Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Florianópolis"

O tempo não passa: Musical sobre Cazuza desembarca na Capital em Junho

16 de junho de 2014 0
Emilio Dantas vive Cazuza no musical Pro Dia Nascer Feliz. Foto Leo Aversa, Divulgação

Emilio Dantas vive Cazuza no musical Pro Dia Nascer Feliz. Foto Leo Aversa, Divulgação

Haja disposição para lembrar de Cazuza. O musical Cazuza _Pro Dia Nascer Feliz é uma destas superproduções que circulam pelo país fazendo girar a roda da fortuna do legado do Exagerado. O espetáculo escrito por Aloísio de Abreu e dirigido por João Fonseca fará uma incomum temporada de três dias na Capital: 27, 28 e 29 de junho, no Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC). Ingressos à venda pelo site Blueticket.

Conheça a Balcony

16 de junho de 2014 0

balcony

O cara que saca um banjo numa apresentação merece a minha atenção imediata e espero que os leitores também não se arrependam quando ouvirem a banda Balcony de Floripa. Conheci esse sexteto num evento da SIC Radio, na semana passada. Tão jovem quanto seus integrantes, o grupo foi criado em dezembro passado e em março deste ano lançou o primeiro single: Ho Honey, folk rock de gente grande e que segue na mesma boa pegada de outras composições autorais da patota (Old Boys, Brothers, From Bellow e Smitten. Basta dizer o que eles ouvem para vocês entenderem o que é o ambiente sonoro deles: Bob Dylan, Beatles, Oasis, The Lumineers, Phillip Phillips e Eddie Vedder (Pearl Jam).

Mais uma do programa De Passagem: A batalha dos homens de uma banda só!

11 de junho de 2014 0

Mais um episódio do web programa De Passagem, que eu e o Marco Martins (Vinil Filmes) produzimos para a SIC Radio (no site você assiste a todos os episódios da série). Este especialmente me deixou satisfeito, até porque o tema me é muito caro: as one-man-bands, ou monobandas, um movimento revigorante dentro da cena roqueira underground do país. Quem explica melhor isso são os barões Fabulous Go-Go Boy From Alabama e Chuck Violenza. Aumenta o som e confira aí!

Cor Galeria apresenta novo site e convida para uma passeio

11 de junho de 2014 0

Deixo aqui a sugestão para um passeio pelo site da Cor, das galerias mais bacanas de Floripa, que passou por um upgrade e está tinindo de bom. Já na “entrada” o internauta é recebido pela seleção de artistas e suas respectivas obras que compõe o acervo do espaço, como a alemã Pauline Zenk, além de boas praças da cena local, como Galvão Bertazzi, Driin, Sheilla Liz, Ramon Rodrigues, Flávia Tronca, Alexandre Freire, Viti, Nestor Jr. e Fábio Dudas. O passe livre é por aqui.

Pauline Zenk

Pauline Zenk

Galvão

Galvão

Ramon Rodrigues

Ramon Rodrigues

Sheilla Liz

Sheilla Liz

SIC Radio lança novo site e aplicativo exclusivo

10 de junho de 2014 0

sic

Já visitou a nova casa da SIC Radio? Então não faça cerimônia e seja muito bem-vindo no novo site da latinha sonora online de Floripa que entrou. A nova plataforma também conta com e um aplicativo para IOS e Android que você baixa aqui. A partir disso, a radio vai unir todo o seu conteúdo subversivo: dos programas diários para ouvir em streaming ao blog e os episódios do web programa De Passagem.  Visita, ouça, veja e apareça nesta terça-feira à noite, no Uai de Minas (Rua Bocaiúva, Centro de Floripa) para o convescote de lançamento que reunirá toda a patota de programadores da SIC, além dos “shows de bolso” de Gustavo Cabeza e da folkband Balcony.

