Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "ambiente"

Filhotes de cães são abandonados em rodovia

22 de outubro de 2014 0

Um ato chocante e covarde tirou a veterinária Andressa Bueno do trajeto até o trabalho na manhã de hoje. Era por volta das 7h20min, ela trafegava pela BR-392 em direção ao emprego, quando viu um carro que estava estacionado deixando o acostamento. Ele tinha acabado de largar 13 filhotes de cães na margem da rodovia e estava fugindo do lugar.

Andressa não teve dúvida, parou a caminhonete e com a ajuda de uma senhora que passava pelo local resgatou todos os cachorrinhos, que, desnorteados, se espalhavam pela rodovia. Eles foram colocados no veículo e levados para o Hospital Veterinário da UFSM. Por sorte, nenhum se feriu. Um deles apresentava ferimentos mais antigos, provavelmente, decorrentes de água quente jogada sobre o corpo.

A veterinária acredita que se tratem de cães de três ninhadas de idades diferentes. Eles foram desverminados, estão sendo medicados e serão encaminhados para adoção. Alguns já conseguiram lares temporários e seis já foram adotados.

caes abandonados1

Andressa só lamenta não ter conseguido ver a placa do carro que cometeu os maus-tratos.
_ Meu desespero era só para tirar todos eles da rodovia _ disse a veterinária, ainda chocada com o que viu.

Quem quiser adotar um dos cãezinhos pode ligar para a Andressa pelo (55) 9962-0077.

Vira-lata sobrevive a incêndio de uma casa em Santa Maria

15 de outubro de 2014 0

Um comerciante de Santiago que passava pela BR-287, na zona urbana de Santa Maria, na manhã desta quarta-feira, salvou a vida de um cachorro vira-lata e evitou que um incêndio em uma casa tivesse consequências mais graves. Ao cruzar perto da passarela do bairro Urlândia, André Schmitt, 32 anos, percebeu que havia fumaça vindo de uma área residencial.

_ Percebi o fogo na lateral da casa. Acionei os bombeiros pelo 193 e, em quatro minutos, eles chegaram e evitaram que as chamas se espalhassem na vizinhança _ relatou o comerciante.

Depois que avisou os bombeiros, Schmitt correu para o local do fogo (a Rua Frederico Ozanan, quase esquina com Tabajara Dias da Rosa) e viu que havia uma casa perto da que estava em chamas. Arrombou a porta e tirou de lá a dona de casa, que dormia.

_ Ele arrombou a porta da frente e entrou gritando “fogo fogo”. Foi um susto, mas graças a Deus não atingiu a minha casa _ contou Dionemara Rodrigues, 22 anos, vizinha da casa.

Assim que os bombeiros conseguiram reduzir o fogo e a fumaça, mais uma surpresa: um cachorro vira-lata preto e de pequeno porte saiu grogue do meio dos escombros. Ele foi resgatado por um jovem que disse que o levaria ao veterinário, já que aspirou muita fumaça. Conforme os bombeiros, o animal estava embaixo da cama na casa que incendiou e respira com dificuldade.

_ Vi ele bem tonto no pátio e respirando mal. Entrei e peguei o bichinho. Vou ficar com ele porque não há ninguém para cuidar dele _ afirmou o chapista Giovane Teixeira, 18 anos.

A casa que pegou fogo é de madeira. Segundo vizinhos, o casal que mora no local não estava em casa. Ainda não há confirmação da causa do incêndio, mas é provável que tenha sido originado de um curto circuito na fiação que fica próximo à maquina de lavar roupas, que estava ligada. A parte interna da residência foi totalmente queimada.

(Texto retirado do site do Diário de Santa Maria)

Volta a vigorar lei que proíbe cães de aluguel em serviços de vigilância

14 de outubro de 2014 0

A Lei nº 14.229/2013 que proíbe a prestação de serviços de vigilância de cães de guarda com fins lucrativos no Estado está valendo. Isso porque o Tribunal de Justiça do Estado derrubou ontem uma liminar que suspendia a lei.

