Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de março 2012

Resgate da história do surfe em Santa Catarina

31 de março de 2012 0
Foto Daniel Conzi

Maurio com sua preciosa coleção de revistas de surfe. Foto Daniel Conzi

No último dia 20 de março, exatos 35 anos após ganhar a primeira prancha, o surfe-repórter Maurio Borges retomou uma ideia antiga, a de resgatar a história do surfe catarinense através de imagens e informações. A ideia vem desde 1998, quando Maurio, ao lado do fotógrafo Basilio Ruy, tentavam emplacar no mercado duas revistas de bolso: a Surf Resgate e o Surf Guia.

A primeira chegou a ter três edições, mas para viabilizar uma era preciso deixar a outra. O Surf Guia continuou e se tornou sucesso, editada ano após ano. Bom, mas no dia 20 de março, Maurio postou algumas imagens que já haviam sido publicadas nas pequenas Surf Resgate e o fenômeno do Facebook se encarregou de fazer o resto. Amigos e até pessoas que nunca haviam feito contato com Maurio ficaram impressionadas com as imagens e se colocaram à disposição para colaborar.

Foto acervo Família Sefton

Foto acervo Família Sefton

O atual presidente da Federação Catarinense de Bodyboard, Jarbas Soares, foi um deles. Gilberto Arcari, o primeiro fotógrafo de surfe da cidade, foi outro. Diante da curtição, o surfe-repórter resolveu lançar um hotsite dentro do www.s365.com.br para continuar contando essa história. As fotos devem ser enviadas para o e-mail do S365 (surfe365@gmail.com), se possível com informações – crédito, local, data, personagens, contexto – que possam contar um pouco da história daquela imagem.

- Legal é que cada imagem tem uma história. Tem foto com o André Machado, o “Franguinho”, já falecido, dando aéreo naquela época, no início dos anos 80. Tem imagens da Praia Brava, quando o pico era pouco frequentado e o asfalto recém havia sido implantado. Tem foto do famoso pedestal que chegou a ser colocado no costão da Joaquina para a estátua do surfista que acabou na Mole porque a galera não curtiu, enfim, uma infinidade de histórias para serem contadas – diz Maurio, 45 anos, 35 de surfe.

foto acervo Família Sefton

Um intocável Farol de Santa Marta no início dos anos 70. Foto acervo Família Sefton

Circuito Paulista de Wakeboard confirmado com primeira etapa em abril

31 de março de 2012 0


Divulgação

Divulgação


O Circuito Paulista de Wakeboard 2012 está definido. A primeira etapa está marcada para os dias 21 e 22 de abril no Broa Golf Resort, na Represa do Lobo (Broa), em São Carlos (SP). Conhecida por revelar grandes talentos do esporte, a etapa também reunirá os maiores nomes do wakeboard brasileiro.

Apesar de ser uma etapa do circuito paulista, o evento contará com atletas de diversos estados que competirão em nove categorias:mirim, iniciantes, feminino amador, intermediário, avançado, open, feminino open, pro e wakeskate. No sábado acontecerão as baterias eliminatórias e no domingo as finais.


Foto Divulgação

Luciano Rondi Neto, o Deco, é presença confirmada. Foto Divulgação


A competição reunirá atletas de todo o Brasil.  Marcelo “Marreco” Giardi, Luciano Rondi Neto, o “Deco”, Marcos “Paçoca” Amato  e Mário “Marito” Manzolli estão confirmados no evento. O circuito paulista de Wake 2012 ainda terá mais duas etapas. A segunda está marcada para os dias 26 e 27 de maio em Bragança Paulista no Clube Náutico Russolândia. E nos dias 22 e 23 de setembro, no parque aquático Wet´n Wild, em Itupeva, com a grande final do circuito.

- No ano passado levamos o circuito para o Broa e os competidores aprovaram. O lugar é perfeito par a eventos de wakeboard, porque tem uma estrutura de pousada, restaurante e resort na beira da Represa do Lobo. É um campeonato que as famílias gostam de assistir, pois a estrutura é muito boa – afirma Mário Manzolli, o Marito, que também organiza o circuito.

