Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A vida pós-eleição

02 de novembro de 2010 23

Desde o início, não me empolguei muito com as eleições porque havia em mim uma sensação clara de que, fosse qual fosse o vencedor, o Brasil se desenvolveria do mesmo jeito, e a corrupção também seguiria do mesmo jeito. Não tive ímpetos de dizer a mim mesma: “agora vai”. Sei que vai. Sempre vai. E haverá problemas, sempre há. Ao menos está decidido: temos uma nova presidente. E antes de começar as detonações, seria interessante que déssemos um crédito, que não fôssemos tão fatalistas. Eu, que antes estava apática, estou resgatando a confiança que sempre me domina nos começos de tudo: começo de ano, começo de namoro, começo de estação. O derrotismo é um hábito que nunca fez bem a ninguém. Independentemente de quem levou meu voto, ou o seu, o dia 31 de outubro já virou passado longínquo. Agora é a vez da Dilma. Confiemos. Ela trabalha muito, é sabido. É um trator. Não veio ao mundo a passeio. Então vamos torcer para que saiba afastar os pelegos do poder, que não venda barato seus ideais, que a necessidade de fazer alianças não corrompa seus projetos, que tenha a vaidade de ser melhor do que seu antecessor e que dê um basta na corrupção. Boa sorte, madame. Saúde, disposição e muita honestidade, é o que desejo à senhora e a todos nós.

***

Andava afastada dos cinemas, mas voltei. Ainda não assisti à Tropa de Elite 2, mas só ouço dizer que é imperdível, então combinado: não vou perder. Nesses últimos dias, assisti a Comer, Rezar, Amar, que achei muito mal roteirizado. O livro é delicioso, mas cinema tem outras demandas. Senti falta de um conflito, alguma coisa que provocasse o envolvimento do espectador. O personagem de Julia Roberts não provoca nada disso, não sabemos por que seus relacionamentos não deram certo, não sabemos o que lhe tortura internamente, não sabemos em busca de quê, afinal, ela está. Fica tudo  meio à toa, o que torna o filme cansativo, apesar dos cenários idílicos. Bom para os olhos, mas entramos e saímos do cinema totalmente indiferentes. Ao menos comigo foi assim.

***

Pra não dizer que não me empolguei com nada, o filme vale pelo ótimo desempenho de Richard Jenkins, o “Richard” que ela encontra na India. É o único personagem consistente. E a trilha sonora é ótima, com destaque para “Heart of Gold” e “Harvest Moon”, ambos de Neil Young.

***

Já o “O Solteirão” (argh!!!! como é que traduzem Solitary Man para algo tão nada a ver?) vale a pena, com Michael Douglas interpretando um homem entre 60 e 70 anos que, na iminência da morte, resolve aproveitar o resto do seu tempo da forma mais patética do mundo: se comportando como um garotinho de 18 e mandando às favas qualquer resquício de ética que já tenha tido. Porém, ainda que falastrão e arrogante, o personagem desperta ternura. Escrevi uma crônica sobre o filme e em breve publicarei nos jornais, mas, por ora, fica esse registro: Solitary Man é um filme inteligente e humano, e além de Douglas, traz as participações sempre bem-vindas de Susan Sarandon e Danny De Vitto.

***

Atenção Porto Alegre e arredores: estou preparada para mais uma maratona de autógrafos. Fora de Mim no próximo sábado, dia 6, às 18h30, na Feira do Livro. E a Agenda 2011 já está à venda também. A previsão é de um belo dia de sol. Todo mundo lá.

***

Beijos!

Comentários (23)

  • Sinara diz: 2 de novembro de 2010

    Venho comentar acerca do Fora de Mim que acabei de ler há alguns minutos.Defino-o como surpreendente.Comprei-o na feira do livro no sábado, e como não moro em Porto Alegre iniciei a leitura na viagem de volta pra casa.Primeiro capítulo, inicialmente entediante.Pensei, cá pra mim, será que é ela mesmo nesse livro?Comecei a refletir, será que deveria ter comprado esse livro?
    Devido a ter lido boa parte dos teus livros, estranhei o início. Até deixei-o de lado, mas voltei a ler ontem.Enfim, o final do livro o torna surpreendente, e no terceiro capítulo torna-se mais evidente “é a Martha escrevendo”.
    Parabéns pelo livro, me entendiou no início, reservando-me uma surpresa maravilhosa.

