Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 18 fevereiro 2012

Galeria do Surfoco 2012

18 de fevereiro de 2012 0

As fotos são uma colaboração da Marina Juvenardi, da Buzz Inteligência Imobiliária.

Foto Divulgação

Lendas do Campeche. Foto Divulgação




Foto Divulgação

Molecada encarou a água fria. Foto Divulgação



Foto Divulgação

Dia ensolarado, muita gente na areia do Campeche.Foto Divulgação



Foto Divulgação

Até que tinha uma ondinha. Foto Divulgação



Foto Divulgação

Foto Divulgação



Foto Divulgação

Foto Divulgação



Foto Divulgação

Foto Divulgação



Foto Divulgação

Pegando gosto. Foto Divulgação



Foto Divulgação

A primeira vez a gente não esquece. Foto Divulgação



Foto Divulgação

E vai pra galera. Foto Divulgação



Foto Divulgação

Foto Divulgação



Foto Divulgação

Ano que vem tem mais. Foto Divulgação


Trio brasileiro para nas quartas de final do Australian Open of Surfing, em Manly Beach

18 de fevereiro de 2012 0
Foto ASP Dunbar

Jesse Mendes deu azar com a falta de ondas na bateria. Foto ASP Dunbar

Não deu para o trio brasuca que chegou até o último dia de competição do Australian Open of Surfing, evento nível seis estrelas da ASP, que oferece 3,5 mil pontos ao campeão no ranking mundial. Os paulistas Alex Ribeiro e Jessé Mendes e o catarinense Tomas Hermes foram derrotados nas suas baterias de quartas de final e saem da praia de Manly, em Sydney, neste sábado, com 1.560 pontos e três mil dólares no bolso.

Alex foi o primeiro a dar adeus a chance de título. O brasileiro foi dominado pelo norte-americano Evan Geiselman na primeira bateria do dia, apesar de ter feito a melhor nota – 7.90. Mas já era tarde demais para tentar a reação. O catarinense Tomas Hermes fez a melhor apresentação entre os brasileiros na melhor bateria das quartas de final.

O local da Barra Velha começou com um 7, mas viu seu adversário, o aussie Matt Banning, virar em seguida, com 7.67 e 8.27. Muito solto na vala, Banning parecia que tinha a fórmula para surfar as pequenas ondas de Manly, executando pequenas rasgadas e usando o aéreo reverse para finalizar as ondas. Tomas ainda marcou mais um 7 e depois um 8,10 e acabou derrotado por 15.94 a 15.10.

Restava o paulista Jesse Mendes, diante do havaiano Granger Larsen, mas as condições do mar não ajudaram. As séries pararam de entrar e a bateria só foi definida nos minutos finais, quando Larsen fez duas ondas medianas e garantiu a vaga. A competição segue em andamento com as semifinais do evento feminino entre Laura Enever x Sally Fitzgibbons e Malia Manoel x Sofia Mulanovich. Acompanhe ao vivo pelo site oficial do evento.

Resultados do Australian Open of Surfing
Quartas de final (2º:5º lugar – 1560Pts, U$3 mil)

H1 – Evan Geiselman EUA 13.50 a 11.57 Alex Ribeiro BRA
H2 – Billy Stairmand NZL 14.90 a 13.43 Adrian Buchan AUS
H3 – Matt Banning AUS 15.94 a 15.10 Tomas Hermes BRA
H4 – Granger Larsen HAV 10.83 a 8.83 Jesse Mendes BRA

Semifinais (2º=3º – 2.080 pts)

H1 – Evan Geiselman EUA x Billy Stairmand NZL
H2 – Matt Banning AUS x Granger Larsen HAV

Telefônica vence regata do porto da China

18 de fevereiro de 2012 0
Foto Maria Munya

Barco espanhol trocou o mastro nesta semana. Foto Maria Munya

O Telefónica mostrou porque é o líder da Volvo Ocean Race neste sábado, dia 18). O time espanhol se recuperou de um contratempo durante a semana, treinou menos do que os rivais e, ainda assim, dominou a Regata de Porto de Sanya, na China. Com o resultado, ampliou para 18 pontos a vantagem na liderança da regata de volta ao mundo, com 101 pontos, contra 83 do vice-líder Camper.

