Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Joel Parkinson"

Kelly Slater e Joel Parkinson fazem parceria na perfeição de Cloudbreak

25 de junho de 2014 0

O vídeo foi produzido pelo site MySurftv.

Filipe Toledo comanda as ações no primeiro dia do Billabong Rio Pro

07 de maio de 2014 0
Filipe Toledo voou alto na Barra. Foto ASP\Smorigo

Filipe Toledo voou alto na Barra. Foto ASP\Smorigo

O Billabong Rio Pro teve início no seu primeiro dia de janela, com ondas pequenas no postinho da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e o público pode comemorar a vitória de três brasileiros: Gabriel Medina, Filipe Toledo e Jadson André. E o destaque do dia foi justamente Filipe Toledo, autor do maior placar do dia com 18.30 para mandar para repescagem Julian Wilson e Aritz Aramburu na nona bateria do primeiro round.

Logo na abertura, Adriano de Souza perdeu por pouco para o amigo Tiago Pires, com o havaiano Sebastian Zietz em terceiro. Em seguida, Gabriel Medina conquistou a primeira vitória do dia, com certa tranquilidade. O carioca Raoni Monteiro ficou em segundo lugar na bateria e tentará a primeira vitória do ano diante do taitiano Michel Bourez na repescagem. Vice-lider do ranking, o australiano Joel Parkinson também confirmou o favoritismo e venceu sua bateria.

Saca passou por Mineirinho na abertura do evento. Foto ASP\Smorigo

Saca passou por Mineirinho na abertura do evento. Foto ASP\Smorigo

Em seguida, Kelly Slater foi surpreendido pelo australiano Mitch Crews e terá que duelar com o paranaense Peterson Crisanto por uma vaga na terceira fase. Outro wildcard brasileiro, o paulista David do Carmo ficou em segundo lugar, a frente de Mick Fanning, mas atrás do americano Kolohe Andino na sexta bateria. Com isso, o atual campeão brasileira irá enfrentar o atual campeão mundial por uma vaga na terceira fase.

Os amigos Alejo Muniz e Miguel Pupo foram mandados para a repescagem pelo americano Nat Young na décima bateria, enquanto Jadson André garantiu a última vitória brasuca nesta quarta-feira, ao superar Owen Wright e Michel Bourez. Para completar, o campeão da etapa no ano passado, John John Florence, também avançou para a terceira fase diante de CJ Hobgood e Matt Wilkinson.

Parko passou para a terceira fase. Foto ASP\Smorigo

Parko passou para a terceira fase. Foto ASP\Smorigo

Resultados do dia no Billabong Rio Pro
Round 1 (1=terceira fase/2 e 3= repescagem)
H1 – 1 Tiago Pires POR 9.70 2 Adriano De Souza BRA 9.60 3 Sebastian Zietz HAV 6.40
H2 – 1 Gabriel Medina BRA 14.53 2 Raoni Monteiro BRA 10.17 3 Adrian Buchan AUS 7.87
H3 – 1 Taj Burrow AUS 10.10 2 Bret Simpson EUA 7.83 3 Adam Melling AUS 7.24
H4 – 1 Joel Parkinson 13.67 2 Jeremy Flores FRA 12.20 3 Glen Hall IRL 8.67
H5 – 1 Mitch Crews AUS 13.07 2 Kelly Slater EUA 8.90 3 Peterson Crisanto BRA 8.53
H6 – 1 Kolohe Andino EUA 13.10 2 David do Carmo BRA 10.30 3 Mick Fanning AUS 10.07
H7 – 1 Josh Kerr AUS 14.33 2 Bede Durbidge AUS 14.20 3 Dion Atkinson AUS 10.76
H8 – 1 Jordy Smith AFS 13.67 2 Fred Patacchia Jr 12.50 3 Travis Logie AFS 9.60
H9 – 1 Filipe Toledo BRA 18.30 2 Julian Wilson AUS 13.93 3 Aritz Aramburu 10.47
H10- 1 Nat Young EUA 11.86 2 Alejo Muniz BRA 11.67 3 Miguel Pupo BRA 9.94
H11- 1 Jadson André BRA 12.13 2 Owen Wright AUS 11.60 3 Michel Bourez TAI 10.03
H12- 1 John John Florence HAV 12.16 2 CJ Hobgood 11.53 3 Matt Wilkinson AUS 10.80

Medinair. Foto ASP\Smorigo,

Medinair. Foto ASP\Smorigo,

Round 2 (1=terceira fase/2=25 colocado)
H1 – Mick Fanning AUS x David do Carmo BRA
H2 – Kelly Slater x Peterson Crisanto BRA
H3 – Adriano de Souza BRA x Glen Hall IRL
H4 – Julian Wilson AUS x Bret Simpson EUA
H5 – Michel Bourez TAI x Raoni Monteiro BRA
H6 – CJ Hobgood EUA x Dion Atkinson AUS
H7 – Owen Wright AUS x Travis Logie AFS
H8 – Miguel Pupo BRA x Aritz Aramburu ESP
H9 – Fred Patacchia HAV x Alejo Muniz BRA
H10 – Bede Durbidge AUS x Matt Wilkinson AUS
H11 – Sebastian Zietz HAV x Jeremy Flores FRA
H12 – Adrian Buchan AUS x Adam Melling AUS

