Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Mick Fanning"

Filipe Toledo, Gabriel Medina e Adriano de Souza continuam na briga pelo título do Fiji Pro

04 de junho de 2014 0
Filipinho segue firme. Foto ASP/Kirstin

Filipinho segue firme. Foto ASP/Kirstin

Dos sete brasileiros, apenas três continuam na disputa do título do quinto desafio na corrida do título mundial da temporada 2014, na etapa das Ilhas Fiji do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour. Gabriel Medina e Adriano de Souza estrearam com vitórias e nem competiram na quarta-feira, enquanto Filipe Toledo disputou duas baterias e já está na rodada das duas chances de classificação para as quartas de final do Fiji Pro.

O paulista ganhou o duelo verde-amarelo com o potiguar Jadson André na repescagem e depois despachou o sul-africano Jordy Smith na terceira fase, com a quarta-feira de boas ondas de 3-5 pés em Cloudbreak. O dia foi encerrado com vitória de Kelly Slater sobre o australiano Mitch Coleborn.

Este foi o primeiro dia cheio de competição nas ilhas Fiji esse ano. Foram realizadas 18 baterias (12 da repescagem e 6 da terceira fase). Assim como Filipe Toledo, Alejo Muniz também competiu duas vezes na quarta-feira. O catarinense venceu a outra bateria 100% brasileira da repescagem contra Miguel Pupo, mas foi barrado pelo defensor do título mundial, Mick Fanning, no duelo que abriu a terceira e última rodada de 12 baterias do Fiji Pro. O australiano já havia tirado outro brasileiro do campeonato, Wiggolly Dantas, na repescagem.

Alejo Muniz. Foto ASP/Robertson

Alejo Muniz. Foto ASP/Robertson

Na quarta fase, os 12 classificados voltam a ser divididos em baterias de três competidores como na rodada inicial. Agora, a vitória vale vaga nas quartas de final para os vencedores, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação na segunda e última repescagem do campeonato. Com os resultados da metade da terceira fase que fechou a quarta-feira, duas baterias já estão definidas. A primeira será entre Mick Fanning, o americano Nat Young e o taitiano Michel Bourez, campeão do Billabong Rio Pro no Rio de Janeiro.

BATERIAS VERDE-AMARELAS

Na segunda, Filipe Toledo encara o líder do ranking, Kelly Slater, além do australiano Owen Wright. Filipinho ganhou dois duelos muito difíceis para colocar seu nome entre os 12 finalistas do Fiji Pro. Na repescagem contra Jadson André, venceu de virada com a nota 6,23 da sua última onda. Com ela, superou o potiguar por uma pequena diferença no placar de 12,90 a 12,50 pontos. Depois, Filipe repetiu a dose contra Jordy Smith na terceira fase, confirmando a vitória com a nota 8,27 igualmente da sua última onda para derrotar o sul-africano por 13,70 a 12,43.

Na outra bateria verde-amarela da repescagem, o catarinense Alejo Muniz também aproveitou a última chance que teve para avançar para a terceira fase com nota 6,77. O paulista Miguel Pupo surfou a melhor onda do confronto que valeu 8,33, mas na soma das duas computadas foi Alejo quem levou a melhor. Ele tinha um 6,33 do início da bateria e totalizou 13,10 pontos, contra 12,93 de Miguel Pupo, que acabou somando um 4,60 no resultado final.

Kelly Slater. Foto ASP/Kirstin

Kelly Slater lidera o ranking. Foto ASP/Kirstin

CARRASCO DOS BRASILEIROS

O catarinense depois não achou boas ondas na abertura da repescagem, ao contrário de Mick Fanning, que pegou as melhores que entraram na bateria para vencer fácil por 15,07 a 8,44 pontos. O australiano foi o carrasco dos brasileiros na quarta-feira. Antes de derrotar Alejo Muniz, o tricampeão mundial já havia eliminado o paulista Wiggolly Dantas na segunda bateria do dia da repescagem, mas por um placar mais apertado de 12,43 a 11,60 pontos. Fanning tenta melhorar sua posição no ranking, pois chegou em Fiji em oitavo lugar.