A discussão começou depois que a lei foi criada pela Assembleia Legislativa em 2013. O Sindicato das Empresas de Segurança e Vigilância do RS (SINDESP) ingressou com Ação Declaratória de Inconstitucionalidade (Adin) argumentando que a matéria é de competência da União.

A liminar foi concedida, mas a Assembleia Legislativa ingressou com Agravo Regimental. No julgamento da tarde de ontem, a liminar foi derrubada, por 13 votos a 11.

O Desembargador Francisco José Moesch considerou que a legislação questionada se trata de matéria ambiental que cabe à União, aos Estados e aos municípios. Para o desembargador, “a lei teve o intuito de proteger os cães que são locados e, recorrentemente, submetidos a maus-tratos, conforme registros de reclamações efetuados pelas entidades de proteção animal. A doutrina ambientalista tem reconhecido a existência de uma dignidade da vida não-humana e dos animais, especialmente diante dos novos valores ecológicos que passam a modular as relações sociais contemporâneas”.

O Desembargador Moesch destacou ainda que o direito fundamental a um meio ambiente ecologicamente equilibrado pressupõe, conforme expressa previsão constitucional, a proteção geral à fauna, com a vedação de práticas cruéis contra os animais.

A questão ainda não está encerrada porque a Adin ainda será julgada em data a ser definida.

Cuidado para o melhor amigo não virar o pior inimigo

22 de setembro de 2014 0

A coluna ‘Em nome do filho’ deste final de semana alertou para o cuidado que os pais devem ter no convívio de crianças com animais. O texto é da editora do Diário, Ticiana Fontana.

Cuidado para o melhor amigo não virar o pior inimigo

O aumento no número de casos de crianças mordidas por cães que chegam o Pronto-Atendimento Municipal Infantil de Santa Maria tem chamado a atenção da equipe médica que trabalha no local.

_ As crianças chegam com mordidas na face e com ferimentos graves. É cada vez mais preocupante _ relata a pediatra Rosângela Marramarco Lovato.

A médica conta que um menino de um ano e quatro meses chegou a ser atendido três vezes nos últimos meses. Detalhe, as mordidas eram de um mesmo cachorrinho que pertencia à avó. É inegável o benefício do convívio com um cãozinho, que alegra a casa e a criançada. Porém, é importante haver o monitoramento constante da relação por parte de um adulto.

Há um consenso entre os especialistas que até bebês podem conviver com um cachorro, mas tudo deve ser bem analisado.

_ Em alguns casos, tenho mais medo de um pinscher do que um pit bull, dependendo da personalidade deles. Na clínica, chegam cães pequenos muito mais agressivos do que os grandes _ comenta a veterinária Luciene da Costa Krauspenhar.

Entusiasta do convívio entre crianças e animais domésticos, a filha de três anos tem um cachorro em casa, a veterinária alerta para um fenômeno da atualidade: a humanização de cães e gastos.

_ Criam um cão como se fosse uma pessoa, um “filho” na casa. Os donos comem junto, dormem junto, beijam a boca. Claro, cão pode ficar dentro de casa, pode ser levado a um pet toda a semana, mas não devem criar os bichinhos com manias humanas, pois no futuro esse cão pode virar um problema. Cachorro é um animal, não um ser humano _ diz Luciene.

A veterinária afirma que já viu casos de cães que era tratados como “filhos” por casais sem filhos, e quando nasceu uma criança na casa, o animal teve de ser descartado. Por outro lado, há pais que parecem mais afeitos aos animaizinhos de estimação do que aos próprios filhos.

Exageros à parte, a recomendação de adestradores é que ocorra uma introdução lenta no convívio entre crianças e animais domésticos. Se o bichinho for anterior à criança, o ideal é fazer uma aproximação gradual, desde antes do bebê nascer, deixando, por exemplo, o cão cheirar as roupinhas. Após o nascimento, pode começar mostrado o nenê dormindo, deixando o animal cheirar o cocô e xixi da criança, colocando os dois em contato por pouco tempo e analisar as reações do animal quando a criança começa a puxar pelos.

