Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "literatura"

Os demônios de Loudun, de Aldous Huxley é reeditado no Brasil

05 de junho de 2014 0

Aldous-Huxley-005

A editora Biblioteca Azul cumpre um grande serviço ao reeditar no Brasil as obras do inglês Aldous Huxley (1894-1963), o guru da literatura lisérgica e autor dos clássicos Admirável Mundo Novo (1932) e As Portas da Percepção (1954). E acaba de tirar o prelo Os Demônios de Loudun, um ensaio de Huxley baseado em um fato verídico, porém surreal: a suposta possessão demoníaca em um convento francês no século XVII. A livro teve a sua última edição no país em 1952.

demonios_loudun_CAPA.pdf

Vamos trazer Djin Sganzerla para o FAM 2014!

16 de maio de 2014 0

d.t.tive

Se o convite já foi feito, a Contracapa reforça: queremos Djin Sganzerla de corpo e formosura presente no Florianópolis Audiovisual 2014 (FAM). Atriz e filha do saudoso e influente diretor Rogério Sganzerla está no elenco de D.T.Tive, curta-metragem dirigido por Fernanda do Canto e Javier Di Benedictis, e que será exibido na Mostra Catarina no dia 27 (19h). Com ela estão também os excelentes Leon de Paula, José Ronaldo Faleiro e Zeca Ramos. O filme, que por sinal é muito bom,  é adaptado das crônicas do escritor José Francisco Hamms. Rogamos para que ela aceite o convite.

 

A propósito, a organização do FAM 2014 busca parcerias com empresas de transporte da Capital para auxiliar no traslado de estudantes de escolas públicas da região para prestigiarem a Mostra Infantojuvenil _ de 26 a 30. A programação deste ano reservou 12 produções divididas em duas programações: para crianças de até nove anos e de 10 a 12 anos. O festival também está com a agenda aberta para receber turmas escolares. Basta entrar em contato pelo e-mail infantojuvenil.fam@gmail.com.

A estrada que cura todas as dores: Em livro, baterista do Rush conta como superou o luto pela perda da filha e da mulher em viagem de moto

21 de abril de 2014 0

a estrada da cura1

Por acaso, me chegou as mãos o livro Ghost Rider: A Estrada da Cura, de Neil Peart, baterista da banda canadense Rush. Peart é uma lenda do rock, mas nesta comovente obra lançada em março no Brasil pela editora Belas-Letras, ele relata a viagem que empreendeu sozinho de motocicleta após uma tragédia familiar ocorrida no início dos anos 2000: a perda da única filha (em acidente de trânsito) e da esposa (em decorrência de um câncer) no intervalo de um ano. A dor o levou a percorrer 90 mil quilômetros pelas Américas do Norte e Central, relatando passagens, angústias e personagens que o ajudaram a sobreviver ao doloroso luto. O livro é incrível e tocante.

Perdido em Itapiranga

Pearl tomou gosto pela estrada e desde então costuma sair com sua moto em viagens pelo mundo. Em uma delas, aconteceu um caso pitoresco: em 2010, durante o intervalo da turnê do Rush pela América do Sul, o baterista fez uma viagem com parceiros de produção. Partiram de São Paulo com destino à Argentina e Uruguai, mas acabaram se perdendo na rota e pararam em Itapiranga, no Oeste Catarinense. O guitarrista catarinense André Seben, da banda Os Chefes, passou meses depois pela cidade e lá ouviu relatos sobre a passagem do rockstar pela cidade. Eu relatei essa história no meu finado blog Contraversão. Mas a confirmação veio do próprio Peart, em relato no seu blog de viagem.

Gabriel García Márquez e o bom jornalismo

18 de abril de 2014 0

notícias de um sequestro

Notícias de Um Sequestro (Editora Record, 1996) foi o meu passaporte para o universo do genial Gabriel García Márquez. A razão era óbvia: eu era estudante e o velho Gabo surgia se permitindo a “cometer jornalismo” para dar luz a um dos mais tenebrosos episódios da história recente da Colômbia. O veterano passou quatro anos num intenso e doloroso processo de apuração para relatar a história de 10 sequestros de notórias personalidades _ incluindo amigos próximos _ pelo nefasto Cartel de Medelín, liderado pelo traficante Pablo Escobar. No início dos anos 1990, a Colômbia estava conflagrada pela guerra contra o narcotráfico e na tentativa de evitar a sua extradição para os Estados Unidos, Escobar impôs o terror. Márquez disseca neste romance a teia de degeneração política e social que já se arrastava há pelo menos duas décadas no país _ realismo sem mágica e nada de fantasia. Gabriel, que pelo jornalismo começou a edificar a sua carreira na década de 1950, relata que Notícias de Um Sequestro, uma das suas derradeira sobras, foi a tarefa autonal mais triste e difícil da sua vida.

“Minha única frustração é saber que nenhum deles encontrará no papel nada além de um pálido reflexo do horror que padeceram na vida real.”
(Gabriel García Márquez)

Um soco na literatura

18 de abril de 2014 0
reprodução

reprodução

Um olho roxo na face do colombiano Gabriel García Márquez foi a “assinatura” do peruano Mario Vargas Llosa para por fim ao relacionamento dos até então amigos. Isso foi em 1967, mas a imagem só foi revelada pelo autor, o fotógrafo mexicano Rodrigo Moya, em 2007, por ocasião dos 80 de Gabo, morto nesta quarta-feira.

