Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Tecnologia"

Tropical Brasil reúne praticantes de Stand Up Paddle através de aplicativo de relacionamento

04 de julho de 2014 0

Como você reagiria se uma marca dialogasse com você? Ou melhor, qual seria sua reação diante de um convite para um encontro real com seu objeto de desejo? Foi assim que a Tropical Brasil quebrou os limites do real e do virtual e partiu para a conquista através do Tinder, o mais popular aplicativo de relacionamento da atualidade. Assista ao vídeo filmado em Florianópolis, curta e compartilhe essa ideia.

Ficha Técnica:
Anunciante: Tropical Brasil
Agência: Marcca Comunicação
Diretor de Criação: João Cláudio Lins
Criação: Diego Rodovalho, Hívan Toncic, Lucas Schwantes, André Lopes, Gabriela Nogueira
Mídia: Yoko Takahashi
Produtora de áudio: Maria Viola
Atendimento: Daiany Rocco e Glauce Lotti

Zapata Racing transforma o Hoverboard em realidade

28 de junho de 2014 0

Depois daquele vídeo fake estrelado por Tony Hawk e inspirado no filme “De Volta Para o Futuro”, chegou a vez do Hoverboard se tornar realidade sobre as águas. A Zapata Racing produziu um modelo piloto e acaba de lançar o novo brinquedinho que flutua sobre a água nos mesmos moldes do flyboard.

Clique no link e saiba mais sobre o equipamento.

Flexxxa Pro Mormaii recebe prêmio por design e inovação

27 de junho de 2014 0
Foto Carlos Carpinelli

Foto Carlos Carpinelli

O Flexxxa Pro conquistou, além da preferência dos atletas da equipe Mormaii, um importante prêmio concedido aos melhores da indústria de Santa Catarina. O troféu D. Catarina foi entregue a Mormaii pelo excelente trabalho de design e inovação do Flexxxa Pro, a roupa 100% de neoprene, sem zíper, velcro, ou cordão.

- É com muito orgulho e alegria que compartilhamos a conquista do 1º Prêmio D. Catarina, iniciativa que premia os produtos que mais se destacam pelo design na indústria catarinense. O Flexxxa Pro foi o grande ganhador da noite no quesito esportes – salienta Luciana Bogotto, diretora comercial dos neoprenes Mormaii.

A iniciativa premia os produtos que mais se destacam pela utilização de novas tecnologias, em diversos setores da indústria catarinense, com um júri de peso composto por alguns dos mais renomados profissionais do país.

Dos 73 produtos inscritos, 24 foram anunciados como finalistas. O Flexxxa Pro foi o grande vencedor na categoria esportes.

- Este prêmio significa um passo a mais no sentindo de incentivar a competitividade da indústria com a força do design, na conquista de mercado e de maior valor de marca – salientou a presidente do Centro Design Catarina, Roselie Lemos.

O 1º Prêmio D. Catarina é uma promoção do Centro Design Catarina, da Associação Catarinense de Design e da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, com apoio da Univali.

Para saber mais sobre o Flexxxa Pro Mormaii, acesse:
http://www.mormaii.com.br/flexxxapro/

Espanhóis fabricam pranchas com rolhas de cortiça

27 de junho de 2014 0
Foto Divulgação

Foto Divulgação

Depois do epóxi, da garrafa pet, chegou a vez das rolhas. É, isso mesmo, agora já tem gente fabricando pranchas com rolhas de cortiça reaproveitadas. Dois jovens espanhóis criaram a empresa solidária Richpeoplethings, que produz as pranchas e parte da produção é doada a projetos que incentivam o esporte.

A ideia é garantir um processo de fabricação sustentável. As rolhas são coletadas e doadas por voluntários. Após chegarem à oficina, os designers as separam por tamanho. Depois disso, são dispostas em formas e fixadas com resina de pinheiro e cera de abelha, de menor impacto que as resinas industriais.

A cortiça garante leveza, elasticidade, impermeabilidade, aderência, entre outras características que oferecem ao surfista fluidez e segurança durante o uso. A empresa estima que 2.500 toneladas de rolhas de cortiça sejam descartadas no lixo anualmente.

A Richpeoplethings fabrica as pranchas sob-medida e em diferentes modelos. A empresa, localizada em Múrcia, na Espanha, aceita encomendas através do site e garante a entrega do produto personalizado em até dois meses.

Reef apresenta o Eyememo 3.0, óculos com pen drive embutido

22 de junho de 2014 0
Foto Divulgação/Reef

Foto Divulgação/Reef

A Reef, reconhecida por seus produtos de qualidade e conforto no universo do surfe, apresenta o EYEMEMO 3.0, óculos com um pendrive de 4 GB embutido na haste, unindo uma funcionalidade extra ao acessório. Desta forma, é possível carregar o pendrive de maneira discreta, fácil e prática.

O pendrive é um item obrigatório, seja em uma viagem de surfe ou no dia-dia da cidade. Suas fotos, arquivos e músicas estarão sempre com você. Além do gadget, O EYEMEMO 3.0 usa lentes com tratamento anti-reflexo e sua armação é produzida com poliéster “Green Frames” que conta com um índice de 60% de biodegrabilidade graças a uma fórmula exclusiva à base de óleo de mamona, contribuindo com o meio ambiente.

