Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2011

Uma busca sem sentido

04 de dezembro de 2011 0

Talvez o momento melancólico pelo que qual estou passando, talvez a eterna busca por um sentido transcendental, talvez a necessidade de me enquadrar em algum conceito, seja qual for, talvez o anseio de me sentir parte de algo maior. Provavelmente tudo isso junto tenha sido fundamental para eu me identificar tanto com o filme 30 Anos Esta Noite, de Louis Malle.

30 Anos Esta Noite é um retrato triste e belo do vazio existencial. Alain Leroy vive à margem de tudo que a vida lhe proporciona. Não se encanta por nada e não consegue se deixar envolver por ninguém. É um apático por natureza.

Acompanhamos as últimas horas deste personagem, depois de deixar o hospital onde fazia tratamento contra o alcoolismo. Ele anda em bares, reencontra amantes, procura amigos, revive vícios, reavalia o passado. Tudo isso uma viagem interna para resgatar a si mesmo.

A busca incessante por um rumo só torna cada vez mais pungente a frustração por nunca achá-lo. Cada tentativa de se encontrar acaba sendo apenas mais uma prova patética desta impossibilidade. Alain não se enquadra em nada, é um passante da própria existência.

Nós não sabemos quem ele é, nem o que o levou até ali. Segue uma trilha sem fim, um caminho sem destino, uma vida sem sentido. Os vícios, os excessos e as transgressões não são testes de limites de alguém que quer viver intensamente, mas uma fuga da solidão que se sente quando não se vê horizonte. Assim como sua própria internação é apenas uma tentativa de se esquecer de si mesmo. Alain vive na subsistência da sua incapacidade de se relacionar com o mundo.

Num dos diálogos mais interessantes do filme, pouco antes da sair da clínica, o médico lhe diz “a vida pode ser boa” e o aconselha a retomar laços afetivos e resolver os problemas do passado. Como retomar laços que nunca existiram? Como resolver um passado que nunca foi vivido de fato? Tudo na vida de Alain foi passageiro e sem significado. Ele foi somente um espectador de seu filme. Sabendo disso, a única ação que lhe cabia era antecipar os atos finais.

Se a vida pode ser boa, Malle nos mostra que ela também pode ser traiçoeira para quem espera demais.

30 Anos Esta Noite (Le Feu Follet), 1963
Direção:  Louis Malle

Nouvelle Vague em discussão

02 de dezembro de 2011 0

A Cena Um promove nos dias 10 e 11 de dezembro o curso Nouvelle Vague – História, Linguagem e Estética. Ministrado por Franthiesco Ballerini, o encontro apresenta um panorama histórico daquele que foi um dos mais importantes movimentos cinematográficos do mundo, influenciando toda a cinematografia mundial e deixando um legado que até hoje influencia cineastas. Primeiramente, serão apresentadas as razões pelas quais o movimento surgiu na França, no final dos anos 1950, seguindo pela análise da ‘Política dos Autores’. Trechos das grandes obras de alguns realizadores da época, como François Truffaut, Jean-Luc Godard, Alain Resnais, Eric Rohmer e Claude Chabrol, serão exibidos para desenvolver a reflexão sobre o estilo de cada diretor e a contribuição estética dos mesmos.

Datas: 10 e 11 de dezembro de 2011
Horário: 9h30 às 12h30
Local: Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (Rua dos Andradas, 959- Porto Alegre)
Investimento: R$ 70,00
Material: Apostila e Certificado de participação
Informações: cenaum@cenaum.net /
Fone: (51) 9101-9377
Inscrições: www.cinemacenaum.blogspot.com