Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "ASP World Tour 2011"

Kieren Perrow vence o Billabong Pipe Masters 2011

11 de dezembro de 2011 0
Foto ASP Cestari

Australiano mostrou muita intimidade em Pipe. Foto ASP Cestari

O Billabong Pipe Masters em memória a Andy Irons, entra para a história ao ser finalizado nos três primeiros dias de seu prazo de realização, com as maiores e melhores ondas de todos os tempos. Um swell épico bombou tubos de 12-15 pés na quinta-feira em Banzai Pipeline e continuou desafiador com 8-12 pés na sexta-feira. No sábado, baixou um pouco para 6-8 pés, mas ofereceu as direitas de Backdoor para fechar com chave de ouro mais uma temporada do ASP World Tour.

Foi esse o caminho escolhido pelo veterano australiano Kieren Perrow, 34, arrancar uma nota 10 dos juízes para confirmar a classificação para a sua segunda final consecutiva no Billabong Pipe Masters, na vitória sobre o taitiano Michel Bourez. No ano passado, ele perdeu a decisão para o francês Jeremy Flores, 23, mas neste ano Perrow voltou a provar sua intimidade  com Pipe. Surfou tubos incríveis nas esquerdas de Pipeline e nas direitas do Backdoor, para ganhar a final australiana com Joel Parkinson, 30 anos.

- Não me conformo até agora com a derrota do ano passado. É muito bom voltar aqui e poder vencer. Foi um grande evento, com ótimas ondas, mesmo hoje (sábado), foi simplesmente fantástico. Ondas fenomenais, como nunca tinha surfado Pipe em toda a minha carreira. Foi tudo muito bonito, o ápice para mim – declarou Perrow, que já era visto como carta fora do baralho da elite da ASP e conseguiu se classificar para 2012

Foto ASP Cestari

Jonh Jonh Florence levou o título da Triplice Coroa Havaiana. Foto ASP Cestari

A vitória na Tríplice Coroa Havaiana ficou com o havaiano Jonh Jonh Florence, 19 anos, o mais novo campeão da história do circuito composto pelas três principais competições da ASP no Havaí. O título foi garantido quando Perrow bateu Michel Bourez na semifinal.

O título seria do taitiano se ele passasse para a final e de quebra ainda tiraria o brasileiro Adriano de Souza do seleto grupo dos Top 5 do ASP World Title Race 2011. Título também merecido para Jonh Jonh, autor das grandes apresentações em Banzai Pipeline, ganhando duas das três notas 10 do campeonato, o imbatível placar de 19,10 pontos, e direito a uma segunda “combination” em Kelly Slater, de 16,70 pontos nas quartas de final.

Só que em 2 minutos, o melhor do mundo conseguiu uma virada fantástica com tubos notas 9,70 e 7,83 no Backdoor, para ganhar por 17,53 pontos a melhor bateria do dia.  Mas, Slater levou o troco na semifinal, quando Joel Parkinson reverteu o resultado também de forma sensacional. Atual bicampeão da Tríplice Coroa Havaiana, Joel lamentou ter perdido sua segunda final seguida na temporada. Na etapa passada, ele ficou em segundo diante do brasileiro Gabriel Medina em San Francisco, na Califórnia.

- É duro perder, porque você só tem um cara para bater e você bateu tantos, mas final é sempre mais difícil de vencer – disse Parkinson, que vai ganhando a fama de eterno vice ao amargar seu quarto vice-campeonato mundial, como em 2002, 2004 e 2009.

Foto ASP Cestari

Medina venceu duas baterias em Pipe. Foto ASP Cestari

Final do Billabong Pipe Masters:
Campeão: Kieren Perrow (AUS) – US$ 75 mil e 10 mil pontos
Vice-campeão: Joel Parkinson (AUS) – US$ 30 mil e 8 mil pontos

Semifinais – 3º lugar – US$ 17.500 e 6.500 pontos:

1ª: Joel Parkinson (AUS) 17,23 X 16,83 Kelly Slater (EUA)
2ª: Kieren Perrow (AUS) 12,00 x 4,07 Michel Bourez (TAI)

Quartas de final – 5º lugar – US$ 13.750 e 5.250 pontos:

1ª: Joel Parkinson (AUS) 12,00 x 9,43 Jamie O´Brien (HAV)
2ª: Kelly Slater (EUA) 17,53 x 16,70 John John Florence (HAV)
3ª: Michel Bourez (TAI) 7,70 x 3,66 Evan Valiere (HAV)
4ª: Kieren Perrow (AUS) 17,23 x 9,26 Gabriel Medina (BRA)

TOP-10 DO ASP WORLD TITLE RACE 2011 – 11 etapas:

Campeão: Kelly Slater (EUA) – 68.100 pontos
02: Joel Parkinson (AUS) – 56.100
03: Owen Wright (AUS) – 47.900
04: Taj Burrow (AUS) – 45.700
05: Adriano de Souza (BRA) – 44.950
06: Michel Bourez (TAH) – 38.650
07: Jordy Smith (AFR) – 38.250
08: Josh Kerr (AUS) – 37.750
09: Julian Wilson (AUS) – 37.100
10: Alejo Muniz (BRA) – 31.850
12:
Gabriel Medina (BRA) – 28.700
17: Heitor Alves (BRA) – 24.900
22: Jadson André (BRA) – 21.400
29: Raoni Monteiro (BRA) – 15.200
36: Miguel Pupo (BRA) – 7.250

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa da ASP South America

Willian Cardoso enfrenta lenda havaiana em Pipeline

07 de dezembro de 2011 0


Foto ASP Kirstin

Ondulação esperada deve superar as ondas do ano passado. Foto ASP Kirstin,


O Billabong Pipe Masters em memória de Andy Irons deve começar amanhã com uma grande ondulação que se aproxima do Norte Shore havaiano. E o catarinense Willian Cardoso, 25 anos, que luta para entrar na elite do surfe mundial, será o primeiro brasileiro a cair na água. Panda tem nada mais nada menos do que a lenda havaiana Shane Dorian pela frente na 10ª bateria do dia e o duelo promete. Essa primeira fase também tem nomes como Bruce Irons, Kekoa Bacalso, Jamie O’Brien e Hank Gaskell.

