Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 30 março 2012

Groupama e Puma contornam o Cabo Horn

30 de março de 2012 0
Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

Tripulação do barco francês posa para foto histórica da VOR 2012. Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

O Groupama foi a primeiro veleiro a contornar o Cabo Horn, ponto mais meridional da América do Sul, nesta sexta-feira, dia 30, na Volvo Ocean Race. Enquanto isso, o time Abu Dhabi Ocean Racing seguia a uma distância de mais de 1.500 milhas náuticas (2778 km) após uma ousada parada em alto mar para consertar o casco do barco.

O time Telefónica, do brasileiro Joca Signorini, segue na terceira posição. O Groupama, líder da quinta perna, passou pelo importante marco marítimo Cabo Horn às 9h55min (horário de Brasília) com uma diferença de apenas 24 quilômetros sobre o Puma, segunda colocado até o momento na quinta etapa.

- Terminar a passagem pelo Cabo Horn foi um grande alívio para nós. Parece que estamos saindo da zona de perigo iminente, principalmente quando levamos em consideração o que aconteceu com os outros barcos. Estamos orgulhosos de sermos os primeiros a passar pelo Cabo. É um momento especial para toda a tripulação – disse o capitão da Groupama, Franck Cammas.

Foto Amory Ross/Volvo Ocean Race

Água invade o convés do Puma. Foto Amory Ross/Volvo Ocean Race

A equipe Puma completou a passagem às 10h52min,uma hora após a Groupama. Nada ainda está definido, uma vez que ainda faltam mais de 3.700 quilômetros de navegação pelo Atântico Sul em direção a Itajaí.

Enquanto a Groupama e o Puma atravessavam o Cabo Horn, a equipe Abu Dhabi ainda decidia qual caminho seguir depois de ser obrigada a consertar o barco em uma das regiões mais remotas do mundo.  A tripulação de Ian Walker descobriu uma delaminação no meio do casco durante a noite e trabalhou por cinco horas seguidas tentando consertar o barco, colocando 30 parafusos para evitar danos futuros.

Para realizar os reparos necesssários, a tripulação precisou diminuir a velocidade do barco até que ele parasse e depois virá-lo de lado – tudo isso em condições climáticas adversas – para que o timoneiro Justin Slattery, que havia sido preso seguramente a uma corda, fosse rebaixado até a parte danificada pela borda externa do barco para apertar os parafusos no casco.

Foto Nick Dana/Volvo Ocean Race

Jules Slatery e Simon Fisher preparam a cola para conserto do casco do Abu Dhabi. Foto Nick Dana/VOR

Do lado de dentro, o capitão Wade Morgan e o chefe de turno Craig Satterthwaite mantinham firme a parte danificada com pedaços arrancados das beliches, sistema de empilhamento e armários. Esse foi o segundo maior conserto que a tripulação da Abu Dhabi teve que realizar só na quinta perna.

O Telefónica, em terceiro lugar, estava a caminho de Ushuaia, na Argentina, enquanto o Camper se dirigia para Puerto Montt, no Chile. Ambas as equipes foram forçadas a desviar suas rotas para consertar danos na estrutura dos barcos.

- Esta foi provavelmente a semana mais difícil que já tivemos na corrida – desabafou o capitão da Telefónica, Iker Martínez.

- O vento continua soprando forte e em alguns dias fomos atingidos por ondas gigantes que não tiveram dó nem piedade da gente – completou.

Foto Diego Fructuoso/Volvo Ocean Race

João Signorini encarando as difíceis condições dos mares do Sul. Foto Diego Fructuoso/Volvo Ocean Race


Com informações de Allan Walbert – H+K Strategies e ZDL Comunicação

Pato e Danilo na lista do Billabong Big Wave Awards XXL

30 de março de 2012 0

Dois brasileiros já estão na disputa do Billabong XX Big Waves Awards temporada 2011, o Oscar das ondas gigantes, que tem premiação marcada o próximo dia 4 de maio, na Califórnia. A Billabong anunciou os cinco finalistas de quatro categorias após uma seleção de mais de mil imagens que foram enviadas para participar do prêmio. Os finalistas das categorias Melhor Performance do ano masculino e feminino e a Melhor Wipe Out do ano serão anunciados apenas no próximo dia 9 de abril.

Por enquanto, o catarinense Everaldo “Pato” Teixeira concorre ao Maior Tubo do ano e o baiano Danilo Couto concorre à Maior Onda na Remada. Vencedor da categoria principal no ano passado, Couto tem um “drop elevador” em Jaws, no Havaí. O vencedor da categoria principal – A Onda do Ano – leva 50 mil verdinhas de prêmio.

Divulgação

Divulgação 9nine

A cerimônia de premiação será apenas para convidados, no Teatro Grove, na Califórnia, mas terá transmissão ao vivo no site do evento.

