Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pórtico da Chácara dos Eberle em 1965

16 de abril de 2014 0
O pórtico da chácara em 1965, durante a visita do presidente Castelo Branco (ao centro). Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O pórtico da chácara em 1965, durante a visita do presidente Castelo Branco (ao centro). Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A apresentação, na última segunda-feira (14), do apartamento decorado do Reserva Casa Rosa trouxe à tona lembranças da Chácara dos Eberle. Referência da Rua Alfredo Chaves desde meados da década de 1960, a mansão de 1,1 mil m² que dá nome ao edifício de luxo foi revitalizada e integrada ao condomínio, para sediar recepções e eventos. O pórtico com as iniciais “JJE”, do empresário Júlio João Eberle (filho de Abramo e primeiro morador da casa), também foi mantido.

Conforme Júlio Alberto Eberle, um dos netos de Júlio João Eberle, estas mesmas iniciais estão estampadas em um brasão localizado em cima da porta principal da Casa Rosa.

Acima, uma rara imagem do portal, durante a visita do presidente Humberto de Alencar Castelo Branco e sua comitiva à família Eberle, por ocasião da Festa Nacional da Uva de 1965. Além de hospedar-se no casarão de Júlio João Eberle, em uma das noites o presidente seguiu a pé da chácara até a Catedral Diocesana, para a tradicional missa das 19h.

O episódio foi lembrado pelo leitor Aires Lopes de Oliveira, que estava no templo e recorda a cena:
- Ele chegou com alguns representantes da comitiva e, discretamente, sentou-se junto aos bancos das mulheres. Naquela época, os homens ainda ficavam de um lado e as mulheres, do outro.

Castelo Branco (ao centro na foto acima) foi o primeiro presidente do regime militar (1964-1984) a visitar a Festa da Uva. Ele faleceu dois anos depois, em 1967.

O pórtico original, com as iniciais da família Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

O pórtico original, com as iniciais de Júlio João Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

Nas imagens, detalhes do pórtico atualmente, na esquina da Alfredo Chaves com a Santos Dumont, e dois registros da gravação da cena final do filme O Quatrilho, em fevereiro de 1995, nos jardins da mansão. Quando a construção do residencial estiver pronta, o clássico casarão poderá ser visto parcialmente da rua.

O pórtico original, com as iniciais da família Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

O pórtico original, com as iniciais de Júlio João Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

O pórtico original, com as iniciais da família Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

O pórtico original, com as iniciais de Júlio João Eberle e os detalhes em azulejos nas colunas, foi mantido. Foto: Jonas Ramos

Gravação da cena final do filme O Quatrilho, em fevereiro de 1995, defronte à Casa Rosa. Foto: Fernanda Davoglio, banco de dados

Gravação da cena final do filme O Quatrilho, em fevereiro de 1995, defronte à Casa Rosa. Foto: Fernanda Davoglio, banco de dados

Gravação da cena final do filme O Quatrilho, em fevereiro de 1995, defronte à Casa Rosa. Foto: Fernanda Davoglio, banco de dados

Gravação da cena final do filme O Quatrilho, em fevereiro de 1995, defronte à Casa Rosa. Foto: Fernanda Davoglio, banco de dados

Arquitetura neocolonial

Conforme informações publicadas no caderno Dialeto de outubro de 2013, sobre a arquitetura neocolonial em Caxias, o portal da chácara foi construído em pedra basalto e possui as folhas das portas em ferro. O emblema com as iniciais do primeiro morador, Júlio João Eberle, coroa a estrutura. Fazendo a transição entre as colunas menores e maiores, volutas revestidas com azulejos pintados à mão dão um equilíbrio à composição.

As informações integram a matéria assinada pelos arquitetos Roberto Filippini e Ana Lia Branchi e publicada originalmente no Pioneiro de 26 de outubro de 2013. Entre os exemplos do estilo neocolonial citados estão ainda a Casa do Patronato Agrícola, um casarão na Rua Tronca, uma residência na Rua Bento Gonçalves e a antiga mansão de Abramo Eberle, na Rua Sinimbu (foto abaixo).

Palacete Eberle, a residência oficial de Abramo Eberle, é outro exemplo da arquitetura neocolonial. Foto: Ricardo Wolffenbüttel, banco de dados

Palacete Eberle, a residência oficial de Abramo Eberle, é outro exemplo da arquitetura neocolonial. Foto: Ricardo Wolffenbüttel, banco de dados

Envie seu Comentário