Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 29 março 2012

Veleiros da Volvo Ocean Race sofrem com os mares do Sul

29 de março de 2012 0
Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Os barcos sofrem com ondas grandes. Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Na Volvo Ocean Race, é comum dizer que a etapa até a parada brasileira é sempre a mais difícil diante das altas ondas e os ventos dos mares do sul, além da passagem pelo temido Cabo Horn. A edição 2011/2012 confirmou o fato. Nesta quinta etapa, entre Auckland, na Nova Zelândia, e Itajaí, só um barco não teve problemas: o Groupama. O braco francês lidera e tem previsão de chegada para o dia 6 de abril, dois dias após a data prevista inicialmente. O barco já completou dois terços do percurso de 12.424 km.

Segundo colocado, o Puma é o barco menos afetado materialmente, mas o norte-americano Ken Read tem problemas com a tripulação. No começo da etapa, o proeiro Casey Smith machucou as costas em uma troca de velas e o timoneiro Thomas Johanson deslocou o ombro após ser derrubado por uma onda. Casey Smith se recuperou com remédios, mas Thomas Johanson, após um dia em repouso, não respondeu a medicação e o velejador-enfermeiro a bordo, Jono Swain, teve de recolocar o ombro do companheiro no lugar, auxiliado pelos médicos da Puma, que deram as instruções por telefone para o tratamento. Os dois estão em recuperação.

Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Parada forçada para o Telefónica na Argentina. Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Líder da classificação geral, o espanhol Telefónica é o terceiro colocado na etapa, mas deve perder essa condição. O time sofreu, durante o último fim de semana uma delaminação -  quando as camadas de fibra de carbono que formam a estrutura do barco se rompem – no casco causada pelo choque com uma onda gigantesca. Os danos são tão sérios que os espanhóis vão parar em Ushuaia, na Argentina, para os reparos. Horácio Carabelli, diretor técnico do Telefónica, já está na Terra do Fogo, aguardando o veleiro.

O Camper vai fazer o mesmo. O time também tem danos estruturais: uma antepara (peça que garante sustentação estrutural) na prova rachou. Com isso, está velejando em direção a Puerto Montt, no Chile, para os reparos.
- Com águas calmas e sem muitas ondas, conseguimos velejar com cerca de 90% do nosso potencial. Queremos maximizar essa oportunidade para chegar o mais rápido ao Chile, sem forçar muito o barco – explicou Hamish Hooper, tripulante de mídia da equipe.

Foto Alan Riou/Volvo Ocean Race

Groupama vai chegar em Itajaí no dia 6 de abril. Foto Alan Riou/Volvo Ocean Race

Já o Abu Dhabi aparece em quinto lugar, mas deve ganhar algumas posições nos próximos dias: o veleiro quebrou logo nas primeiras horas da regata, também com rachaduras em uma antepara, voltou para a Nova Zelândia imediatamente e largou com atraso. Atualmente, está a 1.300 milhas náuticas do líder Groupama, mas não precisará parar, como dois dos veleiros que estão a sua frente.

A pior situação é a do Sanya, que nem virá ao Brasil. O time chinês chegou a liderar a etapa, mas também sofreu com as altas ondas e teve avarias graves no leme. O time voltou para a Nova Zelândia e, como esse imprevisto atrasou muito o cronograma, o barco será levado, de cargueiro, diretamente para os Estados Unidos. O objetivo do time é voltar a competir na regata de porto de Miami, marcada para o dia 19 de maio.

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Com informações da ZDL – Flávio Perez e Andressa Rufino.

Chile e Peru no roteiro da ASP South America

29 de março de 2012 0
Foto Rodrigo Farias

Guilhermo Satt venceu ano passado em El Gringo, Arica. Foto Rodrigo Farias

Como o ASP Prime de Saquarema, o Arica Pro Challenge também será reeditado neste ano no Chile entre os dias 12 a 17 de junho. A praia El Gringo, em Arica, tem uma das ondas mais desafiadoras do continente e foi palco de uma etapa do ASP World Tour  – Rip Curl Pro Search – vencida pelo tricampeão mundial Andy Irons em 2007. Nos últimos anos, o pico tem sediado uma prova do ASP 3-Star. No ano passado, o chileno Guillermo Satt fez a festa em casa no ano passado nos tubos de El Gringo. Em 2010 o evento não aconteceu por causa do terremoto que devastou parte do país naquele ano e, em 2009, o campeão do desafio de Arica foi o peruano Gabriel Villaran.

