Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Robert Scheidt"

Robert Scheidt encerra Campeonato Europeu de Laser na quinta colocação

14 de junho de 2014 0
Foto Thom Touw

Foto Thom Touw

Faltou vento na raia de Split, na Croácia, e o que era para ser um encontro de campeões na decisão do Europeu de Laser, com Robert Scheidt e Tonci Stipanovic protagonizando o duelo Brasil x Croácia da vela, terminou sem emoção. Com o cancelamento das regatas deste sábado (14), a classificação da sexta-feira foi mantida, consagrando o croata Stipanovic, que velejava em casa, como campeão. Líder do ranking mundial da classe, Scheidt ficou com o quinto lugar.

- Esperamos o dia todo para velejar, mas novamente não tivemos regatas. Saio daqui um pouco desapontado, pois não tive a oportunidade de reagir e descartar o meu único resultado ruim na competição. Com uma ou duas provas, a classificação do Europeu poderia mudar bastante, mas não podemos controlar o vento – lamentou Scheidt

Os ventos fracos marcaram todo o Europeu de Laser, que foi encurtado para seis regatas, das 12 previstas no programa. Ainda assim, Scheidt mostrou regularidade, vencendo uma prova e terminando entre os cinco primeiros em outras quatro.

- Estou velejando com uma boa velocidade, mesmo nessa condição de ventos fracos. Agora vou me concentrar no evento-teste no Rio de Janeiro. Devo descansar alguns dias, antes de iniciar a preparação para competir na raia olímpica dos Jogos de 2016 - aponta o brasileiro, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

O Aquece Rio International Regatta, primeiro evento-teste para a Olimpíada do Rio de Janeiro, será realizado entre os dias 2 e 9 de agosto. Após a competição, Scheidt segue para o seu principal desafio na temporada, o Mundial de Vela 2014, em Santander, Espanha, em setembro.

Campanha de Robert Scheidt em 2014
Ouro na Copa Brasil – Niterói (BRA), janeiro/14
Prata na etapa de Miami Copa do Mundo de Vela – Miami (EUA), fevereiro/14
9º na etapa de Palma de Mallorca da Copa do Mundo de Vela – Palma de Mallorca (ESP), abril/14
4º na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela – Hyères (FRA), abril/14
Ouro na Semana Olímpica de Garda Trentino – Garda (ITA), maio/14
5º no Europeu de Vela – Split (CRO), junho/14

Local da Comunicação – Juliana Leite (MTB 49.580)

Robert Scheidt perde liderança, mas briga pelo pódio do Campeonato Europeu de Laser

13 de junho de 2014 0
Brasileiro teve um dia ruim nesta sexta-feira em Split. Foto Thom Touw

Brasileiro teve um dia ruim nesta sexta-feira em Split. Foto Thom Touw

Um dia após a vitória do Brasil sobre a Croácia na Copa do Mundo 2014, o jogo mudou entre Robert Scheidt e Tonci Stipanovic, no duelo travado pelos dois velejadores no Campeonato Europeu de Laser, em Split, Croácia. Número 1 do ranking mundial da Laser, o brasileiro perdeu a liderança para o adversário croata nesta sexta-feira (13), ao terminar a única regata do dia em 18º, e agora ocupa o quinto lugar na classificação geral.

Os ventos fracos dos últimos dias têm dificultado o desempenho dos velejadores na raia de Split. Na quinta-feira (12), a brisa fraca levou ao cancelamento das regatas programadas para o dia, deixando os competidores livres para acompanhar a abertura da Copa do Mundo. Nesta sexta, após um atraso de mais de duas horas, a flotilha ouro da Laser, que briga pelo pódio, realizou apenas uma regata, com percurso mais curto devido ao vento de apenas 6 nós (10 km/h).

Infelizmente, foi um dia ruim para mim, aqui em Split. Larguei bem, mas o vento soprou do lado oposto ao que eu estava, e não consegui me recuperar a tempo — lamentou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais.

