Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "2013"

Diretor de documentário sobre as manifestações diz que Junho de 2013 "foi uma preliminar apimentada" do que está por vir

05 de junho de 2014 0
Foto TV Folha, Divulgação

Foto TV Folha, Divulgação

Aqui vai a entrevista na íntegra com o documentarista e editor da TV Folha, João Wainer, diretor do documentário Junho _ O Mês que Abalou o Brasil e que estreará nesta quinta-feira (a partir das 13hs) no Cinespaço do Beiramar Shopping, em Floripa.

O documentário Junho _ O Mês que Abalou o Brasil é um filme que ainda continua passando na cabeça dos brasileiros. A produção da TV Folha _ canal on-line do jornal Folha de S.Paulo _, é um registro do levante popular que tomou às ruas do país há exato um e que estreará amanhã em oito cidades, incluindo Florianópolis (em cartaz no Cinespaço do Beiramar Shopping). O protesto que começou em São Paulo contra o aumento das tarifas do transporte público desencadeou uma mobilização nacional que o diretor João Wainer chama de “jornadas de junho” e cujo estopim foi a repressão policial. Wainer, 38 anos, é documentarista e editor da TV Folha e participou ativamente da cobertura que rendeu ao canal uma menção honrosa na última edição do Prêmio Esso de Jornalismo. Em entrevista ao Variedades, ele explica que a história sobre os protestos de 2013 ainda está por ser concluída e disso dependerá o “junho de 2014″, justo por ocasião da Copa do Mundo no Brasil.

DC _ Passado um ano, qual é a cara hoje do chamado “gigante” que despertou naquelas manifestações de junho de 2013?
João Wainer _ Acho que só será possível analisar o legado que o mês de junho de 2013 nos deixará depois que junho de 2014 passar. Esse dois “junhos” serão decisivos na escolha do próximo presidente da república e prefiro esperar pra ver antes de responder essa pergunta.

DC _ Naquela ocasião, você consegue citar um fator determinante que despertou o apelo massivo da população aos protestos? Seria a repressão policial?
Wainer _ Os manifestantes praticaram atos de vandalismo no dia 11 (de junho de 2013), depredando ônibus e agências bancárias. Esse vandalismo provocou um forte repúdio da grande imprensa e do governo de São Paulo, que se manifestaram no dia 12 condenando a manifestação e chamando de vândalos os manifestantes. Isso atiçou a policia que reagiu de forma absolutamente despropositada no protesto do dia 13 provocando cenas brutais de repressão que se espalharam imediatamente pelo mundo todo. Essas cenas foram sim um fator determinante para levar o povo para as ruas no Brasil inteiro.

DC _ As reivindicações do movimento, que começaram com a bandeira pela redução das tarifas do transporte coletivo, incorporaram uma série de outras demandas que culminaram com o “somos contra tudo o que está aí”. De certa forma isso não pulverizou a relevância da mobilização quanto a uma pauta concreta?
Wainer _ O (filósofo e cientista político) Marcos Nobre fala no filme que a manifestação do dia 20, logo depois do anúncio da redução da tarifa, foi a primeira vez na história do país que as pessoas foram às ruas sem um objetivo comum, como foram as Diretas Já e o impeachment do ex-presidente Fernando Collor. Naquele momento cada um foi para a rua com sua própria reinvindicação, muitas vezes incompatíveis entre si. Isso causou aquela confusão toda e a partir daí o movimento perdeu força.

DC _ Como os agentes envolvidos (manifestantes, políticos, governantes, polícia e jornalistas) se apresentaram nesta mobilização?
Wainer _ Acho que houve um momento de grande confusão em junho. Quem dizia que estava entendendo o que estava havendo mentia. A sensação que tive era de que todos estavam perdidos, e foi preciso algum tempo até conseguirem o distanciamento necessário para tentar botar as ideias no lugar. Até hoje ainda existem pontos que não foram totalmente compreendidos.

DC _ Houve um certo despertar de consciência entre a população, que se mostra mais crítica, principalmente em relação à imprensa. Como a mídia teve que repensar o seu papel?
Wainer _ O mais interessante de junho de 2013 foi ver a política de volta às ruas. A consciência crítica da população em relação a imprensa, ao governo e a outros setores da a sociedade é muito saudável e acho que isso foi uma das coisas positivas que ficaram das jornadas de junho.