Se for introduzir o animal numa casa com criança, lembre-se que independentemente da raça, preste atenção no temperamento do animal e sempre seja mediador da relação com os pequenos. Algumas técnicas ajudam, quando o animal tiver uma reação que não seja legal, reprima-o, diga “não” em voz firme, chacoalhe algum objeto na direção dele para associar o barulho à bronca. Porém, não é recomendado machucar ou bater. Muito cuidado na hora da alimentação, o cão considera que seu território está sendo invadido, se uma criança ou outro animal tenta chamar a sua atenção no momento em que está comendo.

Crianças maiores podem ser ensinadas a adestrar os animais. Siga dicas simples, como dar petisco quando o cãozinho fizer algo positivo, repreendê-lo quando faz algo errado. Jogar bolas e bichinhos para recompensar quando trazê-los de volta.

Em suma, os pais devem saber que treinamento e obediência são essenciais para manter uma relação de harmonia entre os cães e seus filhos.

Uso de animais em experimentos será tema de curso na UFSM

18 de setembro de 2014 0

Em dois dias, 17 e 18 de outubro, profissionais da área de veterinária irão discutir o uso de animais em experimentos. O 2º Curso sobre Cuidados e Manejo de Animais de Experimentação ocorrerá no auditório Gulerpe, em anexo ao Hospital Universitário de Santa Maria (Husm).

Entre os temas que serão abordados nas palestras estão legislação, status sanitário e genético de animais de laboratório, analgesia e anestesia, eutanásia, manejo de biotérios, bem-estar e alternativas ao uso de animais em pesquisa.

O curso é promovido pela Comissão de Ética no Uso de Animais da UFSM. Os palestrantes são pesquisadores das universidades federais de São Paulo (Unifesp) e de Goiás (UFG), da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (Fepps).

Confira aqui a programação do curso com a lista dos palestrantes e dos temas do evento.

Ainda tramita na Justiça Federal em Santa Maria um processo por maus-tratos a animais usados em um experimento na UFSM. O réu é o veterinário Cristiano Gomes. Ele foi indiciado pelo crime previsto no artigo 32 da lei 9.605 de 1998: “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.”

UFSM está removendo morcegos dos prédios da instituição

06 de setembro de 2014 1

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) vai despejar um de seus mais tradicionais moradores. Velhos conhecidos de quem circula pelos prédios básicos (os mais antigos do campus), os morcegos habitam os telhados e causam risco à saúde.

Para tentar acabar com o problema, a Pró-Reitoria de Infraestrutura está trabalhando para remover as colônias. Os prédios terão o telhado reformado e serão fechadas as passagens dos animais. Além disso, será feita a limpeza dos dejetos que ficaram acumulados.

O primeiro prédio a receber a reforma do telhado foi o do Centro de Tecnologia. A equipe trabalha agora no prédio 17, que está em fase de finalização da troca de telhas. Ainda deverão ser substituídos os telhados dos prédios 18, 19, 20 e 21, conhecidos como básicos.

A assessoria de comunicação da UFSM informa que a remoção dos morcegos não é feita com venenos. Os animais não serão mortos, mas impedidos de entrar nos espaços onde ficavam. A equipe aproveitou o hábito dos animais (de sair dos alojamentos durante o dia para se alimentar) e está fechando as “casas”.

Novo destino

Mas, para onde irão esses animais depois que suas casas ficarem fechadas? Segundo o professor do curso de Biologia da UFSM, Nilton Cáceres, especialista em ecologia de mamíferos, essa resposta não é exata, mas há a possibilidade de os animais se realojarem em outros prédios da região.

_ Não se sabe muito bem qual é o destino deles, mas como são morcegos urbanos, devem se realojar em outros prédios da região. Até podem procurar a mata, mas temos poucas matas nessa área.

Cáceres ainda explica sobre a importância da prevenção, vedando frestas e mantendo um controle rotineiro desses locais.

_ Os bichos sempre vão buscar local de abrigo no meio urbano, porque se alimentam de insetos e há muitos insetos nos meios urbanos. O importante é essa prevenção.