Para alcançar o pódio neste sábado (14), Scheidt precisa ter um bom desempenho e ainda contar com a ajuda do vento. De acordo com as regras do Europeu de Laser, pelo menos mais uma regata deve ser completada para que os velejadores possam descartar um resultado da fase final da competição. A regra mantém o brasileiro com chances de brigar até mesmo pelo ouro, já que, com o descarte, ele pode excluir o 18º lugar.

A Comissão de Regatas tentará fazer três provas neste sábado, mas acho difícil, porque a previsão ainda é de ventos fracos. De qualquer forma, tenho que me concentrar em velejar muito bem no dia decisivo — destacou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Classificação após seis regatas e um descarte
1º Tonci Stipanovic (CRO) – 13 pontos perdidos (2+4+[20]+1+5+1)
2º Rutger Van Schaardenburg (NED) – 19 pp (3+2+[21]+2+6+6)
3º Nick Thompson (GBR) – 19 pp (2+3+[7]+6+3+5)
4º Tom Burton (AUS) – 19 pp (1+8+5+[12]+2+3)
Robert Scheidt (BRA) – 29 pp (4+[5]+3+1+3+18)
6º Francesco Marrai (ITA) – 29 pp (4+7+2+[10]+6+10)
7º Pavlos Kontides (CYP) – 37 pp (7+1+[28]+5+1+23)
8º Giovanni Coccoluto (ITA) – 37 pp ([23]+5+2+20+8+2)
9º Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 39 pp (6+17+[22]+11+1+4)
10º Filip Jurisic (CRO) – 41 pp (13+1+[39]+1+14+12)

Local da Comunicação – Juliana Leite

Robert Scheidt assume liderança do Campeonato Europeu de Laser

11 de junho de 2014 0
Foto Thom Touw.

Foto Thom Touw.

O encerramento da fase classificatória do Europeu de Laser, em Split, Croácia, deixou a competição ainda mais equilibrada. Favoritos ao título, Robert Scheidt e o anfitrião Tonci Stipanovic voltaram a protagonizar o duelo Brasil x Croácia, que também marcará a abertura da Copa do Mundo nesta quinta-feira (12), depois de ambos obterem uma vitória nas regatas desta quarta.

Líder do ranking mundial da classe, o brasileiro assumiu a liderança do campeonato, com apenas um ponto de vantagem sobre o croata. A situação repete, de maneira inversa, a disputa entre os dois no ano passado, quando Stipanovic venceu Scheidt na mesma competição, na Irlanda, por apenas um ponto.

- O vento mais forte, entre 10 e 12 nós, facilitou a velejada, tanto que os principais competidores também fizeram bons resultados e estão de volta aos primeiros lugares na classificação, e bem próximos na pontuação. Vou para a fase final sem grande vantagem. Nada está resolvido - observou Scheidt.

- O ponto negativo é que, com a obrigatoriedade de descartar um resultado na primeira fase, tive que tirar o quinto lugar, enquanto outros velejadores descartaram resultados bem piores. Terei que ser o mais regular possível na próxima fase.

No Europeu de Laser, os velejadores podem descartar os dois piores resultados, mas apenas um em cada etapa. A fase final da competição, em Split, tem outras sete regatas previstas até sábado (14). As três flotilhas da Laser, com um total de 132 competidores, serão reagrupadas em ouro, para quem segue na disputa pelo pódio, prata e bronze.

- A competição vai ficar muito mais dura a partir de agora, com resultados bem díspares. Além do Tonci, que é naturalmente um dos favoritos, há muitos outros caras bons, com chance de vencer. Ficar entre os dez primeiros nas regatas, daqui por diante, já pode ser considerado um bom desempenho – destacou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Classificação após cinco regatas e um descarte
1º Robert Scheidt (BRA) – 11 pontos perdidos (4+[5]+3+1+3)
2º Tonci Stipanovic (CRO) – 12 pp (2+4+[20]+1+5)
3º Rutger Van Schaardenburg (NED) – 13 pp (3+2+[21]+2+6)
4º Pavlos Kontides (CYP) – 14 pp (7+1+[28]+5+1)
5º Nick Thompson (GBR) – 14 pp (2+3+[7]+6+3)
6º Tom Burton (AUS) – 17 pp (1+9+5+[12]+2)
7º Francesco Marrai (ITA) – 19 pp (4+7+2+[10]+6)
8º Jesper Stalheim (SWE) – 20 pp (4+7+[24]+2+7)
9º Roelof Bouwmeester (NED) – 23 pp (11+[18]+7+3+2)
10º Ryan Palk (AUS) – 24 pp (9+8+[12]+3+4)