Miguel Pupo, Raoni Monteiro e Jadson André são os próximos brazucas a entrar na água, direto no round 2, onde aguardam os vencedores dos duelos do round 1. No round 3 é a vez de Alejo Muniz, Adriano de Souza e Gabriel Medina. Heitor Alves, contundido, está fora assim como o aussie Mick Fanning e o francês Jeremy Flores, que defenderia o título da etapa. Lembrando que Miguel Pupo, Adriano de Souza e Alejo Muniz eram dúvidas para o evento. O catarinense se recupera de uma torção no tornozelo, enquanto os paulistas estavam com problemas no joelho. Se todos estão nas chaves de bateria divulgadas nesta terça-feira no Havaí já é um bom sinal.

Última etapa da temporada 2011 e válida como terceira e decisivo evento da Triplíce Coroa Havaiana, o Billabong Pipe Masters utiliza um formato único para acomodar a lista de talentosos especialistas nas ondas de Pipeline, a maioria locais do pico. Por isso, a ASP ainda concedeu dois wildcards para surfistas próximos na linha do ASP World Rankings -Kolohe Andino (EUA), 17, e Willian Cardoso. Ambos receberão pontos no ASP World Rankings por suas campanhas no Billabong Pipeline Masters.

Gabriel Medina (BRA), 17 anos, vencedor de dois eventos do ASP World Tour 2011, participou da coletiva de abertura do Billabong Pipe Master e falou sobre sua expectativa para a competição:

- Eu fui para o Havaí cinco vezes, mas eu não surfei muitos tubos, porque é sempre tão lotado. Espero que eu possa surfar boas ondas este ano com dois ou três caras na água. Eu não tenho muita experiência em ondas grandes, mas estou animado e vou fazer o meu melhor – disse Medina.

O Billabong Pipe Masters em memória de Andy Irons tem prazo até dia 20 de dezembro de 2011 e terá webcasting ao vivo no http://vanstriplecrownofsurfing.com/billabongpipemasters2011 .

Round 1:
H1: Matt Wilkinson (AUS) x Marcus Hickman (HAV)
H2: CJ Hobgood (EUA) x Kekoa Bacalso (HAV)
H3: Fredrick Patacchia (HAV) x Evan Valiere (HAV)
H4: Travis Logie (AFS) x Bruce Irons (HAV)
H5: Kai Otton (AUS) x Ian Walsh (HAV)
H6: Chris Davidson (AUS) x Kai Barger (HAV)
H7: Daniel Ross (AUS) x. Aamion Goodwin (HAV)
H8: Dane Reynolds (EUA) x Jamie O’Brien (HAV)
H9: Kolohe Andino (EUA) x Laurie Towner (AUS)
H10: Willian Cardoso (BRA) x Shane Dorian (HAV)
H11: Tanner Gudauskas (EUA) x Jack Freestone (AUS)
Heat 12: Mason Ho (HAV) x Hank Gaskell (HAW)
Round 2:
H1: Adrian Buchan (AUS) x TBD
H2: Miguel Pupo (BRA) x TBD
H3: Bede Durbidge (AUS) x TBD
H4: John Florence (HAV) x TBD
H5: Taylor Knox (EUA) x TBD
H6: Raoni Monteiro (BRA) vs. TBD
H7: Brett Simpson (EUA) vs. TBD
H8: Adam Melling (AUS) vs. TBD
H9: Kieren Perrow (AUS) x. TBD
H10: Dusty Payne (HAV) x. TBD
H11: Tiago Pires (POR) x. TBD
H12: Jadson Andre (BRA) x TBD
Round 3:

H1: Joel Parkinson (AUS) x TBD
H2: Alejo Muniz (BRA) x TBD
H3: Adriano de Souza (BRA) x TBD

H4: Julian Wilson (AUS) x TBD
H5: Damien Hobgood (EUA) x TBD
H6: Kelly Slater (EUA) x TBD
H7: Gabriel Medina (BRA) x TBD
H8: Michel Bourez (TAI) x TBD
H9: Owen Wright (AUS) x TBD
H10: Jordy Smith (AFS) x TBD
H11: Josh Kerr (AUS) x TBD
H12: Taj Burrow (AUS) x TBD

Ranking Tríplice Coroa Havaiana após duas etapas:

1º John John Florence (HAW) 9,780 pts
2º Adam Melling (AUS) 9,650 pts
3º Michel Bourez (TAI) 8,480 pts

Top 5 ASP WORLD TITLE
1º Kelly Slater (EUA) 63,350 pts
2º Joel Parkinson (AUS) 48,600 pts
3º Owen Wright (AUS) 47,900 pts
4º Adriano de Souza (BRA) 43,700 pts
5º Taj Burrow (AUS) 42,200 pts

Sensação americana garante vaga na elite em 2012

10 de novembro de 2011 0
Foto Steve Robertson ASP

Com 17 anos, Kolohe Andino também impressiona o mundo do surfe. Foto Steve Robertson ASP

Após duas vitórias nas duas provas da “perna brasileira” de fim de ano da ASP South America – SuperSurf Internacional em Ubatuba (SP) e Quiksilver Brasil Open of Surfing no Rio de Janeiro (RJ) – Kolohe Andino, 17 anos, a sensação do surfe americano, praticamente confirmou a sua vaga no G-32 do ASP World Ranking com o título do Fantastic Noodles, conquistado na final contra o neozelandês Jay Quinn, em Kangaroo Island, na Austrália.