Com informações da Trópico Comunicação

Groupama e Puma contornam o Cabo Horn

30 de março de 2012 0
Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

Tripulação do barco francês posa para foto histórica da VOR 2012. Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

O Groupama foi a primeiro veleiro a contornar o Cabo Horn, ponto mais meridional da América do Sul, nesta sexta-feira, dia 30, na Volvo Ocean Race. Enquanto isso, o time Abu Dhabi Ocean Racing seguia a uma distância de mais de 1.500 milhas náuticas (2778 km) após uma ousada parada em alto mar para consertar o casco do barco.

O time Telefónica, do brasileiro Joca Signorini, segue na terceira posição. O Groupama, líder da quinta perna, passou pelo importante marco marítimo Cabo Horn às 9h55min (horário de Brasília) com uma diferença de apenas 24 quilômetros sobre o Puma, segunda colocado até o momento na quinta etapa.

- Terminar a passagem pelo Cabo Horn foi um grande alívio para nós. Parece que estamos saindo da zona de perigo iminente, principalmente quando levamos em consideração o que aconteceu com os outros barcos. Estamos orgulhosos de sermos os primeiros a passar pelo Cabo. É um momento especial para toda a tripulação – disse o capitão da Groupama, Franck Cammas.

Foto Amory Ross/Volvo Ocean Race

Água invade o convés do Puma. Foto Amory Ross/Volvo Ocean Race

A equipe Puma completou a passagem às 10h52min,uma hora após a Groupama. Nada ainda está definido, uma vez que ainda faltam mais de 3.700 quilômetros de navegação pelo Atântico Sul em direção a Itajaí.

Enquanto a Groupama e o Puma atravessavam o Cabo Horn, a equipe Abu Dhabi ainda decidia qual caminho seguir depois de ser obrigada a consertar o barco em uma das regiões mais remotas do mundo.  A tripulação de Ian Walker descobriu uma delaminação no meio do casco durante a noite e trabalhou por cinco horas seguidas tentando consertar o barco, colocando 30 parafusos para evitar danos futuros.

Para realizar os reparos necesssários, a tripulação precisou diminuir a velocidade do barco até que ele parasse e depois virá-lo de lado – tudo isso em condições climáticas adversas – para que o timoneiro Justin Slattery, que havia sido preso seguramente a uma corda, fosse rebaixado até a parte danificada pela borda externa do barco para apertar os parafusos no casco.

Foto Nick Dana/Volvo Ocean Race

Jules Slatery e Simon Fisher preparam a cola para conserto do casco do Abu Dhabi. Foto Nick Dana/VOR

Do lado de dentro, o capitão Wade Morgan e o chefe de turno Craig Satterthwaite mantinham firme a parte danificada com pedaços arrancados das beliches, sistema de empilhamento e armários. Esse foi o segundo maior conserto que a tripulação da Abu Dhabi teve que realizar só na quinta perna.

O Telefónica, em terceiro lugar, estava a caminho de Ushuaia, na Argentina, enquanto o Camper se dirigia para Puerto Montt, no Chile. Ambas as equipes foram forçadas a desviar suas rotas para consertar danos na estrutura dos barcos.

- Esta foi provavelmente a semana mais difícil que já tivemos na corrida – desabafou o capitão da Telefónica, Iker Martínez.

- O vento continua soprando forte e em alguns dias fomos atingidos por ondas gigantes que não tiveram dó nem piedade da gente – completou.

Foto Diego Fructuoso/Volvo Ocean Race

João Signorini encarando as difíceis condições dos mares do Sul. Foto Diego Fructuoso/Volvo Ocean Race


Com informações de Allan Walbert – H+K Strategies e ZDL Comunicação

Pato e Danilo na lista do Billabong Big Wave Awards XXL

30 de março de 2012 0

Dois brasileiros já estão na disputa do Billabong XX Big Waves Awards temporada 2011, o Oscar das ondas gigantes, que tem premiação marcada o próximo dia 4 de maio, na Califórnia. A Billabong anunciou os cinco finalistas de quatro categorias após uma seleção de mais de mil imagens que foram enviadas para participar do prêmio. Os finalistas das categorias Melhor Performance do ano masculino e feminino e a Melhor Wipe Out do ano serão anunciados apenas no próximo dia 9 de abril.