Local da Comunicação – Juliana Leite (MTB 49.580)

Robert Scheidt assume a segunda posição no Campeonato Europeu de Laser

10 de junho de 2014 0
Scheidt em disputa com o britânico Nick Thompson. Foto Thom Touw

Scheidt em disputa com o britânico Nick Thompson. Foto Thom Touw

Um ano depois de disputarem metro a metro o título do Europeu de Laser, Robert Scheidt e Tonci Stipanovic voltaram a se enfrentar na competição, em Split, Croácia, com o status de favoritos. E se a última edição do torneio, na Irlanda, teve o croata como vencedor por apenas um ponto de diferença, a vantagem agora é do brasileiro, no duelo entre países que marcará também a abertura da Copa do Mundo de futebol 2014.

Novo líder do ranking mundial da classe, Scheidt foi o terceiro colocado na única regata disputada nesta terça-feira (10) e assumiu a vice-liderança, com 12 pontos perdidos, mesma pontuação do líder, o inglês Nick Thompson. Stipanovic, que veleja em casa, caiu para a 13ª posição, com 26 pontos perdidos.

O Europeu de Laser tem 132 velejadores distribuídos em três flotilhas. Nesta terça-feira, as flotilhas foram reagrupadas, e Scheidt disputou a regata com Nick Thompson, o australiano Tom Burton, vencedor das duas últimas etapas da Copa do Mundo de Vela, e o alemão Philipp Buhl, no grupo azul. O croata Tonci Stipanovic segue na flotilha vermelha.

- Tivemos um dia com ventos ainda mais fracos do que na segunda-feira, e por isso apenas uma regata foi completada. Nessas condições, todos os favoritos apresentaram muitos altos e baixos nos resultados. Era muito fácil errar e ficar do lado contrário ao vento, mas eu consegui o terceiro lugar e subi bastante na classificação geral – observou Scheidt.

Foto Thom Touw

Scheidt a frente dos australianos Tom Burton e Mitchel Kennedy. Foto Thom Touw

O brasileiro começou a disputa, na segunda-feira, na 11ª posição. A competição em Split tem mais nove regatas até sábado (14), divididas entre as fases classificatória e final. Os velejadores podem descartar os dois piores resultados, um em cada etapa.

- A comissão de regatas tentará organizar três regatas nesta quarta-feira, mas a previsão é de ventos fracos, novamente – avisou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Classificação após três regatas
1º Nick Thompson (GBR) – 12 pontos perdidos (2+3+7)
Robert Scheidt (BRA) – 12 pp (4+5+3)
3º Francesco Marrai (ITA) – 13 pp (4+7+2)
4º Tom Burton (AUS) – 14 pp (1+8+5)
5º Andy Maloney (NZL) – 19 pp (3+4+12)
6º Jonasz Stelmaszyk (POL) – 20 pp (9+9+2)
7º Mitchell Kennedy (AUS) – 20 pp (3+4+13)
8º Jesus Rogel Sanchez (ESP) – 23 pp (6+16+1)
9º Mike Bullot (NZL) – 23 pp (5+10+8)
10º Colin Cheng (SIN) – 24 pp (22+1+1)~

Local da Comunicação – Juliana Leite (MTB 49.580)

Robert Scheidt termina em 11º no primeiro dia do Campeonato Europeu de Vela

09 de junho de 2014 0
Scheidt teve um dia difícil em Split. Foto Thom Touw

Scheidt teve um dia difícil em Split. Foto Thom Touw

Na vela, Robert Scheidt e Tonci Stipanovic anteciparam o confronto Brasil x Croácia que abrirá a Copa do Mundo de futebol 2014. Os dois são os principais destaques do Europeu de Laser, que começou nesta segunda-feira (9) em Split, Croácia, com vantagem para o anfitrião. Novo líder do ranking mundial da classe, Scheidt manteve a regularidade, fazendo um quarto e um quinto lugares, e terminou o dia em 11º geral. Velejando em casa, Stipanovic – vencedor da competição em 2013 com apenas um ponto sobre o brasileiro – terminou em terceiro lugar. O líder é o holandês Rutger Van Schaardenburg.