Taj Burrow já foi considerado o Mr Rio!. Foto ASP\Kirstin

Taj Burrow já foi considerado o Mr Rio!. Foto ASP\Kirstin

Jordy Smith também passou pela primeira fase. Foto ASP\Smorigo

Jordy Smith também passou pela primeira fase. Foto ASP\Smorigo

Tops encaram a coletiva de imprensa do Billabong Rio Pro

05 de maio de 2014 0
Medina estará na coletiva. Foto ASP/Smorigo

Medina estará na coletiva. Foto ASP/Smorigo

A arena do Billabong Rio Pro já está pronta para receber os melhores surfistas do mundo na etapa brasileira do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014, que começa nesta quarta-feira nas ondas do Postinho, no início da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Para assistir de perto os grandes astros das ondas, basta arrumar um lugar na areia porque o espetáculo é de graça e o brasileiro Gabriel Medina defende a liderança na corrida do título mundial depois da “perna australiana”, com transmissão ao vivo pelo www.aspworldtour.com

O Billabong Rio Pro tem prazo até o dia 18 para ser realizado nos dias de melhores ondas na Barra da Tijuca. E no mesmo período acontece a quarta etapa da categoria feminina, Billabong apresenta Rio Women´s Pro. Os principais concorrentes pela ponta no ranking atenderão aos jornalistas na coletiva de imprensa confirmada para as 14h da terça-feira, no Royalty Barra Hotel, na Avenida do Pepê, 690, na Barra da Tijuca. Apenas os credenciados poderão entrar na sala da coletiva, exclusiva para a mídia esportiva.

Joel Parkinson é o vice-líder do ranking. Foto ASP/Smorigo

Joel Parkinson é o vice-líder do ranking. Foto ASP/Smorigo

COLETIVA DE IMPRENSA

Pela primeira vez, depois de muitos anos, a coletiva não terá o americano Kelly Slater. O líder do ranking, Gabriel Medina, vai compor a mesa junto com os campeões mundiais Joel Parkinson (vice-líder), Mick Fanning (3º), o sul-africano Jordy Smith, que defende o título da etapa brasileira esse ano, e Adriano de Souza, vice-campeão no ano passado e vencedor da primeira edição do Billabong Rio Pro no Rio de Janeiro em 2011, que terá muito assunto para falar após ter as pranchas retidas na Receita Federal.

Entre as meninas, a bicampeã mundial Carissa Moore, que vem de duas vitórias nas últimas provas da “perna australiana”, a pentacampeã Stephanie Gilmore e a atual campeã do Billabong apresenta Rio Women´s Pro, Tyler Wright, além da havaiana Alessa Quizon, umas das novatas da jovem elite das top-17 dominada pela nova geração este ano, com média de apenas 21 anos de idade.

Adriano de Souza. Foto ASP/Smorigo

Adriano de Souza. Foto ASP/Smorigo

INÍCIO DA COMPETIÇÃO

Na quarta-feira, a primeira chamada para as duas categorias está marcada para as 7h. Como em todos os dias, a comissão técnica analisa as previsões, se reúne para checar as condições do mar na Barra da Tijuca e decide se vai iniciar a competição pelo Billabong Rio Pro, ou pelo Billabong apresenta Rio Women´s Pro, ou se será adiada para esperar por ondas melhores, podendo acontecer ainda de marcarem novas chamadas durante o dia. A atualização pode ser acompanhada pelo www.aspworldtour.com.

Com informações de João Carvalho – ASP South America

Mick Fanning toca o sino do Rip Curl Pro Bells Beach e Gabriel Medina mantém liderança do ranking

23 de abril de 2014 0
Mick tocou o sino pela segunda vez na carreira. Foto ASP/Cestari

Mick tocou o sino pela segunda vez na carreira. Foto ASP/Cestari

O australiano Mick Fanning, atual campeão do mundo, faturou o título do Rip Curl Pro Bells Beach, etapa mais tradicional do Samsung Galaxi ASP World Championship Tour, encerrada na madrugada desta quarta-feira (horário de Brasília). Na final, disputada nas ondas de Winkipop, Fanning venceu o compatriota Taj Burrow, responsável pela eliminação de Adriano de Souza, o melhor brasuca no evento, com o quinto lugar.

Com a vitória, Mick levou 10 mil pontos e subiu do 11º lugar para a terceira colocação no ranking mundial que ainda tem Gabriel Medina como líder. O paulista terminou a competição na nona colocação após ser derrotado por Adriano de Souza em uma bateria acirrada pelas quartas de final que abriu a competição masculina.

Carissa levou a melhor entre as meninas. Foto ASP/Cestari

Carissa levou a melhor entre as meninas. Foto ASP/Cestari

O dia também teve o encerramento do evento feminino, com mais uma vitória da havaiana Carissa Moore, que derrotou a australiana Tyler Wright na final que foi disputada das ondas de Bells Beach. Com o título, Moore ampliou a vantagem sobre as adversárias na briga pelo título da temporada. As australianas Sally Fitzgibbons e Stephaniel Gilmore pararam nas semifinais.

Além da vitória de Fanning, o dia foi marcado pela polêmica onda de Jordy Smith no confronto pelas quartas de final contra Julian Wilson. O sul-africano mandou duas manobras seguidas, levou 10 de três dos cinco juízes e, ao levar 9.93, acabou derrotado por um diferença 0.6 décimos para Wilson, que teve 9,1 como melhor onda na bateria.