Mas o motivo da agressão, que ocorreu na saída de um cinema, passou ao largo das notórias divergências políticas que marcaram a vida dos dois desafetos. A causa teria sido, segundo relatos da época, o orgulho feriado de Vargas Llosa ao sugerir que García havia assediado a sua mulher.

 

 

William S. Burroughs In Dub (2014)

15 de abril de 2014 0

Os corajosos do coletivo suíço Dub Spencer & Trance Hill tiveram a manha de temperar o escritor norte-americano William S. Burroughs no dub e o resultado foi delirante: está no álbum William S. Burroughs In Dub. Os caras samplearam trechos de poemas recitados pelo autor de Almoço Nu e fizeram um toaster com as guitarras e as batidas lisérgicas do dub. A receita não poderia ser mais perfeita: a psicodelia característica do gênero com a verve poética de um dos mais afiados mestres da literatura beat. O Dub surgiu daí, da mistura da poesia sobre bases lentas e inebriantes, que fez a cabeça de muita gente na Jamaica e depois ganhou o mundo _ inclusive influenciando o que nos Estados Unidos viria a se consolidar como o Rap (“ritmo e poesia”).

Beck lança novo volume da coletânea do Armandinho

10 de abril de 2014 0

armandinho pequeno

Alexandre Beck lança nesta sexta-feira (11/04), às 18h, na Livraria Catarinense do Beiramar Shopping (Capital) o segundo volume da série de livros do Armandinho. Depois de Zero, lançado no ano passado, Armandinho Um continua com a seleção de tirinhas produzidas com o cativante garotinho e publicadas no Variedades do Diário Catarinense. O novo livro traz 180 tiras coloridas, em 96 páginas impressas em papel reciclado. Mas é na frente digital que o intrépido personagem criado pelo artista catarinense em 2008 vai arregimentando as multidões. A página do Armandinho no Facebook já passou dos 480 mil seguidores no Brasil e em outros continentes, como Portugal e África.

Aos 90 anos, Salim Miguel surpreende com novo romance, a novela policial Nós

30 de janeiro de 2014 2
Foto Charles Guerra

Foto Charles Guerra

A longa jornada do querido modernista Salim Miguel completa 90 anos hoje. O maior escritor catarinense nos surpreende também com a criativa longevidade e na capacidade de se reinventar, pois está prestes a lançar um livro inédito, a novela policial Nós, ambientada em Brasília e que sairá pela EdUFSC. A obra se somará à sua vasta e imprescindível bibliografia de mais de 30 títulos. O menino que chegou ao Brasil vindo do Líbano aos 3 anos empreendeu uma carreira incrível e revolucionária no jornalismo, na literatura, no teatro e no cinema. Salim é um intelectual marcante na cultura do país, assim como a mulher, a escritora Eglê Malheiros. Um homem que continua a definir o nosso tempo. Viva!

O Cultura DC de sábado traz um providencial artigo da pesquisadora, tradutora e doutora em Literatura Luciana Rassier _ que traduziu com Jean-José Mesguen o romance Primeiro de Abril, Narrativas da Cadeia para a editora parisiense L’Harmattan em 2007.   Luciana ainda revela um tesouro: os manuscritos originais do diário da prisão de Salim, nos primeiros dias do golpe militar de 964, e que serviu de base para a produção, 28 anos depois, de Primeiro de Abril. Uma relíquia resgatada pela família do escritor coincidentemente no curso da celebração dos seus 90 anos.

 

Maior tesouro do poeta Cleber Teixeira, prensa da editora Noa Noa continua trabalhando

05 de dezembro de 2013 0
Cena do filme Cleber e a Máquina, de Rosana Cacciatore

Cena do filme Cleber e a Máquina, de Rosana Cacciatore

Esta boa notícia foi a colega Carol Macário, repórter do Variedades, quem trouxe fresquinha e que eu partilhei na coluna Contracapa desta quinta: “A prensa tipográfica do poeta e editor Cleber Teixeira e que por anos imprimiu os livros artesanais da editora Noa Noa não silenciou com a morte do artista no início em junho passado. A máquina que é um legado literário do Estado e do país agora está sob a tutela do estúdio Corrupiola Experiências Manuais, também de Florianópolis. Continua operando e por enquanto com aplicações de trabalhos visuais de designers da cidade, mas o estúdio pretende imprimir obras editoriais a partir do próximo ano. Para entender a dimensão do carinho que o poeta dispensava ao equipamento assista ao documentário Cleber e a Máquina, da diretora Rosana Caccioatore, e que estreou nesta semana na Capital. Quem assistiu saiu comovido da sessão.”

 

Samuel Casal agora tem um Jabuti para colocar na estante

14 de novembro de 2013 0

dom-quixote_caixa menor

Samuel Casal aguarda com justa expectativa a chegada do carteiro. Seu troféu Jabuti já foi enviado pelos Correios. O artista visual de Floripa foi um dos vencedores da melhor capa do Prêmio Jabuti pelo trabalho com o livro ilustrado de Dom Quixote, de Miguel Cervantes, editado no ano passado pela Companhia das Letras. A capa, que ficou em terceiro lugar, é uma concepção do diretor de arte da editora Alceu Nunes sobre o desenho de Casal, que também municiou a luxuosa caixa e os dois volumes com emblemáticas ilustrações. O prêmio foi entregue nesta semana em São Paulo. Era o que faltava para a estante de prêmios e honrarias do nobre artista radicado na Ilha, hoje uma das nossas maiores expressões das artes visuais no país.