Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2013

Circuito de vela oceânica começa nesta sexta-feira no Rio de Janeiro

31 de outubro de 2013 0
Maestrale quer brigas pelo título. Foto Fred Hoffmann

Maestrale quer brigas pelo título. Foto Fred Hoffmann

A partir desta sexta-feira 50 veleiros de oceano estarão reunidos no Iate Clube do Rio de Janeiro para a disputa do Circuito Rio. Em sua 43ª edição, o evento se consolida como um dos mais tradicionais da vela brasileira, reunindo grandes nomes da modalidade como Maurício Santa Cruz, André Misrsky, Lars e Torben Grael. O evento também será válido como Brasileiro da classe RGS, que promete ter regatas bastante disputadas. Também estão convidadas as classes ORC, IRC, S40 e C30.

Na classe ORC, os barcos são divididos conforme seu tamanho. Na 650, para barcos em torno dos 30 pés, o Almirante Adalberto Casaes, do Masestrale, espera surpreender os adversários e subir no pódio na festa de premiação, no domingo.

- Minha tripulação está velejando junta há algum tempo e vem evoluindo bastante. Sei que a briga não será fácil, mas ainda assim tenho esperança de ficar entre os três primeiros – disse ele.

Equipe do Rocket Power Foto Fred Hoffmann

Equipe do Rocket Power Foto Fred Hoffmann

Seus maiores adversários serão Lady Milla, Samuray, Bravíssimo, Rocket Power e Stand by Me, que terá no comando Nicholas Grael, filho de Lars. Para garantir um evento de elevado nível técnico, o Iate Clube do Rio de Janeiro montou uma equipe de juízes com larga experiência neste tipo de evento. A ideia de levar as regatas para fora da baía de Guanabara visa resgatar o espírito da vela oceânica, além de aproveitar as diversas ilhas que o Rio de Janeiro oferece como marcas naturais de percurso.

Na instrução de regata estão previstas quase 10 rotas diferentes, que serão definidas de acordo com o vento do dia. Existe ainda um percurso ASD (a ser definido), que pode virar regata barla-sota, disputada dentro ou fora da baía, ou até um percurso rumo à ponte Rio Niterói.

Site oficial: http://icrj.com.br/circuitorio/

Com informações de Mari Peccicacco – Peccicom Comunicação

Michael Rodrigues garante Brasil nas oitavas de final do Mundial Júnior da ASP

31 de outubro de 2013 0
Michael Rodrigues voando para a classificação. Foto Smorigo/ASP

Michael Rodrigues voando para a classificação. Foto Smorigo/ASP

O terceiro dia do HD Junior World Championship se encerrou nesta quinta-feira com a classificação de apenas um brasileiro para as oitavas de final. O cearense Michael Rodrigues venceu o duelo verde amarelo contra Matheus Navarro e já se garantiu na próxima fase. Gabriel Medina e Jessé Mendes são os outros dois brasucas com chances de avançar e continuar em busca do título, quando a competição for reiniciada nesta sexta-feira.

Oito baterias masculinas foram para a água após a disputa das meninas. O australiano Matt Banting garantiu a primeira vaga ao vencer o havaiano Seth Moniz. Em seguida, o japonês Ken Inaba provocou a primeira surpresa do dia ao vencer o sul-africano Michael February. Depois foi a vez da bateria brasuca. Com um aéreo rodando, que valeu 9 pontos, Mike logo assumiu a liderança. Matheus ainda tentou reagir com um 8,5, mas o surfista radicado em Floripa não deu chances e ficou com a vaga.