Julian eliminou Jordy Smith na bateria polêmica do dia. Foto ASP/Cestari

Julian eliminou Jordy Smith na bateria polêmica do dia. Foto ASP/Cestari

John John eliminou Slater e caiu na semifinal. Foto ASP/Kirstin

John John eliminou Slater e caiu na semifinal. Foto ASP/Kirstin

O havaiano John John Florence também chamou atenção ao se recuperar na temporada. Ele foi o responsável pela eliminação do americano Kelly Slater com uma onda no final da bateria pelas quartas de final. Da mesma forma, nos segundos finais, Mick Fanning conseguiu superar Owen Wright pelas quartas de final. A maré já começava a encher em Bells, engordando as poucas ondas que apareciam e por isso o comissário da ASP Kieren Perrow decidiu transferir as semifinais para o pico alternativo de Winkipop.

Slater não estava a vontade em Bells. Foto ASP/Cestari

Slater não estava a vontade em Bells. Foto ASP/Cestari

Taj Burrow está na 17ª temporada na elite do surfe mundial. Foto ASP/Cestari

Taj Burrow está na 17ª temporada na elite do surfe mundial. Foto ASP/Cestari

Adriano queria tentar o bicampeonato mas foi barrado por Taj Burrow. Foto ASP/Cestari

Adriano queria tentar o bicampeonato mas foi barrado por Taj Burrow. Foto ASP/Cestari

Aliás, foram as séries demoradas que acabaram por atrapalhar o paulista Adriano de Souza na bateria contra Taj Burrow. Usando uma Al Merick que veio especialmente da Califórnia, Mineirinho pegou uma boa onda no início, mas viu Taj responder em seguida com uma maior variação nas manobras em uma onda maior da série.

Sem a prioridade, o brasileiro tentou atacar as intermediárias, mas as ondas não tinham tanto potencial. Com isso, acabou vendo o tempo se esgotar a espera da série que veio logo após o soar da sirene de término da bateria. Chateado com a eliminação, Mineirinho atribuiu a derrota a escolha errada das ondas e disse que iria permanecer em Bells para treinar já que ainda faltam duas semanas para a etapa brasileira no Rio de Janeiro.

Joel Parkinson caiu nas quartas para Julian Wilson. Foto ASP/Kirstin

Joel Parkinson caiu nas quartas para Julian Wilson. Foto ASP/Kirstin

Rip Curl Pro Bells Beach – Masculino

Final (1º=10 mil pts/2º= 8.500 pontos)
Mick Fanning (AUS) 16.83 a 13.46 Taj Burrow (AUS)

Semifinais (2º=3º lugar, 6.500 pontos)
SF1: Taj Burrow (AUS) 14.43 a 13.43 John John Florence (HAV)
SF2: Mick Fanning (AUS) 18.20 a 17.36 Julian Wilson (AUS)

Quartas de final (2º lugar= 5º lugar, 5.200 pontos):
QF1: Taj Burrow (AUS) 15.50 a 13.16 Adriano de Souza (BRA)
QF2: John John Florence (HAW) 13.13 a 11.10 Kelly Slater (EUA)
QF3: Julian Wilson (AUS) 17.53 a 15.34 Joel Parkinson (AUS)
QF4: Mick Fanning (AUS) 13.16 a 11.37 Owen Wright (AUS)

Medina terminou o evento em Bells na nona colocação. Foto ASP/Kirstin

Medina terminou o evento em Bells na nona colocação. Foto ASP/Kirstin

Ranking após três etapas:
GABRIEL MEDINA BRA 19,200
2º JOEL PARKINSON AUS 18,400
3º MICK FANNING AUS 16,950
4º KELLY SLATER EUA 16,900
5º TAJ BURROW AUS 16,250
ADRIANO DE SOUZA BRA 15,700
7º JOSH KERR AUS 13,750
8º MICHEL BOUREZ PYF 12,250
9º NAT YOUNG EUA 10,950
MIGUEL PUPO BRA 10,950
11º JULIAN WILSON AUS 10,000
12º JORDY SMITH AFS 9,700
13º JOHN JOHN FLORENCE HAW 8,750
13º BEDE DURBIDGE AUS 8,750
Os outros brasileiros
19º FILIPE TOLEDO BRA 6,250
21º JADSON ANDRE BRA 4,000
33º ALEJO MUNIZ BRA 1,500
33º RAONI MONTEIRO BRA 1,500

Freesurf em The Box, o slab do momento

11 de abril de 2014 2

Glory Box from onepalmMEDIA on Vimeo.

O Drug Aware Margaret River Pro já entrou para a história com a realização do Round 5 na cilíndrica The Box. Mas como os vídeos do dia só podem ser assistidos na página da ASP do You Tube, posto aqui um vídeo com sessões de free surf de tops como Josh Kerr, Joel Parkinson e do atual comissário da ASP Kieren Perrow, o que de certa forma explica como The Box foi escolhida para sediar um round da segunda parada do Samsung Galaxi ASP WCT 2014. O vídeo é da One Palm Midia

Gabriel Medina fatura o Quiksilver Pro Gold Coast e larga na frente pelo disputa do título mundial de surfe

11 de março de 2014 0
Gabriel comemora o título inédito. Foto ASP/Cestari

Gabriel comemora o título inédito. Foto ASP/Cestari

O fenômeno Gabriel Medina, 20 anos, conseguiu mais um feito inédito na carreira ao se tornar o primeiro brasileiro a ser campeão do Quiksilver Pro Gold Coast na Austrália. A final foi contra o ídolo local Joel Parkinson, 32 anos, e a vitória foi de virada nos últimos minutos como já havia feito com Taj Burrow, 35, na semifinal e com o atual campeão mundial Mick Fanning, 32, nas quartas de final.