  • Florence Campos diz: 2 de novembro de 2010

    Olá Martha,
    gostaria muito de adquirir a agenda 2011 (aliás, desde que soude dessa novidade espero ansiosamente), mas todos os links de venda pelo site da L&PM estão indisponíveis.
    Como moro no ES, só através do site mesmo!!
    Abraço de sua fã!!

  • Henry Leitzke diz: 2 de novembro de 2010

    Oi, Marta … sou um GRANDE fã seu.

    Não tive a oportunidade de ler o “Fora de Mim” ainda, mas o lerei em breve (faço faculdade de Letras e no momento estou lendo “Ilíada”, “Odisséia”, “Dom Quixote”, “A Divina Comédia”, “Tristão e Isolda”, entre outros… ou seja… o tempo está escasso). Irei, no próximo sábado, à Feira do Livro para adquirir o meu exemplar e conseguir um autógrafo seu.

    Contudo, o motivo principal deste post é saber se posso ter o seu autógrafo em outro livro, no “Tudo o que eu queria te dizer”. Este livro para mim é muito especial, pois cada história me tocou de maneira única e individual. Não sei explicar o que senti enquanto lia aquele livro; só sei dizer que era um misto de emoções que me levavam do riso às lagrimas em instantes.

    Este livro tem uma história interessante: hoje não o tenho mais, pois o dei para uma amiga. Na época, essa amiga morava em São Paulo e veio a Porto Alegre para uma “passadinha” rápida. Olhei para ela, conversamos bastante, matamos as saudades e de repente fui tomado pela vontade de dividir aquele livro com ela e o entreguei. Não sei explicar o porquê; simplesmente durante a conversa, disse …. “tenho que te dar isto” e dei o livro . Hoje ela está morando, de novo, em Porto Alegre e diz que muito da decisão de voltar foi em virtude das emoções vividas pela leitura deste livro.

    Casualmente (ou não), naquela semana, tua coluna da ZH era sobre situações como esta – dar algo pelo simples ato de fazer o bem (o texto chamava-se “O anel que tu me deste” e falava de uma situação tua com uma amiga e da Ivete Sangalo com a Marília Gabriela).

    Como não o tenho mais, irei adquiri-lo novamente (com muito prazer) .. e gostaria de um autógrafo seu, é possível?? Dois autógrafos em dois livros distintos??

    Desculpe o post tão longo … era para ser breve, mas quis dividir contigo este momento tão especial.

    Beijos e até sábado na Feira do Livro

    Henry

  • Andressa Silveira diz: 2 de novembro de 2010

    Acabei de comprar o “Fora de mim” hoje, na feira. As primeiras páginas que li são deliciosas e intensas. Sábado estarei lá pra pegar teu autógrafo!!! Um beijo.

  • cristina Carneiro diz: 2 de novembro de 2010

    Olá Martha,
    Resolvi ser audaciosa e indicar a você a leitura de um livro que me foi dado de presente, pelo Dia do Professor, o qual eu jamais compraria por livre e expontânea vontade(puro preconceito da minha parte, mea culpa, mea culpa…). Chama-se “Noites Tropicais” do Nelson Motta, que nos oferece em suas 458 páginas um panorama do Brasil dos anos 50 até o processo de impeachment do Collor, numa visão histórico-sócio-musical(será que existe isso?….) -São histórias bem costuradas, permeadas por vezes de humor, às vezes de dor, mas muito enriquecedoras para quem gosta de música e viveu algumas daquelas emoções, o que foi o meu caso.
    Bem fica aí uma sugestão.
    Grande abraço
    Cristina Carneiro

  • Manoel diz: 2 de novembro de 2010

    Martha, querida escritora predileta. Muito interessante o positivismo contido nessa sua postagem. Adorei e serviu para minhas motivações.
    Adorei isso:
    “que não venda barato seus ideais”
    Muito importante e vamos tocar a vida em frente.
    Beijos com carinho.
    Manoel.