Mike comemora. Foto Smorigo/ASP

Mike comemora. Foto Smorigo/ASP

A segunda surpresa do dia veio em seguida com vitória do peruano Juninho Urcia sobre o campeão mundial de 2010, o paulista Caio Ibelli. A bateria foi muito devagar e o local de Huanchaco pegou as primeiras ondas e administrou a vantagem. A terceira baixa brasileira aconteceu na quinta bateria. O indonésio Oney Anwar mostrou atitude e superou o surfista de Imbituba, João Paulo Abreu, que ficou precisando de uma segunda boa onda para virar. O português Vasco Ribeiro e o marroquino Ramzi Boukhiam confirmaram o favoritismo, enquanto no duelo de japoneses, Takumi Nakamura levou a melhor sobre Hiroto Arai.

Para quem quiser acompanhar a competição nesta sexta-feira é bom aparecer cedo na Praia da Joaquina. Gabriel Medina deverá entrar na água a partir das 8h, já que a chamada está marcada para as 7h30min. A intenção da organização é realizar as baterias na sexta e no sábado, para terminar o campeonato no domingo pela manhã, já que há previsão da entrada do vento Sul para o início da tarde.

Matt Banting venceu Seth Moniz. Foto Smorigo/ASP

Matt Banting venceu Seth Moniz. Foto Smorigo/ASP

Round 3 (2, 17 lugar, 1750Pts, U$1,200)
H1- Matt Banting AUS 15.34 a 9.50 Seth Moniz HAW
H2- Reo Inaba JAP 12.77 a 12.16 Michael February AFS
H3- Michael Rodrigues BRA 15.30 a 10.66 Matheus Navarro BRA
H4- Juninho Urcia PER 9.24 a 7.90 Caio Ibelli BRA
H5- Oney Anwar IND 10.94 a 10.27 João Abreu BRA
H6- Vasco Ribeiro POR 15.67 a 10.33 Steven Sawyer AFS
H7- Takumi Nakamura 13.84 a 13.10 Hiroto Arai JAP
H8- Ramzi Boukhiam MAR 14.56 a 12.70 Mitchell Parkinson AUS

Baterias que abrem o próximo dia de competição:
H9 – Gabriel Medina BRA x Jake Sylvester AUS
H10- Kanoa Igarashi EUA x Ian Crane EUA
H11- Keanu Asing HAV x Slade Prestwich AFS
H12- Dylan Lightfoot AFS x Cam Richards EUA
H13- Carlos Munoz CRI x Vehiatua Prunier TAH
H14- Arashi Kato JAP x Joshua Moniz HAV
H15- Jesse Mendes BRA x Nomme Mignot FRA
H16- Hiroto Ohhara JAP x Kan Watanabe JAP

Lars Grael coordena Team Brasil na última etapa da Extreme Sailing Series em Florianópolis

31 de outubro de 2013 0
Lars coordenará a equipe. Foto ZDL Divulgação.

Lars coordenará a equipe. Foto ZDL Divulgação.

Os velejadores brasileiros terão a honra de competir na etapa que definirá o barco campeão da temporada do Extreme Sailing Series™. A competição começou em março já levou a emoção dos velozes catamarãs ‘Extreme 40’ a seis países da Europa e da Ásia. No Brasil, Lars Grael será o coordenador do Team Brasil que representará o país nas regatas contra os melhores velejadores do mundo, na arena montada na Capital catarinense, entre os dias 14 e 17 de novembro, no Act 8 Florianópolis do Extreme Sailing Series™, apresentado por Land Rover.

Em cada uma das etapas anteriores, o país-sede formou uma tripulação local. Na passagem pela América do Sul, a última de 2013, Lars Grael reuniu os mais experientes velejadores brasileiros em barcos multicascos. O timoneiro do Team Brazil será Clínio de Freitas, proeiro de Lars no pódio olímpico dos Jogos de Seul, em 1988, quando conquistaram a medalha de bronze na classe multicasco, Tornado.

Os parceiros Lars e Clínio formaram a equipe juntos e, diante da falta de tempo para treino que permita adaptação adequada ao barco, optaram por selecionar tripulantes que já tenham intimidade com catamarãs. André Mirsky, que já fez campanha olímpica de Tornado, levará a bordo a experiência da preparação para a Regata Volta do Mundo 2005/06 e de algumas das principais provas na Europa como a Route du Rhum (França) e a Copa de la Reina (Espanha). Aos 10 anos de idade, André já acumulava três mil milhas velejadas. Participou da equipe brasileira no Extreme Sailing Series™ em 2012, na baía de Guanabara.