Medina é o segundo “goofy footer” da história do evento a conquistar o título surfando de backside” as direitas de Snapper Rocks. A vitória valeu um prêmio de 100 mil dólares e o Brasil larga na frente na corrida pelo caneco de melhor do mundo no Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014.

- Foi inacreditável, mas acho que Deus estava do meu lado hoje aqui – disse Gabriel Medina, depois de ser carregado pela torcida brasileira do mar até a arena do evento.

- Estou muito feliz por começar o ano com vitória. Eu trabalhei muito duro para me recuperar da contusão que tive em dezembro para poder estar aqui participando desta primeira etapa. Eu tive baterias muito difíceis hoje e o Joel (Parkinson) é um surfista fantástico. Ele começou bem a bateria, mas tentei fazer o meu melhor e quase nem acredito que consegui vencer esse campeonato.

Gabriel saiu carregado pela galera após a virada sensacional. Foto ASP/Cestari

Gabriel saiu carregado pela galera após a virada sensacional. Foto ASP/Cestari

Foi realmente uma vitória emocionante, por 16,33 a 16,27 pontos, com Gabriel Medina conseguindo acabar com a invencibilidade de Joel Parkinson sobre os brasileiros na terça-feira em Snapper Rocks. O australiano já havia barrado Miguel Pupo nas quartas de final e também achou tubos incríveis para ganhar a semifinal contra Adriano de Souza, que vinha embalado pelas duas vitórias sobre o defensor do título do Quiksilver Pro Gold Coast, Kelly Slater, no último dia da etapa de abertura do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014.

Como fez com Mineirinho na semifinal, Joel Parkinson abriu a decisão do título com um tubo seguido por uma série de manobras abrindo grandes leques de água que levantaram a torcida australiana na lotada Snapper Rocks na terça-feira. A nota saiu 9,0 e Gabriel Medina respondeu com um 6,17 na sua primeira onda. O brasileiro pegou a segunda dele antes do australiano e repetiu o forte ataque de backside variando suas manobras modernas com velocidade para assumir a ponta com nota 7,0.

Parkinson respondeu com uma série de manobras fortes para recuperar a liderança com nota 6,83. Mas sua prancha quebrou em uma onda e ele perdeu tempo até o caddie lhe trazer a reserva e voltar ao outside. Mesmo assim, o aussie chegou antes de Medina surfar outra onda para tirar a vantagem de 8,84 pontos do australiano.

Primeiro goofy a vencer o evento. Foto ASP/Kirstin

Segundo goofy a vencer o evento. Foto ASP/Kirstin

O brasileiro falhou na primeira tentativa e Parko conseguiu mais um tubo seguido por várias manobras para delírio da torcida. Ele recebeu nota 7,27 e botou mais pressão no brasileiro, que passou a precisar de 9,27 pontos para virar o placar em uma onda. Parecia que seria dia do australiano, que repetiu a fórmula ao pegar outro tubo seguido por muitas manobras. Só que essa não mudou o placar porque a nota foi 6,63.

Quando faltavam sete minutos, Medina pegou uma boa direita e aproveitou todo o espaço da onda para fazer suas manobras com muita potência e entrar na briga com uma nota 8,5. Em seguida, já surfou outra onda variando cada ataque com pressão e velocidade para buscar os 7,78 pontos da vitória nos últimos minutos e emudecer a praia. A nota saiu 7,83 e Joel Parkinson passou a precisar de 7,33 pontos a três minutos do fim.

O australiano falhou na primeira tentativa, mas ainda pegou outra onda para acertar algumas manobras até cair na última, criando o suspense. A nota saiu (5,10) e Gabriel Medina se consagrou como o primeiro brasileiro a ser campeão na Gold Coast.

Desta vez não deu para Parko. Foto ASP/Kirstin

Desta vez não deu para Parko. Foto ASP/Kirstin

VITÓRIAS SOBRE OS MELHORES DO MUNDO

Para chegar na grande final, o fenômeno derrotou o atual campeão mundial Mick Fanning duas vezes na terça-feira. Primeiro, venceu na repescagem e depois eliminou o australiano que é seu companheiro de equipe nas quartas de final. Também de virada nas últimas ondas, desta vez na que pegou quando restavam apenas 40 segundos para o término, Medina passou por Taj Burrow na semifinal por três centésimos de diferença.

O australiano liderava com 14,10 pontos, o brasileiro precisava de 7,21 para vencer e recebeu nota 7,23 na sua última onda. No duelo seguinte, Joel Parkinson não deu qualquer chance para Adriano de Souza, já abrindo a bateria com um tubão incrível seguido por várias manobras que arrancaram a maior nota do campeonato – 9,93. Na sua segunda onda, Parko pegou outro tubo e destruiu mais uma boa direita para praticamente garantir a vitória com a nota 8,77 que recebeu para totalizar 18,70 pontos.

ÓTIMO INÍCIO DE ANO

Mesmo assim, o terceiro lugar foi mais um ótimo resultado neste início de temporada para Adriano de Souza. Antes do Quiksilver Pro Gold Coast, ele participou de três etapas do ASP Qualifying Series e lidera esse ranking com uma vitória no ASP 6-Star de Sydney, o terceiro lugar nas semifinais do ASP 6-Star de Newcastle também na Austrália e o quarto lugar na final do ASP 5-Star de Banzai Pipeline no Havaí, vencida por Kelly Slater. Mineirinho e Taj Burrow dividem a terceira posição no primeiro ranking do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014.

