Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 26 outubro 2011

Uma cutucada e a Joaquina pode voltar no páreo

26 de outubro de 2011 0
Foto: Fabio Minduim BSP

Tomas Hermes busca o título da temporada. Foto: Fabio Minduim BSP

E não é que a Praia da Joaquina pode voltar a sediar a última etapa do Brasil Surf Pro 2011? Nesta quarta-feira à tarde, fazendo algumas ligações, recebi a notícia de que a Secretaria de Esportes, Cultura e Turismo já autorizou a liberação de R$ 80 mil para realização da etapa do circuito brasileiro de surfe profissional.

A informação foi passada pelo diretor do Seitec (departamento da secretaria de Esportes que analisa os pedidos de liberação de recursos do Fundesporte), Gustavo Miroski, que rebateu algumas críticas feitas no post anterior, mas que concordou com outras e ainda forneceu subsídios que cristalizam a inveja de “representantes do esporte”  em relação aos eventos da Fecasurf.

Vamos aos fatos descritos por Miroski:

- A Fecasurf já recebeu este ano mais recursos do que nos anos anteriores. Em 2009 foram R$ 425 mil, e 2010, R$ 530 mil. Os valores descriminados são os seguintes:

Quiksilver Pro Júnior (Itajaí)  – R$ 40 mil; Mormaii Pro Júnior (Ferrugem) – R$ 30 mil; Oakley Pro Júnior (Campeche) – R$ 30 mil; Supersurf Internacional (Imbituba) – R$ 400 mil; calendário de eventos e manutenção de sede R$ 200 mil ; Floripa Pro Surfing (Latino-Americano de Surfe) – R$ 120 mil.

O total é de R$ 820 mil.

- O projeto inscrito no Seitec para receber recursos do Fundesporte para a etapa do Brasil Surf Pro sofreu uma série de restrições e até um parecer negativo do Conselho Estadual de Esportes. O projeto solicitava R$ 150 mil, mas com as restrições, ficou em R$ 80 mil.

“O apoio está sendo dado” – concluiu Miroski.

Sem resposta do sr. Luis Conde, responsável pela conta Brasil Surf Pro na empresa de eventos e entretenimento Brasil 1, busquei auxílio da assessoria de imprensa do evento. Conde está em viagem (na Alemanha) e só ele poderá falar sobre o assunto. Mas obtive a informação de que, apesar do site oficial do evento apontar Maresias como palco do última etapa, a negociação com a Fecasurf ainda não está descartada.

O presidente da Fecasurf, Fred Leite, também fez contato para informar que os recursos do governo do Estado haviam sido liberados e que a prefeitura também irá auxiliar com alguns itens como instalação de banheiros químicos, palanque, internet e outras necessidades exigidas pela organização.

Fred também garantiu que ainda busca apoio  junto a Abrasp para confirmar a Joaca como última etapa, e colocou algumas questões que jogam contra: os custos reduzidos para realizar o evento em São Paulo ou no Rio em relação a Santa Catarina; e o interesse da empresa promotora de fazer a etapa junto com um evento especial (de aéreos), e a comodidade da Abrasp em relação a questão, já que o contrato com a Brasil 1 está no fim.

Praia da Joaquina fora do Brasil Surf Pro em 2011

26 de outubro de 2011 8
Foto Fábio Minduim/Brasil1

Estrutura montada em 2010, quando a Joaquina voltou ao cenário do surfe nacional. Foto Fábio Minduim/Brasil1

Prevista para sediar a quarta e penúltima etapa do Brasil Surf Pro, o circuito brasileiro de surfe profissional, a praia da Joaquina foi excluída do calendário de 2011 pela Brasil1, empresa que comprou os direitos de comercialização e produção do evento por dois anos.

Na data prevista, de 2 a 6 de novembro, entrou a etapa carioca da Barra da Tijuca – que iria encerrar o circuito -  enquanto Maresias  está sendo anunciada como palco da etapa de encerramento, de 12 a 18 de dezembro.

Nada contra Maresias ou mesmo o Rio de Janeiro, mas é difícil imagina a Joaquina fora do calendário do surfe nacional. Lembro que, ano passado, o locutor do evento se emocionava com a volta do circuito ao berço da Abrasp – sim, foi na Joaquina que surgiu a entidade que deveria dirigir o surfe brasileiro.

Deveria porque fiz contato por e-mail, com Marcelo Andrade, presidente da Abrasp, e para minha surpresa, fui informado de que apenas os responsáveis da Brasil1 poderiam esclarecer o assunto. Uma lástima! A Abrasp está sem voz na organização do principal circuito do surfe nacional. Deveria ser ouvida e respeitada pela empresa promotora.