Claudia Swan e Clínio de Freitas. Foto Arquivo Pessoal/Divulgação

Claudia Swan e Clínio de Freitas. Foto Arquivo Pessoal/Divulgação

Convocado para a etapa de Florianópolis, Daniel Santiago também velejou de Extreme 40 com o Team Brazil no Rio em 2012. Tem no currículo o bicampeão nos Jogos Pan-Americanos e o tetra mundial na classe J-24. Bruno Di Bernardi é campeão sul-americano de Tornado e exímio conhecedor da raia, por ser natural de Florianópolis. A tripulante feminina será Cláudia Swan, esposa de Clínio, e representante brasileira da classe 470 na Olimpíada de Barcelona/92. Conquistou o bronze na mesma classe no Pan de Havana. Completa a equipe, André Chang, também catarinense, campeão brasileiro de Tornado e que, além da vela, também disputa provas ciclísticas.

O barco brasileiro já chegou a Florianópolis e será montado para que a equipe possa iniciar, na primeira semana de novembro, os treinos que definirão as posições dos velejadores no barco e quais serão os reservas do time.

Raça e cautela

- A intimidade que todos possuem com multicascos e o fato de já terem velejado juntos, vai nos ajudar muito. Mas é preciso dimensionar de forma exata a expectativa de rendimento. É um circuito que está sendo disputado há sete anos por profissionais da vela que vão chegar ao Brasil, afinadíssimos. Vamos correr para homenagear o País e para mostrarmos a garra e o talento do velejador brasileiro - considera Lars Grael.

O responsável pelo Team Brazil reforça a intensa relação que a arena náutica estabelece entre o público e as regatas.

- O formato do Extreme Sailing Series™ é voltado para os torcedores. Os barcos são muito velozes com manobrabilidade limitada, o que exige perícia do velejador e leva muita emoção ao público. Às vezes é até melhor para quem está assistindo do que para quem está no barco - opina Lars, referindo-se às capotagens espetaculares, que se tornam comuns quando a intensidade do vento aumenta.

Bruno di Bernardi é o catarinense da equipe. Arquivo Pessoal/Divulgação

Bruno di Bernardi é o catarinense da equipe. Arquivo Pessoal/Divulgação

A postura de Lars, cauteloso com a perspectiva de um bom resultado, é compartilhada por Clínio.

- O mais importante é a manobra. Com regatas curtas, é muita explosão e pouco tempo para raciocínio. O barco é muito dependente da força. Se o vento não estiver muito forte vai facilitar para gente. Mas tenho a certeza de que vamos fazer bonito em Florianópolis – prevê o timoneiro do Team Brazil.

Antes do Extreme Sailing Series™, Clínio de Freitas disputa o Campeonato Sul-Americano de Nacra entre os dias 7 e 10 de novembro em Porto Alegre, ao lado da esposa Cláudia Swan. Em campanha para os Jogos Olímpicos Rio/2016, a dupla vai aproveitar a competição da nova classe olímpica como um treino de luxo para as regatas de Florianópolis. O mesmo acontece com Bruno di Bernardi, que estará em Porto Alegre. O barco Nacra também tem casco duplo, porém, mede 17 pés, contra 40 (12 metros) do Extreme.

Foto Francisco Lino/Divulgação

Com informações de Danilo Caboclo e ZDL Comunicação

Vídeo da terceira etapa do Hang Loose Surf Attack na Praia da Baleia (SP)

31 de outubro de 2013 0

Confira tudo que rolou dentro d’água e nas areias da Praia da Baleia, na terceira etapa do Hang loose Surf Attack 2013.