- No Rip Curl Pro Junior, a expectativa é de uma maior participação dos jovens talentos de toda a América do Sul – conta Roberto Perdigão, diretor da ASP South America.

ESTREIAS NO PERU

As novas etapas do Peru são a grande novidade do calendário da ASP South America para 2012. Serão oito dias de competições em Lobitos,  no Litoral Norte. Começa pelo Rip Curl Pro Junior, de 21 a 23 de julho, que vai reunir os melhores surfistas com até 20 anos de idade da América do Sul.  Na sequência, acontece uma do ASP Womens 6-Star nos dias 24 a 28 de julho nas mesmas ondas de Lobitos, em Piura.

A Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl distribuirá 40 mil dólares e 3.500 pontos para o ranking que classifica seis surfistas para a elite das top-16 do Dream Tour feminino. No momento, é a única etapa deste circuito confirmada para a América do Sul, mas outra está prevista também no Peru para 09 a 14 de outubro.

- A Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl, por acontecer em um local de ondas “world class” e às vésperas do tradicionalíssimo US Open, em Huntington Beach, Califórnia, deve contar com a presença das campeãs mundiais Stephanie Gilmore (AUS) e Sofia Mulanovich (PER), além de Sally Fitzgibbons (AUS), Silvana Lima (BRA), Courtney Conlogue (EUA), Jacqueline Silva (BRA), Ornella Pellizzari (ARG), entre tantas outras – completa Perdigão.

CALENDÁRIO 2012 DAS PRÓXIMAS ETAPAS DA ASP SOUTH AMERICA:

21 a 27 de maio – ASP Prime Coca-Cola Saquarema Pro na Praia de Itaúna, Saquarema (RJ) – US$ 250 mil e 6.500 pts
12 a 17 de junho – ASP 3-Star Arica Pro Challenge em El Gringo, Arica – Chile – US$ 55 mil e 750 pts
24 a 28 de julho – ASP Womens 6-Star – Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl em Lobitos – Peru – US$ 40 mil e 3.500 pts
30 de agosto e 1º de setembro – ASP 2-Star Billabong Surf Eco Festival na Praia de Jaguaribe, Salvador (BA) – US$ 30 mil e 500 pts
9 a 14 de outubro – ASP 4-Star “aguardando confirmação” em Mancora – Peru – US$ 95 mil e 1.000 pts
9 a 14 de outubro – ASP Womens 4-Star “aguardando confirmação” em Mancora – PERU – US$ 30 mil e 1.000 pts
16 a 21 de outubro – ASP 6-Star Brasil Open of Surfing no Arpoador, Rio de Janeiro (RJ) – US$ 155 mil e 3.500 pts
23 a 28 de outubro – ASP Prime “aguardando confirmação” na Praia da Vila, Imbituba (SC) – US$ 250 mil e 6.500 pts

Com informações de João Carvalho – ASP South America

Coca Cola Saquarema Prime confirmado

29 de março de 2012 0
Foto Pedro Monteiro

Kai Otton não se arrependeu de esticar a passagem pelo Brasil em 2011. Foto Pedro Monteiro

A ASP South America confirmou nesta quinta-feira as reedições da etapa Prime de Saquarema e do ASP 3-Star no Chile.O evento do Chile será realizado nos dias 12 a 17 de junho nas grandes ondas de Arica. Já o Coca-Cola Saquarema Prime vai acontecer antes, de 21 a 27 de maio no maracanã do surfe, em Saquarema, na semana seguinte ao Billabong Rio Pro, a etapa brasileira do ASP World Tour, que rola no Rio de 9 a 20 de maio.

