Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 17 março 2012

Volvo Ocean Race vai largar rumo a cidade de Itajaí

17 de março de 2012 0
Foto Ian Romann/Volvo Ocean Race

Vista aérea do local da largada da regata. Foto Ian Romann/Volvo Ocean Race

Neste domingo, 18 de março (22h de sábado, dia 17, no horário de Brasília), os seis veleiros da flotilha partem de Auckland, na Nova Zelândia, para a maior aventura da Regata de Volta ao Mundo. Serão 12.417 quilômetros (6705 milhas náuticas) pelos mares do Sul passando por pontos sensíveis e estratégicos da competição, como o Cabo Horn. O primeiro colocado deve chegar à costa catarinense no dia 4 de abril e a cidade está pronta para receber o maior evento náutico do planeta.

Os adversários tentarão reduzir a vantagem do barco espanhol Telefónica, que venceu as três primeiras pernas e ficou em terceiro na última. A vantagem é de 18 pontos para o Groupama.

- Pelos pontos estamos na frente, mas as outras equipes evoluíram muito. Essa perna para o Brasil é a mais forte e mais difícil, muito tempo no mar, muita diferença de temperatura. Estar perto de casa me conforta muito – revela Horácio Carabelli, diretor técnico do Telefónica, que mora em Florianópolis.

Foto Marcos Bechtold/Duna

Sanya (direita) venceu a regata Pro-Am nesta sexta-feira. Foto Marcos Bechtold/Duna

O brasileiro Joca Signorini, chefe de turno do Telefónica, está motivado por dois motivos. O primeiro é que pôde conhecer sua filha Sandra, que nasceu no dia 26 de fevereiro na Suécia. O segundo é que poderá voltar para o Brasil velejando pela terceira vez na Volvo Ocean Race.

- Tive uma emoção especial quando soube que minha primeira filha nasceu. Foi muito difícil por estar longe (estava velejando rumo a Auckland) , mas também uma alegria muito grande. Assim que cheguei na Nova Zelândia, duas horas depois embarquei para a Suécia, onde minha esposa mora. Passei três dias com eles e agora estou de volta para um grande desafio que é essa perna. Espero que a torcida brasileira seja do Telefônica, tenho bastante esperança em conseguir o primeiro lugar – projeta Joca Signorini.

Foto Marcos Bechtold/Duna

Joca Signorini está de volta após rever a filha recém nascida na Suécia. Foto Marcos Bechtold/Duna

Quem está atrás tenta se apoiar na motivação para voltar à briga de vez.

- Acho que estamos em um bom momento na competição e todos estão confiantes. Temos muito trabalho para resolver, já que houve um problema na proa durante o final da última perna – explica Franck Cammar, comandante do Groupama, vencedor da etapa entre o porto de Sanya e Auckland.

Foto Marcos Bechtold/Duna

Bornhausen e Bellini no barco espanhol.Foto Marcos Bechtold/Duna

O prefeito de Itajaí, Jandir Bellini, integrou, nesta sexta-feira (16), o barco do Telefónica na Pro-AM, prova que antecede a Regata do Porto. O deputado federal Paulo Bornhausen, secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável de Santa Catarina, também estava a bordo. A regata é praticamente igual às que valem pontos e serve para integrar patrocinadores, autoridades e velejadores.

- É uma experiência inesquecível. A gente acompanha de perto o trabalho dos velejadores executando cada uma das funções – afirmou Bellini.

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Com informações da assessoria da Parada de Itajaí Volvo Ocean Race/Porto de Itajaí – João Henrique Baggio e  ZDL Comunicação – Flávio Perez e Andressa Rufino

Pedro Henrique dividido e voando no Oakley Pro

17 de março de 2012 0
Foto Edu Cavalcanti

Pedo Henrique decolando. Foto Edu Cavalcanti

O carioca Pedro Henrique está dividido entre o surfe e kitesurfe profissional. Este ano, ele pretende disputar as etapas do Mundial de Kite Waves (kitesurfe nas ondas) e os eventos da divisão de acesso ao circuito mundial. Porém, depende de um patrocínio master ou um co-patrocínio forte. Pedrinho tem apoio de marcas de kite, das pranchas Joca Secco e da sua própria marca de roupas, a Bio Styles.

_ Infelizmente, essa minha opção (de atuar nas duas modalidades) não tem sido bem aceita pelo mercado, mas sei que tenho um futuro promissor no kite e chance de voltar à elite porque tenho pontuação no ranking – declarou.

Sem patrocínio forte, ele já não foi para Austrália correr etapas do WS por lá. Enquanto isso, compete do Catarinense que também vale pontos para o Brasileiro. Pedro se disse preocupado com a atual situação, sem uma definição de calendário para o resto do ano. Por isso mesmo até fez questão de competir no Oakley Pro. Segundo ele, a participação na primeira etapa do Catarinense pode fazer diferença no ranking, no fim do ano. O ex-campeão mundial júnior tem uma relação estreia com Floripa. Seu pai e sua avó moram na Praia do Santinho. Foi na Joaquina também que ele teve a sua primeira vitória no circuito brasileiro amador, além ter feito uma final de Supersuf.

Renato Wanderley no Oakley Pro

17 de março de 2012 0


Foto Edu Cavalcanti

Renato Wanderley. Foto Edu Cavalcanti

O Oakley Pro deu a largada para a disputa do título do catarinense da temporada nesta sexta-feira, com boas ondas de até um metro na série que abriam na Careca e ofereciam um trilho para três ou quatro manobras nas melhores esquerdas. A competição oferece pontos no ranking catarinense e brasileiro e pode parecer menos importante que um evento do circuito mundial, mas cada competição tem a sua história e seus personagens.  Um deles, nesta sexta-feira, foi o paulista Renato Wanderley, ex-integrante da elite mundial, que após uma fase da vida turbulenta da vida não conseguiu dar sequência a sua carreira . Aos 39 anos,  ele tem se dedicado mais ao Stand Up e deve estar em Santa Catarina novamente para competir em Imbituba na tradicional etapa do Mundial de SUP. Nesta sexta, ele passou em segundo lugar, atrás do carioca Pedro Henrique, e confessou o motivo de tanta alegria:

- Faz cinco anos que não disputava uma bateria profissional. Estou muito feliz, amarradão! Esse lugar é maravilhoso, tá dando altas ondas!

O vídeo postado no You Tube mostra Renatinho dominando o Stand Up.