Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Hasta la vista, baby!

02 de janeiro de 2012 3

Nunca fui boa na arte do desapego. É sempre dolorido me desfazer de algo, alguém ou situação. Enrolo, nego, empurro com a barriga, adio, choro, mas por fim, fatalmente, chega a hora em que preciso assumir o derradeiro grand finale.

Talvez por isso este seja um dos textos mais difíceis que escrevo. Pois é amigos, chegou o momento de me despedir. Quem ainda acompanhou o blog nestes últimos meses de sobrevida já devia estar imaginando que isso aconteceria. Estava difícil conciliar, os posts foram ficando cada vez mais espaçados, o tempo cada vez mais insuficiente, a cabeça cada vez menos criativa. Mas ainda assim tentei resistir, neguei, ignorei. Agora, no entanto, é o fatídico momento de dizer “até logo”.  Uma ruptura necessária, não por isso menos dolorida, mas que vai ser benéfica (espero!).

Encerro o Matinê cheia de idéias que não consegui tirar da cabeça, cheia de textos que não consegui escrever, cheia de filmes que não consegui assistir. Encerro o blog do mesmo jeito que comecei: amando Audrey Hepburn, tendo Casablanca como filme preferido, chorando em comédias românticas bobas e gostando de cinema de qualidade.

Encerro o blog com medo porque a palavra “mudança” para uma pessoa como eu tem um peso cinco mil vezes maior do que deve ter para a maioria. Mas assim como em  grandes filmes, na vida real as mudanças também são necessárias.

Por uma destas coincidências mágicas, acabo de me despedir de uma amiga que proferiu a seguinte frase: “A gente tem que arriscar.  Se a gente não arrisca, a gente não sai do lugar”.

Acho que chegou minha hora de sair do lugar.  Este ainda não é o meu grand finale, apenas o início de um novo ato ou, quem sabe, o meu momento de virada.  Mas isso é cena de um próximo capítulo.  :)

Um beijo a todos!

Uma busca sem sentido

04 de dezembro de 2011 0

Talvez o momento melancólico pelo que qual estou passando, talvez a eterna busca por um sentido transcendental, talvez a necessidade de me enquadrar em algum conceito, seja qual for, talvez o anseio de me sentir parte de algo maior. Provavelmente tudo isso junto tenha sido fundamental para eu me identificar tanto com o filme 30 Anos Esta Noite, de Louis Malle.

30 Anos Esta Noite é um retrato triste e belo do vazio existencial. Alain Leroy vive à margem de tudo que a vida lhe proporciona. Não se encanta por nada e não consegue se deixar envolver por ninguém. É um apático por natureza.

Acompanhamos as últimas horas deste personagem, depois de deixar o hospital onde fazia tratamento contra o alcoolismo. Ele anda em bares, reencontra amantes, procura amigos, revive vícios, reavalia o passado. Tudo isso uma viagem interna para resgatar a si mesmo.

A busca incessante por um rumo só torna cada vez mais pungente a frustração por nunca achá-lo. Cada tentativa de se encontrar acaba sendo apenas mais uma prova patética desta impossibilidade. Alain não se enquadra em nada, é um passante da própria existência.

Nós não sabemos quem ele é, nem o que o levou até ali. Segue uma trilha sem fim, um caminho sem destino, uma vida sem sentido. Os vícios, os excessos e as transgressões não são testes de limites de alguém que quer viver intensamente, mas uma fuga da solidão que se sente quando não se vê horizonte. Assim como sua própria internação é apenas uma tentativa de se esquecer de si mesmo. Alain vive na subsistência da sua incapacidade de se relacionar com o mundo.

Num dos diálogos mais interessantes do filme, pouco antes da sair da clínica, o médico lhe diz “a vida pode ser boa” e o aconselha a retomar laços afetivos e resolver os problemas do passado. Como retomar laços que nunca existiram? Como resolver um passado que nunca foi vivido de fato? Tudo na vida de Alain foi passageiro e sem significado. Ele foi somente um espectador de seu filme. Sabendo disso, a única ação que lhe cabia era antecipar os atos finais.

Se a vida pode ser boa, Malle nos mostra que ela também pode ser traiçoeira para quem espera demais.