Na disputa pelo título mundial deste ano, Gabriel Medina largou na frente liderando o Samsung Galaxy ASP World Tour 2014 nas três provas da “perna australiana”. Mas, Kelly Slater assumiu a ponta do ranking com o terceiro lugar nas semifinais do Billabong Rio Pro no Brasil. Medina já foi finalista nas Ilhas Fiji em 2012 contra Kelly Slater, que venceu as três últimas edições do desafio nos tubos de Cloudbreak e Restaurants, na ilha de Tavarua. Medina estreou com vitória na terça-feira e vai enfrentar o havaiano Fredrick Patacchia na nona bateria da terceira fase, a terceira a entrar no mar no próximo dia de competição.

LIDERANÇA DO RANKING

Adriano de Souza disputa o confronto seguinte com o australiano Adrian Buchan. Mineirinho venceu a primeira bateria do Fiji Pro esse ano e ocupa a sexta posição no ranking, uma abaixo de Gabriel Medina que fecha o seleto grupo dos top-5 do WCT. Os 11 primeiros colocados começaram o campeonato com chances matemáticas de brigar pela liderança. Mas a vitória de Kelly Slater na primeira fase já tirou dois e na quarta-feira derrubou mais dois concorrentes quando ganhou a última bateria do dia em Cloudbreak.

Mick Fanning. Foto ASP/Robertson

Mick Fanning. Foto ASP/Robertson

Restaram sete candidatos para sair de Fiji em primeiro lugar no ranking: o líder Kelly Slater e Michel Bourez do Taiti, os australianos Mick Fanning, Joel Parkinson e Taj Burrow, e os brasileiros Gabriel Medina e Adriano de Souza. A batalha pelo título mundial está acirrada e a ponta do ranking pode até ser decidida numa final entre os quatro primeiros colocados, Slater, Burrow, Parkinson e Bourez. Para Medina a chance mínima é ser semifinalista, enquanto Mineirinho só supera os 27.400 pontos já garantidos por Slater se chegar a final. Isso se Kelly Slater não vencer mais nenhuma bateria na ilha de Tavarua.

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2º e 3º=Repescagem:
1ª: Mick Fanning (AUS), Nat Young (EUA), Michel Bourez (TAH)
2ª: Kelly Slater (EUA), Filipe Toledo (BRA), Owen Wright (AUS)

TERCEIRA FASE – Derrota=13º lugar com 1.750 pontos e US$ 9.500 de prêmio:
1ª: Mick Fanning (AUS) 15.07 x 8.44 Alejo Muniz (BRA)
2ª: Nat Young (EUA) 16.33 x 13.34 Kai Otton (AUS)
3ª: Michel Bourez (TAH) 18.70 x 10.57 Jeremy Flores (FRA)
4ª: Filipe Toledo (BRA) 13.70 x 12.43 Jordy Smith (AFR)
5ª: Owen Wright (AUS) 16.16 x 15.93 Bede Durbidge (AUS)
6ª: Kelly Slater (EUA) 16.33 x 9.43 Mitch Coleborn (AUS)
Ficaram para abrir a quinta-feira:
7ª: Joel Parkinson (AUS) x Glenn Hall (IRL)
8ª: John John Florence (HAV) x Sebastian Zietz (HAV)
9ª: Gabriel Medina (BRA) x Fredrick Patacchia (HAV)
10ª: Adriano de Souza (BRA) x Adrian Buchan (AUS)
11ª: Julian Wilson (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
12ª: Taj Burrow (AUS) x Tiago Pires (PRT)