Por enquanto, o catarinense Everaldo “Pato” Teixeira concorre ao Maior Tubo do ano e o baiano Danilo Couto concorre à Maior Onda na Remada. Vencedor da categoria principal no ano passado, Couto tem um “drop elevador” em Jaws, no Havaí. O vencedor da categoria principal – A Onda do Ano – leva 50 mil verdinhas de prêmio.

Divulgação

Divulgação 9nine

A cerimônia de premiação será apenas para convidados, no Teatro Grove, na Califórnia, mas terá transmissão ao vivo no site do evento.

Confira os finalistas:
Categoria A onda do ano:

Nathan Fletcher em Teahupoo, Taiti
Greg Long em Puerto Escondido, México
Ryan Hipwood em Cloudbreak, Fiji
Jeff Rowlley em Jaws, Maui
Garrett McNamara em Portugal

Categoria “Monster Paddle”

Ken “Skindog” Collins em Maverick’s, Califórnia
Danilo Couto em Jaws, Havaí
Shane Dorian em Jaws, Havaí
Jamie Mitchell em Todos os Santos, México
Dave Wassel em Jaws, Havaí

Categoria A maior onda do ano

Andrew Cotton em Mullaghmore Head, Irlanda
Garret McNamara em Praia do Norte, Portugal
Axi Muniain em Agiti, Espanha
Ollie O’Flaherty em Mullaghmore Head, Irlanda
Damien “Taco” War rem Cow Bombie, Austrália

Categoria Maior Tubo
Kohl Christensen em Cloudbreak, Fiji
Nathan Fletcher em Teahupoo, Taiti.
Tyler Hollmer-Cross em Shipstern Bluff, Tasmania
Bruce Irons em Teahupoo, Taiti
Everaldo “Pato” Teixeira em Teahupoo, Taiti

Tudo pronto para o Troféu S.A.R. Princesa Sofia de Vela

30 de março de 2012 0

A partir deste sábado, dia 31, começa o Troféo S.A.R. Princesa Sofia de Vela, em Palma de Mallorca, na Espanha. A competição tradicional que ocorre desde 1968 abrindo a primavera europeia é a terceira etapa da Copa do Mundo de Vela Isaf 2011/2012 e a primeira do campeonato do Velho Continente. Serão cerca de 1,5 mil velejadores de 58 países brigando pelo título de 10 classes até o dia 7 de abril.

O campeonato ganha maior importância na medida em que acontece três meses antes do início dos Jogos Olímpicos. Alguns, como as duplas brasileiras da 470 – Fernanda de Oliveira/Ana Barbachan e Isabel Swan/Martine Grael – estarão disputando as últimas vagas olímpicas. Nesse duelo, a dupla Fernanda e Ana pode usar a experiência para obter vantagem.  Em 2010, elas finalizaram na quarta colocação e, no ano passado, na 17ª. Isabel e Martine competiram em Palma apenas em 2010, quando finalizaram na 22ª colocação.

Outros como os brasileiros Roberto Scheidt/Bruno Prada na Star, e Bruno Fontes, na Laser, estarão medindo forças com os melhores do mundo, em um bom “treino” para a raia olímpica de Weymouth. No ano passado, na 42ª edição do evento, Bruno foi o 10ª colocado na competição vencida pelo inglês Paul Goodison. Scheidt e Prada ficaram em oitavo na Star, vencida pelos ingleses Ian Percy/Simpson. As regatas podem ser acompanhadas pelo site oficial do evento, com auxilío do tracker.

