Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Noite dos Discotecários no Palermo em 1979

08 de abril de 2014 6
O grupo na escadaria da Igreja São Pelegrino. Atrás, Paulo Costa, Beto GG e Flavio Paganin. À frente, Joãozinho, Julius Israelis e Rocha Netto. Foto: acervo pessoal de Luis Carlos Costa, divulgação

O grupo na escadaria da Igreja São Pelegrino. Atrás, Paulo Costa, Beto GG e Flavio Paganin. À frente, Joãozinho, Julius Israelis e Rocha Netto. Foto: acervo pessoal de Luis Carlos Costa, divulgação

Uma noite de endoidar. Assim foi definida em diversos jornais de Caxias a Noite dos Discotecários, em 14 de novembro de 1979. A promoção da então discoteque do Clube Palermo serviria também para entregar os diplomas de “Honra ao Mérito aos Disc-Jockeis 79”, grupo formado por Flavio Paganin, Julius Israelis, Beto GG, Rocha Netto, Gugui, Mister Caio, Joãozinho, Ferronato, Zé Mario e Paulo Costa.

As imagens destacam parte do grupo na Avenida Itália, defronte à Igreja São Pelegrino (abaixo), e nas escadarias do templo (acima). Repare nas capangas e nas botas de cano e saltos altos. Os registros foram disponibilizados por Luis Carlos Costa, irmão do disc-jockey Paulo Costa. Falecido em 2009, Paulo possuía a Equipe Móvel Top Som e chegou a montar a boate Dancing Days, em Galópolis.

O grupo reunido na Avenida Itália, defronte à Igreja São Pelegrino, em 1979. Foto: acervo pessoal de Luis Carlos Costa, divulgação

O grupo reunido na Avenida Itália, defronte à Igreja São Pelegrino, em 1979. Repare nas capangas e nas botas de salto. Foto: acervo pessoal de Luis Carlos Costa, divulgação

Registro em jornal de 1979 anunciava o encontro; Foto: reprodução

Registro em jornal de 1979 anunciava o encontro: “Vai ser uma noite de endoidar”. 

‘Os quentes’

Nota da colunista social do Pioneiro Margot Sauer em 14 de novembro de 1979 destacava o grupo: “Discotecários são os quentes”. O texto traduzia bem a febre das discotecas e as gírias da época: “Eles são os responsáveis pela música bem bolada em boates e noites de discotéque (ainda na crista da onda), e por isso serão lembrados na noite de hoje, através de uma homenagem muito bacana junto ao Clube Palermo.”

A noitada também teve o patrocínio da Distribuidora de Bebidas Antunes e da Motozoom.

Nota da colunista social do Pioneiro Margot Sauer em 14 de novembro de 1979. Foto: reprodução

Nota da colunista social do Pioneiro Margot Sauer em 14 de novembro de 1979. Foto: reprodução

Documentário em breve

Os pioneiros DJs de Caxias também serão personagens do documentário Faixa Bônus, atualmente em fase de produção pelo diretor Jorge de Jesus, o DJ Mono. O filme pretende mostrar as festas, hits e a atuação desses profissionais desde o final dos anos 1970 até meados dos 1990.

A trajetória de Julius Israelis também foi abordada no post que você lê AQUI.

O logotipo da clássica novela de Gilberto Braga. Foto: reprodução

O logotipo da clássica novela de Gilberto Braga. Foto: reprodução

Nostalgia na TV

Desde esta segunda-feira, dia 7, o Canal Viva reprisa, à meia-noite, a novela Dancin’ Days, que lançou a febre das discotecas em todo o país em 1978. Tempos de Bee Gees, Dona Summer, Frenéticas, Santa Esmeralda, Abba, entre tantos outros lotando as pistas de dança. Boa parte dessas músicas integrava o repertório selecionado pelos discotecários caxienses.

Sônia Braga em cena memorável da novela Dancin' Days, em reprise no Canal Viva. Foto: acervo TV Globo, divulgação

Sônia Braga em cena memorável da novela Dancin’ Days, em reprise no Canal Viva. Foto: acervo TV Globo, divulgação

 

Comentários (6)

  • Julius Rigotto diz: 9 de abril de 2014

    Parabéns, Rodrigo.
    A matéria ficou perfeita, retrata o comportamento de uma época mostrando até o linguajar jornalístico de então.
    Me orgulho de ter feito parte dessa história.
    Obrigado pela atenção que sempre tens comigo.
    Um forte abraço.

  • Alexandre Frigeri diz: 13 de abril de 2014

    Caro Rodrigo,

    Parabéns pelo espaço dedicado a memória.Sempre leio pelo site do Pioneiro.

    Bela homenagem. O Julius foi o pioneiro.Sabia tudo. Super antenado e descolado.
    Quanta expectativa tínhamos em saber se teria boate Pelourinho no Juvenil naqueles finais de semana.Ouvir as suas bolachas de vinil, e saber o que de melhor estava rolando era uma espécie de aprendizado.
    Para além do talento, um ser humano da melhor qualidade.
    Saudades suas e de toda a querida família Rigotto.