Quem despencou no ranking com a retirada dos pontos do Rip Curl Pro Search 2010 foi o australiano Chris Davidson, que caiu do 29º para o 37º lugar no ranking e saiu da zona de classificação para o ASP Dream Tour 2012. O seu compatriota Kai Otton passou a ocupar a última posição no G-32 e o catarinense Willian Cardoso também se aproximou ainda mais, sendo agora o 35º colocado.

A lista completa dos 32 que iniciarão a temporada 2012 do ASP World Title Race será definida na Tríplice Coroa Havaiana. O primeiro desafio é a etapa do ASP World 6-Star, Reef Hawaiian Pro, nos dias 13 a 23 de novembro no Alli Beach Park de Haleiwa. O segundo é o ASP Prime World Cup of Surfing, de 24 de novembro a 6 de dezembro, em Sunset Beach. Depois, de 8 a 20 de dezembro, o Billabong Pipe Masters fecha a temporada 2011 em Banzai Pipeline, também no North Shore da Ilha de Oahu, no Havaí.

G-32 DO ASP WORLD RANKING – 46 etapas em 2011:

1º: Kelly Slater (EUA) – 64.200 pontos
2º: Joel Parkinson (AUS) – 50.600
3º: Owen Wright (AUS) – 49.650
4º: Julian Wilson (AUS) – 45.700
5º: Taj Burrow (AUS) – 45.070
6º: Jordy Smith (AFR) – 45.000
7º: Gabriel Medina (BRA) – 44.220
8º: Adriano de Souza (BRA) – 43.200
9º: Alejo Muniz (BRA) – 38.957

10º: Josh Kerr (AUS) – 38.819
11º: Jeremy Flores (FRA) – 38.570
12º: Damien Hobgood (EUA) – 34.570
13º: Michel Bourez (TAH) – 32.800
14º: Mick Fanning (AUS) – 31.899
15º: Adrian Buchan (AUS) – 30.641
16º: Heitor Alves (BRA) – 30.145
17º: Miguel Pupo (BRA) – 30.055

18º: Bede Durbidge (AUS) – 29.450
19º: Raoni Monteiro (BRA) – 29.200
20º: Taylor Knox (EUA) – 27.050
21º: Brett Simpson (EUA) – 25.050
22º: Tiago Pires (PRT) – 24.450
23º: Kieren Perrow (AUS) – 24.350
24º: Kolohe Andino (EUA) – 24.245
25º: Jadson André (BRA) – 23.640
26º: John John Florence (HAV) – 23.174
27º: Matt Wilkinson (AUS) – 23.150
28º: Patrick Gudauskas (EUA) – 23.020
29º: Dusty Payne (HAV) – 22.625
30º: Fredrick Patacchia (HAV) – 22.120
31º: C. J. Hobgood (EUA) – 21.700
32º: Kai Otton (AUS) – 21.650

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa da ASP South America

Medina é melhor brazuca no ranking unificado da ASP

10 de novembro de 2011 0
Foto Kelly Cestari ASP

Medina é o novo número um do Brasil no ranking unificado. Foto Kelly Cestari ASP

O brasileiro Gabriel Medina sabe que ainda há muito que fazer, mas o seu desempenho impressionante nestes primeiros seis meses de ASP World Tour já rendem ao surfista de Maresias a posição de número um do Brasil no ranking unificado, que computa os melhores oito resultados nas últimas 52 semanas.

Nesta quarta-feira, dia 9 de novembro, os resultados do Rip Curl Pro Search 2010 expiraram e Medina passou a ser o sétimo lugar na classificação geral, frente do paulista Adriano de Souza. Mineirinho ainda é o brasileiro melhor colocado no ranking da corrida pelo título, mas na lista que define a elite para 2012 caiu para oitavo ao trocar os 5.250 pontos do 5º lugar em Porto Rico no ano passado, pelos 1.750 do 13º em San Francisco neste ano.

Entre os oito resultados computados no ASP World Ranking, Medina é o único que registra seis finais como o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater, que lidera o ranking desde sua criação no ano passado. O maior ídolo do esporte apresenta 83,9% de aproveitamento, contra 83,4% do fenômeno brasileiro. A diferença é que Slater tem três vitórias e dois vice-campeonatos em etapas do ASP World Title Race, além de um título em provas do ASP World Prime.

Foto Daniel Smorigo

Foto Daniel Smorigo

Já Gabriel Medina registra cinco vitórias. Ele ganhou duas das quatro etapas que disputou na divisão de elite do ASP Tour, tem uma vitória e um vice em eventos do ASP Prime e dois títulos em provas do ASP World 6-Star. Os outros dois resultados dele são um 5º e um 9º lugar em etapas do ASP Prime no Brasil (Saquarema e Fernando de Noronha), contra um 3º e um 5º lugares de Slater em provas do ASP World Title Race, que valem 10 mil pontos.

O catarinense Alejo Muniz vem logo a seguir na 9ª posição. Outros quatro brasileiros estão entre os 32 que formarão a elite do ASP Dream Tour em 2012: Heitor Alves, em 16º lugar; Miguel Pupo em 17º; Raoni Monteiro, em 19º, e o potiguar Jadson André, em 25º.

