Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Adriano de Souza"

Com passagem marcada, Adriano de Souza garante presença em J-Bay

01 de julho de 2014 0
Mineirinho está quase 100% após acidente sofrido durante treino na Indonésia. Foto Divulgação/HD

Mineirinho está quase 100% após acidente sofrido durante treino na Indonésia. Foto Divulgação/HD

Os dois últimos meses foram muito agitados para o paulista Adriano de Souza (HD, Red Bull, Oakley, FCS, Estácio, Mitsubishi, Welcome Surf Trips e CI Surfboards). No início de maio, durante treinos para o Billabong Rio, o surfista sofreu uma contusão na virilha que prejudicou sua preparação.

Já após a etapa de Fiji, Mineirinho sofreu um acidente durante treinos na Indonésia com outro surfista que resultou em um nariz fraturado, pontos no rosto, uma torção no tornozelo direito e uma cirurgia reparatória. Agora, o paulista embarca para África do Sul, onde irá disputar a sexta etapa do Samsung Galaxi World Championship Tour 2014, o J-Bay Open, que marca o retorno das direitas famosas de Jeffrey-s Bay como palco para os melhores surfistas do mundo.

Confira abaixo um bate-papo com o atleta paulista sobre sua recuperação e as aspirações para a sexta etapa do Mundial:

Como foi ter de passar alguns dias em repouso após a cirurgia?

Adriano de SouzaNossa, foi duro! Ficar deitado, sem poder mexer, sem poder surfar, me exercitar, foi extremamente entediante. Os jogos da Copa do Mundo me ajudaram um pouco a passar o tempo, já que sou louco por futebol, mas foi um período chato demais.

Qual a previsão de voltar aos treinos?

Adriano de Souza - Tentei entrar no mar neste fim de semana, mas as condições não foram boas e fiquei receoso, pois ainda sinto dores no pé direito. Assim que chegar em J-Bay eu farei esse teste.

Quando pretende viajar para a África?

Adriano de SouzaMinha passagem está marcada para esta semana para J-Bay. Acabei optando por não disputar um outro torneio local, o Mr Price Pro, em Ballito, para chegar bem cedo e treinar em J-Bay visando o campeonato, que deve começar no dia 10.

Você acredita que conseguirá chegar 100% a J-Bay?

Adriano de Souza - Sim, estou me preparando para isso e espero muito ir bem lá. Já fui campeão e é com esse espírito que vou para a África.

Este acidente durante o treino obviamente atrapalhou sua preparação. Assim como na etapa do Brasil, você terá mais uma superação pela frente. Como você encara esta situação?

Adriano de SouzaAcontece, eu tive a sorte de competir no Brasil e se Deus quiser vou conseguir competir na África. Mesmo não estando 100% pronto, vou mostrar as minhas forças.

Alguns especialistas comentaram que você poderia estar treinando demais e que isso pode estar te prejudicando. Você concorda com esta afirmação?

Adriano de SouzaBom é uma questão pra eles responderem. Eu quero muito fazer um ano especial e é por isso estou me dedicando bastante. No momento estou fora da água e vou focar em outras coisas, como os treinamentos físicos.

Como você vê o retorno de J-Bay ao calendário?

Adriano de SouzaÉ sempre bom voltar pra J-Bay! Para mim, é uns dos lugares mais especiais que já fui e estou indo com toda energia positiva. Vou sim em busca de um bom resultado lá.

Estamos em um momento de definição do campeonato. Como você vê as próximas etapas para suas aspirações?

Adriano de Souza - Sendo direto, são boas. Não vejo a hora de colocar a lycra de competição em J-Bay e cair na água. Que chegue logo o campeonato e que consiga, junto com os outros brasileiros, um ótimo resultado e, se possível, igualar o título de 2012.

Com informações de Monica Rentroia – Grupo Eixo – HD

Brasileiros conhecem seus adversários no Mr Price Pro Ballito, evento Prime na África do Sul

29 de junho de 2014 0
Filipe Toledo está na primeira bateria do evento. Foto ASP/Cestari

Filipe Toledo está na primeira bateria do evento. Foto ASP/Cestari

A janela do Mr Price Pro Ballito será aberta nesta segunda-feira, na África do Sul, colocando em jogo importantes pontos para a qualificação para elite do surfe mundial. Evento com status Prime, que oferece 6.500 pontos ao campeão, o Mr Price Pro contará com a presença de diversos tops da elite, mas com o desfalque do brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho.

