Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2009

Clint em DVD

30 de novembro de 2009 1

Este post é para a fofa da Isadora Guarnier que, assim como eu, é mega fã de Clint Eastwood.

A Warner Home Vídeo anunciou o lançamento de uma coleção de DVDs com final de Clint. São 19 discos que incluem desde Desafio das Águias (1968) a Gran Torino.

Isa, além de Coração Vagabundo, mais um que não podemos deixar comprar!!!!!

Postado por Ju Lessa

Post inútil

30 de novembro de 2009 1

Uma nova série aqui no blog:

Informações inúteis que não nos levam a nada.

Com raras exceções, atores que têm uma carreira medíocre no cinema, acabam tentando o reconhecimento na televisão. E quanto maior a insignificância do ator, pior é a qualidade do programa.

Pois Lorenzo Lamas …. ops, quem? Sim, um mero desconhecido. Segundo sua biografia ele já participou de filmes como Grease – Nos Tempos da Brilhantina (1978) e Paraíso Perigoso (2003). Pois este mesmo agora ganhou seu próprio programa de TV.

No estilo “nada mais me resta se não apelar para um reality show”, Lamas é a estrela de Leave it to Lamas, atração que retrata a rotina agitada e, às vezes, conturbada, de sua família e que o E! Entertainment Television começa a exibir nesta quinta, dia 3 de dezembro, às 22h.

No programa, o público confere o lado pai de Lorenzo e conhece melhor A.J., de 26 anos, e Shayne, 24, seus filhos do casamento com Michelle Smith. Dakota Lamas, filha de Michelle, também participa do reality.

Ah sim, e se você ainda não lembra dele, Lamas também foi destaque na popular novela americana Falcon Crest (1981-1990).
<ironia>Ahhhhh, agora a gente sabe quem é!!!</ironia>

Postado por Ju Lessa

Caetano em casa

29 de novembro de 2009 1

A partir de 4 de dezembro, para venda e locação, Coração Vagabundo

 A partir de 4 de dezembro, estará disponível para venda e locação, o DVD Duplo de Coração Vagabundo, documentário que revela o cantor Caetano Veloso durante a turnê Foreing Sound (um dos melhores álbuns de Caetano).

Um Caetano Veloso na intimidade, despido em tudo (até literalmente), contando piadas, falando sobre suas alegrias, angústias e tristezas. É assim que o cantor e compositor baiano poderá ser visto neste documentos, que inclui o Pocket Show Acústico inédito de Caetano realizado no Restaurante Baretto, em São Paulo.

Entre o material especial, as entrevistas com Julie Taymor, Enrica Antonioni, Pedro Almodóvar e Regina Casé. E ainda as participações mais do que especiais do músico David Byrne, Michelangelo Antonioni, da modelo Gisele Bündchen e Pedro Almodóvar.

Coração Vagabundo é dirigido por Fernando Grostein e é uma realização da Natasha Filmes, produzido por Paula Lavigne e Raul Dória. Todo o material foi captado pelo cineasta Fernando Grostein Andrade em São Paulo, Nova York, Tokio e Kyoto.

O resultado do trabalho são cenas que externam de modo discreto e delicado os sentimentos de um dos grandes astros da música popular brasileira, assim como o carinho dos japoneses e americanos com o santo-amarense que conquistou o mundo através de sua voz mansa e poemas geniais.

– Não gosto de ser filmado e, depois que envelheci, nem mesmo de ser fotografado, mas gostei muito do filme porque achei que ele foi fundo em coisas importantes. Esse Coração Vagabundo é especialmente afetivo e termina por tocar em pontos muito relevantes – opina Caetano.

Segundo ele, o Caetano dos palcos é um pouco diferente do mostrado no documentário.

– Vendo o filme, me achei até engraçado, de um jeito diferente. O tempo todo com um humor de velho, quase amargo, um humor de quem já não espera nada. Me lembrou umas figuras de homens maduros de Santo Amaro. Claro que tem toda a onda de não temer dizer frases que podem parecer imodestas. Mas, não tem alegria verdadeira. No palco, eu posso contar piadas e falar sobre sentimentos e angústias, mas em geral estou alegre – revela.

