Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Variados

24 de outubro de 2008 29

Acontecimentos pós-Eloá: em Salvador, Genivaldo mantém Adriele, grávida de 8 meses, refém. Por quê? Ora. Porque ela terminou a relação e ele não aceita. Quarta passada, em São Paulo, Orlando apontou um revólver pra cabeça de Monique, de 15 anos. Por quê? Porque ela não queria namorá-lo. Estavam saindo juntos há duas semanas. Duas semanas!!!! E ele já estava enlouquecido de amor e não conseguiu aceitar a rejeição. Monique morreu. Ainda não se sabe se o disparo foi acidental ou proposital, mas, a essa altura, que diferença faz? Um garoto de 19 anos apontou uma arma pra cabeça de uma menina que mal conhecia, tentando  resolver uma questão amorosa (ou fantasiosa) na base da violência, mais uma vez. É triste o abandono dessa gurizada. Quanta ignorância. 

*

Estive ontem participando de um bate-papo com a comunidade de Três Coroas (RS) e hoje em Porto Alegre, com os funcionários do Banrisul. Mesmo já tendo feito isso inúmeras vezes, sempre chego nesses eventos alertando que será mesmo uma conversa informal, descontraída, porque a verdade é que não sou especialista em nada, sou apenas uma franco-atiradora que ganhou espaço para opinar sobre diversos assuntos, e é por reconhecer que meu forte não é teorizar que não aceito fazer palestras. Quem me vê em frente a uma platéia pode pensar que estou muito à vontade, mas sempre receio que as expectativas estejam além do que posso cumprir. De qualquer maneira, fico sempre muito agradecida pelo carinho e pela compreensão que encontro em todos. É muito bacana estar junto aos leitores.

*

Da série “morro e não vejo tudo”: li num jornal que uma empresa brasileira está lançando uma lingerie que vem com rastreador GPS. Feministas: riam! Não gastem energia reclamando. Isso mais parece piada do Casseta e Planeta. 

 

*

Acaba de estrear nos cinemas o filme Fatal, baseado no livro “O animal agonizante”, de Philip Roth. Domingo pretendo ir e depois comentarei, claro.

*

Algumas pessoas perguntaram se é dia 5 que estarei autografando na Feira do Livro de Porto Alegre. Não! É dia 6 de novembro, uma quinta-feira, às 18h30. Eu sei, eu sei, mesmo dia do show do R.E.M. Dá tempo de você passar na Feira antes e ir ao show depois. Eu bem que queria ir também, mas acho que não vou conseguir. 

 

*

Mas sexta que vem, dia 31, estarei prestigiando o show do Frejat na Reitoria da UFRGS. Finalmente vou conhecer meu novo parceiro musical. Que chiiique!  

*

Bom final de semana a todos. Beijos!

 

 

 

 

Postado por Martha Medeiros

Comentários (29)

  • Liliana Garbin diz: 27 de outubro de 2008

    Bom dia,Martha!!!!obrigada pelo presente sexta-feira…prazeroso foi te ouvir,conhecer e ver que és simples,simpática,verdadeira e tudo o q escreves é exatamente o que falas aos teu leitores.
    Beijos,boa semana….

  • Dino diz: 27 de outubro de 2008

    Marta, queria convidá-la (e a seus leitores) a visitar meu blog, onde escrevi uma crônica, “Hipocrisia”, sobre o “caso Eloá”. Faço isso apenas porque o espaço aqui é pequeno para que eu possa falar de minha indignação. Também sei que seu tempo é limitadíssmo, mas não custa convidar, né!. Parabéns pelo Blog e também pela crônica “Educação para o divórcio” no ZH deste domingo! Show!!!

  • Marina Brum Marquetto diz: 26 de outubro de 2008

    Falando em Frejat, qual é a música que tu escreveu???
    Bjs… bom domingo… se isso for possível neh, eu sei que tu não gosta de domingo, e chuvendo então….

  • Juliana diz: 25 de outubro de 2008

    Realmente Martha,está cada vez mais dificil hoje em dia acreditar nas pessoas e para piorar agora, parceiros passaram a ser um perigo a mais,não sei onde vai parar esse mundo de tanta crueldade onde as pessoas matam as outras qdo optam pelo fim do relacionamento…
    E o pior é saber que tudo isso poderia ser evitado se a policia não tivesse protegido tanto esse canalha que matou Eloá.
    Bjosss!!

  • Delci Oliveira Cadury diz: 26 de outubro de 2008

    Martha, se ficas com medo de não agradar, imagina a tiete aqui. Saindo do meu local de trabalho, sexta a tarde, com tua agradavel companhia no elevador, depois de um delicioso bate papo. So consegui oferecer ajuda e desejar bom fim de semana.Mas consegui te acompanhar de dentro do carro, deslizando pela calçada que todos os dias sofre com meus passos apressados.Continue alimentando nossos dias! Obrigada por tudo! Beijos

  • Fernanda Guimarães diz: 27 de outubro de 2008

    Martha,
    Por gentileza, se possível, envia-me a crônica “Batalha entre duas generosidades”, publicada no Jornal O Globo…
    Recebi-a sem o título e com adulterações na escrita original.

    beijos

  • Mariana Luiza diz: 25 de outubro de 2008

    Qero repetir aqui sua frase que reflete a minha mais sincera opinião:”É triste o abandono dessa gurizada. Quanta ignorância”.Espero sinceramente que isso mude em breve.