Os brasileiros do ranking unificado:

7º: Gabriel Medina (BRA) – 44.220
8º: Adriano de Souza (BRA) – 43.200
9º: Alejo Muniz (BRA) – 38.957
16º: Heitor Alves (BRA) – 30.145
17º: Miguel Pupo (BRA) – 30.055
19º: Raoni Monteiro (BRA) – 29.200
25º: Jadson André (BRA) – 23.640

Próximos brasileiros até 110:
35º: Willian Cardoso (SC) – 19.790 pontos
38º: Thiago Camarão (SP) – 18.810
41º: Jessé Mendes (SP) – 17.185
46º: Junior Faria (SP) – 14.210
49º: Hizunomê Bettero (SP) – 13.355
55º: Wiggolly Dantas (SP) – 10.879
57º: Leonardo Neves (RJ) – 10.457
66º: Tomas Hermes (SC) – 8.724
84º: Jano Belo (PB) – 6.515
89º: Ricardo dos Santos (SC) – 6.210
94º: Jihad Khodr (PR) – 5.656
96º: Pablo Paulino (CE) – 5.452
99º: Messias Felix (CE) – 5.227
100º: Yuri Sodré (RJ) – 5.223
101º: Alex Ribeiro (SP) – 5.222
102º: Caio Ibelli (SP) – 5.178
103º: Neco Padaratz (SC) – 5.164
104º: Jeronimo Vargas (RJ) – 5.140
107º: Pedro Henrique (RJ) – 5.030
110º: Bernardo Pigmeu (PE) – 4.967

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Gabriel Medina vence o Rip Curl Pro Search

07 de novembro de 2011 0
Foto Kirstin Scholtz

Com patadas de backside, Medina quebrou tudo em Ocean Beach. Foto Kirstin Scholtz

O garoto está demais. Nesta segunda-feira, o paulista Gabriel Medina fez história no surfe mundial ao vencer o Rip Curl Pro Search, nas ondas de Ocean Beach, em São Francisco, nos Estados Unidos. Na final, Medina mostrou a frieza dos grandes campeões e venceu o australiano Joel Parkinson. Antes, já havia escovado o norte-americano Taylor Knox, 40 anos, na primeira semifinal, e eliminado o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater, nas quartas de final.

Outro brasileiro que fez bonito foi o catarinense Alejo Muniz, que finalizou o evento na terceira posição.  Alejo só parou diante de Joel Parkinson numa bateria equilibrada. Parko apostou nas direitas e foi mais feliz do que Alejo, que ficou precisando de uma segunda onda para se manter na briga pelo título. Chateado, porque vislumbrou a possibilidade de fazer a primeira final logo no ano de estreia, Alejo pulou da 13ª para a 10ª posição no ranking e, aos 21 anos, é outro brazuca que mostrou que veio para ficar.

Foto Kelly Cestari ASP

Medina nem acreditava na vitória sobre mais um ídolo. Foto Kelly Cestari ASP

Quer dizer, a nova geração do Brasil chegou para ficar. Foi a terceira etapa consecutiva de vitórias brasileiras na elite e a quarta se contarmos o evento Prime de Santa Cruz, o O’neill Cold Water Classic, vencido pelo paulista Miguel Pupo, 19 anos. Mas o que falar sobre Medina, que venceu o seu segundo evento na elite em quatro disputados desde que entrou no Tour após a rotação de setembro? Ele já é o 18º do ranking, com apenas quatro resultados.

O surfista de São Sebastião é um fenômeno e mostrou isso mais uma vez dentro da água. Ele nem precisou usar seus aéreos para derrotar Parko na final. Surfando com muita fluidez, Medina desfilou seu backside, com rasgadas e patadas potentes, nas direitas de 3 a 5 pés de Ocean Beach, e só precisou de 10 minutos para fazer o placar. Depois, revelou frieza e preparo físico para administrar o resultado até o término da bateria.

No palanque, durante a premiação, o próprio Joel Parkinson fez rasgados elogios para Medina dizendo que o garoto prodígio é o maior talento do mundo do surfe surgido nos últimos anos e com certeza ainda vai fazer muito estrago no Tour.

Foto Kelly Cestari ASP

Esse aéreo ele mandou para carimbar a faixa de Slater nas quartas. Foto Kelly Cestari ASP

Resultados finais Rip Curl Pro Search San Francisco
Gabriel Medina (BRA) 16.50 a 10.90 Joel Parkinson (AUS)

Semifinais:

SF 1: Gabriel Medina (BRA) 17.33 a 14.27 Taylor Knox (EUA)
SF 2: Joel Parkinson (AUS) 14.97 a 14.34 Alejo Muniz (BRA)

Quartas de final:
QF 1: Taylor Knox (EUA) 14.96 a 12.83 Kieren Perrow (AUS) 12.83
QF 2: Gabriel Medina (BRA) 14.50 a 11.10 Kelly Slater (EUA) 11.10
QF 3: Alejo Muniz (BRA) 13.83 a 11.83 Brett Simpson (EUA) 11.83
QF 4: Joel Parkinson (AUS) 16.76 a 10.93 Josh Kerr (AUS) 10.93

Round 5:
H1: Taylor Knox (EUA) 14.67 a 12.83 Miguel Pupo (BRA)
H2: Gabriel Medina (BRA) 13.93 a 13.70 Matt Wilkinson (AUS)
H3: Brett Simpson (EUA) a Patrick Gudauskas (EUA) (lesionado)
H4: Joel Parkinson (AUS) 11.60 a 6.40 Owen Wright (AUS)