Scheidt batiza estação de metrô em Londres

30 de março de 2012 0
Foto Divulgação

Scheidt ganha homenagem na sede dos Jogos Olímpicos de 2012. Foto Divulgação

O velejador Robert Scheidt agora batiza uma estação de metrô de Londres com o seu nome. A iniciativa faz parte de uma ação do governo inglês, que divulgou na última quarta-feira, dia 28, uma versão alternativa para as 361 estações da malha metroviária da cidade. Até a Olimpíada, cada uma delas passará a ostentar o nome de um personagem importante da história dos Jogos. Scheidt é o representante brasileiro no iatismo, ao lado de Torben Grael.

Líder do ranking mundial da Star com Bruno Prada, Scheidt foi ao pódio nas quatro olimpíadas que disputou. Conquistou o ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, na classe Laser, e a prata em Sidney/2000, também na Laser, e em Pequim/2008, na Star, com Prada.

- Me sinto muito honrado com a homenagem, principalmente por ajudar a elevar o nome da vela brasileira, ao lado do Torben Grael. Além disso, estamos juntos com grandes lendas do esporte – afirmou Robert Scheidt, que já está em Palma de Mallorca, na Espanha, onde disputa o Troféu Princesa Sofia, terceira etapa da Copa do Mundo de Vela 2011/2012, a partir de segunda-feira, dia 2 de abril.

Sem perder uma disputa desde maio de 2011, Scheidt e Prada finalizam na Europa a preparação para a Olimpíada de Londres. Após o Troféu Princesa Sofia, os velejadores ainda têm pela frente mais duas etapas da Copa do Mundo de Vela e dois períodos de treinos em Weymouth, nas mesmas raias que serão utilizadas pela categoria nos Jogos, em julho. Robert Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil, Prada e Rolex. Robert Scheidt e Bruno Prada têm o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Vela e Motor.

Com informações da ZDL comunicação – Flávio Perez e Andressa Rufino.

Veleiros da Volvo Ocean Race sofrem com os mares do Sul

29 de março de 2012 0
Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Os barcos sofrem com ondas grandes. Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Na Volvo Ocean Race, é comum dizer que a etapa até a parada brasileira é sempre a mais difícil diante das altas ondas e os ventos dos mares do sul, além da passagem pelo temido Cabo Horn. A edição 2011/2012 confirmou o fato. Nesta quinta etapa, entre Auckland, na Nova Zelândia, e Itajaí, só um barco não teve problemas: o Groupama. O braco francês lidera e tem previsão de chegada para o dia 6 de abril, dois dias após a data prevista inicialmente. O barco já completou dois terços do percurso de 12.424 km.

Segundo colocado, o Puma é o barco menos afetado materialmente, mas o norte-americano Ken Read tem problemas com a tripulação. No começo da etapa, o proeiro Casey Smith machucou as costas em uma troca de velas e o timoneiro Thomas Johanson deslocou o ombro após ser derrubado por uma onda. Casey Smith se recuperou com remédios, mas Thomas Johanson, após um dia em repouso, não respondeu a medicação e o velejador-enfermeiro a bordo, Jono Swain, teve de recolocar o ombro do companheiro no lugar, auxiliado pelos médicos da Puma, que deram as instruções por telefone para o tratamento. Os dois estão em recuperação.

Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Parada forçada para o Telefónica na Argentina. Foto Paul Todd/Volvo Ocean Race

Líder da classificação geral, o espanhol Telefónica é o terceiro colocado na etapa, mas deve perder essa condição. O time sofreu, durante o último fim de semana uma delaminação -  quando as camadas de fibra de carbono que formam a estrutura do barco se rompem – no casco causada pelo choque com uma onda gigantesca. Os danos são tão sérios que os espanhóis vão parar em Ushuaia, na Argentina, para os reparos. Horácio Carabelli, diretor técnico do Telefónica, já está na Terra do Fogo, aguardando o veleiro.

