre o sul-africano Shaun Tomson, os havaianos Hans Hedemann e Buzzy Kerbox e o carioca Daniel Friedman, único brasileiro que já participou desta competição, em 2001, na Irlanda.

Mais campeões das primeiras edições da história do Circuito Mundial também estarão no Arpoador nesta semana. Wayne Bartholomew e Peter Townend estrearão juntos na segunda bateria. O havaiano Michael Ho, que detém vários recordes da categoria, entra na terceira. E na quarta, o primeiro campeão mundial Master da ASP, Terry Richardson, além de Cheyne Horan, que também tem um título. A competição poderá ser acompanhada ao vivo pelo site www.supersurf.com.br.



Foto Karen Wilson

Rich Lovett, no trilho para o canudo de Pipe, é uma das atrações da Master.Foto Karen Wilson



Cronograma da triagem dos brasileiros nesta segunda feira, dia 25:

8h – 1ª fase da triagem Master – 8 baterias de 20 minutos
10h40min – Quartas de Final da triagem Master – 4 baterias de 20 minutos
12h – 1ª fase da triagem Grand Master – 4 baterias de 20 minutos
13h20min – Semifinais da triagem Master – 2 baterias de 20 minutos
14h – Semifinais da triagem Grand Master – 2 baterias de 20 minutos
14h40min – Grande Final da triagem Master – 1 bateria de 30 minutos
15h10min – Grande Final da triagem Grand Master – 1 bateria de 30 minutos

Baterias da 1ª fase do evento principal Master – 36 a 49 anos:

1ª: Barton Lynch (AUS), Rob Bain (AUS), Flavio Padaratz (BRA), Richard Lovett (AUS)
2ª: Gary Elkerton (AUS), Brad Gerlach (EUA), Richie Collins (EUA), Guilherme Herdy (BRA)
3ª: Derek Ho (HAV), Victor Ribas (BRA), Kaipo Jaquias (HAV), Jojó de Olivença (BRA)
4ª: Tom Curren (EUA), Jake Paterson (AUS), Shea Lopez (EUA), Renan Rocha (BRA)
5ª: Mark Occhilupo (AUS), Fabio Gouveia (BRA), Marty Thomas (EUA) + 1 da triagem
6ª: Luke Egan (AUS), Peterson Rosa (BRA), Nathan Webster (AUS) + 1 da triagem



Foto Pierre Tostee

Wayne Bartholomew é um dos favoritos na Grand Master. Foto Pierre Tostee



1ª fase evento principal Grand Master – 50 anos ou mais:
1ª: Shaun Tomson (AFR), Hans Hedemann (HAV), Buzzy Kerbox (HAV), Daniel Friedman (BRA)
2ª: Wayne Bartholomew (AUS), Glen Winton (AUS), Peter Townend (AUS), Iain Buchanan (NZL)
3ª: Michael Ho (HAV), Simon Anderson (AUS), Ian Cairns (AUS) + 1 da triagem
4ª: Cheyne Horan (AUS), Terry Richardson (AUS), Terry Fitzgerald (AUS) + 1 da triagem

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa do Mundial Masters da ASP

Carlos Bahia ganha etapa dos pranchões em Ipitanga

24 de julho de 2011 0


Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net

Bahia festeja o título e a terceira posição no ranking. Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net


Radicado em Maresias (SP), o baiano Carlos Bahia voltou à terra natal para ser campeão do Petrobras Longboard Classic, a terceira etapa do circuito brasileiro dos pranchões, encerrada neste domingo, dia 24 de julho, na Praia de Ipitanga, em Lauro de Freitas, na Grande Salvador.

Bahia foi muito regular durante a competição e, na grande final, derrotou Jeferson Silva para assumir a terceira posição no ranking nacional, com 6.400 pontos. O paulista do Guarujá, Danilo Mullinha Rodrigo, que parou nas quartas de final e terminou em quinto, se mantém na liderança do ranking, agora com 7.410 pontos. O carioca Marcelo Freitas, que também ficou em quinto, está em segundo, com 6.860 pontos.