  • Keila diz: 25 de outubro de 2008

    Não basta mais ter cuidado ao atravessar uma avenida movimentada, olhar para todos os lados quando chegar em casa, nao andar com bolsa muito na cara, celular aparecendo…temos que tomar cuidado com o louco que arrumamos para ser nosso namorado…é mole ou quer mais???? rs
    Bjs Martha…e manda um bj pro Frejat tbm rs

  • Henrique diz: 25 de outubro de 2008

    R.E.M. que fique “shiny happy people”, mas nesse mesmo horário tem Boca x Inter…

  • Alina Demeneghi diz: 25 de outubro de 2008

    Caso Eloá e os similares: Fico triste por perceber a ausência do verdadeiro sentido do amor e da vida.
    Querida Martha, quanto à palestra, penso que você é suficientemente sincera, natural e verdadeira que não precisa desta preocupação em suprir todas as expectativas. Estive no bate-papo com os funcionários do Banrisul e adorei a oportunidade de te conhecer mais de perto. Fiquei encantada!

  • Léia diz: 24 de outubro de 2008

    Martha eu adoro você! Sério. De coração adoro ler você, pra mim sua opnião vale muito, seja em livros, cinemas, músicas, enfim, sempre que posso confiro suas dicas e gostaria muito de ter ido na palestra, te ouvir.
    *
    Quanto a esses amores platônicos, acredito que banalizaram o amor. O amor não é isso, o amor é você querer bem o outro, mesmo não fazendo parte da vida dele (a). Gente sem juízo.
    Bom fim de semana!

  • Nathália Hecz diz: 25 de outubro de 2008

    Ai, Martha! Que coisa de doido esses crimes passionais.Fico pensando, isso pode acontecer com qualquer um! Basta eu me negar a namorar com alguém,que já ganho um tiro, se a pessoa for desequilibrada. Por isso é preciso estarmos atentos com quem nos envolvemos. Ah! Eu sabia que tu ia no Frejat! Eu vi o comercial na tv, e a primeira coisa que pensei: “ A Martha vai!“ Torço pra que tu possa ir no NDN também. Beijos, flor!^^

  • Neusa Conte diz: 26 de outubro de 2008

    Martha,
    Lya Luft Revista Veja 11/10/08:
    - O QUE ESTAMOS DEIXANDO AOS NOSSOS FILHOS?
    Deu um rápido exemplo:
    Gosto da historinha verdadeira de quando, esperando alguém no aeroporto, vi a meu lado uma jovem mãe com sua filhinha de uns 5 anos, lindas e alegres. De repente, olhando para as pessoas que chegavam atrás dos grandes vidros, a perfumada mãe disse à pequena: “Olha ali o boca-aberta do seu pai”.
    Não é preciso dizer mais nada. Estamos fracassando enquanto Pais. A “BOLHA” familiar…

  • Marta. diz: 26 de outubro de 2008

    DANDO CONTINUIDADE AO PENSAMENTO ANTERIORMENTE DESENVOLVIDO POR MIM, ACREDITO QUE DEVEMOS E EM ESPECIAL OS PAIS, CONVERSAR COM NOSSAS CRIANÇAS DE FORMA CLARA, DEMONSTRAR INTERESSE EM CRIAR UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA. ASSIM, TALVEZ POSSAMOS MELHORAR ESTE QUADRO PATOLÓGICO QUE TEM SE APRESENTADO DIANTE DE NÓS E QUE ENVOLVE PESSOAS TÃO JOVENS E ASSUSTA A TODOS NÓS.

  • Fátima Freire diz: 25 de outubro de 2008

    O que está acontecendo com os relacionamentos,as paqueras,a paixão e com o amor nesses tempos de satisfação imediata e de não se suportar um não?
    a vida perdeu o valor, como isso é duro de assistir!!
    Martha que chique essa parceria com o Frejat.
    Continuo cobrando sua vinda a salvador para autografar seu livro.
    Bjs,

  • Marta. diz: 26 de outubro de 2008

    É REALMENTE. É UMA QUESTÃO DE ABANDONO DA GURIZADA. CASOS PATOLÓGICOS SÃO CADA VEZ MAIS FREQÜENTES E COM PESSOAS CADA VEZ MAIS JOVENS. É TRISTE MESMO. TRANSFORMAR A PAIXÃO OU A ATRAÇÃO EM PATOLOGIA É TRISTE. NÃO CONSEGUIR CANALIZAR A PAIXÃO PARA ALGO POSITIVO EM NOSSA VIDA, ALGO QUE NOS ACRESCENTA E TRANSFORMÁ-LA EM PERIGO TANTO PARA NÓS MESMOS COMO PARA OS OUTROS. ISSO É PREOCUPANTE. É UMA QUESTÃO DE REVERMOS A EDUCAÇÃO DE NOSSAS CRIANÇAS. DE DARMOS A DEVIDA ATENÇÃO E CRIARMOS VÍNCULOS.

