Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A importância do marketing tradicional para o marketing esportivo

06 de fevereiro de 2012 0

Caros (as),

Sou Rafael Zanette, este é meu primeiro post neste blog, com muito prazer que venho trazer um pouco do meu conhecimento em marketing esportivo para vocês.  Fico à disposição para tirar qualquer tipo de dúvida.  Segue meu primeiro artigo:

No Brasil, muitos profissionais ainda não se deram conta da importância do marketing tradicional para o marketing esportivo. Um dos principais motivos é que a maior parte dos profissionais que atua na área esportiva são advogados, jornalistas, bacharéis em educação física e ex-atletas, que em suas formações tiveram pouco ou nenhum estudo sobre o marketing tradicional. Dessa forma, a prática do marketing esportivo no país é realizada de forma empírica e sofre por não ter um embasamento necessário, fato este que possui sérias conseqüências para o meio, pois além de não conseguir desenvolver esta prática de forma profissional e eficiente, ainda arranha a imagem da indústria esportiva diante de investidores em potencial.
Deve-se pensar que o marketing tradicional está para o esportivo como o tijolo e o cimento estão para a construção civil. Ou seja, é a base de tudo. Sem esse alicerce não se pode dar sustentação a uma casa ou um prédio. O mesmo ocorre no marketing esportivo. Portanto, o fato de um atleta ter sido um grande jogador de basquete, ter sido um exímio pontuador de três pontos ou artilheiro de sua equipe de handebol não o credencia a ser um grande profissional de marketing.
Por isso, o marketing esportivo é muito mais marketing que esporte, muito mais técnica que emoção. Deve-se adaptar as ferramentas do marketing tradicional ao marketing esportivo e não o contrário. É lógico que o fato de uma pessoa conviver bastante tempo com o esporte facilita muito, desde a percepção do meio até os contatos feitos durante sua carreira profissional. No entanto, sem os fundamentos do tradicional seria o mesmo que querer que alguém ande de bicicleta sem conseguir ficar em pé nela.
Portanto, o objetivo não é discriminar os profissionais que não têm formação em marketing para trabalharem com marketing esportivo, mas sim alertar para que essas pessoas que almejam algo no meio procurem estudar marketing antes de qualquer coisa. Sendo assim, depois que tiverem um bom embasamento no marketing tradicional, elas poderão usufruir de todas as ferramentas e dispor de mais subsídios que suas carreiras de origem lhes propiciaram. Conseqüentemente, elas poderão ser profissionais diferenciados no mercado, pois conhecerão os fundamentos de marketing além de outros conhecimentos que poucas pessoas do meio possuem. Neste caso, poderão ter um grande futuro profissional, mas antes de tudo, estudem marketing.

Para interagir: rafazanette@ibme.org.br  Twitter: @rafazanette

Envie seu Comentário