O segundo desafio também é na Austrália e marca a estreia do Margaret River Pro no calendário da divisão de elite do ASP World Tour nos dias 2 a 13 de abril em Surfers Point. Além de Gabriel Medina na liderança e Adriano de Souza em terceiro lugar, Miguel Pupo também começou bem o ano com a quinta colocação na Gold Coast e o potiguar Jadson André foi o outro único brasileiro que venceu baterias em Snapper Rocks, mas perdeu na terceira fase e ficou em 13º lugar. Já Filipe Toledo, Alejo Muniz e Raoni Monteiro começam em 25º.

FINAL DO QUIKSILVER PRO GOLD COAST:
CAMPEÃO: Gabriel Medina (BRA) por 16,33 pontos (8,50+7,83) – US$ 100 mil e 10.000 pontos
Vice-campeão: Joel Parkinson (AUS) com 16,27 (9,00+7,27) – US$ 40 mil e 8.000 pontos

SEMIFINAIS (2º=3º lugar com 6.500 pontos e US$ 20 mil):
1ª: Gabriel Medina (BRA) 14.13 x 14.10 Taj Burrow (AUS)
2ª: Joel Parkinson (AUS) 18.70 x 9.67 Adriano de Souza (BRA)

QUARTAS DE FINAL (5º lugar com 5.200 pontos e US$ 15 mil):
1ª: Taj Burrow (AUS) 15.00 x 12.46 C. J. Hobgood (EUA)
2ª: Gabriel Medina (BRA) 15.83 x 14.00 Mick Fanning (AUS)
3ª: Adriano de Souza (BRA) 16.53 x 12.17 Kelly Slater (EUA)
4ª: Joel Parkinson (AUS) 17.93 x 13.26 Miguel Pupo (BRA)

QUINTA FASE (Vitória=Quartas de Final/2º=9º lugar com 4.000 pontos e US$ 12.500):
1ª: C. J. Hobgood (EUA) 13.53 x 13.20 Fredrick Patacchia (HAV)
2ª: Mick Fanning (AUS) 18.40 x 10.27 Mitch Crews (AUS)
3ª: Kelly Slater (EUA) 16.26 x 14.40 Nat Young (EUA)
4ª: Miguel Pupo (BRA) 16.40 x 15.20 Josh Kerr (AUS)

QUARTA FASE (Vitória=Quartas de Final/2º e 3º=Repescagem):
1ª: 1-Taj Burrow (AUS)=14.53, 2-Fredrick Patacchia (HAV)=14.10, 3-Mitch Crews (AUS)=13.00
2ª: 1-Gabriel Medina (BRA)=14.93, 2-Mick Fanning (AUS)=14.70, 3-C. J. Hobgood (EUA)=9.53
3ª: 1-Adriano de Souza (BRA)=14.87, 2-Kelly Slater (EUA)=13.77, 3-Josh Kerr (AUS)=10.77
4ª: 1-Joel Parkinson (AUS)=13.94, 2-Miguel Pupo (BRA)=11.57, 3-Nat Young (EUA)=10.90

CALENDÁRIO DO SAMSUNG GALAXY ASP WORLD CHAMPIONSHIP TOUR 2014:
1ª – Mar 01-12: Quiksilver Pro Gold Coast em Snapper Rocks, Gold Coast – Austrália
2ª – Abr 02-13: Margaret River Pro em Surfes Point, West Australia – Austrália
3ª – Abr 16-27: Rip Curl Pro Bells Beach em Bells Beach, Victoria – Austrália
4ª – Mai 07-18: Billabong Rio Pro na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – Brasil
5ª – Jun 01-13: Fiji Pro em Cloudbreak e Restaurants nas Ilhas Fiji
6ª – Jul 10-20: J-Bay Pro em Supertubes, Jeffreys Bay – África do Sul
7ª – Ago 15-26: Billabong Pro Tahiti em Teahupoo, Taiarapu Ouest – Taiti
8ª – Set 09-20: Hurley Pro Trestles em Lower Trestles, Califórnia – Estados Unidos
9ª – Set 25-06: Quiksilver Pro France em Hossegor, Landes – França
10ª – Out 12-23: Rip Curl Pro Portugal em Supertubos, Peniche – Portugal
11ª – Dez 08-20: Billabong Pipe Masters em Banzai Pipeline, Oahu – Havaí

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Gabriel Medina garante o Brasil direto na terceira fase do Quiksilver Pro Gold Coast

02 de março de 2014 0
Medina voltou com tudo. Foto ASP/Kirstin

Medina voltou com tudo. Foto ASP/Kirstin

O paulista Gabriel Medina salvou a pátria na rodada de abertura do Quiksilver Pro Gold Coast no domingo de praia lotada e boas ondas de 3-4 pés em Snapper Rocks, na Gold Coast, Austrália. Ele conquistou a única vitória brasileira para passar direto para a terceira fase, enquanto os outros seis terão que encarar a primeira repescagem do ano no Samsung Galaxy ASP World Championship Tour. Além de Medina, um segundo brasileiro também estará na terceira fase e sairá da bateria de repescagem entre os amigos Miguel Pupo e Alejo Muniz.