O Europeu de Laser conta com 132 velejadores em Split, divididos em três flotilhas. A vermelha reuniu nesta segunda os velejadores mais fortes: além de Scheidt e de Stipanovic, os australianos Tom Burton e Mathew Wearn, o alemão Philipp Buhl e o neozelandês Sam Meech estavam na disputa.

- Foi um dia exaustivo, ficamos muito tempo na água esperando pelo vento, que foi até 8 nós (15 km/h) na segunda regata. Tive um desempenho regular, acho que poderia ter sido um pouco melhor, mas com o vento alternando muito, ficou difícil de prever a velejada. Estou satisfeito – analisou o brasileiro.

- Meu grupo era realmente o mais forte, mas a partir de amanhã as flotilhas serão redistribuídas de acordo com os resultados de hoje, e isso deve equilibrar mais as regata.

A competição tem mais 10 largadas previstas, duas por dia, distribuídas entre as fases classificatória e final. Os velejadores poderão descartar os dois piores resultados, um em cada etapa.

- O objetivo é largar o melhor possível e me manter entre os cinco primeiros, na primeira fase, para chegar bem às finais – lembrou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Local da Comunicação – Juliana Leite (MTB 49.580)

Lider do ranking mundial, Robert Scheidt disputa Campeonato Europeu de Laser

06 de junho de 2014 0
Foto Thom Touw/Arquivo

Foto Thom Touw/Arquivo

Robert Scheidt chega ao Campeonato Europeu de Laser como o velejador a ser batido. Depois de vencer a Semana Olímpica de Garda Trentino, em maio, na Itália, o bicampeão olímpico assumiu a liderança do ranking mundial da classe. Mas terá de superar as dificuldades em Split. O croata Tonci Stipanovic, profundo conhecedor da raia, é outro forte candidato ao pódio – em 2013 venceu a competição com apenas um ponto de vantagem sobre Scheidt.

Faltam poucos nomes da Laser para o Europeu ter o mesmo nível do Mundial. O Stipanovic sem dúvida será meu principal adversário, porque além de ser muito bom, é croata e conhece bem a raia. Ele vai brigar para vencer em casa. Mas a competição terá ainda outros competidores muito fortes, como os australianos (como Tom Burton e Ashley Brunning) e os neozelandeses (entre eles, Andy Maloney) — destaca Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star.

Há quatro dias treinando na raia da competição, o brasileiro dispensa o favoritismo e aposta em fazer uma boa média para chegar à fase final com chances de medalha.

Claro que estar na liderança do ranking é muito bom, mas não interfere em nada aqui em Split — diz Scheidt.

O clima está quente, com ventos médios, uma condição muito boa. Torço para que continue assim. O importante é manter um desempenho regular na primeira fase, já que não podemos ter mais de um resultado ruim em cada etapa. No ano passado, por exemplo, a disputa só foi definida nos últimos metros da última regata.

Como em 2013, quando Scheidt foi o vice-campeão do Europeu em Dublin, o campeonato terá 12 regatas para a classe Laser, divididas entre a fase classificatória e a fase final. Os dois piores resultados poderão ser descartados, mas apenas um em cada etapa.

Vou lutar pelo pódio, mas sem uma grande pressão, porque nem sou europeu. A competição é importante para ajustar detalhes da minha velejada, como preparação para o Mundial, em setembro, meu principal objetivo — lembra Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Scheidt compete em casa na Semana Olímpica de Garda Trentino

05 de maio de 2014 0
Foto  Lloyd Images

Foto Lloyd Images

Robert Scheidt enfrentará seu próximo desafio num cenário bem familiar. A partir desta quarta-feira (7), o paulista disputa a Semana Olímpica de Garda Trentino, no Lago de Garda, próximo do local onde mora com a esposa e os dois filhos. Válida como primeira etapa da Eurosaf Champions Sailing Cup, a competição é a única da Itália no calendário dos velejadores em campanha para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016

- Apesar de ter feito muito mais treinos do que regatas, por aqui, conheço muito bem o local. Essa familiaridade pode, sim, ser útil na competição – espera Scheidt.