RANKING ASP WORLD TITLE RACE 2011 – 10 etapas:
Campeão: Kelly Slater (EUA) – 63.350 pontos
2º : Joel Parkinson (AUS) – 48.600
3º: Owen Wright (AUS) – 47.900
4º: Adriano de Souza (BRA) – 43.700
5º: Taj Burrow (AUS) – 42.200
6º: Josh Kerr (AUS) – 37.750
7º: Jordy Smith (AFS) – 37.000
8º: Julian Wilson (AUS) – 35.850
9º: Michel Bourez (TAI) – 32.650
10: Alejo Muniz (BRA) – 31.850
11: Mick Fanning (AUS) – 31.700
12: Jeremy Flores (FRA) – 28.200
13: Damien Hobgood (EUA) – 26.950
14: Adrian Buchan (AUS) – 26.000
14: Bede Durbidge (AUS) – 26.000
16: Heitor Alves (BRA) – 24.900
18: Gabriel Medina (BRA) – 23.500
21: Jadson André (BRA) – 21.400
28: Raoni Monteiro (BRA) – 15.200
35: Miguel Pupo (BRA) – 6.750

Slater garante o 11º título mundial

06 de novembro de 2011 0
Foto Kirstin Scholtz ASP

Kelly Slater finalmente é 11 vezes campeão do mundo. Foto Kirstin Scholtz ASP

O norte-americano Kelly Slater venceu sua bateria pela quarta fase do Rip Curl Pro Search, em Ocean Beach, São Francisco, e garantiu o 11º título mundial. O surfista já havia sido coroado de forma equivocada pela ASP na última quinta-feira, após vencer Daniel Ross pela terceira fase do evento, a penúltima etapa do circuito mundial.

Na tarde deste domingo, Slater bateu os brasileiros Gabriel Medina e Miguel Pupo na segunda das quatro baterias da fase sem perdedores. Medina e Pupo terão mais uma chance na repescagem. Já o catarinense Alejo Muniz fez bonito ao vencer Brett Simpson e Owen Wright na terceira bateria. Alejo garantiu a vitória na última onda, que valeu 7 pontos, e avançou direto para as quartas de final. Os aussies Kieren Perrow e Josh Kerr também venceram suas baterias (1ª e 4ª) e também aguardam seus adversários nas quartas de final.

Foto Kelly Cestari ASP

Kelly teve que voar para vencer os brasucas neste domingo. Foto Kelly Cestari ASP

Round 5
H1 – Taylor Knox EUA x Miguel Pupo BRA
H2 – Gabriel Medina BRA x Matt Wilkinson AUS
H3 – Brett Simpson EUA x Pat Gudauskas EUA
H4 – Joel Parkinson AUS x Owen Wright AUS

ASP erra nos cálculos e Slater ainda não é Ke11y

04 de novembro de 2011 0


Foto Kirstin Scholtz/ASP

Slater terá que confirmar o título. Foto Kirstin Scholtz/ASP


Por essa o Kellynho não esperava! Depois de segurar a taça e levá-la para casa pela 11ª vez, a ASP refez os cálculos e admitiu que o careca foi corado de forma prematura, pois ainda precisaria vencer mais uma bateria no Rip Curl Pro Search San Francisco. Em nota publicada no site oficial, o catarinense Renato Hickel, Tour manager da ASP, pediu desculpas e aspresentou os novos cenários revisados pela ASP.

É claro que isso não deve mudar em nada do resultado final visto que os cenários são ainda muito favoráveis para Kelly. Mas fica a bola picando para os críticos do atual sistema, contestarem a entidade. Se não vencer a bateria seguinte em São Francisco, Slater ainda terá mais uma chance em Pipeline. Mas talvez nem precise disso, caso Owen não vença o Rip Curl Pro Search.

- Nosso sistema de rankings é concebido para fazer os desempates baseado no ‘seed’ (ranking de entradas) dos atletas. O Kelly (Slater) e o Owen (Wright) poderiam empatar nos nove resultados computados, aí o sistema foi para os oito melhores e deu vantagem para o Kelly baseado no seed dele. Era assim antes da criação do ASP World Title Race, então foi um erro nosso. Nós somos responsáveis por isso e devemos ser responsabilizados, por isso pedimos desculpas aos nossos fãs, aos surfistas e principalmente ao Owen e ao Kelly – explicou Hickel.

TÍTULO MUNDIAL 2011 REVISADO ASP CENÁRIOS:
– Se Kelly ganhar round 4 ou 5, em San Francisco, ele confirma o 11º título.
– Se Kelly não vencer o round 4 e perder no 5, Owen precisa ganhar o evento para levar a disputa do título para o Havaí.
– Se o título foi decidido no Havaí, Kelly deve só vencer a bateria de estreia para confirmar o 11º título.
– Se Kelly não vencer mais nenhuma bateria, e Owen vencer os dois eventos restantes, haverá empate nos nove melhores resultados, e o título será decidido nos melhores oito, sete, seis, cinco resultados, até definir o campeão.

Mas falando sério, alguém duvida que Kelly não será o campeão? Só se ele quiser desmoralizar de vez a ASP para lançar o seu tão falado circuito dos sonhos…mas sinceramente, não acredito nisso…por outro lado, é sempre bom ver Kelly competindo com aquela vontade de vencer, colocando em prática toda a sua experiência, e poderemos ver isso novamente. Bom, esta sexta-feira também foi de lay day em São Francisco e no sábado, nova chamada está marcada para as 7h30min (12h30min, no horário de Brasília). E a próxima bateria de Slater será contra os brasileiros Gabriel Medina e Miguel Pupo na rodada dos sem perdedores! Vai pegar fogo!