O Camper vai fazer o mesmo. O time também tem danos estruturais: uma antepara (peça que garante sustentação estrutural) na prova rachou. Com isso, está velejando em direção a Puerto Montt, no Chile, para os reparos.
- Com águas calmas e sem muitas ondas, conseguimos velejar com cerca de 90% do nosso potencial. Queremos maximizar essa oportunidade para chegar o mais rápido ao Chile, sem forçar muito o barco – explicou Hamish Hooper, tripulante de mídia da equipe.

Foto Alan Riou/Volvo Ocean Race

Groupama vai chegar em Itajaí no dia 6 de abril. Foto Alan Riou/Volvo Ocean Race

Já o Abu Dhabi aparece em quinto lugar, mas deve ganhar algumas posições nos próximos dias: o veleiro quebrou logo nas primeiras horas da regata, também com rachaduras em uma antepara, voltou para a Nova Zelândia imediatamente e largou com atraso. Atualmente, está a 1.300 milhas náuticas do líder Groupama, mas não precisará parar, como dois dos veleiros que estão a sua frente.

A pior situação é a do Sanya, que nem virá ao Brasil. O time chinês chegou a liderar a etapa, mas também sofreu com as altas ondas e teve avarias graves no leme. O time voltou para a Nova Zelândia e, como esse imprevisto atrasou muito o cronograma, o barco será levado, de cargueiro, diretamente para os Estados Unidos. O objetivo do time é voltar a competir na regata de porto de Miami, marcada para o dia 19 de maio.

Mais informações: www.volvooceanraceitajai.com

Com informações da ZDL – Flávio Perez e Andressa Rufino.

Chile e Peru no roteiro da ASP South America

29 de março de 2012 0
Foto Rodrigo Farias

Guilhermo Satt venceu ano passado em El Gringo, Arica. Foto Rodrigo Farias

Como o ASP Prime de Saquarema, o Arica Pro Challenge também será reeditado neste ano no Chile entre os dias 12 a 17 de junho. A praia El Gringo, em Arica, tem uma das ondas mais desafiadoras do continente e foi palco de uma etapa do ASP World Tour  – Rip Curl Pro Search – vencida pelo tricampeão mundial Andy Irons em 2007. Nos últimos anos, o pico tem sediado uma prova do ASP 3-Star. No ano passado, o chileno Guillermo Satt fez a festa em casa no ano passado nos tubos de El Gringo. Em 2010 o evento não aconteceu por causa do terremoto que devastou parte do país naquele ano e, em 2009, o campeão do desafio de Arica foi o peruano Gabriel Villaran.

- No Rip Curl Pro Junior, a expectativa é de uma maior participação dos jovens talentos de toda a América do Sul – conta Roberto Perdigão, diretor da ASP South America.

ESTREIAS NO PERU

As novas etapas do Peru são a grande novidade do calendário da ASP South America para 2012. Serão oito dias de competições em Lobitos,  no Litoral Norte. Começa pelo Rip Curl Pro Junior, de 21 a 23 de julho, que vai reunir os melhores surfistas com até 20 anos de idade da América do Sul.  Na sequência, acontece uma do ASP Womens 6-Star nos dias 24 a 28 de julho nas mesmas ondas de Lobitos, em Piura.

A Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl distribuirá 40 mil dólares e 3.500 pontos para o ranking que classifica seis surfistas para a elite das top-16 do Dream Tour feminino. No momento, é a única etapa deste circuito confirmada para a América do Sul, mas outra está prevista também no Peru para 09 a 14 de outubro.

- A Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl, por acontecer em um local de ondas “world class” e às vésperas do tradicionalíssimo US Open, em Huntington Beach, Califórnia, deve contar com a presença das campeãs mundiais Stephanie Gilmore (AUS) e Sofia Mulanovich (PER), além de Sally Fitzgibbons (AUS), Silvana Lima (BRA), Courtney Conlogue (EUA), Jacqueline Silva (BRA), Ornella Pellizzari (ARG), entre tantas outras – completa Perdigão.