Prefeitura vai multar empresas que depositarem resíduos em contêineres

05 de setembro de 2014 0

A prefeitura de Santa Maria vai começar a multar empresas que depositarem lixo comercial nos contêineres.

conteineres multa

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Antônio Carlos Freitas Vale de Lemos, havia uma distorção no uso das caixas coletoras que será corrigida. Elas são para resíduos domiciliares, mas estavam sendo usadas para depósito de restos de restaurantes, lojas e lancherias, entre outros estabelecimentos.

Alguns contêineres foram redistribuídos em função do mau uso na área central da cidade. Conforme o secretário, os estabelecimentos devem contratar empresas para recolher os resíduos específicos e destinar os reaproveitáveis para a reciclagem.

_ Alguns comerciantes ignoram a orientação de que os contêineres são de uso domiciliar e contribuem para abarrotar, entulhar, até sujar com restos de alimentos e gorduras esses recipientes _disse Lemos.

A partir de agora, os infratores serão multados. Os valores vão variar de R$ 500 a R$ 50 mil.

Os primeiros quatro pontos realocados são os seguintes:

- Venâncio Aires, em frente à Praça Saldanha Marinho: os 2 contêineres foram retirados e foi colocado 1 na Venâncio, próximo ao Prédio da Cacism

- Floriano Peixoto com Coronel Niederauer: os 3 que ficavam em frente ao Banco do Brasil foram retirados e realocado 1 para a Rua Coronel Niederauer. Os outros 2 foram para manutenção

- Avenida Dores, em frente ao Colégio Coração de Maria: os 2 contêineres foram retirados e 1 novo foi instalado no outro lado da avenida, no sentido Centro-bairro

- Residencial Videiras, na Avenida Venâncio Aires: os 2 contêineres foram retirados da rua e a empresa que presta o serviço, a Revita, vai colocar recipientes dentro do residencial para atender aquela população e fará o recolhimento de dentro do condomínio

Cavalo morto foi recolhido pela prefeitura

01 de setembro de 2014 0

A assessoria de comunicação da prefeitura de Santa Maria informou, agora à tarde, que o cavalo que estava morto no bairro São José há quatro dias, foi enterrado ainda nesta manhã.

Os moradores agradecem. Voltaremos a falar sobre a questão envolvendo cavalos soltos em breve. Aguardem.

Morto há quatro dias, cavalo ainda não foi removido pela prefeitura

01 de setembro de 2014 1

Cansados de tanto esperar e indignados por vários pedidos não atendidos pela prefeitura, os moradores do bairro São José procuraram o Diário para relatar mais um descaso com animais mortos na cidade.

São recorrentes os casos de cavalos mortos, cujos corpos ficam há dias jogados em terrenos baldios ou margens de rodovias em Santa Maria à espera de um horário na agenda da Secretaria de Infraestrutura, Obras e Serviços para serem removidos.

Aos moradores da Rua Padre Gabriel Bolzan e arredores, que convivem desde a última quinta-feira com o odor fétido do animal e com a proliferação de bichos ao entorno dele, a resposta da prefeitura é a seguinte: “Quando as máquinas, que trabalham em consertos na cidade, estiverem disponíveis, uma delas irá ao local para enterrar o animal. Não tem como dar previsão.”

Começou chipagem de animais em Caçapava do Sul

31 de agosto de 2014 0

Os primeiros animais do canil municipal de Caçapava do Sul receberam microchips na tarde da última quinta-feira. A medida foi determinada em legislação municipal publicada em julho deste ano.

chipagem caçapava

Primeiro estão sendo chipados os cães que estão sob responsabilidade do município. Os próximos serão os bichos da ONG Clube do Cão.

A Vigilância Sanitária da cidade pretende fazer ainda uma campanha de conscientização para a população sobre a importância da identificação do animal. A ideia é chipar, castrar e vacinar todos os animais de rua da cidade em até cinco anos.

A prefeitura comprou 1,6 mil chips. A aplicação está sendo feita pelo veterinário responsável pelo canil, Henrique Costa.

A lei também prevê multas e sanções para maus-tratos.