Finalistas desta etapa no ano passado, o defensor do título Kelly Slater e Joel Parkinson confirmaram o favoritismo, mas o atual campeão mundial Mick Fanning foi batido pelo convidado Dane Reynolds e vai abrir a repescagem com o vencedor das triagens, o também australiano Matt Banting.

- Eu estava me sentindo bem e confiante para arriscar as manobras na bateria – disse Gabriel Medina, após a vitória sobre o havaiano John John Florence e o potiguar Jadson André, que está retornando a elite dos top-34 da ASP esse ano.

- Minha prancha está muito boa para essas ondas e isso ajudou também. Estou voltando de uma lesão sofrida no Havaí em dezembro e não me sinto 100% ainda, mas estou quase lá, melhorando a cada dia. Espero poder surfar mais à vontade em breve, quando me sentir 100% recuperado. Estou feliz pela vitória. Eu tive uma bateria contra o John John (Florence) muito difícil em Pipeline no ano passado que ele me venceu, agora foi minha vez e é sempre muito bom competir contra ele.

Josh Kerr voando no quintal de cada. Foto ASP/Kirstin

Josh Kerr voando no quintal de cada. Foto ASP/Kirstin

A única vitória verde-amarela do domingo só saiu no 10º confronto do dia. Com manobras inovadoras, Gabriel Medina conseguiu duas notas na casa dos 7 pontos para superar John John Florence por 15,67 a 13,40 pontos. O havaiano chegou a receber a maior nota da bateria, mas não achou outra onda consistente para somar com a sua melhor apresentação (8.30). O potiguar Jadson André também só surfou uma boa (7,10), mas cometeu uma interferência e computou apenas essa onda na bateria.

Esta foi a primeira participação dupla do Brasil no domingo. Na disputa seguinte, o paulista Adriano de Souza e o catarinense Alejo Muniz também estrearam juntos, mas ambos foram batidos pelo ex-campeão mundial C. J. Hobgood. O norte-americano ganhou de Mineirinho por décimos de diferença, 14,73 a 14,54 pontos. C. J. somou notas 8,10 e 6,63, contra 7,67 e 6,87 do brasileiro, enquanto Alejo terminou em último com 10,27 pontos. E o primeiro dia do Quiksilver Pro Gold Coast já não tinha começado bem para o Brasil.

Taj quebrou. Foto ASP/Cestari

Taj quebrou e venceu Miguel. Foto ASP/Cestari

MELHOR DO DIA

O paulista Miguel Pupo perdeu o segundo confronto do domingo para Taj Burrow, depois o carioca Raoni Monteiro foi mandado para a repescagem por Adrian Buchan e o paulista Filipe Toledo também foi derrotado por um australiano, Josh Kerr, que fez os recordes da rodada. Ele pegou tubos e completou aéreos incríveis para atingir 17,54 pontos com a nota 9,27 da melhor onda surfada em Snapper Rocks. Filipe só conseguiu achar uma onda boa (8,87) e acabou somando uma 3,67 no resultado.

Todos os anos eu sonho em ganhar esse evento, especialmente depois de ver meus amigos que são daqui também vencerem, como o Mick Fanning e o Joel Parkinson — disse Josh Kerr.

Eu nasci e cresci aqui e vejo este campeonato na minha cidade desde quando eu era criança. Snapper Rocks é uma grande arena porque o público fica bem perto da gente quando a maré está seca, apenas 20 metros de distância. Quando você pega a onda, consegue ouvir a torcida gritando e é muito emocionante ouvir a vibração deles.

CAMPEÕES MUNDIAIS

Slater animado com o novo tour. Foto ASP/Cestari

Slater animado com o novo tour. Foto ASP/Cestari

Entre os campeões mundiais que fazem parte do grupo dos top-34, o único a tropeçar na estreia foi o defensor do título, Mick Fanning, derrotado pelo norte-americano Dane Reynolds que conseguiu a vitória na sua última onda. Vice-campeão no Quiksilver Pro Gold Coast do ano passado, Joel Parkinson fez o segundo maior placar do dia, 16,43 pontos. Já Kelly Slater, recordista com quatro títulos nesta etapa (2006, 2008, 2011 e 2013), só precisou de 14,97 pontos para vencer sua bateria.

Eu realmente amo essa onda, mas sinto que ela se adapta ao surfe de todo mundo, então não sei explicar porque é um evento tão bom para mim — disse Kelly Slater, que também elogiou a nova estrutura do evento com a entrada da Samsung como patrocinadora do ASP Tour.

Está tudo incrível, a estrutura e o espaço que temos para nós agora. Nós podemos se concentrar melhor antes das baterias e nos bastidores parece que há muito mais coisas acontecendo. Acho que todos estão bastante animados para esta temporada e para os próximos anos também.

Parko fez o dever de casa. Foto ASP/Cestari

Parko fez o dever de casa. Foto ASP/Cestari

REPESCAGENS

No domingo, só foi realizada a primeira fase do Quiksilver Pro, ao contrário do sábado quando apenas as meninas competiram na rodada de abertura do Roxy Pro Gold Coast. A próxima chamada para as repescagens das duas categorias foi marcada para as 7h30 da segunda-feira na Austrália, 18h30 do domingo pelo fuso horário de Brasília. Se a comissão técnica decidir iniciar o dia com a repescagem masculina, a primeira bateria será entre o tricampeão mundial Mick Fanning e o também australiano Matt Banting. Se for pela feminina, o primeiro duelo é o da norte-americana Lakey Peterson com a havaiana Alana Blanchard.