CALENDÁRIO 2012 DAS PRÓXIMAS ETAPAS DA ASP SOUTH AMERICA:

21 a 27 de maio – ASP Prime Coca-Cola Saquarema Pro na Praia de Itaúna, Saquarema (RJ) – US$ 250 mil e 6.500 pts
12 a 17 de junho – ASP 3-Star Arica Pro Challenge em El Gringo, Arica – Chile – US$ 55 mil e 750 pts
24 a 28 de julho – ASP Womens 6-Star – Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl em Lobitos – Peru – US$ 40 mil e 3.500 pts
30 de agosto e 1º de setembro – ASP 2-Star Billabong Surf Eco Festival na Praia de Jaguaribe, Salvador (BA) – US$ 30 mil e 500 pts
9 a 14 de outubro – ASP 4-Star “aguardando confirmação” em Mancora – Peru – US$ 95 mil e 1.000 pts
9 a 14 de outubro – ASP Womens 4-Star “aguardando confirmação” em Mancora – PERU – US$ 30 mil e 1.000 pts
16 a 21 de outubro – ASP 6-Star Brasil Open of Surfing no Arpoador, Rio de Janeiro (RJ) – US$ 155 mil e 3.500 pts
23 a 28 de outubro – ASP Prime “aguardando confirmação” na Praia da Vila, Imbituba (SC) – US$ 250 mil e 6.500 pts

Com informações de João Carvalho – ASP South America

Coca Cola Saquarema Prime confirmado

29 de março de 2012 0
Foto Pedro Monteiro

Kai Otton não se arrependeu de esticar a passagem pelo Brasil em 2011. Foto Pedro Monteiro

A ASP South America confirmou nesta quinta-feira as reedições da etapa Prime de Saquarema e do ASP 3-Star no Chile.O evento do Chile será realizado nos dias 12 a 17 de junho nas grandes ondas de Arica. Já o Coca-Cola Saquarema Prime vai acontecer antes, de 21 a 27 de maio no maracanã do surfe, em Saquarema, na semana seguinte ao Billabong Rio Pro, a etapa brasileira do ASP World Tour, que rola no Rio de 9 a 20 de maio.

Com isso, o evento na Praia de Itaúna deve contar com grande participação de surfistas da elite mundial, principalmente pelas ondas enormes que rolaram no ano passado, quando Raoni Monteiro, que residia em Saquarema, acabou perdendo a decisão do título para o australiano Kai Otton. De acordo cmo o diretor da ASP South America, a confirmação do Coca Cola Saquarema Prime repercutiu entre os surfistas em Margaret River, onde foi disputado o segundo Prime do ano, com a participação de tops como Kelly Slater e Taj Burrow.

É mais uma chance que os brasileiros tem de pontuar no ranking mundial. As etapas Prime estão no segundo nível de pontuação do circuito, oferecendo 6.500 pontos ao campeão. Só perdem para as etapas da elite que oferecem 10 mil pontos ao vencedor.

Favoritos caem e Magno de Oliveira se garante no round 4 em The Box

29 de março de 2012 0
Foto IBA/Specker

Maguinho se deu bem no round 3. Foto IBA/Specker

O segundo dia de competição do The Box Pro 2012, em Margaret River, na Austrália, contou com a eliminação de alguns dos favoritos para levar o título da segunda etapa do IBA World Tour. O capixaba Magno de Oliveira, único representante do Brasil na etapa e vice-campeão do evento em 2011, confirmou sua classificação para a quarta fase em condições épicas de seis a oito  pés (dois a três metros) e formação perfeita.

O primeiro a ser eliminado prematuramente foi o campeão mundial de 2010 Amaury Laverhne, das Ilhas Reunião. Na primeira bateria do dia, Amaury não resistiu ao conhecimento de pico do local Ryan Hardy, campeão do evento em 2011, e de Nick Ormerod, também da Austrália. Em seguida foi a vez do veterano Mike Stewart, vice-líder do ranking mundial, dar adeus as disputas, superado por outra dupla da Austrália, Mitch Rawlins e Lewy Finnegan.