Com informações de João Carvalho, assessoria de imprensa da ASP South America.

Trio avança no Rip Curl Pro Search San Francisco

02 de novembro de 2011 0
Foto Kelly Cestari/ASP

Mineirinho está mais focado do que nunca. Foto Kelly Cestari/ASP

Adriano de Souza, Gabriel Medina e Alejo Muniz representaram o Brasil com vitórias na abertura do Rip Cur Pro Search, em Ocean Side, San Francisco, palco da penúltima etapa do circuito mundial da ASP, o ASP World Tour. Os três brasileiros ganharam suas baterias de estreia e avançaram direto para a terceira fase.

Nesta terça-feira, com boas ondas de um metro e meio, influenciadas pelo vento terral durante o dia, foram realizadas as 12 baterias da primeira fase e outras quatro do segundo round. Adriano de Souza mostrou que está focado e venceu uma disputa brazuca, com Jadson André, logo no segundo duelo do dia.

Os dois surfistas dominaram a bateria que tinha ainda o norte-americano Dane Reynolds. Com bom preparo físico, Mineiro superou a forte correnteza, e com um aéreo incrível numa direita, conseguiu a nota para garantir a vitória sobre seu melhor amigo no Tour.

Foto Kelly Cestari/ASP

Medina atacou as ondas de Ocean Side. Foto Kelly Cestari/ASP

Na quarta bateria, Jordy Smith não teve trabalho depois que o havaiano Dusty Payne abandonou o confronto. Ele disse ter visto um tubarão branco no mar gelado de Ocean Side. Tom Whitaker, que era o substituto de Heitor Alves, não chegou a tempo para competir e terá nova chance na repescagem. Na oitava bateria, o carioca Raoni Monteiro não achou as ondas. Matt Wilkinson e Michel Bourez dominaram e Raoni foi a segunda baixa brazuca para a repescagem. Aliás, o boa praça Wilko foi o melhor surfista da abertura do evento.

Em seguida, Gabriel Medina confirmou a ascensão e venceu a bateria contra o experiente Kiren Perrow e o amigo Miguel Pupo, que chegou na véspera de Santa Cruz. O catarinense Alejo Muniz teve a vitória mais emocionante, ao precisar de uma onda mediana – 6.5, e virar para cima de Josh Kerr na última onda. A esquerda abriu para duas manobras, e na última, Alejo encarou uma forte junção, sem medo de ser feliz.

Para a definição do título mundial, falta pouco. Kelly Slater venceu sua bateria de estreia e agora só precisa passar mais uma fase na competição para assegurar o 11º título mundial da carreira. Owen Wright, seu perseguidor da vez, se salvou na repescagem após cair na estreia.

Resultados do primeiro dia – Rip Curl Pro Search

Round 1 (2º = repescagem)

H 1 – 1º 12.50 Adam Melling AUS 2º 10.80 Taylor Knox EUA 3º 10.50 Joel Parkinson AUS

H 2 - 1º 13.60 Adriano de Souza BRA 2º 11.43 Jadson Andre BRA 3º 9.00 Dane Reynolds EUA

H 3 – 1º 12.67 Taj Burrow AUS 2º 10.67 John John Florence HAV 3º 7.00 Daniel Ross AUS

H 4 – 1º 15.10 Jordy Smith AFS 2º 7.87  Dusty Payne HAV 3º  0.00 Tom Whitaker AUS

H 5 – 1º 14.67 Fredrick Patacchia HAV 2º 6.10 Owen Wright  AUS 3º 4.86 Dillon Perillo EUA

H 6 – 1º 16.03 Kelly Slater EUA 2º 10.90 Kai Otton AUS 3º 9.97 Dean Brady AUS

H 7 – 1º 15.10 Patrick Gudauskas EUA 2º 11.43 Julian Wilson AUS 3º 9.33 Tiago Pires POR

H 8 – 1º 16.53 Matt Wilkinson AUS 2º 16.23 Michel Bourez TAI 3º 9.10 Raoni Monteiro BRA

H 9 – 1º 14.50 Gabriel Medina BRA 2º 11.10 Miguel Pupo BRA 3º 9.77  Kieren Perrow  AUS

H10 – 1º 16.40 Adrian Buchan AUS  2º 16.33 Bede Durbidge AUS 3º 10.37 Travis Logie AFS

H11 – 1º 16.10 Chris Davidson AUS 2º 12.26 Damien Hobgood EUA 3º 11.10 Mick Fanning AUS

H12 – 1º 11.10 Alejo Muniz BRA 2º 10.77 Josh Kerr AUS 3º 9.30 Brett Simpson EUA

Round 2

H1- Owen Wright AUS 11.16 a 8.07 Dean Brady AUS

H2 – Joel Parkinson AUS 8.60 a 6.50 Dillon Perillo EUA

H3 – Julian Wilson AUS 13.57 a 8.76 Taylor Clark EUA

H4 – Daniel Ross AUS 14 a 12.00 Michel Bourez TAI

Baterias que abrem a competição nesta quarta-feira:

H5 – Bede Durbidge AUS x Dane Reynolds EUA

H6 – Mick Fanning AUS x Kieren Perrow AUS

H7 – Josh Kerr AUS x Travis Logie AFS

H8 – Damien Hobgood EUA x Brett Simpson EUA

H9 – Miguel Pupo BRA x Kai Otton AUS

H10- Raoni Monteiro BRA x Dusty Payne HAV

H11 – Tiago Pires POR x John John Florence HAV

H12 – Taylor Knox EUA x Jadson Andre BRA

Heitor e Mineirinho seguem firmes em Portugal

17 de outubro de 2011 0


Foto: Kelly Cestari

Bede Durbidge pegou esse tubão e levou o 10. Foto: Kelly Cestari


Em mais um dia épico de direitas e esquerdas com quatro a seis pés em Supertubos foram realizadas 20 baterias (repescagem e parte da terceira fase) do Rip Curl Pro Peniche em Portugal. A segunda-feira de muitos tubos em Peniche foi encerrada com a primeira nota 10 do campeonato, recebida por Bede Durbidge no tubo mais incrível da nona etapa do ASP World Title Race. O cearense Heitor Alves também já passou para a quarta fase e o paulista Adriano de Souza vai disputar classificação no primeiro duelo desta terça-feira em Portugal, contra o sul-africano Travis Logie.