DC _ Dá para crer que o junho de 2013 foi o estopim de um processo revolucionário de costumes e politização nacional?
Wainer _ Só o tempo vai dizer. O poeta Sérgio Vaz diz que junho foi uma “ejaculação precoce” mas acredito que talvez tenha sido apenas uma preliminar apimentada. Vamos esperar para ver.

DC _ Quais as situações limites que você enfrentou para registrar as manifestações?
Wainer _ Toda a equipe da TV Folha correu riscos e literalmente deu o sangue para fazer esse filme. A (repórter do jornal Folha de S. Paulo) Giuliana Vallone levou um tiro no olho, outros também foram feridos com menor gravidade. Os perigos vinham de todos os lados, mas a equipe não tremeu. Os fotógrafos Felix Lima, Carlos Cecconello, Rodrigo Machado e Isadora Brant foram monstros durante essa cobertura.

DC _ Até que ponto a linha editorial da Folha de S. Paulo influenciou na cobertura das manifestações e no olhar que se traduz agora neste documentário?
Wainer _ A TV Folha faz parte da Folha de S.Paulo e seguimos os mesmos princípios editoriais do jornal. Na feitura do filme isso não poderia ser diferente.

Justiça suspendeu apenas o pagamento para longa-metragem, diz diretora

28 de maio de 2014 1

A diretora Cíntia Domit Bittar esclarece que não é o imbróglio judicial envolvendo o pagamento do prêmio de longa-metragem do Edital Catarinense de Cinema 2013 que levou a suspensão do repasse geral de recursos para os projetos contemplados nas demais categorias, como curta-metragem e vídeos. Segundo a cineasta, a liminar concedida pela Justiça em favor da Novelo Filmes destina-se apenas à categoria longa-metragem. A premiação é de R$ 2,9 milhão, sendo R$ 1,1 milhão só para o longa-metragem, cujo projeto vencedor, Quebranto, da produtora Novelo Filmes foi desclassificado em fevereiro passado pela Comissão Permanente de Licitação da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). A produtora então recorreu na justiça comum da decisão. “Não é a disputa na justiça pelo prêmio para a produção de longa-metragem que está “brecando” os demais prêmios. A FCC estava esperando uma resposta quanto a poder pagar os prêmios separadamente, questão a ser resolvida dentro de sua burocracia interna”, explica Cíntia. Como expressou no seu comentário ao blog, a cineasta e disse que ” a Novelo Filmes pediu expressamente para o juiz que apenas a categoria de longa-metragem fosse paralisada, sendo que o mesmo nos atendeu, conforme consta no texto da liminar expedida.”

Neneh Cherry: Everything

28 de fevereiro de 2014 0

O mago Four Tet se encarregou da produção do novo disco da Neneh Cherry. Quando duas cabecinhas privilegiadas confabulam espere pelo melhor. E está aí…

 

Paco de Lúcia: na última passagem pelo Brasil, mestre espanhol se surpreende com Yamandu Costa

26 de fevereiro de 2014 0
Ymandu (esquerda) recebe Paco (de vermelho) no Theatro São Pedro. Foto Pablo Corti, Divulgação

Ymandu (esquerda) recebe Paco (de vermelho) no Theatro São Pedro. Foto Pablo Corti, Divulgação

Um encontro memorável entre dois gênios das cordas: o guitarrista espanhol Paco de Lucia e o violonista Yamandu Costa, na coxia do Theatro São Pedro, em Porto Alegre. O veterano músico estava surpreso com o show do brasileiro: “Essa música não é samba, não é bossa e como soa bonito”. No dia seguinte, ele se apresentaria no Teatro Araújo Vianna e com Yamandu na plateia. Foi a última passagem de Paco pelo Brasil. O guitarrista que foi responsável por universalizar a música flamenca pelo mundo morreu ontem, aos 66 anos. Yamandu estava em Goiânia e recebeu a notícia da perda pela assessora, a jornalista Duda Hamilton. Como não haveria de ser diferente, ele ficou em choque.

Ouvindo 2013: a trilha de um bom ano!

02 de janeiro de 2014 0

Para ouvir e relembrar 2013, eis as listas dos álbuns do conselho Jedi da Coluna Contracapa.