- A parte tática fez diferença hoje. Estávamos sempre no lugar certo para as pernas de contravento e chegamos em primeiro lugar em todas as pernas de vento a favor. Mesmo que nossas manobras não tenham funcionado tão bem, nossa leitura da raia esteve sempre certa – comemora Iker Martinez, campeão olímpico que comanda a equipe espanhola.

Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Time do comandante Ike Martinez festeja a vitória na China. Foto Paul Todd/VOR

As condições na baia de Sanya, no sul da China, estavam perfeitas. As águas estavam calmas, com poucas ondas, e os ventos oscilaram na casa dos 20 nós. Com a ajuda do sol, o público chinês aproveitou para prestigiar a prova. Foi a segunda vitória espanhola em quatro regatas de porto. O time venceu, também, as três pernas oceânicas disputas.

Em segundo lugar ficou o Puma, do comandante Ken Read. O time é quarto colocado na classificação geral, agora com 53 pontos, e comemorou bastante os cincos pontos conquistados em Sanya – o primeiro lugar valeu seis.

- Em uma flotilha tão disputada como essa, segundo lugar é muito bom – diz Read.
Quem não teve muitos motivos para celebrar foi o vice-líder Camper. O time chegou em último lugar à primeira bóia neste sábado e teve de fazer uma regata de recuperação. Terminou em quarto e, agora, aposta todas as suas fichas na quarta etapa, que começa na madrugada deste domingo, com largada marcada para 4h (horário de Brasília).

Os veleiros vão de Sanya até Auckland (5.200 milhas náuticas), na Nova Zelândia. Logo de cara, as tripulações devem sofrer com ventos de nordeste entre 35 e 40 nós, considerados muito fortes, além das ondas.

- Foi a mesma história de outras regatas do porto. Chegamos muito atrás na primeira marca, começamos a nos recuperar, mas não tivemos tempo de chegar nos primeiros. A expectativa para amanhã (domingo) só aumentou – disse o comandante Chris Nicholson.

Classificação da regata de porto de Sanya (China):
1º Telefónica (Iker Martinez/ESP)
2º Puma (Ken Read/EUA)
3º Abu Dhabi (Ian Walker/ING)
4º Camper (Chris Nicholson/NZL)
5º Goupama (Franck Cammas/FRA)
6º Sanya (Mike Sanderson/NZL)

Classificação geral da Volvo Ocean Race:

1º Telefónica (Iker Martinez/ESP) – 101 pontos
2º Camper (Chris Nicholson/NZL) – 83
3º Goupama (Franck Cammas/FRA) – 73
4º Puma (Ken Read/EUA) – 53
5º Abu Dhabi (Ian Walker/ING) – 43
6º Sanya (Mike Sanderson/NZL) – 17

Com informações da ZDL Comunicação – jornalista Flávio Perez

Jeff Hubbard é o melhor em Pipeline

18 de fevereiro de 2012 0
Foto IBA Specker

Havaiano levou seu quarto título em Pipe, o segundo de forma consecutiva. Foto IBA Specker

O havaiano Jeff Hubbard venceu neste sábado (início da madrugada, no horário de Brasília), dia 18 de fevereiro, a primeira etapa do IBA World Tour, em Pipeline. Para muitos, o havaiano venceu o melhor evento de todos os tempos do Circuito Mundial. Em ondas perfeitas, de seis a oito pés (2,0 a 2,5 metros), Jeff mostrou que é o atleta a ser batido em Pipeline e com notas 9 e 9,65 deixou os três adversários em combinação na briga pelo título.