Líder do ranking WQS, Mineirinho teve que abrir mão do evento após sofrer uma lesão enquanto surfava na Indonésia, mas deverá estar recuperado a tempo de disputar o J-Bay Open, sexta etapa do Samsung World Championship Tour 2014. Se o evento começar nesta segunda-feira, o paulista Filipe Toledo, um dos tops presentes, faz a estreia ao lado de Caio Ibelli logo na primeira bateria do round dos 96. Confira a chave de bateria abaixo:

Mr Price Pro Ballito – ASP Prime
Round dos 96:
H1- Filipe Toledo BRA Caio Ibelli BRA Ricardo Christie NZL Michal February AFS
H2- Tomas Hermes BRA Charly Martin GLP Nic Von Rupp POR Messias Félix BRA
H3- Aritz Aramburu ESP Carlos Munoz CRI Dale Staples AFS Santiago Muniz ARG
H4- Bernardo Lopes BRA Peterson Crisanto BRA Alex Ribeiro BRA Steven Pierson TAH
H5- Freddy Patacchia HAV Tanner Gudauskas EUA Heitor Alves BRA Thiago Camarão BRA
H6- Travis Logie AFS Wade Carmichael AUS Dillon Perillo EUA Vincent Duvignac FRA
H7- Wiggolly Dantas BRA Kenau Asing HAV Evan Geiselman EUA Davey Cathels AUS
H8- Sebastian Zietz HAV Maxime Huscento FRA Frederico Morais POR David Van Zyl AFS
H9- Kolohe Andino EUA Billy Stairmand NZL Tim Reyes EUA Cory Arrambide EUA
H10- Alejo Muniz BRA Beyrick de Vries AFS Perth Standlick AUS Thomas Woods AUS
H11- Matt Banting AUS Willian Cardoso BRA Garrett Parkes AUS Torrey Meister HAV
H12- Jordy Smith AFS Krystian Kymerson BRA Mason Ho HAV
H13- Kai Otton AUS Stuart Kennedy AUS Jesse Mendes BRA
H14- Patrick Gudauskas EUA Granger Larsen HAV Tom Whitaker AUS Jean da Silva BRA
H15- Jadson André BRA Dusty Payne HAV Chris Ward EUA Marlon Lipke POR
H16- Adam Melling AUS Jay Thompson AUS Joan Duru FRA Gabriel Villaran PER
H17- Jeremy Flores FRA Nathan Hedge AUS Brian Toth PRI Hiroto Ohhara JAP
H18- Dion Atkinson AUS Marc Lacomare FRA Cooper Chapman AUS Michael Dunphy EUA
H19- Brett Simpson EUA Damien Hobgood EUA Marco Fernandez BRA Gavin Gillette HAV
H20- Adrian Buchan AUS Glen Hall IRL Ramzi Boukhiam MAR Dylan Lightfoot AFS
H21- Matt Willkinson AUS Kiron Jabour HAV Hodei Colazzo ESP Jack Freestone AUS
H22- Mitch Crews AUS Yadin Nicol AUS Gonzalo Zubizarreta ESP Vicente Romero ESP
H23- Mitch Coleborn AUS Conner Coffin EUA Ryan Callinan AUS Hizunome Bettero BRA
H24- C.J. Hobgood EUA Jonathan Gonzalez CNY David do Carmo BRA Slade Prestwich AFS

Esquadrão brasileiro confirmado no Mr. Price Pro Ballito, evento Prime na África do Sul

26 de junho de 2014 0

Nesta segunda, dia 30, tem início o Mr Price Pro, em Ballito, na África do Sul, evento com status Prime do ASP Qualifying Series, que oferece 6.500 pontos ao campeão. A competição de maior pontuação do circuito qualificatório conta com 96 surfistas (17 tops da elite) de 18 países e distribui US$ 250 mil.

Entre os tops brasileiros, presenças de Adriano de Souza, líder do ranking WQS; Miguel Pupo, Jadson André, Filipe Toledo e Alejo Muniz. Willian Cardoso, Heitor Alves, Tomas Hermes, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas, Peterson Crisanto, Krystian Kymerson, Jessé Mendes, Hizunome Bettero, David do Carmo, Marco Fernandez, Alex Ribeiro, Jean da Silva e Thiago Camarão formam o pelotão verde amarelo confirmado.

Realizado desde o ano de 2000 em substituição ao lendário Guston 500, o evento já teve quatro brasileiros campeões: Peterson Rosa (2001), Beto Fernandes (2002), Neco Padaratz (2003) e Jihad Khodr (2007). Mas nenhum deles venceu em Ballito, onde a competição passou a ser disputado após 2009. Neco, Beto e Peterson venceram em North Beach, em Durban, e Johad, em New Pier, também em Durban. No ano passado, o australiano Julian Wilson foi o campeão. O top não estará presente para defender o título.

Entre os tops gringos estão Jordy Smith (campeão em 2010), Kai Otton, CJ Hobgood, Sebastien Zietz, Adrian Buchan, Jeremy flores, Matt Wilkinson, Brett Simpson e Adam Melling. A janela do evento abre no dia 30 de junho e tem prazo até o dia 6 de julho para ser encerrado. Mais informações no site oficial do Mr Price Pro Ballito.

Adriano de Souza quebra o nariz em Keramas, mas confirma presença em Jeffrey's Bay

17 de junho de 2014 0
Adriano postou foto nas redes sociais. Foto Reprodução Facebook

Adriano postou foto nas redes sociais. Foto Reprodução Facebook

Depois de Maya Gabeira em Teahupoo, agora é a vez do brasileiro Adriano de Souza sofrer uma fratura no nariz durante um treino em Keramas, na Indonésia. O surfista teve que voltar ao Brasil para realizar exames e nesta terça-feira confirmou a lesão pelas redes sociais e revelou que terá que realizar duas cirurgias.