 

Marcos Espíndola

* Nick Cave & The Bad Sees _ Push The Sky Way

* David Bowie _ The Next Day

* Los Campesinos _ No Blues

* Jagwar Ma _ Howlin

* Black Joe Lewis _ Electric Slave

* Elvis Costello & The Roots _ Wise Up Ghost

* Audac _ Audac

* Cacique Revenge _ Magazine

* Boogarins _ As Plantas que Curam

* Emicida _ O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui


Rubens Herbst _ (coluna e blog Orelhada/A Notícia)

* David Bowie _ the Next Day
* Queens of the Stone Age _ …Like Clockwork

* The Fratellis _ We Need Medicine

* Telekinesis _ Dormarion

* Brendan Benson _ You Were Right

* Sebadoh _ Defend Yourself

* Depeche Mode _ Delta Machine

* Jake Bugg _ Shangri-la

* Parquet Courts _ Light up Gold

* Primal Scream _ More Light


Dorva Rezende, Gerson Ferraz, Mauro Sniecikowski e Paulo Costa Franco (Franzine Sonoro)

* Wooden Shjips_- Back to Land

* Of Montreal _ Lousy with Sylvianbriar

* Mavis Staples_ One True Vine

* Foxygen_ We Are the 21st Century Ambassadors of Peace & Magic

* Thee Oh Sees _ Floating Coffin

* Bill Callahan _ Dream River

* Boogarins _ As Plantas Que Curam
* Wado _ Vazio Tropical

* Audac _ Audac
* Magazine _ Cacique Revenge
—-
Emerson Gasperin (jornalista)

* Arctic Monkeys _ AM

* Arcade Fire _ Reflektor

* !!! – Thr!!!er

* Mayer Hawthorne _ Where Does This Door Go

* The Strokes _ Comedown Machine

* Franz Ferdinand _ Fight Thoughts, Tight Words, Right Rction

* Cults _ Static

* Os the Darma Lóvers _ Espaço

* Wild Belle _ Isles

* Starfucker _ Miracle Mile


Vinicius Batista _ Colunista (coluna Contracapa/Jornal de Santa Catarina)

* Wild Belle _ Isles
* Haim _ Days Are Gone

* Janelle Monae _ Electric Lady

* Devendra Banhart _ Mala

* Kurt Vile _ Wakin on a Pretty Daze

* Vanguart _ Muito Mais que o Amor

* Rubel _ Pearl

* Lady _ Lady
* The Head and the Heart _ Let’s Be Still

* Johnny Flynn _ Country Mile


Marcio “Galináceo” Passeggio (músico)

* Black Sabbath – 13

* Red Fang – Whales and Leeches

* QOTSA – Like Clockwork
* Alice in Chains -The Devil Put Dinosaurs Here

* Clutch – Earth Rocker

* Mark Lanegan – Imitations

* Meat Puppets – Rat Farm

* Scorpion Child – Scorpion Child

* Eric Clapton – Old Sock

* Black Label Society – Unblackened

Uplist Contracapa 2013: Ouça e viva o ano em Santa Catarina

26 de dezembro de 2013 2

Músicas que embalaram as estações, discos que fizeram o gosto de ouvidos e almas exigentes: do indie rock ao folk, punk, funk 70, groove, hardcore, instrumental, jazz, nova mpb, pop e eletrônico, 2013 foi um ano bem servido de lançamentos na seara da música catarinense. Mais uma vez, a Contracapa consegue honrar a tradição de listar os trabalhos bandas do Estado que merecem ser ouvidos, segundo os jornalistas e comunicadores ouvidos pela coluna. Aí estão álbuns, EPs e singles, que os leitores poderão ouvir abaixo. Ouçam, encantem-se, sugiram mais e se preparem para 2014 que será também um ano dos mais incríveis!