Os óculos Reef seguem os padrões de qualidade Norte Americano ANSI Z80.3/2009 e Europeu EN-ISO 12870/2009.

Foto Divulgação/Reef

Foto Divulgação/Reef

Foto Divulgação/Reef

Foto Divulgação/Reef

223380_404345_reef__eyememo_3.0___187_006___preCo_sugerido_r__529_90

Foto Divulgação/Reef

Para saber mais, acesse: www.reef.com.br

Com informações da MktMix Assessoria de Comunicação

Jovem holandês apresenta projeto viável para limpeza dos oceanos

18 de junho de 2014 0
Prodígio: Boyan Slat começou a estudar o projeto aos 16 anos. Foto Reprodução Blog The Ocean Cleanup

Prodígio: Boyan Slat começou a estudar o projeto aos 16 anos. Foto Reprodução Blog The Ocean Cleanup

A poluição dos oceanos é uma realidade, ainda mais quando se fala de plástico. Você já deve ter ouvido falar na grande ilha de plástico existente no meio do Oceano Pacífico, não? Pois um garoto holandês de 19 anos estudou, pesquisou e apresentou uma solução viável para algo que sempre foi considerado impossível devido ao alto custo. Conheça agora o projeto da The Ocean Cleanup, a empresa fundada pelo holandês Boyan Slat, 19 anos.

Quando tinha 16 anos, Boyan foi mergulhar na Grécia e voltou decepcionado ao ver mais sacos de plástico do que peixes no oceano. Ele logo questionou:

Por que não podemos limpar isso?

Enquanto ainda estava no Ensino Médio, ele então decidiu dedicar metade de um ano de pesquisa para entender a poluição provocado pelo plástico e os problemas associados à limpeza. Isto levou ao conceito de limpeza passiva, que ele apresentou em TEDxDelft 2012 (confira o vídeo).

O conceito é básico: em vez de desperdiçar energia, indo até os plásticos, você pode simplesmente esperar que o plástico chegue até você através da correntes marítimas. Uma matriz de barreiras flutuantes seria instalada primeiro para capturar e concentrar o plástico, permitindo que uma plataforma extraia posteriormente, de forma eficiente, todo o material. A corrente oceânica iria passar por baixo das barreiras, levando toda a vida marinha de flutuação neutra com ele, impedindo as capturas acessórias.

Trabalhando para provar a viabilidade do conceito, Boyan Slat passou a liderar uma equipe de aproximadamente 100 pessoas e parou temporariamente a faculdade de Engenharia Aeroespacial para se concentrar no projeto. Em 2012, o projeto foi premiado como Melhor Desenho Técnico, da Universidade de Tecnologia de Delft, e ficou em segundo lugar no ISEA prêmio de inovação sustentável pelo Ministério da Infra-estrutura e Meio Ambiente holandês.

Em 2013, Boyan fundou a The Ocean Cleanup para tocar adiante a ideia. Já no último dia dia 3 de junho de 2014, a The Ocean Clean Up apresentou os resultados da pesquisa. O estudo de viabilidade tem 530 páginas e confirma que o método é viável para remover quase a metade do plástico a partir da “Great Pacific Garbage Patch”, a ilha de plástico existente no meio do Oceano Pacífico. Atualmente, Boyan é reconhecido como um dos 20 mais promissores Jovens Empresários Worldwide.

Foto Reprodução Blog The Ocean Clenaup

Foto Reprodução Blog The Ocean Clenaup

Fase II: A Fase Piloto
Para reduzir as incertezas, para otimizar o projeto e se preparar para a implementação real, a The Ocean Cleanup começa a segunda fase do projeto: a fase piloto. A ideia é promover uma série de testes em grande escala nos próximos três a quatro anos. A série de testes irá gerar novos dados em uma variedade de tópicos estruturais e físicas. Além disso, estes testes também servirão como uma plataforma para a engenharia e os grupos de pesquisa oceanográfica, o que lhes permite implementar imediatamente a tecnologia recém-desenvolvida ou equipamento de teste em um ambiente de vida real.

A Estratégia
Para manter os custos baixos, a The Ocean Clean Up atua como um centro de controle da missão na Fase II, a gestão da pesquisa, financiamento e comunicação. Como Boyan Slat coloca:
- Não seria muito efeciente em relação a custos tentar construir nossa própria empresa de engenharia e instituto oceanográficos. Em vez disso, buscamos parcerias, permitindo-nos concentrar em um quadro maior .

Crowdfunding
O objetivo é arrecadar US 2 milhões em 100 dias. Vai permitir a execução de mais testes-piloto, estudar a durabilidade do sistema, o desenvolvimento e implantação de equipamentos de amostragem, otimizar a pesquisa de distribuição vertical e desenvolver a equipe de trabalho. O dinheiro permite que a The Ocean Clean Up possa passar da fase de viabilidade para a fase de implementação. Para isso é necessário que 322.062 pessoas possam apoiar o projeto com menos US$ 6,21.

Se você tem alguma pergunta, entre em contato com crowdfunding@theoceancleanup.com.