Para chegarem à final, Bahia e Jeferson Silva passaram pelos dois surfistas de melhor desempenho nas balançadas ondas de Ipitanga, que neste domingo tinham cerca de um metro e meio, mas sofriam influência do forte vento maral. O carioca Roger Barros, que desde a primeira fase marcou mais de 14 pontos em suas baterias, fez 13,43 contra 15,37 de Bahia na primeira semifinal. Na segunda, Jeferson superou o carioca Phil Rajzman ao marcar 12,10 contra 10,47.

- Não consegui grandes pontuações, virei algumas baterias difíceis no caminho até a final. Não tenho dúvidas que o axé e as energias da Bahia me ajudaram a conquistar este título – disse Carlos Bahia.


Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net

Carlos Bahia se sentiu à vontade para levar o título em casa. Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net


Jeferson também ficou satisfeito com o resultado apesar da derrota no final:

- Estou muito feliz com meu resultado, pois não tinha ido muito bem nas outras etapas e agora ganho confiança para tentar lutar pelo título – declarou o vice-campeão, que entrou no grupo dos 20 primeiros do ranking.

Nas quartas de final, em mais uma bateria regular, Bahia passou por outro surfista de Saquarema, Jeremias da Silva, em sua última onda, enquanto Jeferson tirou da competição o líder do ranking, Danilo Mullinha. As quartas de final também protagonizaram a melhor bateria do evento, com show de surfe de Rodrigo Sphaier e Phil Rajzman. Diguinho abriu a disputa com uma nota 9 pontos e Phil virou o resultado nos minutos finais, com 8,9. O placar final mostra o nível da bateria: 16,1 a 15,57, dois dos três maiores somatórios do campeonato. O segundo também foi de Phil, 15,67, nas oitavas de final.

Neste domingo, além das finais da categoria profissional masculina, foram disputadas as decisões da supermaster (acima de 50 anos) e feminina amador. Na supermaster, o carioca radicado no Guarujá, Mauro Cardoso, ficou com o título e quebrou a invencibilidade do carioca Adolfo Jordão, vencedor das duas primeiras etapas. O também paulista William Ferreira foi o terceiro seguido do baiano Carlos Moraes. No feminino, a vitória ficou com a baiana Carla Circenes (8,14 pontos), seguida da pernambucana Atalanta Batista e da baiana Luciana Tavares.

No pódio, Olimpio Batista, o Olimpinho, surfista baiano falecido em 2006 voltou a ser homenageado com a entrega de um troféu para o seu irmão, Oton Batista, feita por Rico de Souza, organizador do evento.


Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net

O pódio da terceira etapa, em Ipitanga, Lauro Freitas. Foto Marcio Rodrigues Fotocom.net



Resultados da etapa:
Masculino Profissional

1º) Carlos Bahia (BA)
2º) Jeferson Silva (RJ)
3º) Phil Rajzman (RJ)
4º) Roger Barros (RJ)
5º) Danilo Mullinha Rodrigo (SP)
5º) Marcelo Freitas (RJ)
5º) Jeremias da Silva (RJ)
5º) Rodrigo Sphaier (RJ)

Supermaster (acima de 50 anos)

1º) Mauro Raposo (SP)
2º) Adolfo Jordão (RJ)
3º) William Ferreira (SP)
4º) Carlos Moraes (BA)

Feminino amador

1ª) Carla Circenes (BA)
2ª) Atalanta Batista (PE)
3ª) Luciana Tavares (BA)

Ranking masculino profissional após três etapas
1º) Danilo Rodrigo SP 7410
2º) Marcelo Freitas RJ  6860
3º) Carlos Bahia SP 6400
4º) André Luiz RJ  5400
5º) Phil Rajzman  RJ  5380
6º) Roger Barros  RJ  5055
7º) Amaro Matos  SP 4700
8º) Jefson Silva SP  4450
8º) Adriano Lima SP 4450
8º) Wenderson Billudo SP 4450

Mais informações: www.ricosurf.com.br
Com informações de Diogo Mourão, Media Guide Comunicação.