Foto IBA/Specker

Mark Mcarthy foi o destaque do dia, eliminando Jeff Hubbard. Foto IBA/Specker

Porém, as duas maiores baixas do dia aconteceram na terceira fase, formada por oito baterias de três atletas cada. Na melhor bateria do dia, Jeff Hubbard encontrou um inspirado Mark McCarthy, que totalizou o maior somatório do evento até o momento, ao marcar 18.55 pontos. Além de Mark, Mitch Rawlins também superou o havaiano que terminou a etapa em 17º lugar. O mesmo ocorreu com Pierre Louis Costes, França, que não teve chances diante dos australianos Ben Player e Dave Winchester.

Magno Oliveira reedita final de 2011:

Classificado diretamente para o terceiro round, o capixaba Magno de Oliveira encarou Ryan Hardy e Jack Stone. Sem se mostrar intimidado com o favoritismo da dupla australiana, Maguinho achou duas boas ondas e eliminou Jake Stone, avançando na segunda posição, atrás apenas de Ryan.

Foto IBA/Specker

Ryan Hardy defende o título. Foto IBA/Specker

No round 4, os 16 atletas se enfrentam em quatro baterias de quatro atletas, sem eliminação. O primeiro colocado avança para as quartas de final. O segundo lugar da disputa vai para o round 6 e os dois últimos caem para o round 5. Uma nova chamada acontece nessa quinta-feira, 21h, horário de Brasília. Confira mais informações no site: www.ibaworldtour.com

Confira o vídeo dos Rounds 2 e 3:


Confira os resultados do segundo dia de disputas:

Round 4: 1º avança para as quartas/2º avança para o Round 6/ 3º e 4º disputam o Round 5
H21: Mark McCarthy(AFS) x Jared Houston(AFS) x Jones Russell(AUS) x Lewy Finnegan(AUS)
H22: Dave Winchester(AUS) x Michael Novy(AUS) x Dallas Singer(AUS) x Chad Jackson(AUS)
H23: Ben Player(AUS) x Magno Oliveira(AUS) x Mitch Rawlins(AUS) x Drew Innocend(AUS)
H24: Ryan Hardy(AUS) x Andrew Lester(AUS) x Alex Uranga(PBA) x Jacob Romero(HAV)

Round 3 (1º e 2º=Round 4/ 3º=17º geral – 800 pts e U$600)

H13: 1º Ryan Hardy(AUS) 2º Magno Oliveira(BRA) 3º Jake Stone(AUS)
H14: 1º Jones Russell(AUS) 2º Drew Innocend(AUS) 3º Nick Ormerod(AUS)
H15: 1º Lewy Finnegan(AUS) 2º Jacob Romero(HAV) 3º Chase O Leary(AUS)
H16: 1º Mark McCarthy(AFS) 2º Mitch Rawlins(AUS) 3º Jeff Hubbard(HAV)
H17: 1º Michael Novy(AUS) 2º Chad Jackson(AUS) 3º Sacha Specker(AFS)
H18: 1º Jared Houston(AFS) 2º Dallas Singer(AUS) 3º Joe Clarke(AUS)
H19: 1º Ben Player(AUS) 2º Dave Winchester(AUS) 3º Pierre Louis Costes(FRA)

Round 2 (1ºe 2º=Round 3/ 3º=25º geral – 720 pts e U$500/4º=29º geral – 680 pts  e U$300)

H9: 1º Ryan Hardy(AUS) 2º Nick Ormerod(AUS) 3º Sam Bennett(AUS) 4º Amaury Laverhne(REU)
H10: 1º Lewy Finnegan(AUS) 2º Mitch Rawlins(AUS) 3º Mike Stewart(HAV) 4º Ruyman Rey(CAN)
H11: 1º Michael Novy(AUS) 2º Joe Clarke(AUS) 3º Thomas Rugby(AUS) 4º Lee Szczepanski(AUS)
H12: 1º Pierre L. Costes(FRA) 2º Damian King(AUS) 3º Brad Hughes(AUS) 4º Dave Hubbard(HAV)

Com informações de Danilo Caboclo – Assessoria de Imprensa IBA South America