Rubens Herbst _ titular da coluna e blog Orelhada (jornal A Notícia)

* Tutatis/Belenos _ Adam e Juliette

* Radio Gump _ Radio Gump

* Della/Peixoto _ Della/Peixoto

* Apenas Cinco _ Bela Infanta

* Have a Nice Trip _ Monodisco


Marcos Espíndola _ Contracapa

* Nessun Dorma _ Skrotes

* Diggin’ on You e Wish _ Elekfantz

* Clube Las Vegas _ Clube Las Vegas

* Magazine _ Cacique Revenge

* Bad Luck Experince _ Rascal Experience

Vinicius Batista _ titular da coluna Contracapa (Jornal de Santa Catarina)

* Batuque.Balanço.Groove _ Malungo

* Pra Quem Quiser Ouvir _ Les Savons Superfins

* Gibberish _ Café Brasilis

* Shake That Thing _ The Headcutters

* Pochyua _ Pochyua

Rafael Weiss _ titulada do blog Mundo 47

* Para quem quiser ouvir _ Les Savons Superfins
* Shake That Thing _ The Headcutters
* DVD 15 anos _ Lenzi Brothers

* Inferno _ Six Six The Clow

* Roadie Ta Ruim _ Homem Lixo


Luciano Victor (Revista Dinamyte)

* Para quem quiser ouvir _ Les Savons Superfins
* Som _ Da Caverna
* Apenas Cinco _ Bela Infanta
* Della/Peixoto _ Della/Peixoto
* Worse Things Happen at Sea _ Velvet Hands

Diego Lima _ comunicador da rádio Atlântida FM

* Pode ser de manhã _ Moriel Costa
* Single Rasta Man _ Moriel Costa

* Nessun Dorma _ Skrotes
* Shake That Thing _ The Headcutters
* Diggin’ on You _ Elekfantz

Um jeito arrepiante de desejar Feliz Natal

19 de dezembro de 2013 0

Aí, deu medo de ouvir essa versão do Iggy Pop de White Christmas. Não que seja algo que venha a denegrir a moral do “vovô do rock”, mas ouça aí e veja se não ficou arrepiante. A canção integra uma coletânea de versões psicodélicas de temas de Natal. Via a trincheira do Gabriel Rocha.

Sounds in da City na Travessa Ratclif

12 de dezembro de 2013 0

sounds in da city travessa

Recém chegado de uma jornada até ao Paraguai, o projeto Sounds in da City ocupará a Travessa Ratclif no fim de tarde desta sexta-feira (13/12) para injetar sangue novo na vibrante artéria boêmia do Centrinho Histórico da Capital. Há duas semanas o montou suas picapes pela primeira vez em frente ao Bar do Noel para comemorar seus três anos. Foi lindo de  se ver e o vídeo abaixo não me deixa mentir. Tanto que obrigou um retorno imediato do projeto à esquina festiva.  Para o serviço do happy hour amanhã o curador e DJ Allen Rosa convocou os seletores Phelipe Martins e Gustavo Karam.

Sounds in da City @ Travessa Ratclif (Aniversário 3 anos) from Sounds in da City on Vimeo.

Boogarins: em se plantando tudo dá

12 de dezembro de 2013 0

As Plantas que Curam, da banda goianiense Boogarins, pede presença obrigatória nas listas dos melhores álbuns nacionais (o Boo Monster Bop fez bem a lição de casa) de 2013. Seria uma injustiça gritante se não constar na sua. Particularmente eu o coloco no top das minhas preferências deste ano.  Aquele primeiro baque que te faz apaixonar. Trabalho de gente grande de uma molecada de Goiânia (tinha que ser daquele oásis sonorol) que entornou o caldeirão lisérgico da psicodelia sobre o quase inerte rock nacional. O disco foi lançado em outubro pelo selo norte-americano Other Music, sediado em Nova York. Sim, porque os gringos não fazem ouvidos de brasileiros e banhos de guitarras conquistam eles.

Mar Negro estreia dia 27 para tocar o terror nos cinemas do país

12 de dezembro de 2013 0

mar negro

O longa-metragem Mar Negro, que tem no elenco os catarinenses Gisele Ferran e Petter Baiestorf, estreará nos cinemas do país no dia 27. Só não sabemos se haverá exibição em alguma sala do Estado. O filme é dirigido pelo capixaba Rodrigo Aragão (de Mangue Negro e A Noite do Chupacabras) que, junto com Baiestorf, integra a nova geração que está revitalizando o gênero do terror nacional. Descrição da sinopse: “Uma mancha negra chega ao litoral de um pequeno vilarejo no Brasil, trazendo uma estranha doença que transforma os animais marinhos em predadores assassinos.”