- Como a porrada foi forte, vou dividir a operação em duas fases. A primeira delas acontece nesta quarta, para colocar o osso no lugar e poder competir em J-Bay. Segundo os médicos, em 20 dias estarei 100%. A segunda será quando acabar a temporada, depois da etapa em Pipeline, para fazer uma reposição do septo no nariz e uma possível plástica – revela o atleta.

A lesão de Adriano aconteceu quando o surfista estava dentro de um tubo e foi atingido pela prancha de outro surfista que tentava furar a onda após remar para a parede em vez de ir em direção à espuma (erro básico!). Além da fratura no nariz, o paulista levou seis pontos no rosto e torceu o tornozelo.

A sexta parada do Samsung Galaxi World Championship Touor 2014 está marcada para acontecer entre os dias 10 e 21 de julho, nas direitas de Jeffrey’s Bay, África do Sul, que volta a ser palco da elite do surfe mundial. Mineirinho é o atual sexto colocado no ranking mundial e acredita que conseguirá disputar o evento:

- Poderia ter sido bem pior, mas Deus estava me iluminando. Analisando tudo o que aconteceu, podem acreditar que esse acidente poderia ter me deixado fora da água por muitos anos se tivesse batido em outra região da minha cabeça - relatou o atleta patrocinado pela HD, Red Bull, Oakley e Mitsubishi.

Melhoras Mineiro e pronta recuperação!

Gabriel Medina busca vaga na final do Fiji Pro

05 de junho de 2014 0
Medina encaixado nos tubos de Cloudbreak. Foto ASP/Robertson

Medina encaixado nos tubos de Cloudbreak. Foto ASP/Robertson

Em mais um dia longo com 18 baterias disputadas em boas ondas de 4-6 pés em Cloudbreak já foram definidos os semifinalistas do Fiji Pro na quinta-feira na ilha de Tavarua, em Fiji. O fenômeno Gabriel Medina é o único que não perdeu nenhuma bateria e vai defender a invencibilidade contra o norte-americano Kolohe Andino, que impediu uma semifinal brasileira ao barrar Adriano de Souza num dos duelos mais adrenalizantes em Fiji esse ano.

A outra vaga na grande final será disputada por outro norte-americano, Nat Young, e o taitiano Michel Bourez, que já assumiu a ponta do ranking no confronto direto com Kelly Slater pelas quartas de final que fechou a quinta-feira na ilha de Tavarua.

Mas Medina agora tem a chance de retomar a liderança da corrida pelo título mundial que poderá até ser decidida em uma final contra o taitiano. Bourez é o único que já tem duas vitórias computadas no ranking, na segunda etapa do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour em Margaret River na Austrália e no Billabong Rio Pro nas ondas do Postinho da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Na etapa brasileira do WCT, ele decidiu o título contra Kolohe Andino, adversário de Gabriel Medina na segunda semifinal em Fiji.

Michel Bourez assumiu a liderança. Foto ASP/Robertson

Michel Bourez assumiu a liderança. Foto ASP/Robertson

Na quinta-feira, o fenômeno de Maresias começou o dia ganhando um duelo difícil contra Fredrick Patacchia, superado por uma pequena diferença no placar encerrado em 15,63 a 15,10 pontos. Depois, garantiu passagem direta para as quartas de final ao derrotar o australiano Joel Parkinson e outro havaiano, John John Florence, por 15,10 pontos. Aí assistiu a repescagem e viu o paulista Filipe Toledo ser eliminado por Michel Bourez, John John ganhar do australiano Taj Burrow, e Adriano de Souza despachar Joel Parkinson numa bateria que já virou um verdadeiro clássico do Samsung Galaxy ASP World Tour.

Os últimos astros do esporte caíram nas quartas de final, que foram iniciadas logo em seguida para fechar a longa quinta-feira em Tavarua. Na primeira bateria, Nat Young pegou as melhores ondas que entraram para superar o tricampeão mundial Mick Fanning por uma larga vantagem de 14,27 a 7,50 pontos. A segunda valia a liderança do ranking para o vencedor e Kelly Slater não conseguiu achar boas ondas para mostrar o seu surfe espetacular, sendo batido pelo taitiano Michel Bourez por 13,33 a 8,90 pontos.

Aí vieram as baterias dos brasileiros e Gabriel Medina atropelou mais uma vez John John Florence, que vem sofrendo várias derrotas para o brasileiro neste ano. A vitória foi por massacrantes 14,20 a 6,34 pontos. Esta foi a segunda da quinta-feira sobre o havaiano, que praticamente não surfou, pois o duelo foi disputado numa hora ruim do mar.