Foto: Kelly Cestari

Adriano ainda vai em busca do seu lugar na quarta fase.Foto: Kelly Cestari



Dos sete brasileiros que disputaram a repescagem, Mineirinho e Heitor foram os únicos que derrotaram seus adversários, em duelos diretos contra os surfistas de Portugal. No primeiro confronto do dia, o niteroiense Bruno Santos surfou um lindo tubo nas esquerdas, mas foi batido pelo sul-africano Jordy Smith, porque faltou outra onda boa para somar no resultado.
Mineirinho entrou na terceira bateria e achou os tubos para ganhar fácil do português Justin Mujica por 16,83 a 8,64 pontos. Dois confrontos depois, o catarinense Alejo Muniz foi eliminado por Fred Patacchia por 14,43 x 12,90. Na disputa seguinte, outro havaiano, John John Florence, deu um show em Supertubos para aumentar o recorde de pontos do ASP Tour de Portugal para 19,53 de 20 possíveis, com notas 9,80 e 9,73.


Foto: Kirstin Scholtz

Jonh Jonh mostrou toda sua intimidade com os tubos em Portugal. Foto: Kirstin Scholtz


Após a melhor apresentação do Rip Curl Pro Peniche, veio o segundo duelo Brasil x Portugal da repescagem. Heitor Alves mostrou estar recuperado da torção no joelho que o tirou da etapa da França na semana passada e derrotou o único português da elite, Tiago Pires, por 15,50 x 13,20 pontos.

O cearense voltou a competir na tarde da segunda-feira e também despachou o australiano Josh Kerr na terceira fase. Heitor superou o número 7 da corrida do título mundial por 12,77 x 12,20 pontos e passou para a rodada dos 12 melhores, tendo agora duas chances para alcançar as quartas de final em Peniche. Os vencedores das baterias passam direto e os perdedores vão para a repescagem.


Foto: Kelly Cestari

Kelly Slater não deu mole para Daniel Ross. Foto: Kelly Cestari


Os adversários do cearense são Kelly Slater e Chris Davidson, australiano que eliminou o paulista Gabriel Medina em uma bateria com poucas ondas. Davo pegou logo no início dois tubos, enquanto Medina ficou esperando a entrada das séries que não apareceram. A dois minutos do fim da bateria, após sua última tentativa, Medina saiu da água frustrado com a derrota de 14,10 a 5,10 pontos.

O carioca Raoni Monteiro perdeu outra bateria para o australiano Kai Otton, enquanro o potiguar Jadson André foi eliminado pelo havaiano Dusty Payne e o paulista Miguel Pupo caiu diante do sul-africano Travis Logie.


Foto: Kelly Cestari

Jadson André acabou eliminado na segunda fase em Portugal. Foto: Kelly Cestari



Segunda fase – repescagem (1º=terceira fase / 2º=25º lugar – US$ 7.000 e 500 pontos:
1ª. Jordy Smith (AFR) 15.74 x 10.97 Bruno Santos (BRA)
2ª. Taj Burrow (AUS) 16.10 x 6.57 Francisco Alves (PRT)
3ª. Adriano de Souza (BRA) 16.83 x 8.64 Justin Mujica (PRT)
4ª. Michel Bourez (TAH) 16.77 x 15.23 Adam Melling (AUS)
5ª. Fredrick Patacchia (HAV) 14.43 x 12.90 Alejo Muniz (BRA)
6ª. John John Florence (HAV) 19.53 x 13.97 Adrian Buchan (AUS)
. Heitor Alves (BRA) 15.50 x 13.20 Tiago Pires (PRT)
8ª. Bede Durbidge (AUS) 16.04 x 15.87 Kieren Perrow (AUS)
9ª. Kai Otton (AUS) 14.97 x 13.93 Raoni Monteiro (BRA)
10: Dusty Payne (HAV) 16.63 x 12.27 Jadson André (BRA)
11: Travis Logie (AFR) 16.43 x 14.76 Miguel Pupo (BRA)
12: Taylor Knox (EUA) 13.73 x 9.30 Patrick Gudauskas (EUA)

Terceira fase – 1º= quarta fase / 2º=13º lugar – US$ 8.500 e 1.750 pontos:

1ª: Taj Burrow (AUS) 13.57 x 8.43 Brett Simpson (EUA)
2ª: Damien Hobgood (EUA) 16.33 x 15.30 Taylor Knox (EUA)
3ª: Julian Wilson (AUS) 19.13 x 18.40 Kai Otton (AUS)
4ª: Chris Davidson (AUS) 14.10 x 5.10 Gabriel Medina (BRA)
5ª: Heitor Alves (BRA) 12.77 x 12.20 Josh Kerr (AUS)
6ª: Kelly Slater (EUA) 17.86 x 16.37 Daniel Ross (AUS)
7ª: Fredrick Patacchia (HAV) 15.06 x 14.90 Jordy Smith (AFS)
8ª: Bede Durbidge (AUS) 18.33 x 17.17 Mick Fanning (AUS)