Adriano de Souza. Foto ASP/Kirstin

Adriano de Souza. Foto ASP/Kirstin

SEGUNDA FASE – REPESCAGEM – Vitória=Terceira Fase / Derrota=25º lugar com 500 pontos e US$ 8.000:
1ª: Taj Burrow (AUS) 13.00 x 4.43 Isei Tokovou (FJI)
2ª: Mick Fanning (AUS) 12.43 x 11.60 Wiggolly Dantas (BRA)
3ª: Glenn Hall (IRL) 11.76 x 9.97 Josh Kerr (AUS)
4ª: Nat Young (EUA) 14.67 x 11.17 Brett Simpson (EUA)
5ª: Tiago Pires (PRT) 13.87 x 7.40 C. J. Hobgood (EUA)
6ª: Bede Durbidge (AUS) 14.37 x 14.20 Dion Atkinson (AUS)
7ª: Alejo Muniz (BRA) 13.10 x 12.93 Miguel Pupo (BRA)
8ª: Kolohe Andino (EUA) 12.70 x 10.83 Aritz Aranburu (ESP)
9ª: Kai Otton (AUS) 14.10 x 11.10 Matt Wilkinson (AUS)
10ª: Filipe Toledo (BRA) 12.90 x 12.50 Jadson André (BRA)
11ª: Adrian Buchan (AUS) 14.10 x 11.96 Travis Logie (AFR)
12ª: Jeremy Flores (FRA) 14.53 x 9.70 Mitch Crews (AUS)

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Rip Curl promove ações com atletas durante etapa brasileira do Samsung Galaxi ASP WCT

29 de abril de 2014 0
No ano passado, Mick Fanning deu aulas numa escolinha. Foto Divulgação

No ano passado, Mick Fanning deu aulas numa escolinha. Foto Divulgação

A Rip Curl tem ótimos motivos para comemorar este início de temporada da Samsung Galaxi ASP World Championship Tour, o WCT. A equipe chega ao Rio de Janeiro com o líder do ranking mundial, o fenômeno Gabriel Medina, que terá a vantagem de competir com o apoio da torcida verde e amarela para manter a ponta, e o atual tricampeão mundial, o australiano Mick Fanning, vitorioso na etapa anterior, a tradicional Rip Curl Pro Bells Beach, na Austrália.

Medina e a Rip Curl também festejam a grande fase do atleta, que entra para história, já que nenhum surfista brasileiro liderou o ranking mundial ASP em três etapas consecutivas. Para celebrar essa grande fase, a marca realizará ações com seus principais atletas durante a etapa do Mundial, na Barra, aproximando os seus tops do público.

Serão três eventos, dois deles antes do início das disputas. A primeira, uma sessão de autógrafos com Gabriel Medina na Loja Starpoint do Barra Shopping, no dia 3, das 18 às 19 horas. Na ocasião, o público presente acompanhará o lançamento da coleção de roupas de borracha sem zíper da Rip Curl, com coquetel, som com DJ e ainda o sorteio de uma roupa Ebomb Pro Zip Free.

convite_starpoint

Depois, dia 4, das 18 às 19h, será a vez da tradicional BoardsCO, uma das lojas mais procuradas pelos surfistas no Rio de Janeiro, localizada no Arpoador, receber o lançamento da coleção de roupas de borracha sem zíper da Rip Curl, com sessão de autógrafos com Medina, Bruno Santos, Matt Wilkinson, Owen e Tyler Wright com coquetel e som com DJ.

Para completar a festa, Mick Fanning participará de aulas de surf na Escola de Surf Jerônimo Telles & Lojas WQSurf. A atividade, exclusiva aos alunos do projeto social já cadastrados, será realizada no primeiro dia de folga do evento, no Canto do Recreio (junto a pista de skate pública), entre 10h30 e 12h30, com o tricampeão mundial também atendendo a imprensa e colaborando para o incentivo e incremento do esporte na Cidade Maravilhosa.

A ideia é aproximar o público, os fãs dos tops da nossa equipe. Todo mundo poderá conhecer de perto, receber um autógrafo e tirar foto com o Gabriel Medina, nossa grande esperança brasileira para o título mundial, e com os outros ídolos do surf mundial, como o atual campeão mundial Mick Fanning e a vice-campeã mundial no feminino em 2013, Tyler Wright — diz Fernando Gonzalez, do marketing da Rip Curl.

convite_boardsco

Reunimos parceiros importantes no Rio de Janeiro para realizar essas importantes ações e, sem dúvida, serão momentos legais para a galera interagir com os atletas e conhecer a nova linha de roupas de borracha, agora sem zíper, para esse inverno — complementa Fernando.

A Starpoint Barra Shopping fica na Avenida das Américas, 4666, loja 114H, na Barra da Tijuca. A BoardsCO fica na Rua Francisco Otaviano, 67, na Galeria River, no Arpoador. A etapa brasileira do WCT será realizada nos melhores dias de ondas entre 7 e 18 de maio, na Barra da Tijuca. Mais informações no site www.ripcurl.com.br, no Facebook da marca e no Instagram (@ripcurl_brasil).