Galeria de imagens do terceiro dia do HD World Junior Championship

31 de outubro de 2013 0
Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Vilma (D), bem tranquila, na área dos atletas. Foto Guto Kuerten

Vilma (D), bem tranquila, na área dos atletas. Foto Guto Kuerten

Bianca Buitendag acompanhada da mãe. Foto Guto Kuerten

Bianca Buitendag acompanhada da mãe. Foto Guto Kuerten

A surfista de Barbados recebe as dicas do técnico. Foto Guto Kuerten

A surfista recebe as dicas do técnico. Foto Guto Kuerten

Medina posando para foto com uma fã. Foto Guto Kuerten

Medina posando para foto com uma fã. Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Em Florianópolis, havaiano lenda do surfe comenta a onda de Carlos Burle e as críticas de Laird Hamilton

31 de outubro de 2013 0
Tony Moniz se preparando para filmar a bateria do filho. Foto Guto Kuerten

Tony Moniz se preparando para filmar a bateria do filho. Foto Guto Kuerten

A polêmica do big surf em Nazaré continua rendendo. Presente ao HD World Júnior Championship, onde acompanha os filho Joshua e Seth, o big rider havaiano Tony Moniz deu a sua opinião sobre as ondas de Carlos Burle e Maya Gabeira surfadas no último dia 28 de outubro e que provocaram críticas de outra lenda do surfe havaiano, Laird Hamilton.

Questionado se tinha assistido os vídeos, Muniz disse que tinha visto alguns e exclamou

-  Foi muito grande a onda, parecia que não terminava mais, mas não vi até o final. Qual o tamanho dela, você sabe? – perguntou.

Disse para ele que havia sido estimada em 100 pés ou 33 metros.

- Sério? Oh! É muito grande mesmo.

Quando falei sobre as críticas de Laird feitas em uma entrevista para a CNN, Muniz respondeu:

- Se ele (Burle) dropou e caiu antes da base (bottom) da onda, seria um wipe out (vaca), mas se ele continuou surfando depois da base, acho que é válido – afirmou.

Quando perguntei se a polêmica se tratava de uma mera disputa de egos, ele concordou:

- Com certeza. Mas quer saber, acho que Laird está com ciúmes! – disse o bem humorado Moniz, que só não se estendeu no assunto porque tinha que preparar o filho, Seth, que abriria a disputa do round 3 da competição masculina.

Moniz competiu por 30 anos e hoje, além de comandar uma escola de surfe, é convidado oficial do Eddie Aikau Invitational, o campeonato para big riders que homenageia outra lenda havaiana e é realizado anualmente nas ondas de Waimea quando uma grande ondulação atinge a costa havaiana.

Definidas as quartas de final do feminino no HD World Junior Championship

31 de outubro de 2013 0
Marina não conseguiu superar a havaiana Mahena.

Marina não conseguiu superar a havaiana Mahena.

As surfistas classificadas para as quartas de final do HD World Junior Championship apresentado por Devassa foram definidas no início desta quinta-feira. Não houve surpresas e as principais favoritas avançaram nas ondas de três a cinco pés na Praia da Joaquina. As brasileiras Marina Rezende e Carol Fernandes pararam nas oitavas de final.
Convidada pela Fecasurf, a catarinense ficou satisfeita com sua participação no evento:

- Estou feliz para caramba, só de estar aqui. Infeliz não achei a ondinha para soltar o surfe (na bateria contra a havaiana Mahena Maeda). Já na primeira bateria, escolhi um pico diferente, mais para direita, consegui achar duas ondinhas que salvaram – conta Marina.

