Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Alinghi e The Wave,Muscat dominam segundo dia da Extreme Sailing Series na China

02 de maio de 2014 0
Foto Lloyd Images

Foto Lloyd Images

O segundo dia da Extreme Sailing Series em Qingdao foi descrito pelos skippers como “radical” e “imprevisível, diante da força das rajadas de até 32 anos na raia cercada por arranha céus. Os suíços do Alinghi e os campeões do The Wave, Muscat, aproveitaram a maior experiência e ocupam o primeiro e segundo lugar, respectivamente após o final do dia. A equipe Emirates New Zealand também obteve bons resultados (uma vitória e um segundo lugar) e pulou para a terceira posição na classificação.

Antes do início, a comissão de regatas dividiu a flotilha, primeiro em grupos de oito e depois em grupos de quatro, para minimizar a chance de colisões na raia apertada. Os barcos atingiram velocidades de 25 nós e tiveram que se adaptar a mudança das condições de vento de 10 nós para 32 nós.

O skipper do The Wave,Muscat, Leigh McMillan comentou o dia:

- Nós gostamos quando o vento sopra forte, hoje foi muito radical. Estamos felizes em ter velejado nestas condições hoje sem grandes colisões, o que é ótimo. Estava muito apertado lá dentro.

As equipes tiveram que mudar completamente a estratégia usada no dia anterior, marcado por ventos fracos e em águas abertas. O skipper do Alinghi, Morgan Larson, explicou:

- Às vezes, o barco que sai de linha por último podia vencer as regatas. Isso serve para mostrar que, hoje, não havia oportunidade para isso. Ontem você precisava ter um bom começo e o posicionamento necessário para permanecer na frente. As rajadas realmente criaram chances hoje. Na maioria das vezes você tem que ser agressivo. Se você recuar e ser conservador, o problema parece acontecer. Então o equilíbrio de hoje foi realmente fundamental e eu acho que fizemos um bom trabalho, os resultados provam.

Foto Lloyd Images

Foto Lloyd Images

Nas mãos de campeão mundial de 49er Pete Burling, o Emirates Team New Zealand teve sua primeira vitória da etapa. Burling e trimmer de vela de proa Blair Tuke são uma das principais duplas do momento, tendo vencido as etapas de Hyeres e Palma de Mallorca da Copa do Mundo ISAF, e mostraram sua versatilidade ao lado de seus companheiros de equipe Kiwi.

Outra equipe que gostou das condições foi a francesa Groupama que, depois de lutar para chegar perto da metade superior da frota durante a abertura ontem, obteve uma vitória na última regata e subiu de sétimo para seis lugar, agora três pontos atrás da convidada Extreme Team Qingdao. O skipper do Groupama,Franck Cammas falou sobre as táticas da equipe:

- Hoje foi difícil. Após as regatas de ontem discutimos, falamos o tempo todo e, mesmo depois de cada regata tentamos falar e analisar o nosso desempenho. Às vezes é difícil entrar nas regatas com um grande plano de como você tem que reagir às oportunidades que aparecem. É difícil, mas nosso objetivo principal é ser consistente.

Após uma noite de reparos após a colisão de ontem com GAC Pindar, Oman Air voltou para a água e um protesto garantiu a equipe pontos médios para as oito corridas que eles perderam ontem após o termino das regatas neste sábado, quando os ventos deverão diminuir de intensidade e terão a participação das 12 equipes.

Primeiro dia em Qingdao

Extreme Sailing Series Act 3 ™ Qingdao – Dia 2, após 14 corridas
Posição/Equipe/Pontos
1º Alinghi (SUI) 90 pontos
2º The Wave, Muscat (OMA) 76 pontos
3º Emirates Team New Zealand (NZL) 73 pontos
4º Realteam por Realstone (SUI) 69 pontos
5º Extreme Team Qingdao (CHI) 64 pontos
6º Red Bull Sailing Team (AUT) 63 pontos
7º Groupama Sailing Team (FRA) 61 pontos
8º SAP Extreme Sailing Team (DIN) 55 pontos
9º Gazprom Team Russia (RUS) 55 pontos
10ºJP Morgan BAR (GBR) 50 pontos
11ºGAC Pindar (AUS) 34 pontos
12°Oman Air (OMA) 16 pontos *
* Serão atribuídos pontos médios para as regatas perdidas após o final das regatas de sábado

Envie seu Comentário