Por Fábio Maradei – FMA Notícias

Galeria de imagens do Rip Curl Pro Bells Beach 2014

23 de abril de 2014 0
Mick levanta o sino. Foto ASP/Kirstin

Mick levanta o sino. Foto ASP/Kirstin

Foto ASP/Kirstin

Foto ASP/Kirstin

Foto ASP/Kirstin

Foto ASP/Kirstin

John John Florence voando lá atrás. Foto ASP/Cestari

John John Florence voando lá atrás. Foto ASP/Cestari

Parko. Foto ASP/Cestari

Parko. Foto ASP/Cestari

Medina. Foto ASP/Cestari

Medina. Foto ASP/Cestari

Mick. Foto ASP/Cestari

Mick. Foto ASP/Cestari

KS. Foto ASP/Cestari

KS. Foto ASP/Cestari

Jordy Smith. Foto ASP/Cestari

Jordy Smith. Foto ASP/Cestari

Artiz Aramburu. Foto ASP/Cestari

Artiz Aramburu. Foto ASP/Cestari

Taj. Foto ASP/Kirstin

Taj. Foto ASP/Kirstin

Medina air. Foto ASP/Kirstin

Medina air. Foto ASP/Kirstin

Mick Fanning toca o sino do Rip Curl Pro Bells Beach e Gabriel Medina mantém liderança do ranking

23 de abril de 2014 0
Mick tocou o sino pela segunda vez na carreira. Foto ASP/Cestari

Mick tocou o sino pela segunda vez na carreira. Foto ASP/Cestari

O australiano Mick Fanning, atual campeão do mundo, faturou o título do Rip Curl Pro Bells Beach, etapa mais tradicional do Samsung Galaxi ASP World Championship Tour, encerrada na madrugada desta quarta-feira (horário de Brasília). Na final, disputada nas ondas de Winkipop, Fanning venceu o compatriota Taj Burrow, responsável pela eliminação de Adriano de Souza, o melhor brasuca no evento, com o quinto lugar.

Com a vitória, Mick levou 10 mil pontos e subiu do 11º lugar para a terceira colocação no ranking mundial que ainda tem Gabriel Medina como líder. O paulista terminou a competição na nona colocação após ser derrotado por Adriano de Souza em uma bateria acirrada pelas quartas de final que abriu a competição masculina.

Carissa levou a melhor entre as meninas. Foto ASP/Cestari

Carissa levou a melhor entre as meninas. Foto ASP/Cestari

O dia também teve o encerramento do evento feminino, com mais uma vitória da havaiana Carissa Moore, que derrotou a australiana Tyler Wright na final que foi disputada das ondas de Bells Beach. Com o título, Moore ampliou a vantagem sobre as adversárias na briga pelo título da temporada. As australianas Sally Fitzgibbons e Stephaniel Gilmore pararam nas semifinais.

Além da vitória de Fanning, o dia foi marcado pela polêmica onda de Jordy Smith no confronto pelas quartas de final contra Julian Wilson. O sul-africano mandou duas manobras seguidas, levou 10 de três dos cinco juízes e, ao levar 9.93, acabou derrotado por um diferença 0.6 décimos para Wilson, que teve 9,1 como melhor onda na bateria.

Julian eliminou Jordy Smith na bateria polêmica do dia. Foto ASP/Cestari

Julian eliminou Jordy Smith na bateria polêmica do dia. Foto ASP/Cestari

John John eliminou Slater e caiu na semifinal. Foto ASP/Kirstin

John John eliminou Slater e caiu na semifinal. Foto ASP/Kirstin

O havaiano John John Florence também chamou atenção ao se recuperar na temporada. Ele foi o responsável pela eliminação do americano Kelly Slater com uma onda no final da bateria pelas quartas de final. Da mesma forma, nos segundos finais, Mick Fanning conseguiu superar Owen Wright pelas quartas de final. A maré já começava a encher em Bells, engordando as poucas ondas que apareciam e por isso o comissário da ASP Kieren Perrow decidiu transferir as semifinais para o pico alternativo de Winkipop.