Adriano surfou muito bem. Foto ASP/Robertson

Adriano surfou muito bem. Foto ASP/Robertson

- Eu estava me sentindo bem confiante, mas o John John (Florence) é sempre um adversário difícil de bater – disse Gabriel Medina.

- Nós já tivemos algumas boas batalhas e ele é um dos meus surfistas favoritos, então foi muito bom conseguir vencê-lo mais uma vez. Agora eu tenho a chance de liderar o ranking de novo, mas continuo só focado no meu surfe para tentar dar o meu melhor nas baterias. É sempre bom estar lá em cima, no topo do ranking, então vou tentar fazer mais uma final aqui para quem sabe recuperar o primeiro lugar na classificação.

MELHOR DO DIA

Medina já foi finalista nas Ilhas Fiji em 2012, quando perdeu a decisão do título para Kelly Slater, que venceu as três últimas edições desta etapa. Neste ano, tudo indicava que a segunda semifinal seria verde-amarela. Isto porque Adriano de Souza vinha fazendo grandes apresentações nas esquerdas perfeitas de Cloudbreak. Na primeira bateria que disputou na quinta-feira, Mineirinho chegou bem perto do recorde de 18,70 pontos conseguido pelo taitiano Michel Bourez na quarta-feira.

Adriano totalizou 18,63 com as notas 9,33 e 9,30 das suas melhores ondas contra o australiano Adrian Buchan pela terceira fase e ainda jogou fora um 9,13 e um 8,63. Ou seja, com estes 17,76 pontos que descartou, Mineirinho poderia ter vencido quase todas as outras baterias realizadas na quinta-feira, menos uma, justamente a que ele foi eliminado pelo norte-americano Kolohe Andino no último duelo do dia.

Para chegar lá, Mineirinho teve que passar pela repescagem, pois na primeira chance de classificação para as quartas de final foi superado pelo próprio Andino por 13 décimos de diferença: 14,27 a 14,13 pontos. Depois despachou Joel Parkinson por 12,67 a 10,10 antes de fazer a bateria mais emocionante do Fiji Pro esse ano. O brasileiro começou bem com nota 8,5 e manteve a paciência para aguardar pelas melhores ondas, mas Kolohe Andino também foi brilhante ao conseguir notas 7,83 e 8,50, que depois trocou por 9,13 e 9,23 também em duas ondas seguidas. Com elas atingiu 18,36 pontos e Mineirinho só conseguiu somar a nota 8,57 da sua última onda, sendo eliminado com 17,07 pontos.

Kolohe vem embalado pelo vice-campeonato no Rio. Foto ASP/Kirstin

Kolohe vem embalado pelo vice-campeonato no Rio. Foto ASP/Kirstin

- Hoje (quinta-feira) foi com certeza o dia que eu surfei melhor desde que entrei no WCT -, disse Kolohe Andino.

- Eu consegui manter a calma na bateria e estou muito feliz por chegar nas semifinais pelo segundo evento consecutivo. Lá no Brasil eu ainda fui até a final e vamos ver aqui se consigo repetir isso. Estou apenas me concentrando em passar bateria por bateria e está dando certo, então vamos ver o que vai acontecer. Estou muito feliz também que o Nat (Young) está nas semifinais, pois ele é o meu melhor amigo no Tour.

BATALHA PELA LIDERANÇA

Na chave de cima do Fiji Pro, o grande destaque foi a batalha pela liderança do ranking entre Kelly Slater e Michel Bourez. O taitiano está em grande fase e acabou com o reinado do maior ídolo do esporte que tentava o tetracampeonato consecutivo nas ondas de Cloudbreak e Restaurantes na ilha de Tavarua.

Bourez não tinha começado bem a quinta-feira, sendo mandado para a repescagem pelo norte-americano Nat Young. Mas, aproveitou a segunda chance de classificação para as quartas de final derrotando o brasileiro Filipe Toledo por 13,44 a 8,20 pontos na repescagem. E o placar da sua vitória sobre Slater nas quartas de final foi parecido, 13,33 a 8,90.

- Antes de vir para Fiji, eu só pensava que chegar nas quartas de final já seria um bom resultado – confessou Michel Bourez.

- Quando vi que minha bateria seria contra o Kelly (Slater), eu achava que ele ia vencer porque sempre surfa muito bem aqui. Entrei na bateria para aproveitar a chance de surfar contra o melhor surfista de todos os tempos, então fiquei muito feliz por ter conseguido ganhar dele. É bom fazer a semifinal, mas melhor ainda é fazer a final. Ganhar o título é o objetivo de todos e eu só tenho mais duas baterias para isso.

Nat Young e o outro goofy da semifinal. Foto ASP/Robertson.

Nat Young e o outro goofy da semifinal. Foto ASP/Robertson.