Falta de apoio do governo do Estado e prefeitura

Conversei tambem com o presidente da Fecasurf, Fred Leite, que me informou da disposição de ainda atrair a última etapa para a Joaquina, já que o catarinense Tomas Hermes é o principal candidato ao título brasileiro de 2011, e Juliana Quint ainda briga com Diana Cristina pela coroa no feminino. Fred explicou que o problema se chama falta de apoio financeiro do governo do Estado e da prefeitura, devido também ao valor da premiação das etapas do brasileiro (R$ 200 mil).  É uma pena.

A Fecasurf, como uma das entidades esportivas mais ativas do Estado, foi contemplada nos anos anteriores por liberações de recursos do Fundesporte que chegaram a R$ 650 mil por ano. Essas contrapartidas causaram INVEJA em outras federações que não tiveram a mesma competência para receber e APLICAR o dinheiro.

Ficou aquela marca de que a entidade era muito bem relacionada com o secretário anterior (Gilmar Knaesel). Com a mudança de governo e a disposição do secretário de Esportes Cesar Souza Júnior de apertar um pouco o cinto nas liberações, a entidade acabou prejudicada e precisou cancelar a realização de etapas de nível internacional (ASP 6-estrelas) e agora, o Brasil Surf Pro.

Aguardo a manifestação do senhor Luis Conde, da Brasil1, para melhor esclarecimento dos fatos.  O espaço está aberto!   


Volvo Ocean Race reúne lendas da vela mundial

26 de outubro de 2011 0
Foto: Guy Salter/Ericsson

Torben durante a edição que venceu a bordo do barco sueco Ericsson. Foto: Guy Salter/Ericsson

A Volvo Ocean Race vai reunir as lendas vivas da vela mundial durante a parada de Alicante, que dá início às 39 mil milhas náuticas da aventura. Entre os dias 1º e 5 de novembro, ícones da modalidade, como o brasileiro Torben Grael, competem a bordo dos veleiros que brilharam nas 10 edições da Whitbread e VOR.

- É um desfile e a ideia é rever amigos e falar sobre a vela oceânica mundial. Fico bastante grato em rever os amigos e dar apoio aos representantes brasileiros nesta edição, Joca Signorini e Horácio Carabelli – contou Torben Grael, campeão na última edição com o Ericsson 4, da Suécia, ao lado de Joca e Horácio.

Torben Grael será um dos integrantes de um dos barcos da flotilha de 15 na ‘Regata das Lendas’. A festa nos mares da Espanha mistura as embarcações que correram a Volta ao Mundo de 1973-74 até a de 2008-09, edição vencida pelos brasileiros. O representante mais antigo será Tauranga 55 da Itália e os mais novos, já com o padrão Open 70, serão Telefónica Black e Green Dragon. Outra novidade é o Heineken, que participou da corrida em 1993-94, com uma tripulação só de mulheres.

- É uma homenagem aos velejadores e barcos que fizeram a história da Volta ao Mundo. A VOR marcou a minha carreira e espero voltar um dia com a mesma estrutura de trabalho do Ericson – completou Torben.

Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Os barcos do Race Legends serão apresentados no litoral espanhol e disputarão cinco regatas de percurso. Por causa da diferença de tamanho e velocidade das embarcações, os mais lentos terão vantagem para garantir uma chegada emocionante no porto de Alicante durante a prova. No último dia de regata, os lendários barcos irão acompanhar a largada dos seis modernos veleiros da Volvo Ocean Race.

O evento é liderado por ícones da vela como Lady Pippa Blake (esposa de Sir Peter Blake), Tracy Edwards, Sir Chay Blyth, Magnus Olsson, Skip Novak, Pierre Fehlmann e Alain Gabbay. O vencedor geral da Regata das Lendas levará um troféu de prata de 33 centímetros e será presenteado por Lady Pippa Blake como um tributo ao seu falecido marido, Sir Peter Blake, que venceu as primeiras cinco pernas da Whitbread 1989-1990 a bordo Steinlager 2.

Os senhores do mar da Regata das Lendas:

Tauranga (1973-74)
Adventure (1973-74 e 1977-78)
Grã-Bretanha II (1973-74)
Kings Legend (1977-78)
Berge Viking (1981-82)
Gauloises III (1981-82).
L’Espirit d’Equipe (1985-86)
Rothmans (1989-90)
Charles Jourdan (1989-90)
Steinlager 2 (1989-90)
Fisher & Paykel (1989-90)
Heineken (1993-94)
Assa Abloy (2001-02)
Telefónica Black (2008-2009)
Green Dragon (2008-2009)

Santi, Luan e Cauê quebram no Arnette World Júnior

26 de outubro de 2011 0


Sean Rowland/ASP

Luan Carvalho ousou o aéreo para vencer nesta terça-feira no Arpex. Foto:Sean Rowland/ASP


Está rolando desde segunda-feira, dia 25, a segunda etapa do circuito mundial da ASP Pro Júnior, o Arnette World Júnior, na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro, com a participação de vários brasileiros.

