Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Caxias durante o 1° Congresso Eucarístico Diocesano em 1948

01 de maio de 2014 0
A Rua Sinimbu durante o congresso. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A Rua Sinimbu durante o congresso. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Os 80 anos da Diocese de Caxias do Sul, tema da celebração no Santuário de Caravaggio neste feriado do Dia do Trabalhador, trazem à tona lembranças do 1° Congresso Eucarístico Diocesano, realizado de 5 a 9 de maio de 1948.

Com a Diocese presidida pelo primeiro bispo da cidade, Dom José Baréa (atuante entre os anos de 1936 e 1951), Caxias recebeu milhares de fiéis e dezenas de sacerdotes, além de vários bispos do Rio Grande do Sul.

A Rua Sinimbu durante o congresso, com a Catedral e o prédio do Magnabosco (à direita). Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A Rua Sinimbu durante o congresso, com a Catedral, o prédio do Magnabosco e o altar montado na esquina com a Doutor Montaury. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Entre as atividades, a comunhão de aproximadamente 12 mil crianças na manhã do dia 6 e a procissão de Nossa Senhora de Caravaggio. O destaque foi o cortejo de automóveis que acompanhou o traslado da santa desde o santuário de Farroupilha até a Catedral Santa Teresa, onde a imagem permaneceu por algumas semanas – naquele dia, mais de 20 mil pessoas estiveram no Largo da Catedral.

Além disso, várias entidades religiosas, colégios e estabelecimentos receberam decoração especial para o período do congresso. Na imagem abaixo, a fachada iluminada do Colégio Nossa Senhora do Carmo, na Rua Os Dezoito do Forte, em maio de 1948.

O Colégio Nossa Senhora do Carmo iluminado em maio de 1948. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O Colégio Nossa Senhora do Carmo iluminado em maio de 1948. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Na praça

O largo junto à Praça Dante Alighieri, na época rebatizada de Ruy Barbosa, transformou-se em palco para uma série de celebrações, bênçãos e festejos.

Abaixo, um registro para a estrutura onde os padres celebravam as missas. No verso da foto lê-se: Vista noturna do altar-monumento situado nas proximidades da praça pertencente à Metrópole do Vinho.

O altar-monumento montado na esquina das ruas Dr. Montaury e Sinimbu. Foto: Studio Geremia, divulgação

O altar-monumento montado na esquina das ruas Dr. Montaury e Sinimbu. Foto: Studio Geremia, divulgação

Verso da foto trazia detalhamento do local; Foto: Studio Geremia, divulgação

Verso da foto trazia detalhamento do local. Foto: Studio Geremia, divulgação

A imagem é do Studio Geremia, então localizado na Avenida Júlio de Castilhos, a poucos metros da Catedral.

Envie seu Comentário