Acesse a transmissão ao vivo pelo www.aspsouthamerica.com e acompanhem a participação dos brasileiros também pelas redes sociais da ASP South America – www.facebook.com/aspsouthamerica e www.twitter.com/aspsouthameric1

QUIKSILVER PRO GOLD COAST -
Round 1 (1º=Terceira Fase / 2º e 3º=Repescagem):
Resultados do domingo:
1ª: 1-Jeremy Flores (FRA)=13.76, 2-Travis Logie (AFR)=13.40, 3-Julian Wilson (AUS)=12.00
2ª: 1-Taj Burrow (AUS)=16.17, 2-Miguel Pupo (BRA)=11.83, 3-Dion Atkinson (AUS)=7.37
3ª: 1-Fredrick Patacchia (HAV)=13.03, 2-Brett Simpson (EUA)=12.37, 3-Jordy Smith (AFR)=8.04
4ª: 1-Joel Parkinson (AUS)=16.43, 2-Bede Durbidge (AUS)=13.60, 3-Tiago Pires (PRT)=9.93
5ª: 1-Kelly Slater (EUA)=14.97, 2-Matt Banting (AUS)=13.67, 3-Matt Wilkinson (AUS)=11.07
6ª: 1-Dane Reynolds (EUA)=14.83, 2-Mick Fanning (AUS)=14.20, 3-Adam Melling (AUS)=10.50
7ª: 1-Adrian Buchan (AUS)=11.90, 2-Kai Otton (AUS)=10.10, 3-Raoni Monteiro (BRA)=8.63
8ª: 1-Nat Young (EUA)=13.50, 2-Sebastian Zietz (HAV)=13.17, 3-Aritz Aranburu (ESP)=8.30
9ª: 1-Josh Kerr (AUS)=17.54, 2-Filipe Toledo (BRA)=12.54, 3-Mitch Crews (AUS)=12.50
10ª: 1-Gabriel Medina (BRA)=15.67, 2-John John Florence (HAV)=10.10, 3-Jadson André (BRA)=8.33
11ª: 1-C. J. Hobgood (EUA)=14.73, 2-Adriano de Souza (BRA)=14.54, 3-Alejo Muniz (BRA)=10.27
12ª: 1-Michel Bourez (TAH)=12.10, 2-Owen Wright (AUS)=10.87, 3-Kolohe Andino (EUA)=7.50

Round 2 – Repescagem (Vitória=Terceira Fase / Derrota=25º lugar com 500 pontos):
1ª: Mick Fanning (AUS) x Matt Banting (AUS)
2ª: Jordy Smith (AFR) x Tiago Pires (PRT)
3ª: Julian Wilson (AUS) x Brett Simpson (EUA)
4ª: Kai Otton (AUS) x Dion Atkinson (AUS)
5ª: John John Florence (HAV) x Travis Logie (AFR)
6ª: Owen Wright (AUS) x Raoni Monteiro (BRA)
7ª: Adriano de Souza (BRA) x Aritz Aranburu (ESP)
8ª: Filipe Toledo (BRA) x Mitch Crews (AUS)
9ª: Sebastian Zietz (HAV) x Jadson André (BRA)
10ª: Miguel Pupo (BRA) x Alejo Muniz (BRA)
11ª: Bede Durbidge (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
12ª: Matt Wilkinson (AUS) x Adam Melling (AUS)

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Tomas Hermes comanda dobradinha brasileira em Newscastle

18 de fevereiro de 2014 0
Parko passou ali. Foto ASP/Robertson

Parko passou ali. Foto ASP/Robertson

O segundo dia de competições do Burton Toyota Pro Surfest, em Newcastle, contou com a entrada dos cabeças de chave. O destaque brasileiro do dia no evento seis estrelas da ASP ficou para uma dobradinha entre o catarinense Tomas Hermes e o paulista David do Carmo na 15ª bateria das 18 que entraram na água pelo Round dos 96 masculino.

Terceiro colocado em Manly Beach, Tomas mostrou que está no ritmo e venceu a bateria com facilidade. David passou em segundo, superando o japonês Takumi Nakamura (quarto) e o australiano Mitchell James (terceiro). Os paulistas Jessé Mendes, Caio Ibelli e Thiago Camarão também venceram suas baterias e avançaram para a próxima fase.

O pernambucano radicado em Floripa Ian Gouveia passou em segundo, atrás do aussie Nicola Squiers, na bateria que eliminou o top paulista Filipe Toledo. O paulista Wiggolly Dantas e o paraibano Jano Belo foram as primeiras baixas brasucas que contou ainda com a eliminações dos capixabas Krystian Kymerson e Rafael Teixeira e dos cearenses Heitor Alves e Michael Rodrigues.

Peterson Crisanto, Willian Cardoso e Adriano de Souza ainda aguardam a oportunidade de disputarem as baterias pelo Round dos 96. O atual campeão do evento, o australiano Joel Parkinson, também fez sua estreia na bateria inaugural do round dos 96 e passou raspando, atrás do compatriota Brent Dorrington. Uma diferença de menos de um ponto separou Parko do terceiro colocado, também aussie Ty Watson.

O dia foi aberto com a primeira fase feminina, mas sem a presença brasileira. Jacqueline Silva não conseguiu entrar na competição por falta de seed (pontuação do ano passado). Bruna Schmitz estreia direto na segunda fase, e Silvana Lima, na última bateria da terceira fase, quando entram as cabeças de chave. A próxima chamada acontece as 15h30min, horário de Brasília. Para assistir ao vivo clique em http://www.surfest.com/live/.