Com isso, o evento na Praia de Itaúna deve contar com grande participação de surfistas da elite mundial, principalmente pelas ondas enormes que rolaram no ano passado, quando Raoni Monteiro, que residia em Saquarema, acabou perdendo a decisão do título para o australiano Kai Otton. De acordo cmo o diretor da ASP South America, a confirmação do Coca Cola Saquarema Prime repercutiu entre os surfistas em Margaret River, onde foi disputado o segundo Prime do ano, com a participação de tops como Kelly Slater e Taj Burrow.

É mais uma chance que os brasileiros tem de pontuar no ranking mundial. As etapas Prime estão no segundo nível de pontuação do circuito, oferecendo 6.500 pontos ao campeão. Só perdem para as etapas da elite que oferecem 10 mil pontos ao vencedor.

Favoritos caem e Magno de Oliveira se garante no round 4 em The Box

29 de março de 2012 0
Foto IBA/Specker

Maguinho se deu bem no round 3. Foto IBA/Specker

O segundo dia de competição do The Box Pro 2012, em Margaret River, na Austrália, contou com a eliminação de alguns dos favoritos para levar o título da segunda etapa do IBA World Tour. O capixaba Magno de Oliveira, único representante do Brasil na etapa e vice-campeão do evento em 2011, confirmou sua classificação para a quarta fase em condições épicas de seis a oito  pés (dois a três metros) e formação perfeita.

O primeiro a ser eliminado prematuramente foi o campeão mundial de 2010 Amaury Laverhne, das Ilhas Reunião. Na primeira bateria do dia, Amaury não resistiu ao conhecimento de pico do local Ryan Hardy, campeão do evento em 2011, e de Nick Ormerod, também da Austrália. Em seguida foi a vez do veterano Mike Stewart, vice-líder do ranking mundial, dar adeus as disputas, superado por outra dupla da Austrália, Mitch Rawlins e Lewy Finnegan.

Foto IBA/Specker

Mark Mcarthy foi o destaque do dia, eliminando Jeff Hubbard. Foto IBA/Specker

Porém, as duas maiores baixas do dia aconteceram na terceira fase, formada por oito baterias de três atletas cada. Na melhor bateria do dia, Jeff Hubbard encontrou um inspirado Mark McCarthy, que totalizou o maior somatório do evento até o momento, ao marcar 18.55 pontos. Além de Mark, Mitch Rawlins também superou o havaiano que terminou a etapa em 17º lugar. O mesmo ocorreu com Pierre Louis Costes, França, que não teve chances diante dos australianos Ben Player e Dave Winchester.

Magno Oliveira reedita final de 2011:

Classificado diretamente para o terceiro round, o capixaba Magno de Oliveira encarou Ryan Hardy e Jack Stone. Sem se mostrar intimidado com o favoritismo da dupla australiana, Maguinho achou duas boas ondas e eliminou Jake Stone, avançando na segunda posição, atrás apenas de Ryan.

Foto IBA/Specker

Ryan Hardy defende o título. Foto IBA/Specker

No round 4, os 16 atletas se enfrentam em quatro baterias de quatro atletas, sem eliminação. O primeiro colocado avança para as quartas de final. O segundo lugar da disputa vai para o round 6 e os dois últimos caem para o round 5. Uma nova chamada acontece nessa quinta-feira, 21h, horário de Brasília. Confira mais informações no site: www.ibaworldtour.com

Confira o vídeo dos Rounds 2 e 3:


Confira os resultados do segundo dia de disputas:

Round 4: 1º avança para as quartas/2º avança para o Round 6/ 3º e 4º disputam o Round 5
H21: Mark McCarthy(AFS) x Jared Houston(AFS) x Jones Russell(AUS) x Lewy Finnegan(AUS)
H22: Dave Winchester(AUS) x Michael Novy(AUS) x Dallas Singer(AUS) x Chad Jackson(AUS)
H23: Ben Player(AUS) x Magno Oliveira(AUS) x Mitch Rawlins(AUS) x Drew Innocend(AUS)
H24: Ryan Hardy(AUS) x Andrew Lester(AUS) x Alex Uranga(PBA) x Jacob Romero(HAV)

Round 3 (1º e 2º=Round 4/ 3º=17º geral – 800 pts e U$600)