Grife lança catálogo com moradores de rua e cenário de indigência na Capital

09 de junho de 2014 7

sharke marca21

Se fosse pelo simples intuito de vender, a Sharkle, marca independente de streetwear de Florianópolis, vestiria belos e saudáveis modelos em cenários de deslumbre ensolarado da cidade, mas a ideia do catálago de estreia foi justamente transgredir e transitar para além da fronteira do politicamente correto. A grife levou ao pé da letra o sentido do gênero (moda de rua) e pegou moradores de rua na Capital como modelos.

Até aí tudo bem, mas a grife radicaliza ao retratar seus protagonistas em situações reais do seu cotidiano, na indigência, em seus sombrios refúgios e até consumindo drogas como crack e injetáveis. As únicas intervenções são as camisetas _ cujas estampas foram concebidas por artistas fora do eixo das galerias e escolas de design _ e os registros são documentais e chocantes. O propósito do polêmico ensaio se traduz no seu título (The Unseen and Urforgiven), sugerindo um estilo de vida não-comercial, mas real: aquele que não se vê e não se perdoa. As fotos são de Alexandre França, Eduardo Valente e Marcelo Oriano Jr. (tem mais por aqui)

sharke marca11

sharke marca3

sharke marca4

sharke marca51sharke marca6

 

Busto de Eike Batista some da Praça XV. Quem pensou em bronze, levou argila!

06 de junho de 2014 6
O Bustox de Eike Batista. Foto Marcos Favero, Divulgação

O Bustox de Eike Batista. Foto Marcos Favero, Divulgação

O busto do empresário Eike Batista sumiu da Praça XV, no Centro de Florianópolis. O Bustox foi instalado em março passado pelo ERRO Grupo em uma intervenção de protesto contra o descaso com a memória cultural da cidade. A imagem repousava justo sobre o pedestal destinado ao pintor Victor Meirelles, cuja reprodução em bronze foi roubada junto com as de outras duas personalidades homenageadas ( José Boiteux e Jerônimo Coelho) no ano passado _ mistério até hoje sem solução.
Sabe aquela história do “santo dos pés de barro”? Pois é, tal qual a fortuna do Eike, o busto também era de argila.

Dark Tales & Love Songs: o estouro da manada sonora de Elekfantz. Ouça o álbum aqui!

06 de junho de 2014 0

elek

Os laços de amizade entre o DJ Daniel Kuhnen e o músico Leo Piovesani vem de longa data, mas foi só depois de 20 anos que a a aproximação sonora entre os catarinenses se efetivou com o projeto Elekfantz. Desde então, tudo andou muito rápido para a dupla. Em pouco mais de um ano eles circularam por grandes eventos e festivais como Rio Music Conference, Amsterdan Dance Event, Dream Valley Festival e Lollapalooza Brasil, turbinados por tracks como Wish (2012) e Diggin’ on You (2013) e que anunciaram o estouro da manada nas pistas. Agora se consolida com Dark Tales & Love Songs, álbum lançado nesta semana pelo selo D.O.C., do DJ e produtor brasileiro Gui Boratto, e com distribuição pelo label alemão Kompakt.
O disco sai nos formatos digital e em vinil duplo _ com edição limitada. Na semana de estreia, o álbum atingiu o primeiro lugar no chart de música eletrônica do iTunes Brasil. Dark Tales  & Love Songs foi eleito por Boratto para inaugurar o seu selo, que é a sigla para “De Origem Comprovada”. Ele não só sabia no que estava apostando como afiançou o trabalho dos catarinenses junto ao comando da Kompakto, considerada o maior distribuidora de discos de música eletrônica para a Europa. Boratto é peça determinante no processo de construção do projeto em que foi mais que produtor: foi um terceiro elefante que apontou os horizontes para a jornada.
O trabalho traz 13 faixas que no conjunto fogem ao padrão de seus similares na música eletrônica, a começar pela duração dos temas que não passam dos quatro minutos, além de uma diversidade melódica que transcende as pistas. Tem tudo ali: beats, arranjos, riffs e refrões para cantarolar. “Sempre pensei em algo como uma banda, para se ouvir em qualquer lugar”, já anunciava Kuhnen, quando ainda recém-havia apresentado o single Wish, uma subversiva intervenção em Rollin’ Stone, clássico de um dos cânones do blues, o guitarrista americano Muddy Waters. “O potencial deles vai muito além do meu público, por exemplo”, anunciou Boratto à época.
Como o nome sugere, a peça tem seu lado apaixonante e sombrio. She Knows, a segunda faixa, é que de fato abre o álbum, soando poderosa com uma atmosfera post-rock 80 e disco music para emendar com a consagrada Diggin on You, hypada no verão europeu passado a partir de um remix do DJ alemão Solomun. O ponto de ebulição dançante é atingido com So Damn Classy, uma catarse fina de arranjos, guitarras, refrões, synths e levada funk 70.
Leo Piovezani, que toma a frente dos vocais e da bateria eletrônica, também opera os radares conceituais do disco, trazendo as reminiscências do blues e do jazz para os momentos mais introspectivos como Pharaoh’s Dance, Mysterious Traveller e The Quiet Before The Storm. Porém, sem perder o trunfo para surpreender, ao adicionar letras e levadas que fazem o tempo acelerar progressivamente, transitando para além do house, downtempo, do techno e eletroclash. Teasing Me é um desses exemplos, abrindo melancolicamente para colar forte em outro estágio de pura inspiração pop.