Nesta terça-feira, com ondas de um a três pés, os destaques foram o argentino Santiago Muniz (irmão de Alejo e local de Quatro Ilhas), o paulista Luan Carvalho e o catarinense Caue Wood. Eles venceram suas baterias de segundo round – a repescagem – e avançaram para a próxima fase.

Dois outros catarinenses acabaram eliminados: o surfista de Itajaí Gustavo Machado e o imbitubense João Paulo de Abreu. Gustavo perdeu para Caio Ibelli, um dos favoritos ao título. João não resistiu ao ataque do japonês Arashi Kato e acabou derrotado em uma disputa acirrada. O paulista Sidnei Guimarães e o paranaense Peterson Crisanto também garantiram vaga na terceira fase do evento.

ARNETTE WORLD JUNIOR :
Round 2

H5: Caio Ibelli (BRA) 10.37 def. Gustavo Machado (BRA) 8.60
H6: Peterson Crisanto (BRA) 11.60 def. William Aliotti (FRA) 7.20
H7: Medi Veminardi (REU) 14.54 def. Slade Prestwich (ZAF) 11.66
H8: Santiago Muniz (ARG) 16.00 def. Kan Watanabe (JPN) 8.06
H9: Sidney Guimares (BRA) 12.00 def. Dylan Lightfoot (ZAF) 3.33
H10: Luan Carvalho (BRA) 13.54 def. Dylan Goodale (HAW) 13.43
H11: Hiroto Arai (JPN) 12.53 def. Thiago Guimaraes (BRA) 11.97
H12: Dane Zaun (USA) 13.00 def. Vasco Ribeiro (PRT) 8.90
H13: Arashi Kato (JPN) 11.80 def. Joao Abreu (BRA) 11.06
H14: Thomas Woods (AUS) 14.93 def. Chase Wilson 10.20
H15: Evan Thompson (USA) 12.40 def. Dean Bowen (AUS) 7.70
H16: Caue Wood (BRA) 16.40 def. Kaito Ohashi (JPN) 10.17

ARNETTE WORLD JUNIOR WOMEN’S
Round 1:

H1: Faye Zoetmulder (ZAF), Leila Hurst (HAW), Carol Fernandez (BRA)
H2: Nao Omura (JPN), Gabriela Leite (BRA), Alana Pacelli (BRA)
H3: Dimity Stoyle (AUS), Monik Santos (BRA), tba
H4: Joanne Defay (FRA), Heidi Palmboom (ZAF), tba
H5: Phillipa Anderson (AUS), Juliana Meneghel (BRA), tba
H6: Maud Le Car (FRA), Quincy Davis (USA), Natali Paola Peixoto (BRA)

Isla Margarita na rota do IBA Tour - Bodyboard

26 de outubro de 2011 0
Bodyboard Pro Festival/Divulgação

Capixaba Maylla Venturin está na Venezuela para a disputa. Foto: Bodyboard Pro Festival/Divulgação

Mais uma vez, Isla Margarita, o caribe venezuelano, recebe os melhores atletas do mundo para as disputas do Bodyboard Pro Festival 2011. O evento, que terá sua janela de espera aberta nessa quarta-feira, dia 26, se estende até o dia 30 e conta pontos para os rankings mundiais feminino (válido como etapa Grand Slam), drop knee e GQS Masculino, distribuindo 52 mil dólares em premiação.

Como já é de costume, o Brasil estará bem representado, principalmente entre as mulheres, onde as atletas buscam o topo do ranking mundial, hoje liderado pela espanhola Eunate Aguirre. A atual campeã mundial e bicampeã brasileira, Isabela Sousa, do Ceará, vai muito motivada para a Venezuela. Após garantir sua vaga para o ISA Bodyboardig Games, que acontece em dezembro nas Ilhas Canárias, a cearense está determinada para alcançar o primeiro posto do ranking.

- Eu não tive um bom começo de ano, mas decidi que agora não vou mais dar chance ao azar. Essa título brasileiro me deu a motivação que eu precisava para buscar o bimundial – contou Isabela, que sagrou-se campeã mundial justamente na etapa da Venezuela, em 2010.

Bodyboard Pro Festival/Divulgação

Isabela Sousa comemorou o título mundial ano passado em Isla Margarita.Bodyboard Pro Festival/Divulgação

Ao lado da cearense, viajam também outras atletas como Maira Viana, campeã do Ipanema Bodyboard Brasil, Neymara Carvalho, pentacampeã mundial e atual vice-líder do ranking, e Maylla Venturin, quinta colocada no circuito IBA.

Entre os homens, o destaque fica por conta do catarinense Eder Luciano, campeão do Circuito Brasileiro Super Top em 2011. Após confirmar o título durante a etapa carioca do brasileiro, Eder buscará mais pontos na Venezuela. Além de valer pontuação no ranking mundial, a etapa venzuelana dá pontos também nos rankings latinos. Confira mais informações através do site: www.bodyboardprofestival.com .

Com informações de Danilo Caboclo – assessoria de imprensa IBA South America