Em um de seus primeiros “testes” na volta à Laser, em março do ano passado, o velejador venceu a Laser Europa Cup, em Garda, com primeiro lugar em todas as regatas. Dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star, Scheidt deve reencontrar em Garda seus principais adversários.

- A flotilha da Laser deve ser forte, mas nem tanto quanto na última etapa da Copa do Mundo, em Hyères – aponta o velejador, destacando o time australiano, que conta com nomes como Tom Burton, vencedor da competição francesa, Mathew Wearn e Ashley Brunning, além de neozelandeses como Andy Maloney e os anfitriões, os italianos Francesco Marrai, Alessio Spadoni, Marco Gallo e Giovanni Coccoluto.

A Semana Olímpica de Garda Trentino seguirá o formato dos eventos olímpicos, com 12 regatas, distribuídas entre as fases classificatória e final, mais a medal race, no domingo (11), valendo pontos dobrados. Para a Laser, a previsão é de três regatas por dia, a partir das 12h (7h em Brasília).

- Será importante, depois de largar bem, manter uma boa estratégia para garantir o pódio – prevê Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Robert Scheidt encerra participação na Copa do Mundo de Vela, em Hyères, na quarta colocação

27 de abril de 2014 0
Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Robert Scheidt confirmou a quarta posição no Top 10 da Laser na última etapa da Copa do Mundo de Vela ISAF em Hyères, neste sábado (26). O maior atleta olímpico brasileiro foi o quarto velejador a cruzar a linha de chegada da Medal Race, deixando para trás alguns dos principais nomes da Laser. Um deles, o australiano Tom Burton, que ficou em quinto lugar na regata da medalha, mas foi o vencedor da competição.

A raia em Hyères amanheceu ensolarada e com ventos fortes, com média de 15 nós e rajadas que chegaram a 22 nós em alguns momentos. A briga pelo título estava entre o neozelandês Andy Maloney, até então líder da competição, e Tom Burton. Ambos tiveram uma largada difícil, situação que favoreceu Scheidt. O brasileiro fez um bom início, marcando o holandês Rutger van Schaardenburg e o croata Tonci Stipanovic, nº 1 do mundo na Laser, sem contudo conseguir superá-los. A vitória da regata acabou ficando com Schaardenburg.

- Tive alguns momentos complicados no campeonato, principalmente pelas largadas, que foram difíceis para a Laser. No geral, a competição foi de ventos fortes, que já exigem mais do físico dos velejadores da Laser, e consegui manter uma boa média, tanto nessa situação como no vento fraco, o que mostra que estou bem preparado fisicamente – ressaltou Scheidt,

- Também estou velejando bem no vento de popa. Agora é continuar treinando e acertar os detalhes, para chegar forte no Mundial.

O Mundial de Vela de Santander, em setembro, na Espanha, é o principal objetivo de Scheidt, junto com o Evento-Teste para os Jogos de 2016, em agosto, no Rio de Janeiro. Seguindo sua preparação para os dois principais torneios do ano, o brasileiro, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela, retorna agora para a Itália, onde seguirá treinando até a próxima competição, a Semana Olímpica de Garda, que será disputada “no quintal de sua casa”, entre 5 e 11 de maio.