30 Anos Esta Noite (Le Feu Follet), 1963
Direção:  Louis Malle

Nouvelle Vague em discussão

02 de dezembro de 2011 0

A Cena Um promove nos dias 10 e 11 de dezembro o curso Nouvelle Vague – História, Linguagem e Estética. Ministrado por Franthiesco Ballerini, o encontro apresenta um panorama histórico daquele que foi um dos mais importantes movimentos cinematográficos do mundo, influenciando toda a cinematografia mundial e deixando um legado que até hoje influencia cineastas. Primeiramente, serão apresentadas as razões pelas quais o movimento surgiu na França, no final dos anos 1950, seguindo pela análise da ‘Política dos Autores’. Trechos das grandes obras de alguns realizadores da época, como François Truffaut, Jean-Luc Godard, Alain Resnais, Eric Rohmer e Claude Chabrol, serão exibidos para desenvolver a reflexão sobre o estilo de cada diretor e a contribuição estética dos mesmos.

Datas: 10 e 11 de dezembro de 2011
Horário: 9h30 às 12h30
Local: Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (Rua dos Andradas, 959- Porto Alegre)
Investimento: R$ 70,00
Material: Apostila e Certificado de participação
Informações: cenaum@cenaum.net /
Fone: (51) 9101-9377
Inscrições: www.cinemacenaum.blogspot.com

Seleção de Filme começa hoje

17 de novembro de 2011 0

A partir de hoje e até o dia 24 de novembro, quem é fã tem um programação de qualidade em Porto Alegre, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

Hoje é um dos destaque da programação

 

A Seleção de Filmes, uma iniciativa do grupo Zaffari Bourbon com produção da Panda Filmes, chega a sua 8ª edição. São a 14 filmes inéditos no Rio Grande do Sul.

Neste ano, além de antecipar o lançamento de vários títulos, a programação dará ainda mais ênfase no lançamento de obras que ainda não têm distribuição garantida no país. Outra novidade é que a 8ª edição conta com o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do RS e, por estar marcada para o mês de novembro, vai acompanhar o encerramento do calendário cultural do Estado.

Os filmes selecionados serão exibidos nas salas de cinema dos shoppings Bourbon – Unibanco Arteplex (Bourbon Country), Cinemark (Bourbon Ipiranga), Cinesystem (Bourbon São Leopoldo) e Cinespaço (Bourbon Novo Hamburgo).

A Seleção de Filmes tem produção de Beto Rodrigues (Panda Filmes) e a curadoria de Julio da Rosa (Companhia Zaffari).

Sessões comentadas:

Dia 18/11 – Jean Claude Bernardet, roteirista do filme HOJE
Local: Unibanco Arteplex, às 21:30 – Bourbon Shopping Country

Dia 19/11 – Frank Spano, diretor do filme HORA MENOS
Local: Unibanco Artplex às 21:30 – Bourbon Shopping Ipiranga

Dia 21/11 – Vicente Amorim, diretor do filme CORAÇÕES SUJOS
Local: Cinemark, às 21:30 – Bourbon Shopping Ipiranga

Dia 22/11 – Marcelo Brigante, assistente de direção do filme REFÉM DE ILUSÃO
Local: Cinemark, às 21:30 – Bourbon Shopping Ipiranga

Dia 23/11 – Micaela Gatti, atriz do filme RÉUS
Local: Unibanco Artplex, às 21:30 – Bourbon Shopping Country

Sessão de encerramento: A Vida dos Peixes, de Matías Bize.
Dia 24/11, às 21:30 no Cinemark – Bourbon Shopping Ipiranga – Dançarino de Mao

Confira mais sobre a programação no site do evento.

Resposta para Colorado Kid

14 de outubro de 2011 0

Acho a versão do Scorsese para Cabo do Medo genial.  Inclusive ontem à noite, um grande amigo me recordou que Juliette Lewis concorreu ao Oscar por este filme.  E acho Vanilla Sky bem mais interessante que Abre Los Ojos – sem graça nos dois é a Penélope Cruz interpretando exatamente o mesmo papel, sem mudar nenhuma feição.

Ótimos seriados? Estou falando de House, The Big Bang Theory, The Office, Dexter (um dos mais inteligentes), Modern Family e até dramalhão como Brothers and Sisters. Mas também gosto muito e Friends (já vi todos e sempre que está passando na TV, não resisto e assisto novamente) e CSI.  Existem ótimos seriados atualmente e não acho mera coincidência que grandes atores, roteiristas e diretores estejam investindo na televisão.  Nos últimos tempos ando vidrada em Os Bórgias e Boardwalk Empire.

Concordo quando tu e o Fábio argumentam que também é uma questão de mercado. Com certeza para um grande estúdio é mais negócio investir no remake de um sucesso (se tiver 3d então!!!) do que apostar num roteiro inovador e arriscado. Acho que a TV surge como uma válvula de escape neste sentido.