Slater não estava a vontade em Bells. Foto ASP/Cestari

Slater não estava a vontade em Bells. Foto ASP/Cestari

Taj Burrow está na 17ª temporada na elite do surfe mundial. Foto ASP/Cestari

Taj Burrow está na 17ª temporada na elite do surfe mundial. Foto ASP/Cestari

Adriano queria tentar o bicampeonato mas foi barrado por Taj Burrow. Foto ASP/Cestari

Adriano queria tentar o bicampeonato mas foi barrado por Taj Burrow. Foto ASP/Cestari

Aliás, foram as séries demoradas que acabaram por atrapalhar o paulista Adriano de Souza na bateria contra Taj Burrow. Usando uma Al Merick que veio especialmente da Califórnia, Mineirinho pegou uma boa onda no início, mas viu Taj responder em seguida com uma maior variação nas manobras em uma onda maior da série.

Sem a prioridade, o brasileiro tentou atacar as intermediárias, mas as ondas não tinham tanto potencial. Com isso, acabou vendo o tempo se esgotar a espera da série que veio logo após o soar da sirene de término da bateria. Chateado com a eliminação, Mineirinho atribuiu a derrota a escolha errada das ondas e disse que iria permanecer em Bells para treinar já que ainda faltam duas semanas para a etapa brasileira no Rio de Janeiro.

Joel Parkinson caiu nas quartas para Julian Wilson. Foto ASP/Kirstin

Joel Parkinson caiu nas quartas para Julian Wilson. Foto ASP/Kirstin

Rip Curl Pro Bells Beach – Masculino

Final (1º=10 mil pts/2º= 8.500 pontos)
Mick Fanning (AUS) 16.83 a 13.46 Taj Burrow (AUS)

Semifinais (2º=3º lugar, 6.500 pontos)
SF1: Taj Burrow (AUS) 14.43 a 13.43 John John Florence (HAV)
SF2: Mick Fanning (AUS) 18.20 a 17.36 Julian Wilson (AUS)

Quartas de final (2º lugar= 5º lugar, 5.200 pontos):
QF1: Taj Burrow (AUS) 15.50 a 13.16 Adriano de Souza (BRA)
QF2: John John Florence (HAW) 13.13 a 11.10 Kelly Slater (EUA)
QF3: Julian Wilson (AUS) 17.53 a 15.34 Joel Parkinson (AUS)
QF4: Mick Fanning (AUS) 13.16 a 11.37 Owen Wright (AUS)

Medina terminou o evento em Bells na nona colocação. Foto ASP/Kirstin

Medina terminou o evento em Bells na nona colocação. Foto ASP/Kirstin

Ranking após três etapas:
GABRIEL MEDINA BRA 19,200
2º JOEL PARKINSON AUS 18,400
3º MICK FANNING AUS 16,950
4º KELLY SLATER EUA 16,900
5º TAJ BURROW AUS 16,250
ADRIANO DE SOUZA BRA 15,700
7º JOSH KERR AUS 13,750
8º MICHEL BOUREZ PYF 12,250
9º NAT YOUNG EUA 10,950
MIGUEL PUPO BRA 10,950
11º JULIAN WILSON AUS 10,000
12º JORDY SMITH AFS 9,700
13º JOHN JOHN FLORENCE HAW 8,750
13º BEDE DURBIDGE AUS 8,750
Os outros brasileiros
19º FILIPE TOLEDO BRA 6,250
21º JADSON ANDRE BRA 4,000
33º ALEJO MUNIZ BRA 1,500
33º RAONI MONTEIRO BRA 1,500

Keramoments, free session dos tops nas ondas de Keramas, em Bali

22 de abril de 2014 0

KERAMOMENTS from Eugenio Barcelloni on Vimeo.

Free session em Keramas com Dusty Payne, Frederick Patacchia, Nat Young, Yadin Nicol, Felipe Toledo, Gabriel Medina, Mick Fanning. Filmado e editado por Eugenio Barcelloni.

Tricampeão mundial de surfe da ASP, Mick Fanning renova parceria com Reef até 2016

18 de março de 2014 0
Mick lendo as letrinhas miudinhas e assinando o contrato. Foto Divulgação Reef.