layout 310 x 310 LP Dark Tales and Love Songs Elekfantz_fev 14 v
O trunfo de Dark Tales & Love Songs é que ele traz para qualquer ambiente o poderio da diversidade musical de Elekfantz, até então só experimentado em pistas, ainda que sempre muito bem recebido nas diversas apresentações do duo. As composições são ótimas, a produção é impecável e o que está aí é para aqueles ouvidos sempre dispostos a apreciar boa música _ sem restrições de gênero. No final do mês os elefantes embarcam para uma nova turnê pela Europa, só que muito mais pesados e visíveis diante das expectativas e boas impressões causadas pelo presente álbum.

O último samba na despedida melancólica do Bar do Alvim

05 de junho de 2014 0
Foto Linete Martins, Divulgação

Foto Linete Martins, Divulgação

Quem passar pelo Mercado Público só encontrará isso: as mensagens deixadas pelos já saudosos frequentadores do Bar do Alvin, que por 57 anos foi o refúgio dos boêmios, dos perdidos e dos achados de Florianópolis. A jornalista Linete Braz Martins testemunhou os derradeiros momentos do local, no dia 31 de maio, quando encontrou o velho Alvim recolhendo objetos e ao fundo o som de antigos sambas. Com o olhar mais triste do mundo, ele repetiu algumas vezes: “Dói tanto fechar aqui, minha filha. É como perder um pai, uma mãe.”

Seu Alvim, recolhendo as memórias do seu notório bar, que fecha depois de 57 anos. Foto Linete Martins, Divulgação

Seu Alvim, recolhendo as memórias do seu notório bar, que fecha depois de 57 anos. Foto Linete Martins, Divulgação

O reggae se despede do Mercado Público nesta quinta-feira. Eu vou, porque eu já esqueci de como foi a última vez!

28 de maio de 2014 0

O projeto Reggae no Mercado Público promoverá nesta quinta-feira a despedida do vão central do espaço. É que diante do fechamento da ala sul para reformas, os encontros dos regueiros que há mais de um ano leva uma multidão às quintas-feiras ao local foram abreviados. A organização já trabalha com um outro ponto, possivelmente no antigo terminal Cidade de Florianópolis, para onde também serão transferidas as peixarias do mercado.

Se você ainda não viveu essa experiência, eu sugiro que não desperdice a última chance.