  • Belisa diz: 26 de outubro de 2008

    Olá, Martha,
    Acabo de ver “Fatal”,aliás, o título como sempre,fica solto e ruim em Português, não?É um filme denso, melancólico, arrastado em certos momentos, mas enfoca muitos aspectos interessantes e contraditórios do ser humano, as tais das “cercas com que insistimos em nos defender”, a síndrome de Peter Pan do homem que não se envolve, etc.
    Gostei,embora distoasse o final melodramático.Há muito mais, por isso aguardo ansiosa seus comentários.
    Meu abraço.

  • Isabel diz: 27 de outubro de 2008

    MARTHA, SEMPRE LEIO SEUS ARTIGOS E ACHO MUITO ATUAIS E VERDADEIROS, POIS EXPRESSAM AS REALIDADES DE NOSSSO DIA A DIA, ALEM DE SEREM INFORMATIVOS E INTELIGENTES. SUGERI A MINHA FILHA A LEITURA, POIS SAO ARTIGOS QUE LIBERTAM A MULHER DOS PRECONCEITOS SOCIAS SOMOS REALMENTES DOIDAS E SANTAS…

  • Sheila Cristina Andrade Scheibel diz: 25 de outubro de 2008

    Martha, se estou postando no seu blog, em plena manhã chuvosa, com pilhas de prazos fatais a me esperar, nem precisaria dizer que sou sua fã de carteirinha. Mas, como sempre é bom ressaltar as coisas boas da vida, digo mesmo assim: admiro seu trabalho, sinto conexão com seus textos, dou (e indico) seus livros como presentes de aniversário. Agora, comentando rapidinho o seu texto, digo que sinto saudades dos tempos em que resolvíamos nossa dor de cotovelo empunhando um belo bolo de chocolate :-)

  • Valeria Oliveira diz: 26 de outubro de 2008

    Martha, Gostaria de registrar o bom gosto dos seus textos, emotivos, sinceros, sensível, inteligente, criativos, fluem maravilhosamente aos nossos olhares e qdo um trabalho é bem feito precisa ser elogiado, Parabénsss
    Estou conhecendo seus trabalhos agora

  • Mariana Luiza diz: 25 de outubro de 2008

    Realmente “É triste o abandono dessa gurizada. Quanta ignorância.”. Dá vontade de chorar !
    Um abraço

  • Rogério Brodbeck diz: 27 de outubro de 2008

    Observa-se que a maioria esmagadopra dos atentados ditos passionais são particados por homens,tidos por muito mais racionais que as mulheres. Por que essa aparente contradição se as mulheres são mais apaixonadas e portanto mais propensas a atos desesperados como esses? Seriam elas, apesar disso, menos tendentes à violência??

  • Cyntia W. diz: 29 de outubro de 2008

    Martha, criei coragem e estarei na sessão de autográfos da Feira do Livro – eu costumo ter a impressão de que vou incomodar a pessoa e nunca vou…
    Nos últimos dois meses, li “Coisas da Vida”, “Montanha Russa” e “Trem-Bala”… Foi como fazer terapia para mim, portanto
    comprarei o livro novo e, se a timidez permitir darei um “oizinho” sem-graça e murmurarei o desejo de tirar uma foto!

    Até, ;)

  • Pedro Rangel diz: 27 de outubro de 2008

    Martha, fico pensando se estão surgindo tantos casos assim, ou se a imprensa (parte dela) dá especial destaque, hoje em dia, às tragédias, para explorar o sofrimento das pessoas como forma de garantir a audiência. É triste ver nossos adolescentes e jovens “abandonados”, mas considero ainda mais triste explorar as tristezas das pessoas para vender programas lavados com lágrimas. Parabéns pelos posts!

  • Marciane Faes diz: 25 de outubro de 2008

    No dia seguinte, a primeira coisa que me perguntaram no escritório foi como tinha sido o bate-papo contigo. Muitos elogios foi a minha resposta, afinal foste encantadora no teu incitamento a que todos escrevam para realmente `saber` do sabem ou pensam a respeito de seja lá o que for. Obrigada, Martha!

  • Mani diz: 24 de outubro de 2008

    Voce virou parceira do Frejat? Que legal. Qual a musica???

  • Liliana Garbin diz: 28 de outubro de 2008

    Martha,se possível atenda o pedido d Fernanda e ponha o texto aqui,fiquei curiosa.
    Beijos,obrigada.
    Lili.

  • Dino diz: 27 de outubro de 2008

    IH! Na pressa, acabei comendo o “H” do seu nome… Sorry, MartHa!

  • Roseli Ragazzon diz: 25 de outubro de 2008

    É triste ver esses adolescentes sem uma referência. Essa geração está muito imediatista, querem e acham que esse querer tem que se concretizar de qualquer forma, não importando o quanto custe. Não quero acreditar que não conseguiremos mostrar a essa meninada,um sentido mais amplo para a vida.

Envie seu Comentário