Foto Guto Kuerten

Bianca Buitendag. Foto Guto Kuerten

HD World Junior Championship
Round 2
H1 – 2ª Melanie Giunta PER 8.63 3ª Minato Takahashi JAP 4.70 1ª Miluska Tello PER 9.33
H2 – 2ª Marina Rezende BRA 7.17 3ª Emma Smith AFS 6.03 1ª Leticia Canales Bilbao EUK 9.04

Round 3
H1- Tatiana Weston-Webb HAV 16.50 a 12.20 Dax McGill HAV
H2- Frankie Harrer EUA 11.27 a 9.67 Miluska Tello PER
H3- Chelsea Tuach BRB 10.43 a 8.84 Areika Noro JAP
H4- Bianca Buitendag AFS 11.50 x 6.77 Lucia Cosoleto ARG
H5- Mahina Maeda HAV 13.70 a 6.10 Marina Rezende BRA
H6- Ella Williams NZL 11.10 a 7.77 Leticia Canales Bilbao EUK
H7- Stephanie Single AUS 11.74 a 9.26 Carol Fernandes BRA
H8- Johanne Defay FRA 13.23 a 9.84 Melanie Giunta PER

Bianca em ação. Foto Guto Kuerten

Bianca em ação. Foto Guto Kuerten

Baterias formadas de quartas de final(2º=5º lugar):
H1- Tatiana Weston-Webb HAV x Frankie Harrer EUA
H2- Chelsea Tuach BRB x Bianca Buitendag AFS
H3- Mahina Maeda HAV x Ella Williams NZL
H4 -Stephane Single AUS x Johanne Defay FRA

Catarinense avança na repescagem feminina do HD World Junior Championship

31 de outubro de 2013 0
Foto Guto Kuerten

Meninas estão se esforçando para encontrar boas ondas. Foto Guto Kuerten

A catarinense Marina Rezende conseguiu passar pela repescagem e agora disputa uma vaga na quarta fase diante da havaiana Mahena Maeda, que venceu sua bateria na primeira fase. A carioca Carol Fernandes é a outra brasileira ainda na prova. Ela está escalada para enfrentar a australiana Stephanie Single na sétima bateria. Destaque até o momento é a havaiana filha de brasileiros Tatiana Weston-Webb, que marcou 16.50 pontos na primeira bateria do round 3 e foi a primeira classificada para as quartas de final da categoria feminina.

Round 2
H1 – 2ª Melanie Giunta PER 8.63 3ª Minato Takahashi JAP 4.70 1ª Miluska Tello PER 9.33
H2 – 2ª Marina Rezende BRA 7.17 3ª Emma Smith AFS 6.03 1ª Leticia Canales Bilbao EUK 9.04

Atleta na área reservada. Foto Guto Kuerten

Atleta na área reservada. Foto Guto Kuerten

Round 3
H1- Tatiana Weston-Webb HAV 16.50 a 12.20 Dax McGill HAV
H2- Frankie Harrer EUA 11.27 a 9.67 Miluska Tello PER
H3- Chelsea Tuach BRB 10.43 a 8.84 Areika Noro JAP

Baterias que ainda serão disputadas a partir das 11h
H4- Bianca Buitendag AFS x Lucia Cosoleto ARG
H5- Mahina Maeda HAV x Marina Rezende BRA
H6- Leticia Canales Bilbao EUK x Ella Williams NZL
H7- Stephanie Single AUS x Carol Fernandes BRA
H8- Johanne Defay FRA x Melanie Giunta PER

Público começa a chegar na Joaca. Foto Guto Kuerten

Público começa a chegar na Joaca. Foto Guto Kuerten

Suspiros imagéticos do Mundial Pro Júnior 2013 - Fotos Guto Kuerten

31 de outubro de 2013 0

Mais um dia de sol em Florianópolis, e o mar da Joaquina amanheceu com ondas de meio metro, um pouco cheias, e a organização do HD World Junior Championship decidiu colocar as meninas na água com a disputa das duas baterias da repescagem e o Round 3, ficando a competição masculina em stand by (a qualquer momento poderá haver uma decisão favorável ou não para continuação da competição). Fiquem com os “suspiros imagéticos” do fotógrafo Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

AO VIVO: tudo do terceiro dia de HD World Junior Championship, na Joaquina

31 de outubro de 2013 0