Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Lembranças do Mariani Artefatos de Couro

12 de fevereiro de 2014 5
Foto: acervo família Mariani, divulgação

Foto: acervo família Mariani, divulgação

O Mariani Artefatos de Couro é uma das lojas mais tradicionais do bairro São Pelegrino e de Caxias. O falecimento da fundadora, dona Joana Gregoletto Mariani, segunda-feira (leia mais abaixo), trouxe à tona lembranças de diversos ex-funcionários, lojistas, fornecedores e clientes.

Neto de dona Vanda, como ela era conhecida, Guilherme Mariani disponibilizou algumas imagens do tradicional ponto da Av. Júlio de Castilhos, nas décadas de 1970 e 1980. Acima, o carro promocional do tênis Olympikus, durante o lançamento do calçado, em 1983.

Abaixo, o Mariani em 1973, ainda no casarão de madeira e com uma loja dedicada exclusivamente ao segmento infantil.

Foto: acervo família Mariani, divulgação

Foto: acervo família Mariani, divulgação

Foto: acervo família Mariani, divulgação

Foto: acervo família Mariani, divulgação

Acima, durante uma promoção do Dia da Criança de 1979. A concentração de gente na Júlio tinha motivo: naquele início de outubro a loja recebeu o ator infantil Ferrugem, então garoto-propaganda da fábrica de calçados Ortopé, aquela do slogan Ortopé, Ortopé, tão bonitinho!

Abaixo, a loja na metade dos anos 1980, em uma Júlio de Castilhos dominada por Corcéis, Variants, Passats e Chevettes.

Foto: acervo família Mariani, divulgação

Foto: acervo família Mariani, divulgação

A fundadora

Dona Vanda fundou a Mariani Artefatos de Couro em 1946, ao lado do marido, Anselmo Mariani, já falecido. Eles foram casados por 63 anos. No início, o estabelecimento localizado na principal avenida da cidade era chamado de Casa dos Artefatos de Couro. O casal vendia arreio, bainhas de facas e cintos, entre outros itens. Em 1970, a loja recebeu o nome da família e já contava, também, com a venda de calçados.
Reconhecida pelo empreendedorismo, Dona Vanda atuou na loja da família até 1996, quando completou 76 anos. Comovido com as demonstrações de afeto durante o velório no Memorial São José, o filho mais novo de dona Vanda, Ronei Mariani, diz que a mãe era muito querida na comunidade de São Pelegrino.
– Mesmo depois que os filhos assumiram o negócio, ela vinha nos visitar para saber como estavam as vendas. São muitas as pessoas que tiveram contato com ela e todas são unânimes quando se referem a ela como uma pessoa caridosa – completa o filho.

Tradição

Juntamente com a Casa Magnabosco e o Bazar Andreazza, o Mariani Artefatos de Couro é um dos estabelecimentos comerciais familiares mais longevos de Caxias. Conduzidos por diversas gerações da mesma família, os três estão na memória coletiva dos consumidores desde a década de 1940.

 

Comentários (5)

  • César diz: 12 de fevereiro de 2014

    Bela lembrança! Minha mãe tem uma foto com o Ferrugem, que guarda com muito carinho. Ela o recepcionou na Rádio São Francisco, onde trabalhava em 1979.

  • Cristiane diz: 12 de fevereiro de 2014

    Lindo! Lindo! Lindo! Fico muito feliz quando posso ver o passado da nossa cidade, como começou, como era. Essas fotos são um patrimônio histórico dessa loja tradicional. Quanto ao comentário do César, seria muito legal ele enviar essa foto para compartilhar. Também desejo a Mariani prosperidade e as bençãos de Deus e que essa empresa continue por muitos e muitos anos.

  • Michael diz: 13 de fevereiro de 2014

    Há controvérsias sobre a afirmação de que ela era boa.Minhas informações são completamente diferentes.

  • Abraão diz: 13 de fevereiro de 2014

    Gosto muito de ver como a nossa cidade foi desenvolvida, parabéns ao Mariani por ter e estar participado dessa história.

  • Paulo Ricardo Aloise diz: 27 de julho de 2014

    Na foto de 1973, é como me lembrava da Loja, um ano depois, 1974 partia eu de Caxias para o norte Brasil. Lembro do Sr. Anselmo e D. Vanda atendendo no Balcão assim como seus filhos mais velhos. O mais novo Ronei, foi meu colega no La Salle. Bons tempos.

Envie seu Comentário