Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Jack Spot, Crioula, Lucky e Tangará são os vencedores do 44º Circuito Rio de Vela Oceano

04 de novembro de 2013 0
Jack Spot levou a melhor na ORC, a classe mais disputada. Foto Fred Hoffmann

Jack Spot levou a melhor na ORC, a classe mais disputada. Foto Fred Hoffmann

O último dia do 44º Circuito Rio foi bem diferente do início da competição. O invés de fazer percurso médio, para fora da baía de Guanabara, a Comissão optou por fazer duas regatas barla-sota na raia onde serão disputados o Jogos Olímpicos de 2016. No final do dia o título da classe ORC, a mais disputada, ficou com o Jack Spot, que tinha a bordo cinco velejadores da classe Star. Na S40 o campeão foi o Crioula. Na IRC deu Lucky e na RGS, Tangará, de Lars Grael.

Apesar da largada estar prevista para as 12h, o vento só apareceu quando já eram quase 13h. Na primeira regata do dia, as classes ORC, IRC e S40 fizeram um percurso de seis pernas, enquanto os barcos da RGS fizeram apenas quatro. Já na segunda, a ideia era fazer sete pernas para os barcos maiores, porém o vento diminuiu e a prova teve que ser encurtada, terminando com cinco pernas. Os menores fizeram quatro pernas novamente.

A classe mais concorrida foi a classe ORC, com 26 inscritos. No final, contrariando as expectativas, venceu uma tripulação amadora, formada às pressas antes do início da competição.

- Estou muito surpreso e, claro, contente. Procuramos manter um espírito alegre a bordo, mesmo com todo o stress que um evento deste nível nos causa – disse Pedro Avelino, que comandou um time de cinquentões.

Lucky venceu na IRC. Foto Fred Hoffmann

Lucky, de Ralph Rosa, venceu na IRC. Foto Fred Hoffmann

Velejando em família, Ralph de Vasconcellos Rosa, comemorou muito o seu sexto título da competição ao subir no lugar mais alto do pódio na classe IRC.

- Este evento foi um desafio, com regatas de vento forte nos dois primeiros dias. Tivemos regatas difíceis, mas a tripulação funcionou direitinho – contou Ralph, que teve o reforço dos filhos Ralphinho e Fernando.

Com duas vitórias em quatro regatas, os gaúchos do Crioula foram os campeões entre os S40. O timoneiro Geison Mendes creditou o título ao bom relacionamento da tripulação.

- Nós cometemos alguns erros na primeira regata deste domingo, mas assim que cruzamos a linha, conversamos sobre isso e corrigimos para a regata seguinte. Cada campeonato que corremos temos um aprendizado novo e tentamos vencer sempre que entramos na água.

O time está junto há quatro anos, disputando os principais eventos da América do Sul.

Crioula conquistou mais um título para coleção. Foto Fred Hoffmann

Crioula conquistou mais um título para coleção. Foto Fred Hoffmann

Invicto nas quatro regatas, o Tangará, ficou não só com o título do Circuito Rio como também do Brasileiro de RGS. Correndo com uma tripulação de amigos, o comandante Lars Grael terminou o dia bastante satisfeito.

- Nós viemos para valorizar o Circuito, independente de correr em uma classe de cruzeiro. O importante é que estávamos velejando entre amigos – explicou Lars, que irá comandar o time brasileiro na Extreme Sailing Series na próxima semana em Florianópolis.

Este ano o Circuito Rio chegou a sua 44ª edição começando a reviver seus tempos áureos. No total 50 barcos de São Paulo, Rio de Janeiro e Niterói estiveram presentes no evento.

- Estou muito satisfeito com o evento e em 2014 espero que mais barcos consigam vir nos prestigiar. O Iate Clube do Rio de Janeiro fez um excelente trabalho, com regatas muito bem organizadas e que agradaram todos os velejadores – disse o almirante Adalberto Casaes, diretor de vela do clube.

Tangará levou o título brasileiro de RGS. Foto Fred Hoffmann

Tangará levou o título brasileiro de RGS. Foto Fred Hoffmann

Apesar de não ter participado das regatas, o comodoro Luiz Carlos Barroso Simão ressalta o esforço do clube em realizar uma competição tão importante para o calendário da vela oceânica nacional.

- O Circuito Rio é o evento mais importante para o Iate Clube do Rio de Janeiro ao lado do campeonato de pesca. Sabemos que a vela oceânica não é um esporte barato, ainda assim o departamento de vela se esforçou muito para conseguir juntar tantos barcos na água.

Resultados finais:

Classe ORC:
1º Jack Spot, Pedro Avelino, 4 pontos perdidos
2º Magia V, Torben Grael, 7 pp
3º Ângela IV, Peter Siemsen, 8 pp

Classe IRC:
1º Lucky, Ralph Rosa, 8 pontos perdidos
2º Magia V, Torben Grael, 8 pp
3º Ângela IV, Peter Siemsen, 9 pp

Classe S40:
1º Crioula, Samuel Albrecht, 4 pontos perdidos
2º Magia V, Torben Grael, 4 pp
3º Carioca, Roberto Martins, 8 pp

Classe BRA-RGS:
1º Tangará, Lars Grael, 4 pontos perdidos
2º Troop, Luiz Lucena, 9 pp
3º Malolu, Paulo Carvalho, 13 pp

Os resultados completos podem ser conferidos em http://icrj.com.br/circuitorio/

Com informações de Mari Peccicacco – Peccicom Comunicação

Envie seu Comentário