Jordy Smith vence em JBay, Alejo Muniz é o quinto

24 de julho de 2011 0


ASP/Kirstin Scholtz

Alejo não se encontrou nas ondas neste domingo. ASP/Kirstin Scholtz


O sul-africano Jordy Smith (ZAF), 23 anos, derrotou o australiano Mick Fanning na final e fez a festa da torcida local com a conquista do Billabong Pro Jeffreys Bay, a quarta etapa do circuito mundial, que foi encerrada neste domingo, na África do Sul. O dia final de competição contou com ondas de um a um metro e meio de altura, bem balançadas pelo vento maral, e os surfistas tiveram dificuldade para achar as melhores ondas.

A etapa provocou modificações no ranking da corrida pelo título. Além da vitória no evento, Jordy assumiu a segunda posição do ranking, deixando o então número um, Adriano de Souza, na terceira colocação. Mineirinho caiu ainda na terceira fase diante de Alejo e já havia sido ultrapassado por Joel Parkinson, que foi derrotado na semifinal pelo parceiro Mick Fanning, mas é novo líder.


ASP/Kirstin Scholtz

Jordy usou seu conhecimento do pico para achar as ondas no domingo. Foto: ASP/Kirstin Scholtz


O catarinense Alejo Muniz, único brasileiro que competiu no dia final do evento, acabou eliminado logo nas quartas de final em uma bateria contra o australiano Joel Parkinson. No duelo, o terceiro das quartas, o australiano não deu chances ao brasileiro.  Logo no início tratou de fazer 8,23 e 8,60 para deixar Alejo em combinação durante os 30 minutos da bateria. Apesar da derrota, Alejo terminou em quinto, repetiu o seu melhor resultado do ano, e se garante na elite para a requalificação que acontecerá após a etapa de Nova York.

- Eu nunca pensei que teria bons resultados no meu ano de estreia. Estou surfando com meus heróis e é o que eu sempre sonhei. Isso combina com o meu melhor resultado neste ano e estou feliz por me garantir para o corte – disse Alejo, para a assessoria de imprensa do evento.

A próxima parada da temporada 2011 do ASP World Tour será o Billabong Pro Tahiti, entre os dias 20 e 31 de agosto.



ASP/Kirstin Scholtz

Jordy festeja o título da etapa com a prancha da cenoura. ASP/Kirstin Scholtz



Resultado final do Billabong Pro JBAY:

1º – Jordy Smith (ZAF) 15.60
2º – Mick Fanning (AUS) 14.83

Semifinais:

1ª: Jordy Smith (ZAF) 17.46 a 11.87 Adrian Buchan (AUS)
2ª: Mick Fanning (AUS) 17.47 a 11.93 Joel Parkinson (AUS)


Quartas de final:
1ª: Jordy Smith (ZAF) 15.10 a 8.94 Damien Hobgood (EUA)
2ª: Adrian Buchan (AUS) 16.77 a 14.90 Julian Wilson (AUS)
3ª: Joel Parkinson (AUS) 16.83 a 8.16 Alejo Muniz (BRA)
4ª: Mick Fanning (AUS) 15.40 a 5.43 Josh Kerr (AUS)

Top 10 corrida pelo título da ASP – após quatro etapas

1º Joel Parkinson (AUS) 25700 pts
2.ºJordy Smith (ZAF) 24750 pts
Adriano de Souza (BRA) 22250 pts
4º Mick Fanning (AUS) 19500 pts
5º Taj Burrow (AUS) 18250 pts
6º Kelly Slater (EUA) 16950 pts
7º Michel Bourez (TAI) 16000
8º Bede Durbidge (AUS) 15000
9º Josh Kerr (AUS) 13900 pts
9º Owen Wright (AUS) 13900 pts

Os outros brasileiros:

13º Alejo Muniz 12650 pts

16º Jadson André 10650 pts

23º Heitor Alves 7000 pts

28º Raoni Monteiro 5500 pts