 

* Foto: Divulgação, Paramount Home Entertainment

Postado por Ju Lessa

Woody Allen na TV

28 de novembro de 2009 1

Gente, enquanto o novo filme de Woody Allen não estreia por aqui, o Telecine Cult nos dá a chance de rever alguns dos melhores do diretor.
Todas às quartas, na faixa das 22h.


Manhattan
Foto: Reprodução

No dia 2/12 o filme é A Rosa Púrpura do Cairo – uma historia de cinema dentro de um filme. E se a gente pudesse transformar a ficção em realidade? Ou melhor, e se a realidade virasse ficção? Woody Allen brinca com isso e nos dá de presente um filme exclente.

No dia 9/12 é a vez de Manhattan – e daí sou suspeita para falar. Manhattan é um dos filmes que mais amo na vida. Uma declaração de amor a Nova York e com músicas do inesquecível Gershwin ao fundo.

Postado por Ju Lessa

Temas polêmicos e filme fraco

27 de novembro de 2009 7

Do Começo ao Fim, de Aluizio Abranches, estreia nesta sexta

Um casal apaixonado que precisa lidar com uma triste separação. É mais uma história de amor, porém com dois ‘poréns’: 1) o casal em questão é formado por dois homens; 2) além de gays, são irmãos. Do Começo ao Fim, filme de Aluizio Abranches que estreia nesta sexta, é mais uma historia clichê, mas aposta em dois temas polêmicos para causar frisson. Pena que toda profundidade do longa se resume ao título.


Foto: Downtown Filmes, Divulgação

Não há questionamentos nem conflitos na relação incestuosa dos meio-irmãos Francisco e Thomás, interpretados por Lucas Cotrim e Gabriel Kaufmman, quando crianças, e João Gabriel Vasconcelos e Rafael Cardoso. Até mesmo os familiares, que na infância estranham a intimidade dos dois, aceitam plenamente a relacionamento. Os dois criam um universo particular e vivem alheios a todos os julgamentos, que, aliás, nem existem no filme. As poucas pessoas que os cercam, embora pareçam viver de acordo com as normas consideradas aceitáveis pela sociedade, não se chocam com o relacionamento.


Foto: Downtown Filmes, Divulgação

Questiono-me, então, por que abordar duas questões tão mal digeridas na nossa modernidade sem a menor intenção de discuti-las? O diretor diz que sua intenção era fazer apenas uma história de amor, onde o incesto e o homossexualismo masculinos seriam detalhes. Se esta era intenção, ele falhou. O roteiro é pobre e o relacionamento do casal é totalmente previsível. Abranches se arriscou em usar temas polêmicos e complicados, mas infelizmente o que vemos na tela é uma história de amor superficial e o que o poderia causar alguma reação no espectador – seja simpatia, ódio, preconceito, curiosidade, etc. – acaba nem sendo abordado.


Foto: Downtown Filmes, Divulgação

Destaque para fotografia de excelente bom-gosto de Ueli Steiger, que trabalhou em produções como Con Air (1997), O patriota (2000), O dia depois de amanhã (2004). Embora as cenas mais picantes de sexo sejam desnecessárias para a história, são de ótima qualidade. Claro que é algo muito chocante de se assistir – e recomendo aos mais moralistas passarem longe dos cinemas onde estiver passado. Mas se a proposta era expor a intimidade do casal, Steiger conseguiu mostrar isso sem vulgaridade ou caricaturas e com grande sensibilidade. Considero o único ponto forte e inovador do filme.

 

 

Postado por Ju Lessa

Na TV

26 de novembro de 2009 0

Buena Vista Social Club: Documentário que mostra o encontro de Ry Cooder com ídolos da música cubana.
Telecine Cult, 00h05

 

Os Falsários
HBO, 21h40

 

Amores Brutos
Telecine Cult, 23h45

Postado por Ju Lessa

Ficção de uma realidade mórbida

26 de novembro de 2009 4

A ficção pode servir como um espelho chocante para uma realidade mais absurda que um roteiro de filme. A Segunda Guerra é um tema frequente para ótimos filmes baseados em fatos reais e documentários, mais foi uma ficção que me chamou muito atenção e, com certeza, já está na minha lista de filmes inesquecíveis sobre o assunto. Aliás, é surpreendente que tenham sido feitos pouquíssimos filmes (na verdade, só conheço este sobre o qual escrevo) que retratem um dos acontecimentos mais torpes deste conflito: o massacre de Katyn.