Tops entram na briga pelo título do Be Influence Australian Boardriders Battle

23 de janeiro de 2014 0

Antes do início da temporada, alguns tops australianos do ASP World Tour se encontram na praia de Cronulla, em Nova Gales do Sul, neste fim de semana para disputar o Be the Influence Australian Boardriders Battle em Cronulla, a final do campeonato de clubes de surfe australianos ou como diríamos, o nosso interassociações.

Até o ano passado a ASP não concedia autorização para os surfistas que fazem parte do World Tour competirem nas provas fora de sua jurisdição – era o que impedia os brasucas de disputarem algum campeonato por aqui – porém, o evento passou a ficar sob a tutela da entidade máxima do surfe mundial, e os tops estarão na água antes do início da perna australiana do circuito mundial.

O evento terá 16 clubes na luta pelo título – 13 participaram de eventos de qualificação, dois foram convidados, além do anfitrião, de Cronulla. Cada clube compete com sete surfistas: dois sub-18 (masculino e feminino), quatro na Open (três masculinos e um feminino) e um sênior (acima de 35 anos, masculino ou feminino).

Os clubes estão divididos em seis regiões: New South Wales (Merewether Surfboard Club, Avoca Boardriders, Werri Beach Boardriders, Elouera Boardriders, North Narrabeen Boardriders, Queenscliff Boardriders, Cronulla Sharks Boardriders), Queensland (Snapper Rocks Surfriders, Kirra Surfriders, D-Bah Boardriders), Victoria (Torquay Boardriders, 13th Beach Boardriders), Westerna Australia (Yallingup Boardriders, Margaret River Boardriders), South Austrália (Seaford Boardriders) e Tasmânia (South Arm Boardriders)

O favoritismo é todo do Snapper Rocks Surfriders, clube que terá Joel Parkinson, Stephanie Gilmore, além do rookie Mitch Crews, e novato Mitch Parkinson (que esteve em Floripa, no Mundial Júnior da ASP e é sobrinho de Parko, além da júnior Holly-Sue Coffey e do veterano Jay Phillips.

Dion Atkinson (Seaford), Taj Burrow (Yallingup), Matt Wilkinson (Avoca) e Laura Enever (North Narrabeen) são os outros membros do World Tour no evento, mas antigos nomes do surfe mundial também marcam presença como Jake Paterson (Yallingup), Dave Macaulay (Margaret River), Nathan Webster (North Narrabeen), Luke Egan (Merewether), Mark Occhilupo (Cronulla) e a sete vezes campeã mundial Layne Beachley (Queenscliff). Para acompanghar o evento ao vivo acesse www.australianboardridersbattle.com.

Joel Parkinson renova com a Billabong

17 de janeiro de 2014 0
Foto Divulgação

Foto Divulgação

O australiano Joel Parkinson, um dos surfistas mais bem sucedidos e populares do mundo, renovou seu contrato com a Billabong. Com 32 anos, Parko conquistou seu primeiro título mundial da ASP em 2012. Morador de Coolangatta, na Gold Coast, o surfista tem sido apoiado pela marca em grande parte de sua carreira. A primeira vez que a Billabong apostou em Parko foi em 1992 e ele tinha apenas 11 anos de idade.

A parceria se manteve e desde então Parko conquistou dois títulos mundiais júnior, a primeira vitória no ASP World Tour como wildcard, aos 19 anos, em Jefreys Bay, na África do Sul, em 1999, vitórias em eventos do tour ao longo de 11 temporada, além das quatro vezes em que foi vice-campeão e o terceiro lugar no ASP Tour em 2013.
Mas consistência competitiva é apenas uma parte do pacote de Parkinson. Joel é conhecido mundialmente como um dos melhores embaixadores do surfe, além de ser um pai de família e um orgulhoso australiano. Seu comportamento alegre e amarradão lhe garante presença nas revistas de surfe e nos vídeos e faz com que Parko seja um dos surfista favoritos dos jovens, assim como seu estilo de surfe clássico em ondas fortes asseguram a admiração dos mais velhos também.

Eu me senti como se eu fosse parte de uma grande família desde que eu era um gromet magricela de 11 anos de idade. Quando eu comecei, colocar o primeiro adesivo da equipe Billabong na prancha era um dos maiores momentos da minha vida e eu estou feliz e orgulhoso por ainda estar sob a mesma bandeira todos esses anos mais tarde. Foi realmente uma boa parceria por um longo, longo tempo, que me ajudou a chegar a lugares que eu nunca poderia ter sonhado, e eu estou vendo um monte de coisas boas que ainda estão por vir no futuro.

Foto Divulgação

Foto Divulgação

O CEO da Billabong Neil Fiske também está entusiasmado com a continuidade da relação.

Estamos absolutamente encantado por ter Parko assinar novamente com o Billabong. Surfista campeão e um embaixador fantástico para o esporte. Ele tem classe por onde anda — disse Fiske

A primeira competição da temporada de Joel Parkinson será representando o seu clube local, o Snapper Rocks Surfriders, nos dias 25 e 26 de janeiro, em Cronulla, Sydney. A equipe de Parko vai competir contra clubes rivais de toda a Austrália.

Joel Parkinson from Billabong USA on Vimeo.