  • Nathi Hecz diz: 2 de novembro de 2010

    Presença mais que confirmada no dia 6 ;D
    Estou muuito feliz por esse sábado, sério. Louca pra te dar um abraço! =)
    Só acho muito tensa a hora em que chega a minha vez na fila. Sempre acho que tu não vai lembrar da minha pessoa, aí sempre falo que sou a Nathi do blog.Me sinto tão idiota nessas horas. Mas vale a pena. :)
    Até o próximo post ou até sábado! Até sábado é mais emocionante porque vou te ver mesmo, aah! ^^
    Beijos,
    Nathi

  • Natália diz: 3 de novembro de 2010

    Oi, Martha

    Concordo com você quanto ao “Comer, rezar e amar”. Tenho uma relação estranha com filmes baseados em livros, pois sempre acho os livros muito melhores. Talvez seja pelo envolvimento maior com a leitura. No deste livro/ filme, vi prós e contras. Algumas partes massantes foram desprezadas (por exemplo o encontro transcedental que ela teve com a meditação) e alguns personagens foram extraídos. Mas faltou muita coisa. Faltou aprofundar algumas relações e realmente, dar enfâse ao sofrimento inicial da personagem principal.

    Adorei o que escreveu sobre a Dilma. Também sempre estive apática e com a sensação de que tudo iria continuar. Também torço para que ela não desvie da ética.

    Abraços,

    Natália

  • Cinthia diz: 3 de novembro de 2010

    Como ter confiança que a Dilma acabará com a corrupção? Ela e sua turma são “a cara” da corrupção brasileira!!

  • Mara Lúcia Didonet diz: 3 de novembro de 2010

    Oi, Martha!

    Gostaria de saber porque não estou mais recebendo as atualizações do seu blog. A última que recebi foi em 14/10.
    Tentei me recadastrar, mas não estou mais encontrando o link no seu blog.
    Please, não me abandone!!!!! (rsrs)
    Beijos,
    Mara

  • Mara diz: 3 de novembro de 2010

    Olá, Martha!

    Onde posso ler suas crônicas?
    Já tenho alguns livros seus e gostaria de ler o que você escreve em suas colunas.
    Seria possível? Tentei ler no Zero Hora e no O Globo mas é só para assinantes. =/
    Onde mais você escreve?

    Aguardo retorno!

    Sucesso, paz e bem!

  • ALINE diz: 3 de novembro de 2010

    MARTHA QUERIDA!!!!!!!!!! MAIS UMA VEZ, ESTOU ADORANDO UMA DE SUAS DICAS POSTADAS AQUI NO SEU BLOG. FALO DO MARAVILHOSO “AMOR EM MINÚSCULA”. ESTOU SENDO DEVORADA POR ELE… MUDANDO DE ASSUNTO… NÃO VEJO A HORA DE PRESTIGIÁ-LA EM SEU LANÇAMENTO DO ”FORA DE MIM”, AQUI NO RIO,BEM COMO DE ADQUIRIR A SUA AGENDA! POR FALAR NISSO… TÔ TENTANDO COMPRAR A AGENDA PELO SITE DA L&PM, MAS O MESMO ESTÁ INDISPONÍVEL! SERÁ QUE VOCÊ PODERIA ME INFORMAR SE EXISTE OUTRO SITE DISPONÍVEL PARA TANTO?! MIL BJS. ALINE

  • Rossana diz: 3 de novembro de 2010

    Oi Martha!
    Tambem tive a mesma sensacao do filme Comer Rezar e Amar, que vc.
    Qto a sessao de autografos no sabado dia 06, desta vez nao vou perder \o/!!!
    Nos vemos la!!
    Bj

  • Gustavo Quadra diz: 3 de novembro de 2010

    Boas novas!
    Pois é, isso que comentei entre o pessoal aqui: não era a favor da Dilma, mas torcerei por ela. Ela governa meu país e também sinto essa sensação de coisa nova, mesmo não sabendo se é tão nova assim…
    Filme com a Julia Roberts nem vi ainda, apenas pelo trailler não me comprou…que trailler ruinzinho…! Nem sei se verei no cinema até porque não li o livro ainda…
    Boa noite e boa maratona, Martha!