Mick lendo as letrinhas miudinhas e assinando o contrato. Foto Divulgação Reef.

O entusiasmo foi geral na sede da Reef quando o tricampeão mundial de surf da ASP, Mick Fanning, renovou o seu contrato até 2016 e deu continuidade na relação de 16 anos com a Reef.

Renovar com a Reef é muito especial para mim — diz Fanning, que conquistou seu terceiro título em dezembro de 2013 no Pipeline Masters – Hawaii.

Eu sou parte da família há mais de 16 anos. A Reef tem me dado um grande apoio ao longo dos anos e me ajudou a realizar os meus sonhos. Estou ansioso por novas e excitantes aventuras com Reef.

Fanning (32 anos, Coolangatta, Austrália) ganhou o seu primeiro título mundial em 2007, no Brasil, e o segundo, em 2009. Com 16 vitórias nos eventos da ASP World Tour em seu currículo, seu amor pelo surfe competição trouxe uma nova perspectiva de profissionalismo ao esporte. Em 2004, A Reef lançou o ultra confortável chinelo “Fanning,” um chinelo assinado por Mick com um abridor de garrafa na sola que marcou o mercado de calçados para sempre. Ele continua sendo um dos melhores chinelos em vendas de todos os tempos com mais de um milhão pares vendidos mundialmente.

Foto Divulgação/Reef

Foto Divulgação/Reef

A Reef está animada por manter a relação de longa duração com o Mick. Suas conquistas falam por si, mas a paixão e o desejo para se destacar em todos os aspectos da vida de Mick se alinham aos produtos da Reef e da cultura de nossa marca — diz o embaixador global da Reef, Shea Perkins.

Sobre a Reef:

A Reef é uma marca de surf exótica iniciando a sua jornada de descobertas desde 1984. Nossa proposta é criar produtos premium, confortáveis e inovadores de uma maneira sustentável. Somos guiados pelo Mar.(www.reef.com.br)

Freesurf dos tops em Snapper Rocks

17 de março de 2014 0

Game Face from Sunnycoast Klips on Vimeo.

Estrelas como Kelly Slater, Mick Fanning, Adriano de Souza, Dane Reynolds, Julian Wilson, Joel Parkinson, Owen Wright, Josh Kerr, Mitch Crews, Kolohe Andino, entre outros, driblam o crowd de Snapper Rocks e mostram tudo o que sabem nas boas direitas do pico da Gold Coast.

Adriano de Souza avança na repescagem do Quiksilver Pro Gold Coast

03 de março de 2014 0
Mineirinho passou por Aritz Aramburu. Foto ASP/Kirstin

Mineirinho passou por Aritz Aramburu. Foto ASP/Kirstin

O paulista Adriano de Souza é o segundo brasileiro classificado para a terceira fase do Quiksilver Pro Gold Coast na Austrália. Ele passou pela repescagem no mar difícil da segunda-feira, com poucas ondas boas nas séries de 2-3 pés entrando nas baterias em Snapper Rocks.

Mineirinho despachou o basco Aritz Aranburu, mas o paulista Filipe Toledo e o carioca Raoni Monteiro foram eliminados pelos seus adversários nos dois confrontos que provocaram a paralisação do evento pela condição ruim do mar. O duelo brasileiro de Miguel Pupo com Alejo Muniz e o de Jadson André com o havaiano Sebastian Zietz também pela repescagem, ficaram para o próximo dia em Snapper Rocks ou em outra praia da região da Gold Coast.

A única vitória verde-amarela da segunda-feira foi conquistada após a primeira paralisação do dia, para aguardar a cheia da maré. Mesmo assim, as condições ainda não eram boas e Mineirinho teve que ter muita paciência para escolher as melhores ondas e vencer por 14,17 a 10,07 pontos, ao somar notas 7,50 e 6,67. O espanhol Aritz Aranburu até achou um tubo rápido para tentar reverter o resultado, mas sua maior nota foi 5,57 e não conseguiu sair da “combinação imposta por Mineirinho, terminando em 25º lugar no primeiro desafio do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014.

- Felizmente as ondas que eu peguei foram melhores do que as do Aritz (Aranburu), mas foi preciso ter sorte porque as condições estão bem difíceis – analisou Adriano de Souza, que neste ano compete com o novo patrocínio da marca HD.