    Alexandre Frigeri- Rio de Janeiro

  • Carlos Adami diz: 14 de abril de 2014

    Rodrigo,
    Parabéns pela iniciativa do Blog “Memória”. É uma maneira de lembrarmos e resgatarmos a história de nossa cidade.Em especial, nesta matéria sobre os “Discotecários”, como se chamava na época, retornam maravilhosas recordações.
    Aproveito para sugerir postagens sobre os nossos conjuntos musicais, especialmente do final dos anos 60 em diante, onde tivemos “Os Pedreiros” (depois “Os Beatos) e, mais tarde “Brazilian Tropical Sound”, bem como “Itamone”, “O Lobo da Estepe”, etc.
    Sds,
    Carlos Adami (Mr. Cao)

  • João Hilario Bortolon Borges diz: 4 de julho de 2014

    Caro Rodrigo,
    Lembranças maravilhosas de um tempo de boa música, bons costumes que se perderam por obviedade, a matéria está muito boa, porém incompleta, vale ressaltar que essa noite dos discotecários foi idéia da Marlene Terezinha Tessari, em conjunto com a diretoria, comandada pelo Dario Tessari, Amarílio Tessari, eu, Joãozinho Dj e toda a equipe do Clube Palermo, que verdade seja dita e incontestável, foi o Clube que mais badalou do final dos anos 70 à 88, todos os sábados, normalmente com lotação esgotada, essa é a verdade, mais, vale lembrar que essa reunião dos dj’s da época foi apresentada pelo grande amigo e radialista Calabró, como é conhecido, que trabalhou por longos anos na Rádio Difusora Caxiense e desde já, deixo meus cumprimentos a todos (público e os queridos colegas dj’s da época), que na oportunidade juntos, sob meu comando, fizemos uma noite inesquecível, assina,
    Joãozinho Dj (fundador do Palermo Disco Club com a anuencia de toda a diretoria na época e a colaboração sempre determinante do meu irmão Gilberto Bortolon Borges)
    http://www.eletriccircus.com.br
    Sócios fundadores
    João HBBorges (Joãozinho Dj)
    Gilberto BBorges (empresário)

  • Daniel Dalzochio diz: 5 de janeiro de 2015

    O meu respeito a todos vcs,
    E que prazer imenso ter tocado com Beto GG, na extinta Notorium, em Farroupilha, grupo dos irmãos Delazeri. Ter trabalhado para os irmãos Joãozinho e Gilberto, durante anos, nas Eletric Circus de Carlos Barbosa, Portão, Bento Gonçalves e Caxias do Sul. O amigo Rocha Netto, que acompanho desde a época do Amadeus e que me convidou outro dia para escutar uns discos de vinil em sua casa. Ter tocado na lendária It Club, em Caxias do Sul e agora ter reencontrado recentemente o Julius, na Confraria dos DJs do RS, a qual convido todos a conhecer e participar: https://www.facebook.com/confrariadjrs
    E recentemente ter conhecido o DJ Mono, quando tocamos no La Barra, em Caxias do Sul.
    Abraço

  • João Borges diz: 5 de maio de 2016

    GILBERTO BBORGES/JOÃO HBBORGES – SÓCIOS FUNDADORES DA ELETRIC CIRCUS
    FUNDAÇÃO 18/12/1996 ENCERRAMENTO 17/11/2014 (18 ANOS)

    Este clipe foi gravado nas dependencias da ELETRIC CIRCUS, uma das
    melhores e maiores danceterias de todos os tempos em Carlos Barbosa/RS,
    faltando um mes para completar 18 anos, teve suas atividades encerradas
    por motivos técnicos e entrega do prédio, conhecida nacionalmente,
    estima-se que frequentaram “nossa casa” nesse período, mais 2.200.000
    pessoas, por centenas de vezes, a casa trabalhou com sua capacidade
    máxima (de 2.500 à 3.000 clientes), destaca-se com a devida humildade, a
    organização, limpeza, segurança e capacidade gerencial, que tornou
    realidade por tanto tempo, a frequencia maciça de público que apreciava
    um local organizado, excelentes shows locais, estaduais e nacionais, que
    passaram pelos nossos palcos, tanto na pista principal, quanto no
    espaço country sertanejo e também no nosso bar com sinuca, que
    apresentava também shows acústicos, além de contar ao longo da sua
    história, com os dj’s mais capacitados da região (Joãozinho, Bolacha, Daniel Dalzochio, Fabiano, Metz, entre outros), que creio, pelo seu
    sucesso alcançado, agradava a todos os gostos, ressalta-se também, no
    qual expressa-se aqui, nosso mais profundo agradecimento ao público, na
    sua quase totalidade (99,9%) se comportava adequadamente num ambiente
    organizado, seguro e tranquilo, que era o norte da gerencia da casa,
    porque a de se concordar, não duraria tanto tempo, se não fosse uma casa
    como foi a ELETRIC CIRCUS, composta por uma excelente e dedicada
    equipe, não raro, com colaboradores que trabalharam para a casa desde
    seu início, que nesse quesito, ajudou a consolidar sua respeitabilidade e
    confiança no seu tempo de atuação, certamente e com toda a certeza,
    nunca mais existirá casa nem sequer parecida, principalmente pela
    mudança cultural, musical, economica, etc., por fim, mais uma vez, muito
    obrigado a todos os envolvidos nesse vitorioso projeto que se manteve
    por tanto tempo e que tornou ainda mais conhecida a cidade de Carlos
    Barbosa, a cidade que acolheu e tornou-se uma das mais conhecidas na
    serra gaúcha, principalmente aos sábados, onde havia a integração da
    serra e região na ELETRIC CIRCUS, sucesso total e que já está na
    história, assina,

    JOÃO HBBORGES & FAMÍLIA
    GILBERTO BBORGES & FAMÍLIA
    P/P FAMÍLIA ELETRIC CIRCUS/
    BY JOÂOZINHO DJ DO PALERMO (Fundação, 1977 à 1983, atuação)

Envie seu Comentário