Agora só faltam as semifinais e a grande final para fechar o quinto desafio do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014, que ainda tem prazo até o dia 13 para ser encerrado nas Ilhas Fiji. A primeira chamada para as semifinais foi marcada para as 7h30 da sexta-feira na ilha de Tavarua, 16h30 da quinta-feira pelo fuso horário de Brasília, com transmissão ao vivo pelo www.aspworldtour.com

SEMIFINAIS DO FIJI PRO – Derrota=3º lugar com 5.200 pontos e US$ 15.000 de prêmio:
1ª: Michel Bourez (TAH) x Nat Young (EUA)
2ª: Gabriel Medina (BRA) x Kolohe Andino (EUA)

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5º lugar com 5.200 pontos e US$ 15.000 de prêmio:
1ª: Nat Young (EUA) 14.27 x 7.50 Mick Fanning (AUS)
2ª: Michel Bourez (TAH) 13.33 x 8.90 Kelly Slater (EUA)
3ª: Gabriel Medina (BRA) 14.20 x 6.34 John John Florence (HAV)
4ª: Kolohe Andino (EUA) 18.36 x 17.07 Adriano de Souza (BRA)

QUINTA FASE – REPESCAGEM – Vitória=Quartas de Final/Derrota=9ºlugar com 4.000 pontos e US$ 12.500:
1ª: Mick Fanning (AUS) 15.90 x 14.86 Owen Wright (AUS)
2ª: Michel Bourez (TAH) 13.44 x 8.20 Filipe Toledo (BRA)
3ª: John John Florence (HAV) 16.70 x 12.34 Taj Burrow (AUS)
4ª: Adriano de Souza (BRA) 12.67 x 10.10 Joel Parkinson (AUS)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2º e 3º=Repescagem:
1ª: 1-Nat Young (EUA)=13.83 2-Mick Fanning (AUS)=13.74 3-Michel Bourez (TAH)=6.13
2ª: 1-Kelly Slater (EUA)=15.00, 2-Filipe Toledo (BRA)=14.77, 3-Owen Wright (AUS)=13.07
3ª: 1-Gabriel Medina (BRA)=15.20 2-John John Florence (HAV)=10.93 3-Joel Parkinson (AUS)=9.83
4ª: 1-Kolohe Andino (EUA)=14.27 2-Adriano de Souza (BRA)=14.14 3-Taj Burrow (AUS)=11.37

TERCEIRA FASE – Derrota=13º lugar com 1.750 pontos e US$ 9.500:
Baterias que abriram a quinta-feira:
7ª: Joel Parkinson (AUS) 15.36 x 9.60 Glenn Hall (IRL)
8ª: John John Florence (HAV) 16.17 x 4.03 Sebastian Zietz (HAV)
9ª: Gabriel Medina (BRA) 15.63 x 15.10 Fredrick Patacchia (HAV)
10ª: Adriano de Souza (BRA) 18.63 x 13.56 Adrian Buchan (AUS)
11ª: Kolohe Andino (EUA) 15.07 x 12.60 Julian Wilson (AUS)
12ª: Taj Burrow (AUS) 11.24 x 10.74 Tiago Pires (PRT)
Baterias que fecharam a quarta-feira:
1ª: Mick Fanning (AUS) 15.07 x 8.44 Alejo Muniz (BRA)
2ª: Nat Young (EUA) 16.33 x 13.34 Kai Otton (AUS)
3ª: Michel Bourez (TAH) 18.70 x 10.57 Jeremy Flores (FRA)
4ª: Filipe Toledo (BRA) 13.70 x 12.43 Jordy Smith (AFR)
5ª: Owen Wright (AUS) 16.16 x 15.93 Bede Durbidge (AUS)
6ª: Kelly Slater (EUA) 16.33 x 9.43 Mitch Coleborn (AUS)

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Filipe Toledo, Gabriel Medina e Adriano de Souza continuam na briga pelo título do Fiji Pro

04 de junho de 2014 0
Filipinho segue firme. Foto ASP/Kirstin

Filipinho segue firme. Foto ASP/Kirstin

Dos sete brasileiros, apenas três continuam na disputa do título do quinto desafio na corrida do título mundial da temporada 2014, na etapa das Ilhas Fiji do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour. Gabriel Medina e Adriano de Souza estrearam com vitórias e nem competiram na quarta-feira, enquanto Filipe Toledo disputou duas baterias e já está na rodada das duas chances de classificação para as quartas de final do Fiji Pro.

O paulista ganhou o duelo verde-amarelo com o potiguar Jadson André na repescagem e depois despachou o sul-africano Jordy Smith na terceira fase, com a quarta-feira de boas ondas de 3-5 pés em Cloudbreak. O dia foi encerrado com vitória de Kelly Slater sobre o australiano Mitch Coleborn.

Este foi o primeiro dia cheio de competição nas ilhas Fiji esse ano. Foram realizadas 18 baterias (12 da repescagem e 6 da terceira fase). Assim como Filipe Toledo, Alejo Muniz também competiu duas vezes na quarta-feira. O catarinense venceu a outra bateria 100% brasileira da repescagem contra Miguel Pupo, mas foi barrado pelo defensor do título mundial, Mick Fanning, no duelo que abriu a terceira e última rodada de 12 baterias do Fiji Pro. O australiano já havia tirado outro brasileiro do campeonato, Wiggolly Dantas, na repescagem.