Mick Fanning. Foto ASP/Cestari

Mick Fanning. Foto ASP/Cestari

- Eu acho que acertei na minha tática de escolher bem as ondas e tive que ter muita paciência para isso porque não estava fácil lá dentro. Tenho certeza de que em melhores condições os resultados poderiam ter sido diferentes, com placares mais altos do que vimos hoje (segunda-feira) aqui.

Depois de Mineirinho, Filipe Toledo entrou no mar e praticamente não achou nada de ondas para mostrar suas manobras aéreas contra o estreante Mitch Crews. O australiano foi mais feliz na escolha das ondas e festejou sua primeira vitória da carreira na divisão de elite do ASP World Tour por 13,76 a 7,83 pontos. Depois dessa bateria, foi decidido encerrar a competição na segunda-feira, e os quatro últimos duelos da repescagem ficaram para o próximo dia de ondas boas na Gold Coast.

Tiago Pires também voltou após meses em recuperação. Foto ASP/Cestari

Tiago Pires também voltou após meses em recuperação. Foto ASP/Cestari

DERROTAS NAS PARALISAÇÕES

As duas derrotas brasileiras na segunda-feira aconteceram justamente quando as condições do mar e do vento estavam tão ruins que a comissão técnica decidiu parar o campeonato. A primeira foi quando o carioca Raoni Monteiro perdeu para o australiano Owen Wright numa disputa muito fraca de ondas. O brasileiro, que estreava o patrocínio da Pena, batalhou bastante e tentou a vitória até o fim, mas não conseguiu a nota que precisava para reverter o resultado.

Em uma das suas tentativas nos minutos finais da bateria, Raoni perdeu a lycra quando errou uma manobra que poderia lhe dar a vitória. Ele ficou sem camisa e foi assim que ainda pegou outra direita na prioridade do australiano e atacou forte com três manobras, mas recebeu nota 4,70 e precisava de 5,18. Owen Wright já venceria a bateria com as duas primeiras ondas que surfou e valeram notas 5,67 e 4,17, Mas depois ainda trocou por uma 5,33 para aumentar a vantagem no placar encerrado em 11,10 a 9,37 pontos.

Owen Wright está de volta e venceu o brasuca. Foto ASP/Cestari

Owen Wright está de volta e venceu o brasuca Raoni Monteiro. Foto ASP/Cestari

A previsão era até razoável para a segunda-feira e a comissão técnica decidiu adiar a repescagem do Roxy Pro Gold Coast para tentar fazer a do Quiksilver Pro, mas só conseguiu realizar oito baterias durante todo o dia. O atual campeão mundial Mick Fanning venceu fácil o duelo com o vencedor das triagens, Matt Banting, que abriu a repescagem. Ele ganhou nota 7,5 na sua melhor onda e agora vai voltar a enfrentar o convidado norte-americano Dane Reynolds, o mesmo que o derrotou em sua estreia na Gold Coast no domingo.

- Não é bom começar o ano perdendo, então eu só queria vencer a bateria – disse Mick Fanning.

- Eu sei que o surfe tem suas particularidades, não basta você ser bom, pois tem que ter onda boa para isso. Em condições difíceis como as de hoje (segunda-feira), a escolha passa a ter peso decisivo. Mas, o Matt (Banting) é um grande surfista e tem um futuro enorme pela frente, apenas não achou boas ondas para mostrar o que sabe, felizmente para mim. Eu só queria ir lá e fazer meu trabalho e agora é se preparar para a próxima bateria.

Dion Atkinson foi o melhor do dia. Foto ASP/Cestari

Dion Atkinson foi o melhor do dia. Foto ASP/Cestari

MELHOR DO DIA

O grande destaque da segunda-feira foi um dos estreantes na elite dos top-34 da ASP esse ano. O australiano Dion Atkinson achou boas ondas para mostrar um surfe de manobras potentes e liquidar o seu compatriota Kai Otton,. que cometeu uma interferência, por 16,23 a 7,00 pontos com duas notas na casa dos 8 pontos. Atkinson já está escalado para fechar a terceira fase com um dos favoritos ao título do Quiksilver Pro Gold Coast, o vice-campeão desta etapa no ano passado, Joel Parkinson.

