Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

FAM abre fronteiras com a Venezuela e prestigia estreia catarinense

14 de junho de 2013 0

Ainda que focado no princípio de abrir as fronteiras para a produção cinematográfica sul americana, o Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM) reservou a abertura para prestigiar um filme catarinense _ algo inédito nos 17 anos do evento. Rendas do Ar, da diretora Sandra Alves, estreou na primeira noite do festival, ontem, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina.
_ É também o reconhecimento ao cinema catarinense e a luta da categoria pelo edital público para o setor no Estado _ destacou o coordenador-geral do FAM, Antônio Celso dos Santos.
Rendas no Ar foi o vencedor do Prêmio Cinemateca Catarinense (hoje Edital Catarinense de Cinema) de 2009 e fez a sua estreia abrindo a maratona de 82 produções que serão exibidas gratuitamente até o dia 21 de junho. O FAM deste ano também marca a expansão das suas fronteiras geográficas para o cinema da Venezuela. São pelo menos dois longas-metragens e outros oito curtas _ estes reservados a Mostra Novos Olhares.
Segundo Antônio Celso o FAM chega aos 17 no cerne de uma nova agenda política para o audiovisual no país, atraindo para o seu fórum o debate sobre a a obrigatoriedade da aquisição de conteúdo regional e independente pelas tevês pagas. Um caminho que se abriu para fomentar a produção do setor.
_ Se olharmos para trás, chegamos a conclusão de que o FAM é estruturante porque neste nesse período ao menos duas gerações aprenderam a gostar de um outro tipo de cinema, de um novo olhar, regional.
O sábado reserva o grosso da programação inicial do FAM, com as primeiras sessões das mostras Outros Olhares (14h30min), Doc-FAM (16h30min), Curtas Mercosul (19h) e Longas Mercosul (21h) _ com o filme venezuelano Peidra, Papel o Tijera.

Envie seu Comentário