Confira os finalistas:
Categoria A onda do ano:

Nathan Fletcher em Teahupoo, Taiti
Greg Long em Puerto Escondido, México
Ryan Hipwood em Cloudbreak, Fiji
Jeff Rowlley em Jaws, Maui
Garrett McNamara em Portugal

Categoria “Monster Paddle”

Ken “Skindog” Collins em Maverick’s, Califórnia
Danilo Couto em Jaws, Havaí
Shane Dorian em Jaws, Havaí
Jamie Mitchell em Todos os Santos, México
Dave Wassel em Jaws, Havaí

Categoria A maior onda do ano

Andrew Cotton em Mullaghmore Head, Irlanda
Garret McNamara em Praia do Norte, Portugal
Axi Muniain em Agiti, Espanha
Ollie O’Flaherty em Mullaghmore Head, Irlanda
Damien “Taco” War rem Cow Bombie, Austrália

Categoria Maior Tubo
Kohl Christensen em Cloudbreak, Fiji
Nathan Fletcher em Teahupoo, Taiti.
Tyler Hollmer-Cross em Shipstern Bluff, Tasmania
Bruce Irons em Teahupoo, Taiti
Everaldo “Pato” Teixeira em Teahupoo, Taiti

Tudo pronto para o Troféu S.A.R. Princesa Sofia de Vela

30 de março de 2012 0

A partir deste sábado, dia 31, começa o Troféo S.A.R. Princesa Sofia de Vela, em Palma de Mallorca, na Espanha. A competição tradicional que ocorre desde 1968 abrindo a primavera europeia é a terceira etapa da Copa do Mundo de Vela Isaf 2011/2012 e a primeira do campeonato do Velho Continente. Serão cerca de 1,5 mil velejadores de 58 países brigando pelo título de 10 classes até o dia 7 de abril.

O campeonato ganha maior importância na medida em que acontece três meses antes do início dos Jogos Olímpicos. Alguns, como as duplas brasileiras da 470 – Fernanda de Oliveira/Ana Barbachan e Isabel Swan/Martine Grael – estarão disputando as últimas vagas olímpicas. Nesse duelo, a dupla Fernanda e Ana pode usar a experiência para obter vantagem.  Em 2010, elas finalizaram na quarta colocação e, no ano passado, na 17ª. Isabel e Martine competiram em Palma apenas em 2010, quando finalizaram na 22ª colocação.

Outros como os brasileiros Roberto Scheidt/Bruno Prada na Star, e Bruno Fontes, na Laser, estarão medindo forças com os melhores do mundo, em um bom “treino” para a raia olímpica de Weymouth. No ano passado, na 42ª edição do evento, Bruno foi o 10ª colocado na competição vencida pelo inglês Paul Goodison. Scheidt e Prada ficaram em oitavo na Star, vencida pelos ingleses Ian Percy/Simpson. As regatas podem ser acompanhadas pelo site oficial do evento, com auxilío do tracker.

Scheidt batiza estação de metrô em Londres

30 de março de 2012 0
Foto Divulgação

Scheidt ganha homenagem na sede dos Jogos Olímpicos de 2012. Foto Divulgação

O velejador Robert Scheidt agora batiza uma estação de metrô de Londres com o seu nome. A iniciativa faz parte de uma ação do governo inglês, que divulgou na última quarta-feira, dia 28, uma versão alternativa para as 361 estações da malha metroviária da cidade. Até a Olimpíada, cada uma delas passará a ostentar o nome de um personagem importante da história dos Jogos. Scheidt é o representante brasileiro no iatismo, ao lado de Torben Grael.

Líder do ranking mundial da Star com Bruno Prada, Scheidt foi ao pódio nas quatro olimpíadas que disputou. Conquistou o ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, na classe Laser, e a prata em Sidney/2000, também na Laser, e em Pequim/2008, na Star, com Prada.

- Me sinto muito honrado com a homenagem, principalmente por ajudar a elevar o nome da vela brasileira, ao lado do Torben Grael. Além disso, estamos juntos com grandes lendas do esporte – afirmou Robert Scheidt, que já está em Palma de Mallorca, na Espanha, onde disputa o Troféu Princesa Sofia, terceira etapa da Copa do Mundo de Vela 2011/2012, a partir de segunda-feira, dia 2 de abril.

Sem perder uma disputa desde maio de 2011, Scheidt e Prada finalizam na Europa a preparação para a Olimpíada de Londres. Após o Troféu Princesa Sofia, os velejadores ainda têm pela frente mais duas etapas da Copa do Mundo de Vela e dois períodos de treinos em Weymouth, nas mesmas raias que serão utilizadas pela categoria nos Jogos, em julho. Robert Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil, Prada e Rolex. Robert Scheidt e Bruno Prada têm o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Vela e Motor.

Com informações da ZDL comunicação – Flávio Perez e Andressa Rufino.