Ficaram para abrir a terça-feira:
9ª: Adriano de Souza (BRA) x Travis Logie (AFS)
10: Joel Parkinson (AUS) x Dusty Payne (HAV)
11: Michel Bourez (TAI) x Matt Wilkinson (AUS)
12: Owen Wright (AUS) x John John Florence (HAV)

Quarta fase – 1º=quartas de final /2º e 3º= repescagem:
1ª: Taj Burrow (AUS), Julian Wilson (AUS), Damien Hobgood (EUA)
2ª: Kelly Slater (EUA), Heitor Alves (BRA), Chris Davidson (AUS)
3ª: Bede Durbidge (AUS), Fredrick Patacchia (HAV) + 1º da 9ª bateria da 3ª fase
4ª: 1º da 10ª bateria da 3ª fase + 1º da 11ª bateria + 1º da 12ª bateria

Com informações de João Carvalho – assessoria de imprensa da ASP South America

Medina sai na frente no Rip Curl Pro Portugal

16 de outubro de 2011 0


Kelly Cestari/ASP

Medina abriu a bateria com essa onda que rendeu um tubaço. Foto: Kelly Cestari/ASP


O paulista Gabriel Medina, 17 anos, foi o único brasileiro a avançar direto para a terceira fase do Rip Curl Pro Portugal, que começou nesta tarde de domingo, em Supertubos, Peniche, no litoral português. O swell esperado chegou e rolaram algumas ondas, embora em algumas baterias tenha ficado claro a falta de ondas para uma disputa mais aberta.


ASP Kirstin Scholtz

Tinha tubo para os dois lados. Parko preferiu a direita. Foto: ASP Kirstin Scholtz


Além de Medina, dono do maior placar do dia, o australiano Joel Parkinson foi o grande destaque do dia, na bateria em que deixou Jadson André em segundo, logo na abertura do evento. Em seguida, Miguel Pupo fez a melhor onda do dia (um tubaço de backside seguida de uma manobra aérea para finalizar), com 9.67, mas não conseguiu barrar Julian Wilson, vice-campeão na França.


ASP Kirstin Scholtz

Julian Wilson fazendo o que mais gosta para finalizar a onda. Foto: ASP Kirstin Scholtz


O niteroiense Bruno Santos até chegou a liderar sua bateria, mas Kelly Slater sacou um 9 e administrou o resultado. Adriano de Souza também não se deu bem na sua bateria. Conseguiu pegar apenas uma direita, mas que abriu um tubo pequeno, a 30 segundos do fim. Gabriel Medina garantiu a vitória cedo na bateria que também tinha Raoni Monteiro e o português e ídolo local, Tiago Pires. O cearense Heitor Alves e o catarinense Alejo Muniz completam o time na repescagem.



ASP Kelly Cestary

Damien, representando bem o clã dos Hobgood quando o assunto é barrel. gASP Kelly Cestary



Resultados
Round1 Rip Curl Pro Portugal

H1: Joel Parkinson (AUS) 17.87, Jadson Andre (BRA) 15.47, Fredrick Patacchia (HAV) 11.93
H2: Julian Wilson (AUS) 17.50, Miguel Pupo (BRA) 15.80, Adam Melling (AUS) 10.00
H3: Daniel Ross (AUS) 10.07, Taylor Knox (EUA) 9.14, Taj Burrow (AUS) 7.12
H4: Owen Wright (AUS) 14.23, Patrick Gudauskas (EUA) 10.34, Justin Mujica (POR) 4.80
H5: Chris Davidson (AUS) 14.60, Jordy Smith (AFS) 8.90, Francisco Alves (POR) 7.67
H6: Kelly Slater (EUA) 13.10, Bruno Santos (BRA) 7.53, Travis Logie (AFS) 4.70
H7: Matt Wilkinson (AUS) 16.43, John John Florence (HAV) 13.50, Adriano de Souza (BRA) 4.87
H8: Gabriel Medina (BRA) 17.87, Raoni Monteiro (BRA) 12.90, Tiago Pires (POR) 2.79
H9: Damien Hobgood (EUA) 14.07, Kieren Perrow (AUS) 13.60, Bede Durbidge (AUS) 6.00
H10: Brett Simpson (USA) 17.43, Heitor Alves (BRA) 6.23, Michel Bourez (TAI) 6.17
H11: Mick Fanning (AUS) 16.10, Adrian Buchan (AUS) 15.77, Kai Otton (AUS) 9.73
H2: Josh Kerr (AUS) 16.30, Dusty Payne (HAV) 16.24, Alejo Muniz (BRA) 10.33

Segunda fase – respecagem (2º.=25º lugar – 500 pontos:
1ª. Jordy Smith (AFS) x Bruno Santos (BRA)
2ª. Taj Burrow (AUS) x Francisco Alves (POR)
3ª. Adriano de Souza (BRA) x Justin Mujica (POR)
4ª. Michel Bourez (TAI) x Adam Melling (AUS)
5ª. Alejo Muniz (BRA) x Fredrick Patacchia (HAV)
6ª. Adrian Buchan (AUS) x John John Florence (HAV)
7ª. Heitor Alves (BRA) x Tiago Pires (POR)
8ª. Bede Durbidge (AUS) x Kieren Perrow (AUS)
. Raoni Monteiro (BRA) x Kai Otton (AUS)
10: Jadson André (BRA) x Dusty Payne (HAV)
11: Miguel Pupo (BRA) x Travis Logie (AFS)
12: Taylor Knox (EUA) x Patrick Gudauskas (EUA)