    Beijão!

  • luiz eduardo mattos diz: 4 de novembro de 2010

    Oi Marha
    Ser gaucho tem lá suas vantagens. Uma delas é ter bons escritores em todas as épocas. Vivo meu tempo e nele encontro em voce inspiração, escritora , poeta, o ser humano que nos contagia. Um abraçao deste gaucho orgulhoso.
    Tenho uma idéia genial de roteiro para livro que somente voce poderia escrever.
    mattosalem@hotmail.com

  • Elisabeth diz: 5 de novembro de 2010

    Parei de receber avisos do site sobre os novos posts da Martha. Por quê???
    Gostaria de voltr a recebê-los e não achei no site lugar para recadastramento.

  • Roberta Nina diz: 5 de novembro de 2010

    Concordo com você, Martha. O filme “Comer, Rezar e Amar” empolga pouco, já a trilha sonora é muito boa. Neil Young e Ed Vedder matam a pau.

    Beijos :)

  • Marcelle Esteves diz: 6 de novembro de 2010

    Martha, quero mandar uns textos e comments daqui da Australia para seu email, … onde posso achar essa informacao? Obrigada.

  • Mirthes diz: 6 de novembro de 2010

    Acabo de comprar Fora de Mim, para presentear, acredito que será um baita presente. Depois é a minha vez.
    Eleição, a política corre em minhas veias, não sou fatalista, mas também não sou conformista e não acredito que qualquer um que ganhasse seria do meu jeito, isso não. Claro, o povo tem muita responsabilidade para o que acontece com o país pois não tem critério na análise dos escolhidos e a maioria se deixa levar pelo senso comum, enfim brasileiro não gosta e não aprendeu a pensar, mas escolha feita, escolha aceita. Infelizmente nem baixou o fogo e estalionata à vista, a volta da CPMF com outro nome já é manipulada nos bastidores e sabemos que não é para a saúde, mas para cobrir o rombo de governo Lula que foi o mais gastador da história desse país.

  • marcelo bumbel diz: 7 de novembro de 2010

    Acho que deveriamos todos boicotar essas versoes bestas dos titulos originais. “Solitary Man” eh “Homem Solitario” ponto.
    Quem quizer assistir a um “Solteirao” que vah ver o Faustao na televisao!

  • Deise diz: 8 de novembro de 2010

    Oi, Martha!
    Sou uma grande fã sua: leio, presenteio e recomendo seus livros; acompanho as postagens de seu blog e, eventualmente, faço algum comentário, como hoje. Queria dizer que, assim como você, entrei neste processo eleitoral um tanto apática, mas que agora, com tudo votado e decidido, não vejo porque fazer parte do coro pessimista e previamente derrotado, que acha que nada vai dar certo. Ao contrário, tenho esperanças de que nossa nova presidenta (soa diferente, né?) faça um ótimo governo, uma vez que se trata de uma mulher acostumada a enfrentar grandes desafios.
    Aguardo o lançamento de seu livro e agenda em BH, ok?
    Obrigada e bjs!

  • mario wallace diz: 19 de novembro de 2010

    Perdão, mas temos uma presidente, e não “uma nova presidente”, porque é a primeira no Brasil.

  • Thais diz: 29 de novembro de 2010

    Ola Martha!!

    Gostaria de te parabenizar pela escrita intensa e real do livro Fora de Mim… Fiquei impressionada, devorei o livro em 1 dia.. simplesmente demais!! Estava totalmente envolvida na historia, ate cheguei a me reconhecer nela.. certamente, nem eu mesma (que vivi uma situacao semelhante) teria descrito com tanta profundidade uma relacao daquele tipo. Sim, ja passei por tudo e tenho para lhe dizer que demora, mas sempre passa! Confirmando tua teoria!

    Quando o coracao se entrega, o racional sai pela porta ao lado!

    Obrigada Martha por me proporcionar um auto-reconhecimento nas tuas paginas e ter a certeza que tudo passa na vida!

    Abracos,
    Thais

Envie seu Comentário