Acesse a transmissão ao vivo pelo www.aspsouthamerica.com e acompanhem a participação dos brasileiros também pelas redes sociais da ASP South America – www.facebook.com/aspsouthamerica e www.twitter.com/aspsouthameric1

Quiksilver Pro Gold Coast
Round 3 – baterias já formadas:
1ª: Taj Burrow (AUS) x Travis Logie (AFR)
2ª: Michel Bourez (TAH) x
3ª: Julian Wilson (AUS) x Mitch Crews (AUS)
4ª: C. J. Hobgood (EUA) x
5ª: Gabriel Medina (BRA) x
6ª: Mick Fanning (AUS) x Dane Reynolds (EUA)
7ª: Kelly Slater (EUA) x Tiago Pires (POR)
8ª: Adriano de Souza (BRA) x
9ª: Josh Kerr (AUS) x
10ª: Nat Young (EUA) x
11ª: Owen Wright (AUS) x
12ª: Joel Parkinson (AUS) x Dion Atkinson (AUS)

REPESCAGEM – (2º=25ºlugar,US$ 8.000 e 500 pontos):
Resultados da segunda-feira:
1ª: Mick Fanning (AUS) 13.67 x 9.17 Matt Banting (AUS)
2ª: Tiago Pires (PRT) 12.70 x 12.67 Jordy Smith (AFR)
3ª: Julian Wilson (AUS) 13.56 x 9.00 Brett Simpson (EUA)
4ª: Dion Atkinson (AUS) 16.23 x 7.00 Kai Otton (AUS)
5ª: Travis Logie (AFR) 13.77 x 3.83 John John Florence (HAV)
6ª: Owen Wright (AUS) 11.10 x 9.37 Raoni Monteiro (BRA)
7ª: Adriano de Souza (BRA) 14.17 x 10.07 Aritz Aranburu (ESP)
8ª: Mitch Crews (AUS) 13.76 x 7.83 Filipe Toledo (BRA)

Ficaram para o próximo dia:
9ª: Sebastian Zietz (HAV) x Jadson André (BRA)
10ª: Miguel Pupo (BRA) x Alejo Muniz (BRA)
11ª: Bede Durbidge (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
12ª: Matt Wilkinson (AUS) x Adam Melling (AUS)

Com informações de João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America

Surfistas em festa de gala - banquete anual da ASP

26 de fevereiro de 2014 0

A ASP realizou o seu tradicional banquete anual para premiar os melhores da temporada 2013. Este ano, além dos tradicionais prêmios como campeões e novatos, também foi instituída a escolha das melhores baterias na temporada no masculino e no feminino.  Confira as imagens e veja como os e as surfistas também ficam bem fora da água!

Os campeões do mundo Carissa Moore e Mick Fanning. Foto ASP/Kirstin

Os campeões do mundo Carissa Moore e Mick Fanning. Foto ASP/Kirstin

As meninas vestidas pela Roxi. Foto Roxi/Divulgação

As meninas vestidas pela Roxi. Foto Roxi/Divulgação


Slater e Stephanie Gilmore. Foto ASP/Kirstin

Slater e Stephanie Gilmore. Foto ASP/Kirstin

A neozelandesa Ella Williams, que levou o título júnior na Praia da Joaquina. Foto ASP/Kirstin

A neozelandesa Ella Williams, que levou o título júnior na Praia da Joaquina. Foto ASP/Kirstin

O dicurso do (tri)campeão Mick Fanning. Foto ASP/Kirstin

O discurso do (tri)campeão Mick Fanning. Foto ASP/Kirstin

Sally Fitzgibbons é definitivamente a nova musa do surfe mundial, com surfe no pé. Foto Roxi/Divulgação

Sally Fitzgibbons é definitivamente a nova musa do surfe mundial, com surfe no pé. Foto Roxi/Divulgação

Champ - Fanning, Smith e Andino em Trestles

03 de fevereiro de 2014 0

Champ from Adam Burns on Vimeo.

Mick Fanning, Kolohe Andino e Jordy Smith são as estrelas do vídeo Champ que registra imagens de uma session em Trestles, em San Onofre, Califórnia.