Classificação final, após 12 regatas e um descarte
1º Tom Burton (AUS) – 55 pontos perdidos ([6]+5+2+1+4+2+5+6+6+8+[63]+10)
2º Andy Maloney (NZL) – 56 pp ([8]+7+1+6+3+1+3+3+8+[20]+2+14)
3º Rutger van Schaardenburg (NED) – 60 pp (2+5+[6]+2+4+6+10+4+[37]+14+5+2)
4º Robert Scheidt (BRA) – 67 pp (1+9+7+4+1+[22]+4+8+2+[24]+1+8)
5º Nick Thompson (GBR) – 81 pp (9+8+10+9+2+[63]+17+2+3+5+10+6)
6º Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 94 pp (1+1+9+16+[63]+5+8+7+26+4+6+12)
7º Tonci Stipanovic (CRO) – 99 pp (3+4+4+2+1+26+23+12+13+[39]+7+4)
8º Bruno Fontes (BRA) – 106 pp (3+6+10+8+5+7+[38]+1+18+15+17+16)
9º Sam Meech (NZL) – 113 pp (6+2+15+5+6+9+35+11+[52]+3+3+18)
10ºNicholas Heiner (NED) – 132 pp (23+11+12+6+10+11+12+17+1+9+[63]+20)

Robert Scheidt disputa Medal Race de olho na medalha de bronze da Copa do Mundo de Vela

25 de abril de 2014 0
Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Robert Scheidt segue para mais uma Medal Race na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela, neste sábado (26), após somar três vitórias e três resultados entre os cinco primeiros colocados em 11 regatas. Mesmo com alguns momentos de irregularidade, o maior atleta olímpico do Brasil está perto do pódio, com 59 pontos perdidos, apenas um a mais que o terceiro colocado, o holandês Rutger van Schaardenburg, e distante do inglês Nick Thompson, em quinto lugar com 75 pontos perdidos. O novo líder é o neozelandês Andy Maloney, com 42.

Nesta sexta-feira, o velejador obteve um 24º e um primeiro lugar para garantir vaga entre os dez que disputarão a regata decisiva neste sábado (26), com pontuação em dobro.

Larguei mal na primeira regata, escolhi o lado errado da raia e não consegui uma grande recuperação. É uma pena, porque eu vinha bem na competição e esse resultado acabou pesando, já que eu também tinha um 22º lugar — lamentou Scheidt.

Na segunda prova, meu desempenho foi melhor. Montei a primeira boia em 8º e alcancei os primeiros colocados, até ultrapassá-los e vencer. Foi bom ter vencido mais uma, no final, antes da Medal Race. Isso mostra que posso brigar de igual para igual com os principais adversários em Hyères.

O vento voltou a soprar forte na raia francesa nesta sexta-feira após dois dias de brisas fracas.

As rajadas chegaram a 18 nós (33 km/h), o mais forte até agora na competição. O Tom Burton e o Andy Maloney são especialistas nesse vento, por isso acabaram se destacando em Hyères, além de serem muito bons. Mas eu tenho velejado bem. Tanto no vento forte quanto no fraco, consegui manter uma boa média — afirmou o velejador.

Para o brasileiro, o foco, na Medal Race deste sábado (26), será o terceiro colocado Rutger van Schaardenburg.

Vou me concentrar em superar o holandês, que está no meu controle — destacou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

As largadas estão complicadas, porque a raia da Laser tem um espaço muito estreito, para uma quantidade grande de barcos (a classe é a mais numerosa da competição, com 123 veleiros). Nessa situação, se você arriscar demais, pode largar escapado, e se for muito conservador, não consegue mais alcançar os primeiros lugares. É fundamental ficar entre os primeiros desde o início da prova. Mas mostrei que não devo nada aos outros competidores em velocidade.

Compatriota de Scheidt, Bruno Fontes também vai para a Medal Race, em 7º lugar. Os outros dois brasileiros, Matheus Dellagnelo e Alex Veeren deram adeus à competição, com o 57º e o 113º lugar, respectivamente.

Classificação (após 11 regatas e um descarte):
1º Andy Maloney (NZL) – 42 pp ([8]+7+1+6+3+1+3+3+8+[20]+2)
2º Tom Burton (AUS) – 45 pp ([6]+5+2+1+4+2+5+6+6+8+[63])
3º Rutger van Schaardenburg (HOL) – 58 pp (2+5+[6]+2+4+6+10+4+[37]+14+5)
Robert Scheidt (BRA) – 59 pp (1+9+7+4+1+[22]+4+8+2+[24]+1)
5º Nick Thompson (GBR) – 75 pp (9+8+10+9+2+[63]+17+2+3+5+10)
6º Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 82 pp (1+1+9+16+[63]+5+8+7+26+4+6)
Bruno Fontes (BRA) – 90 pp (3+6+10+8+5+7+[38]+1+18+15+17)
8º Tonci Stipanovic (CRO) – 95 pp (3+4+4+2+1+26+23+12+13+[39]+7)
9º Sam Meech (NZL) – 95 pp (6+2+15+5+6+9+35+11+[52]+3+3)
10º Nicholas Heiner (HOL) – 112 pp (23+11+12+6+10+11+12+17+1+9[63])