Fotos: Paramount Pictures

Ainda bem que temos cineastas como o polonês Andrzej Wajda, que em seu mais recente trabalho coloca o dedo na ferida relembrando, para os esquecidos, e mostrando, para quem, como eu, pouco conhecia, as atrocidades cometidas pelo regime comunista da Stalin aos poloneses neste episódio nefasto. Katyn, indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2008 e que já está em locadoras, é um relato ficcional, mas não menos real, do massacre de aproximadamente 15 mil (algumas fontes registram 25 mil) prisioneiros de guerra poloneses pela polícia secreta soviética nas florestas da cidade que dá nome ao filme, pouco depois da invasão nazista na Polônia.

 

O filme começa em 1939, meses antes do início da guerra, com o Pacto Molotov-Ribbentrop, acordo de não agressão entre alemães e russos, e segue até os últimos anos de conflito, quando os dois países já estão em lados opostos na guerra e com a Polônia sob domínio total do governo de Stalin, que tenta de todas as formas esconder a autoria do genocídio, culpando os alemães e alterando documentos referentes aos crimes.

Fotos: Paramount Pictures

Katyn é um filme chocante e sensível. Com seus personagens fictícios, Wadja reconta a realidade de uma Polônia devastada pelas invasões nazista e soviética, dois regimes que, embora antagônicos, foram muito semelhantes no uso da violência como forma de desconstrução do individuo. O principal cenário de Katyn não é o campo de batalha nem a tragédia em si, mas a angustia da eterna espera por um retorno que não houve e a luta de seus protagonistas para resgatar seu passado e sua identidade diante de um regime severo, disposto a aniquilar a história do povo e impor á força uma “verdade” conhecidamente falsa.

 

Rodado de maneira documental, com registros históricos, diálogos fortes e narração apaixonada, Wajda aborda também, de maneira emocionante, o conflito das gerações posteriores ao massacre: fingir aceitar uma mentira imposta como verdade para sobreviver ou partir para o confronto, com o risco de perder a vida. Viver sob uma mentira não seria a mesma coisa que aceitá-la como verdade? E morrer é a melhor maneira de lutar numa guerra desigual? São alguns questionamentos que vem à cabeça e o que próprio cineasta deve ter vivenciado, já que seu pai foi uma das vítimas de Katyn.

 

Fotos: Paramount Pictures

 

 

Postado por Ju Lessa

O príncipe vai virar sapo

26 de novembro de 2009 0

É história de conto de fadas, sim, mas o efeito vai ser ao contrário. O ator sensação do momento, Rodrigo Lombardi, vai dublar o príncipe Naveen, que é transformado em sapo em A Princesa e o Sapo, da Disney. O longa-metragem chega aos cinemas americanos na próxima sexta (27) e estreia no Brasil dia 11 de dezembro.

 

Foto: Walt Disney Studios Motion Pictures, Brazil

Postado por Ju Lessa

Nova musa

24 de novembro de 2009 1

Reprodução, Daily Mail

Woody Allen tem uma nova musa. E que musa!!!! É a primeira-dama francesa, cantora, ex-modelo, diva e maravilhosa Carla Bruni. A moça confirmou ter aceitado o convite para trabalhar no próximo filme do cineasta.

– Ele me propôs estar em seu próximo filme e eu disse sim – disse Carla, em entrevista ao Canal+ na noite de segunda.

Embora ainda não saiba qual papel terá na produção, Carla deixou claro que não poderia deixar a oportunidade passar.

– Não posso perder uma chance como essa. Quando for avó, gostaria de ter feito um filme com Woody Allen – afirmou.

Com certeza, Carla Bruni é BEEEEEM MELHOR que Scarlett Johansson.

Postado por Ju Lessa

Meu mais novo melhor ator preferido

23 de novembro de 2009 0
Sir. Alec Guinness

Hotel Paradiso

As aventuras do padre Brown (Father Brown)


A Ponte do Rio Kwai (The Bridge of the river Kwai)

Star Wars


Lawrence da Arábia (Lawrence of Arabia)


O Cisne (The Swan)

O homem de terno branco (The Man in the white suit)


Nossa querida Paris (To Paris with love)

Postado por Ju Lessa