Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Robert Scheidt diminui vantagem para o líder Tom Burton na classe laser em Hyères

24 de abril de 2014 0
Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

O segundo dia de ventos fracos na ensolarada raia de Hyères colocou à prova os nervos dos velejadores que brigam por uma vaga na medal race da última etapa da Copa do Mundo de Vela. Para a classe Laser, a disputa desta quinta-feira (24) terminou apenas às 20h, após um longo período de espera. Com a experiência de quem possui cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star, Robert Scheidt fez um oitavo e um segundo lugares, resultados suficientes para retomar a terceira colocação. O paulista ainda encurtou para cinco a diferença entre ele e o líder, o australiano Tom Burton.

Foi um dia complicado, pelo vento muito instável e o tempo de espera. As meninas da Laser largaram primeiro, e só depois nós iniciamos a disputa, às 17 horas (as regatas da laser estavam programadas para as 13 horas). Numa situação assim, é preciso manter a concentração para não cometer nenhum erro, e acredito que tive um desempenho consistente — analisou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

A quinta-feira começou com uma brisa fraca de 3 nós, engrossando para 12 nós ao meio-dia e voltando a diminuir ao longo da tarde. A previsão é a mesma para esta sexta (25), com outras duas regatas que definirão os dez velejadores que disputarão a medal race, valendo pontos dobrados, no sábado.

Um tempo instável como esse tanto pode nos prejudicar como nos favorecer. Eu tive períodos de altos e baixos, mas estou crescendo no campeonato, estou feliz com esse momento. Consegui me aproximar dos líderes, agora é manter esse resultado até a medal race. O Tom Burton e o Andy Maloney também são bons, estão velejando muito bem, com regularidade. Espero fazer outras boas regatas nesta sexta, que será decisiva — destacou o velejador.

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Muitos poucos pontos separam os quatro primeiros colocados na classe Laser – Tom Burton, com 31 pontos perdidos, Andy Maloney, com 32, Scheidt, com 36, e Rutger van Schaardenburg, com 39 – o que deve tornar a briga pelo pódio ainda mais acirrada. Compatriota de Scheidt, Bruno Fontes também segue na disputa, em 5º lugar, depois de vencer a primeira regata desta quinta-feira. Também na delegação brasileira, Matheus Dellagnelo é o 56º, e Alex Veeren , o 113º.

Classificação após nove regatas e um descarte
1º Tom Burton (AUS) – 31 pp ([6]+5+2+1+4+2+5+6+6)
2º Andy Maloney (NZL) – 32 pp ([8]+7+1+6+3+1+3+3+8)
3º Robert Scheidt (BRA) – 36 pp (1+9+7+4+1+[22]+4+8+2)
4º Rutger van Schaardenburg (NED) – 39 pp (2+5+[6]+2+4+6+10+4+[37])
Bruno Fontes (BRA) – 58 pp (3+6+10+8+5+7+[38]+1+18)
6º Nick Thompson (GBR) – 60 pp (9+8+10+9+2+[63]+17+2+3)
7º Tonci Stipanovic (CRO) – 62 pp (3+4+4+2+1+[26]+23+12+13)
8º Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 72 pp (1+1+9+16+[63]+5+8+7+26)
9º Philipp Buhl (ALE) – 75 pp (12+10+2+12+7+[48]+18+10+4)
10º Mathew Wearn (AUS) – 79 pp (11+2+1+9+2+8+[50]+14+32)
56º Matheus Dellagnelo (BRA) – 270 pp (25+32+21+35+21+37+[56]+51+50)
113º Alex Veeren (BRA) – 330 pp (53+56+45+55+53+[62]+46+45+24)

Envie seu Comentário