Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Bicho não é brinquedo

25 de março de 2009 5

Cachorrada faz a festa na Barra da Lagoa/Marcelo Mesquita, leitor-repórter

Uma atitude errada da população, uma cadela no cio e um bando de cachorro pronto para a festa na praia: leia a reportagem do diario.com.br (basta clicar aqui) e reflita. Qual é a solução para a superpopulação de animais nas ruas?

Lembro-me que uma vez vi os gatos em um molhe em Itajaí, e uma amiga defendeu a ideia que aqueles bichos deveriam ficar livres, lá naquela habitat — e supervisionados por veterinários.

Difícil seria o poder público encampar uma iniciativa assim, portanto, sou um pouco mais prático. Acredito que as pessoas deveriam diferenciar bicho de brinquedo e assumir uma atitude coerente e responsável: não abandonem os animais. E isso é uma educação que deve ser feita nas famílias, escolas, igrejas e na mídia.

Postado por Fabiano Melato, na redação

Bookmark and Share

Comentários (5)

  • Cachorro Paraguaio diz: 26 de março de 2009

    O único caminho para a solução deste problema é a EDUCAÇÃO e CONSCIENTIZAÇÃO das pessoas. Existe ainda muito preconceito em relação a castração, além da falta de consciência das pessoas que optam por comprar ou adotar em cão sem saber realmente qual é a responsabilidade implicada em ter um animal de estimação.

  • Iraí Cardoso diz: 26 de março de 2009

    Todos que possuem animais deveriam mandar castrar para evitar tantos problemas, principalmente os de superpopulação e doenças futuras. Parece que precisamos nos educar muito ainda. Abandonar seu animal é crime e está previsto em Lei (que poucos cumprem). Só não abandona quem os ama de verdade. Animais não são brinquedos e vejo que a média tem ajudado bastante. Porém, nas igrejas jamais vi um padre ou um pastou abordando este assunto. Se a igreja fizesse isso, as coisas mudariam bastante.

  • Livia diz: 26 de março de 2009

    Enquanto a população continuar abandonando cães e gatos à própria sorte, nada irá mudar. Eu fico muito indignada qdo ouço pessoas reclamando dos cães nas praias. Até parece que eles surgiram por geração espontânea e não por q foram cruelmente abandonados pelos próprios humanos que reclamam! Falam como se os cães gostassem de passar fome e sede nas ruas e ainda por cima serem escorraçados por alguns! Castração é a única forma de diminuir o número de bichos sofrendo nas ruas.

  • Adriana diz: 29 de março de 2009

    Oi Fabiano, a responsabilidade também deveria ser do Município!!! Eles em vez de desperdiçar tanto em obras com pouca utilidade pública deveriam investir mais em veterinários para castrar pelo menos os animais que estão abandonados e se possível diminuir o custo para quem não tem condições. Isto diminuiria muito a população de animais abandonados… Alguns Pet Shop tiveram a iniciativa de receber animais para doação, já é um meio de ajuda também. Pena que ajudar animais não dá voto!!! Abraço…

  • Daniela diz: 25 de março de 2009

    Concordo contigo, Fabiano. E, além de jamais abandonar seu bichinho de estimação, castre-o para ajudar a diminuir a superpopulação. Evitar já não tem mais como… o negócio agora é remediar. É muito importante também que as pessoas parem de deixar seus portões abertos para que seus animais “passeiem” sozinhos por aí. Aqui na minha rua tem um, que vive solto, fazendo filhotes e atacando pobres cachorros de rua e está sempre machucado. Se quer ter um animalzinho, assuma responsabilidades!

Envie seu Comentário