Alejo Muniz. Foto ASP/Robertson

Alejo Muniz. Foto ASP/Robertson

Na quarta fase, os 12 classificados voltam a ser divididos em baterias de três competidores como na rodada inicial. Agora, a vitória vale vaga nas quartas de final para os vencedores, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação na segunda e última repescagem do campeonato. Com os resultados da metade da terceira fase que fechou a quarta-feira, duas baterias já estão definidas. A primeira será entre Mick Fanning, o americano Nat Young e o taitiano Michel Bourez, campeão do Billabong Rio Pro no Rio de Janeiro.

BATERIAS VERDE-AMARELAS

Na segunda, Filipe Toledo encara o líder do ranking, Kelly Slater, além do australiano Owen Wright. Filipinho ganhou dois duelos muito difíceis para colocar seu nome entre os 12 finalistas do Fiji Pro. Na repescagem contra Jadson André, venceu de virada com a nota 6,23 da sua última onda. Com ela, superou o potiguar por uma pequena diferença no placar de 12,90 a 12,50 pontos. Depois, Filipe repetiu a dose contra Jordy Smith na terceira fase, confirmando a vitória com a nota 8,27 igualmente da sua última onda para derrotar o sul-africano por 13,70 a 12,43.

Na outra bateria verde-amarela da repescagem, o catarinense Alejo Muniz também aproveitou a última chance que teve para avançar para a terceira fase com nota 6,77. O paulista Miguel Pupo surfou a melhor onda do confronto que valeu 8,33, mas na soma das duas computadas foi Alejo quem levou a melhor. Ele tinha um 6,33 do início da bateria e totalizou 13,10 pontos, contra 12,93 de Miguel Pupo, que acabou somando um 4,60 no resultado final.

Kelly Slater. Foto ASP/Kirstin

Kelly Slater lidera o ranking. Foto ASP/Kirstin

CARRASCO DOS BRASILEIROS

O catarinense depois não achou boas ondas na abertura da repescagem, ao contrário de Mick Fanning, que pegou as melhores que entraram na bateria para vencer fácil por 15,07 a 8,44 pontos. O australiano foi o carrasco dos brasileiros na quarta-feira. Antes de derrotar Alejo Muniz, o tricampeão mundial já havia eliminado o paulista Wiggolly Dantas na segunda bateria do dia da repescagem, mas por um placar mais apertado de 12,43 a 11,60 pontos. Fanning tenta melhorar sua posição no ranking, pois chegou em Fiji em oitavo lugar.

Na disputa pelo título mundial deste ano, Gabriel Medina largou na frente liderando o Samsung Galaxy ASP World Tour 2014 nas três provas da “perna australiana”. Mas, Kelly Slater assumiu a ponta do ranking com o terceiro lugar nas semifinais do Billabong Rio Pro no Brasil. Medina já foi finalista nas Ilhas Fiji em 2012 contra Kelly Slater, que venceu as três últimas edições do desafio nos tubos de Cloudbreak e Restaurants, na ilha de Tavarua. Medina estreou com vitória na terça-feira e vai enfrentar o havaiano Fredrick Patacchia na nona bateria da terceira fase, a terceira a entrar no mar no próximo dia de competição.

LIDERANÇA DO RANKING

Adriano de Souza disputa o confronto seguinte com o australiano Adrian Buchan. Mineirinho venceu a primeira bateria do Fiji Pro esse ano e ocupa a sexta posição no ranking, uma abaixo de Gabriel Medina que fecha o seleto grupo dos top-5 do WCT. Os 11 primeiros colocados começaram o campeonato com chances matemáticas de brigar pela liderança. Mas a vitória de Kelly Slater na primeira fase já tirou dois e na quarta-feira derrubou mais dois concorrentes quando ganhou a última bateria do dia em Cloudbreak.

Mick Fanning. Foto ASP/Robertson

Mick Fanning. Foto ASP/Robertson

Restaram sete candidatos para sair de Fiji em primeiro lugar no ranking: o líder Kelly Slater e Michel Bourez do Taiti, os australianos Mick Fanning, Joel Parkinson e Taj Burrow, e os brasileiros Gabriel Medina e Adriano de Souza. A batalha pelo título mundial está acirrada e a ponta do ranking pode até ser decidida numa final entre os quatro primeiros colocados, Slater, Burrow, Parkinson e Bourez. Para Medina a chance mínima é ser semifinalista, enquanto Mineirinho só supera os 27.400 pontos já garantidos por Slater se chegar a final. Isso se Kelly Slater não vencer mais nenhuma bateria na ilha de Tavarua.