H13: 1º Ryan Hardy(AUS) 2º Magno Oliveira(BRA) 3º Jake Stone(AUS)
H14: 1º Jones Russell(AUS) 2º Drew Innocend(AUS) 3º Nick Ormerod(AUS)
H15: 1º Lewy Finnegan(AUS) 2º Jacob Romero(HAV) 3º Chase O Leary(AUS)
H16: 1º Mark McCarthy(AFS) 2º Mitch Rawlins(AUS) 3º Jeff Hubbard(HAV)
H17: 1º Michael Novy(AUS) 2º Chad Jackson(AUS) 3º Sacha Specker(AFS)
H18: 1º Jared Houston(AFS) 2º Dallas Singer(AUS) 3º Joe Clarke(AUS)
H19: 1º Ben Player(AUS) 2º Dave Winchester(AUS) 3º Pierre Louis Costes(FRA)

Round 2 (1ºe 2º=Round 3/ 3º=25º geral – 720 pts e U$500/4º=29º geral – 680 pts  e U$300)

H9: 1º Ryan Hardy(AUS) 2º Nick Ormerod(AUS) 3º Sam Bennett(AUS) 4º Amaury Laverhne(REU)
H10: 1º Lewy Finnegan(AUS) 2º Mitch Rawlins(AUS) 3º Mike Stewart(HAV) 4º Ruyman Rey(CAN)
H11: 1º Michael Novy(AUS) 2º Joe Clarke(AUS) 3º Thomas Rugby(AUS) 4º Lee Szczepanski(AUS)
H12: 1º Pierre L. Costes(FRA) 2º Damian King(AUS) 3º Brad Hughes(AUS) 4º Dave Hubbard(HAV)

Com informações de Danilo Caboclo – Assessoria de Imprensa IBA South America

RIP Michael Peterson 1952-2012

29 de março de 2012 0

A comunidade no surfe mundial está de luto. As vésperas do início da segunda etapa do ASP World Tour, em Bells Beach, o australiano Michael Peterson morreu aos 60 anos na manhã desta quinta-feira. Mais conhecido como MP, o surfista marcou época no início dos anos 70 e era conhecido pela habilidade de se entocar nos tubos nas intermináveis ondas de Kirra, na Gold Coast.

Campeão australiano em 1972 e 1974, Peterson mergulhou fundo na heroína e só não morreu de overdose porque tinha fobia a agulhas e não conseguia cheirar doses letais da droga que começava a conquistar a juventude da Gold Coast. A heroína transformou Peterson, que passou a ouvir vozes e foi diagnosticado com esquizofrenia e passou a ter um comportamento cada vez mais errático e hostil aos amigos. A última grande aparição de Peterson em competições foi em 1977, no Stubbies, em Burleigh Heads, pelo antigo IPS, quando venceu na final o conterrâneo Wayne Rabitt Bartholomew.

Para tentar se livrar do vício da heroína, Peterson começou a fazer windsurf. Mas na noite de 9 de agosto de 1983, quando viajava para praticar o seu novo esporte, o surfista entrou em pânico ao ouvir uma sirene de um carro da polícia. Fugiu, foi perseguido por mais de 20 viaturas e quase matou uma pessoa atropelada.

A perseguição só terminou quando o carro dirigido pelo surfista foi bloqueado na entrada de uma ponte. O fato virou notícia nacional e ficou conhecido na Austrália como “A perseguição”. Condenado a um ano de prisão e com a carteira de habilitação revogada, Peterson cumpriu alguns meses até ser transferido para um hospital prisão psiquiátrico, onde recebeu até eletrochoques para o tratamento da esquizofrenia.

Depois de livre, Peterson voltou a morar na Gold Coast. Ganhou peso devido ao uso de medicamentos e pouco lembrava aquele surfista esguio cheio de estilo que chamou atenção em três minutos do filme Morning of the Earth, de 1971. Entre 2001 e 2003, Peterson cooperou com o editor da Tracks, Sean Doherty, que escreveu a sua biografia e revelou outros aspectos de sua vida, além dos fatos conhecidos da sua carreira de surfista.