Talvez a falta da qualidade seja um dos preços que a gente paga pela liberdade, né? Mas eu ainda prefiro ter acesso a um monte de porcarias e  poder de optar pelas coisas boas.

Beijos

Meu sonho de consumo no momento ...

14 de outubro de 2011 1

Paramount e Saraiva apresentam Bonequinha de Luxo 50th Anniversary Collection.


A coleção inclui Blu-ray (com extras), DVD, cópia do script de Audrey Hepburn, com anotações feitas a mão, três fotos em preto e branco e uma carta do diretor do filme, Blake Edwards. Pela primeira vez, será possível conferir Holly Golightly em alta definição.



Resposta para Ricardo Bertges, sobre remakes

09 de setembro de 2011 3

Vamos por partes. Não vejo problema nenhum em remake, desde que acrescente alguma coisa e seja bem feito. Acho que depende muito da capacidade da produção de inovar em algum sentido, baseada num mesmo argumento.  No entanto, o excesso de remakes, assim como de adaptações de games e quadrinhos,  pode ser um indício de que está faltando criatividade  nos roteiros de cinema. Vale lembrar  que muitos dos melhores roteiristas atualmente estão na TV, fazendo ótimos seriados.  Acho que não é só mera coincidência não.

Existem remakes excelentes como Cabo do Medo, Sete Homens e Um Destino, Bravura Indômita. No entanto, na maior parte dos casos, sempre acho o original melhor – tirando agora de cabeça, só me vem Vanilla Sky e Cabo do Medo como exemplos de remakes que superam os respectivos originais. Em compensação tem os péssimos como Psicose, Lolita, Planeta dos Macacos e Fúria de Titãs que são verdadeiros assassinatos aos originais.

A Conquista do Planeta dos Macacos acho que não se trata bem de um remake, mas sim de uma sequência. Na verdade, é o quarto do filme da série. Não gosto muito. Parei no segundo, De Volta ao Planeta dos Macacos. Os seguintes achei forçados e sem graça. Mas fiquei encantada com Planeta dos Macacos: A Origem. Achei o filme excelente, até mesmo um dos melhores deste ano.

Beijos

Red Hot no Cinesystem nesta sexta

08 de setembro de 2011 0


Quem curte o som do Red Hot Chili Peppers têm mais uma oportunidade para ver no cinema o show que marcou o lançamento mundial do álbum I´m With You. Captada e transmitida em alta definição via satélite diretamente de Colônia (Alemanha) no dia 30 agosto, a apresentação traz músicas do novo disco e hits consagrados e será exibida novamente amanhã, dia 9, às 22h, no Cinesystem do Shopping Total, em Porto Alegre (RS).

Os ingressos custam R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) e já podem ser comprados nas bilheterias, nos tótens de auto-atendimento instalados no hall do cinema e nos sites do Cinesystem (www.cinesystem.com.br) e da MOBZ (www.mobz.com.br).

Pergunta que não quer calar: como pode isso?!!

10 de agosto de 2011 3

Sei que ando em falta com o blog. Isso não sai da minha cabeça, mas realmente está faltando tempo … ou algum método para organizar minhas atividades, já o tempo continua o mesmo de sempre!

Mas ao receber esta informação não resisti. Se tem alguma coisa sobre a qual não poderia deixar de me manifestar, é esta: SEQUENCIA DE FÚRIA DE TITÃS GANHA TÍTULO OFICIAL EM INGLÊS: WRATH OF THE TITANS!!!

Como assim? Não adiantou fazer um péssimo remake e aniquilar uma das obras do mestre em Ray Harryhausen, é preciso fazer uma continuação. O péssimo Sam Worthington segue como protagonista. Infelizmente Ralph Fiennes e Liam Neeson também toparam voltar (infelizmente porque um dos momentos mais lamentáveis da minha vida foi ver estes dois grandes atores pagando o maior mico em um queijinho simulando o Olímpio).

Sim… ele está de volta!

 

A direção deste fica Jonathan Liebesman (Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles), no lugar de Louis Leterrier. Já a péssima reprodução do Kraken, parece que não volta (pelo menos até o momento, não foi divulgado)!

Reposta para Carlos

22 de julho de 2011 1

Oi Carlos, tudo bem?

Tua sugestão é muito boa e vou fazer o possível para viabilizar. Mas já te adianto que não quero começar um serviço correndo o risco de não ter braço para tocar. Mesmo assim, vou avaliar.

Obrigada pela dica.

Capitão América estreia semana que vem, dia 29. Estou louca para ver.

Beijos