Foi o quarto título de Jeff em Pipeline, o segundo consecutivo. Com o resultado, o havaiano largou na frente pela disputa do título mundial da temporada com 2 mil pontos. Mike Stewart foi o vice-campeão, com Dave em terceiro e Sam na quarta colocação.

Foto IBA Specker

Mike Stewart mostrou a valha classe na arte de entubar em Pipe. Foto IBA Specker

Brasileiros em Pipe

Os brasileiros também tiveram grandes performances, mas não contaram com a sorte. O baiano Uri Valadão, campeão mundial em 2008, e os cariocas Guilherme Tâmega e Paulo Barcellos finalizaram a etapa na nona posição.

Uri avançou em sua primeira bateria após uma virada incrível nos últimos segundos e um belo tubo para Pipeline. Já nas quartas, o baiano caiu diante dos atual campeão mundial 2011, Pierre Louis Costes, França, e do ex-campeão mundial de 2010, Amaury Laverhne, de Ilhas Reunião, respectivamente.

O hexacampeão mundial Guilherme Tâmega passou sua primeira bateria, em uma das melhores disputas do dia. Nas quartas, GT seguia firme na segunda posição para garantir lugar na semi, mas a menos de cinco segundo para o fim, o australiano Ben Player achou uma onda salvadora e ficou com a vaga.

Foto IBA Specker

Havaiano festejou muito o primeiro título do ano. Foto IBA Specker

O mesmo aconteceu com Paulo Barcellos. O campeão mundial em 2000 estava em segundo em sua baterias das quartas de final, com um surf muito consistente. Porém, na regressiva, o australiano Dave Winchester, achou uma onda perfeita e arrancou um 10 unânime após um tubo para Backdoor, seguido de um aéreo bem alto.

Além do trio, o catarinense Eder Luciano e o capixaba Magno Oliveira também representaram o Brasil. Ambos acabaram eliminados ainda na primeira fase de disputas do último dia de competições e terminaram o evento na 25ª posição. A próxima etapa do IBA World Tour acontece em The Box, na Austrália, entre os dias 26 de março e 4 de abril.

Aproveitando as condições épicas em Pipeline, o primeiro evento do IBA World Tour será encerrado neste sábado para domingo com as baterias do Feminino e do Drop Knee. Isabela Sousa, Neymara Carvalho, Maylla Venturin e a carioca radicada no Havaí Karla Costa são as brasileiras na briga pelo título da etapa.

Resultados do Pipe Challenge Masculino:

Final (1º=2 mil pontos/2º=1720 pontos/3º=1460 pontos/4º=1340 pontos e U$ 2 mil)
1ºJeff Hubbard 18,65 2ºMike Stewart 16,65 3ºDave Winchester 16,50 4º Sam Bennet 16,25

Semifinal: (3º=5º=1220 pontos e U$1,5 mil/ 4º=7º=1110 pontos e U$1,2 mil
H1: 1ºMike Stewart 18,15 2ºSam Bennet 17,65 3ºAmaury Laverhne 17,40 4ºPierre Louis Costes16,50
H2: 1ºJeff Hubbard 19,30 2ºDave Winchester 15,15 3ºBen Player 14,65 4ºDave Hubbard 12,60

Quartas de final: (3º=9º=1000 pontos e U$950/4º=13º=900 pontos e U$750
H1: 1ºMike Stewart 15,65 2º Sam Bennet 11,65 3ºMark McCarthy 10,00 4ºSpencer Skipper 7,75
H2: 1ºAmaury Laverhne 17,55 2ºPierre L. Costes 17,30 3ºUri Valadão 13,55 4ºCharly Chapelet 11,25
H3: 1ºJeff Hubbard 18,95 2ºBen Player 16,40 3ºGulherme Tâmega 14,75 4º Jared Houston 14,50
H4: 1ºDave Winchester 17,30 2ºDave Hubbard 16,75 3ºPaulo Barcellos 15,25 4ºAndrew Lester 14,25

Com informações de Danilo Caboclo, IBA South America