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2º e 3º=Repescagem:
1ª: Mick Fanning (AUS), Nat Young (EUA), Michel Bourez (TAH)
2ª: Kelly Slater (EUA), Filipe Toledo (BRA), Owen Wright (AUS)

TERCEIRA FASE – Derrota=13º lugar com 1.750 pontos e US$ 9.500 de prêmio:
1ª: Mick Fanning (AUS) 15.07 x 8.44 Alejo Muniz (BRA)
2ª: Nat Young (EUA) 16.33 x 13.34 Kai Otton (AUS)
3ª: Michel Bourez (TAH) 18.70 x 10.57 Jeremy Flores (FRA)
4ª: Filipe Toledo (BRA) 13.70 x 12.43 Jordy Smith (AFR)
5ª: Owen Wright (AUS) 16.16 x 15.93 Bede Durbidge (AUS)
6ª: Kelly Slater (EUA) 16.33 x 9.43 Mitch Coleborn (AUS)
Ficaram para abrir a quinta-feira:
7ª: Joel Parkinson (AUS) x Glenn Hall (IRL)
8ª: John John Florence (HAV) x Sebastian Zietz (HAV)
9ª: Gabriel Medina (BRA) x Fredrick Patacchia (HAV)
10ª: Adriano de Souza (BRA) x Adrian Buchan (AUS)
11ª: Julian Wilson (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
12ª: Taj Burrow (AUS) x Tiago Pires (PRT)

Adriano de Souza. Foto ASP/Kirstin

Adriano de Souza. Foto ASP/Kirstin

SEGUNDA FASE – REPESCAGEM – Vitória=Terceira Fase / Derrota=25º lugar com 500 pontos e US$ 8.000:
1ª: Taj Burrow (AUS) 13.00 x 4.43 Isei Tokovou (FJI)
2ª: Mick Fanning (AUS) 12.43 x 11.60 Wiggolly Dantas (BRA)
3ª: Glenn Hall (IRL) 11.76 x 9.97 Josh Kerr (AUS)
4ª: Nat Young (EUA) 14.67 x 11.17 Brett Simpson (EUA)
5ª: Tiago Pires (PRT) 13.87 x 7.40 C. J. Hobgood (EUA)
6ª: Bede Durbidge (AUS) 14.37 x 14.20 Dion Atkinson (AUS)
7ª: Alejo Muniz (BRA) 13.10 x 12.93 Miguel Pupo (BRA)
8ª: Kolohe Andino (EUA) 12.70 x 10.83 Aritz Aranburu (ESP)
9ª: Kai Otton (AUS) 14.10 x 11.10 Matt Wilkinson (AUS)
10ª: Filipe Toledo (BRA) 12.90 x 12.50 Jadson André (BRA)
11ª: Adrian Buchan (AUS) 14.10 x 11.96 Travis Logie (AFR)
12ª: Jeremy Flores (FRA) 14.53 x 9.70 Mitch Crews (AUS)

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Adriano de Souza participa de sessão de autógrafos na Loja By Polly, no Barra Shopping

07 de maio de 2014 0

image003

A Loja By Polly, em parceria com a HD,  recebe nesta quinta-feira, dia 8 de maio, o top da elite mundial Adriano de Souza, que está no Rio para a etapa do WCT. Quem passar por lá poderá ver de perto o ídolo, tirar fotos, e pegar um autógrafo.

Loja By Polly
Endereço: Avenida das Américas, 4666 – 2º piso / Barra da Tijuca RJ
Data: 8 de maio, a partir das 18h30min

Quiropraxista garante a saúde dos tops no Billabong Rio Pro

06 de maio de 2014 0
Até o Kelly "ET" Slater precisa de cuidados. Foto Divulgação.

Até o Kelly “ET” Slater precisa de cuidados. Foto Divulgação.

Os surfistas que participam do Billabong Rio Pro, quarta etapa do Samsung Galaxi ASP World Championship Tour 2014, podem ficar tranquilos em relação a qualquer problema de saúde. A competição vai contar com a presença do quiropraxista Jason Gilbert, que nasceu e se formou em Sydney (Austrália) e também é apaixonado por este esporte.

Bacharel em Ciências Médicas, já atendeu tops como Kelly Slater, Adriano Souza e Gabriel Medina, que participam do evento, além de atletas e celebridades como Vitor Belfort, Lenny Kravitz, Nando Reis e outros.

Mineirinho sendo atendido por Jason. Foto Divulgação

Mineirinho sendo atendido por Jason. Foto Divulgação

 

Jason conferindo a perna do fenômeno. Foto Divulgação

Jason conferindo a perna do fenômeno. Foto Divulgação

Tops encaram a coletiva de imprensa do Billabong Rio Pro

05 de maio de 2014 0
Medina estará na coletiva. Foto ASP/Smorigo

Medina estará na coletiva. Foto ASP/Smorigo

A arena do Billabong Rio Pro já está pronta para receber os melhores surfistas do mundo na etapa brasileira do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014, que começa nesta quarta-feira nas ondas do Postinho, no início da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Para assistir de perto os grandes astros das ondas, basta arrumar um lugar na areia porque o espetáculo é de graça e o brasileiro Gabriel Medina defende a liderança na corrida do título mundial depois da “perna australiana”, com transmissão ao vivo pelo www.aspworldtour.com

O Billabong Rio Pro tem prazo até o dia 18 para ser realizado nos dias de melhores ondas na Barra da Tijuca. E no mesmo período acontece a quarta etapa da categoria feminina, Billabong apresenta Rio Women´s Pro. Os principais concorrentes pela ponta no ranking atenderão aos jornalistas na coletiva de imprensa confirmada para as 14h da terça-feira, no Royalty Barra Hotel, na Avenida do Pepê, 690, na Barra da Tijuca. Apenas os credenciados poderão entrar na sala da coletiva, exclusiva para a mídia esportiva.