Robert Scheidt diminui vantagem para o líder Tom Burton na classe laser em Hyères

24 de abril de 2014 0
Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

O segundo dia de ventos fracos na ensolarada raia de Hyères colocou à prova os nervos dos velejadores que brigam por uma vaga na medal race da última etapa da Copa do Mundo de Vela. Para a classe Laser, a disputa desta quinta-feira (24) terminou apenas às 20h, após um longo período de espera. Com a experiência de quem possui cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star, Robert Scheidt fez um oitavo e um segundo lugares, resultados suficientes para retomar a terceira colocação. O paulista ainda encurtou para cinco a diferença entre ele e o líder, o australiano Tom Burton.

Foi um dia complicado, pelo vento muito instável e o tempo de espera. As meninas da Laser largaram primeiro, e só depois nós iniciamos a disputa, às 17 horas (as regatas da laser estavam programadas para as 13 horas). Numa situação assim, é preciso manter a concentração para não cometer nenhum erro, e acredito que tive um desempenho consistente — analisou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

A quinta-feira começou com uma brisa fraca de 3 nós, engrossando para 12 nós ao meio-dia e voltando a diminuir ao longo da tarde. A previsão é a mesma para esta sexta (25), com outras duas regatas que definirão os dez velejadores que disputarão a medal race, valendo pontos dobrados, no sábado.

Um tempo instável como esse tanto pode nos prejudicar como nos favorecer. Eu tive períodos de altos e baixos, mas estou crescendo no campeonato, estou feliz com esse momento. Consegui me aproximar dos líderes, agora é manter esse resultado até a medal race. O Tom Burton e o Andy Maloney também são bons, estão velejando muito bem, com regularidade. Espero fazer outras boas regatas nesta sexta, que será decisiva — destacou o velejador.

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Foto Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup 2014

Muitos poucos pontos separam os quatro primeiros colocados na classe Laser – Tom Burton, com 31 pontos perdidos, Andy Maloney, com 32, Scheidt, com 36, e Rutger van Schaardenburg, com 39 – o que deve tornar a briga pelo pódio ainda mais acirrada. Compatriota de Scheidt, Bruno Fontes também segue na disputa, em 5º lugar, depois de vencer a primeira regata desta quinta-feira. Também na delegação brasileira, Matheus Dellagnelo é o 56º, e Alex Veeren , o 113º.

Classificação após nove regatas e um descarte
1º Tom Burton (AUS) – 31 pp ([6]+5+2+1+4+2+5+6+6)
2º Andy Maloney (NZL) – 32 pp ([8]+7+1+6+3+1+3+3+8)
3º Robert Scheidt (BRA) – 36 pp (1+9+7+4+1+[22]+4+8+2)
4º Rutger van Schaardenburg (NED) – 39 pp (2+5+[6]+2+4+6+10+4+[37])
Bruno Fontes (BRA) – 58 pp (3+6+10+8+5+7+[38]+1+18)
6º Nick Thompson (GBR) – 60 pp (9+8+10+9+2+[63]+17+2+3)
7º Tonci Stipanovic (CRO) – 62 pp (3+4+4+2+1+[26]+23+12+13)
8º Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 72 pp (1+1+9+16+[63]+5+8+7+26)
9º Philipp Buhl (ALE) – 75 pp (12+10+2+12+7+[48]+18+10+4)
10º Mathew Wearn (AUS) – 79 pp (11+2+1+9+2+8+[50]+14+32)
56º Matheus Dellagnelo (BRA) – 270 pp (25+32+21+35+21+37+[56]+51+50)
113º Alex Veeren (BRA) – 330 pp (53+56+45+55+53+[62]+46+45+24)