Joel Parkinson é o vice-líder do ranking. Foto ASP/Smorigo

Joel Parkinson é o vice-líder do ranking. Foto ASP/Smorigo

COLETIVA DE IMPRENSA

Pela primeira vez, depois de muitos anos, a coletiva não terá o americano Kelly Slater. O líder do ranking, Gabriel Medina, vai compor a mesa junto com os campeões mundiais Joel Parkinson (vice-líder), Mick Fanning (3º), o sul-africano Jordy Smith, que defende o título da etapa brasileira esse ano, e Adriano de Souza, vice-campeão no ano passado e vencedor da primeira edição do Billabong Rio Pro no Rio de Janeiro em 2011, que terá muito assunto para falar após ter as pranchas retidas na Receita Federal.

Entre as meninas, a bicampeã mundial Carissa Moore, que vem de duas vitórias nas últimas provas da “perna australiana”, a pentacampeã Stephanie Gilmore e a atual campeã do Billabong apresenta Rio Women´s Pro, Tyler Wright, além da havaiana Alessa Quizon, umas das novatas da jovem elite das top-17 dominada pela nova geração este ano, com média de apenas 21 anos de idade.

Adriano de Souza. Foto ASP/Smorigo

Adriano de Souza. Foto ASP/Smorigo

INÍCIO DA COMPETIÇÃO

Na quarta-feira, a primeira chamada para as duas categorias está marcada para as 7h. Como em todos os dias, a comissão técnica analisa as previsões, se reúne para checar as condições do mar na Barra da Tijuca e decide se vai iniciar a competição pelo Billabong Rio Pro, ou pelo Billabong apresenta Rio Women´s Pro, ou se será adiada para esperar por ondas melhores, podendo acontecer ainda de marcarem novas chamadas durante o dia. A atualização pode ser acompanhada pelo www.aspworldtour.com.

Com informações de João Carvalho – ASP South America

Adriano de Souza tem pranchas barradas na alfândega e não pode treinar para o Billabong Rio Pro

05 de maio de 2014 5
Mineirinho postou esta foto. Foto Reprodução Facebook

Mineirinho postou esta foto. Foto Reprodução Facebook

Parece que o pessoal da Receita Federal “marcou” o paulista Adriano de Souza que recentemente havia sido impedido de levar para casa o troféu da vitória no evento seis estrelas em Jeffreys Bay. Na ocasião, Mineirinho apelou para as redes sociais e depois de muito tempo descobriu onde estava e conseguiu recuperar o troféu retido pela Receita.

O fato é que Mineirinho desabafou nas redes sociais na manhã desta segunda-feira após ter ficado sem o capão com as pranchas, preso na alfândega do aeroporto internacional Antonio Carlos Jobim. O material estava com o videomaker Bruno Baroni, que foi impedido de sair do local com o equipamento. Sem as pranchas, o surfista, sexto colocado do ranking mundial, não pode treinar para a etapa brasileira do WCT. Agora você imagina o que os gringos que também estão chegando irão pensar ao saber desse fato. Confira abaixo o desabafo de Adriano de Souza:

Fala pessoal,

Estou super triste em anunciar uma notícia dessa NOVAMENTE, mas hoje segunda-feira, vou ter que parar de treinar aqui no campeonato na Barra para correr atrás da Receita Federal do RJ (Aeroporto Internacional Galeão Antonio Carlos Jobim – Rio de Janeiro), pelo fato da receita ter travado meu capão de pranchas na alfândega.
Meu Video Maker trouxe esse capão de Bells Beach (Austrália) para o Brasil (Rio de Janeiro), e chegando aqui foi impedido de sair com ele do aeroporto. Falou que as pranchas eram minhas, mostrou fotos, vídeos, o meu nome que tem escrito atrás das pranchas e o melhor de tudo… tinha também minha lycra do campeonato de Bells estampada com meu nome, mas mesmo assim não adiantou, parece que fizeram questão de travar meu equipamento de trabalho que é essencial e esta fazendo uma falta absurda para os meus treinamentos aqui no Rio de Janeiro. Até quando isso vai acontecer? Eu estou representando o país de vocês, REPRESENTO O BRASIL!!! Por que isso??????
E o melhor de tudo também, é que a Prefeitura e o Governo do Rio de Janeiro estão fazendo o campeonato e isso ainda acontece…
Peço a ajuda de vocês galera! Compartilhem essa imagem para me ajudar no caso.
Agradecimentos especiais a RECEITA por me complicar na competição.
#‎Fui‬”