Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A Segunda Guerra Mundial em uma carta

29 de maio de 2014 2
Carta enviada em outubro de 1946 detalhava as dificuldades do pós-guerra na Itália. Foto: Diogo Sallaberry

Carta enviada em outubro de 1946 detalhava as dificuldades do pós-guerra na Itália. Foto: Diogo Sallaberry

No mês em que se comemora o Dia da Imigração Italiana no Rio Grande do Sul (20 de maio), a contribuição de uma leitora descendente de imigrantes joga luzes sobre o pós-guerra, um período difícil não só para italianos como para diversos parentes radicados no Brasil.

Neta de Eugênio Nicoletti e Angela Faganello (fotos acima), a professora aposentada Laura Nicoletti, 86 anos, disponibilizou uma carta enviada em 10 de outubro de 1946 pelo italiano Giuseppe Faganello, então morador da região de Ciano de Montello, em Treviso.

O texto (traduzido abaixo) detalha as dificuldades por que passavam centenas de famílias após o fim do conflito. Provavelmente um dos irmãos da avó de dona Laura, Faganello expunha ainda a carência de quase tudo naqueles tempos.

Carta enviada em outubro de 1946 detalhava as dificuldades do pós-guerra na Itália. Foto: Diogo Sallaberry

Carta enviada em outubro de 1946 detalhava as dificuldades do pós-guerra na Itália. Foto: Diogo Sallaberry

A carta (tradução)

Caríssimos

Depois de muito procurar pelo seu endereço, espero que esta encontre a todos com boa saúde. Aqui não posso dizer o mesmo, estamos cada vez pior. Dois velhos com problemas de saúde e sem dinheiro. Minha filha inconformada com a perda do filho de 22 anos na guerra, o qual era o sustento da família. O marido desempregado e mais quatro filhos para sustentar. Imaginem como estamos mal. Espero que vocês estejam bem melhor de vida, sem o sofrimento da guerra, e que possam nos ajudar com alguma coisa. Alguma roupa, talvez, que não usem mais, pois aqui sofremos muito com o rigor do inverno. Seria um grande favor. Aguardo notícias. Gostaria muito de saber como estão todos aí.

Muita saúde e beijos do vosso irmão e tio.

Faganello Giuseppe

A chegada ao Brasil

Após o casamento na comunidade de Crocetta del Montello, na província de Treviso, em 1882, Eugênio Nicoletti, Angela Faganello e o pequeno Aurélio, de apenas um ano, chegaram ao Brasil em 1885.

O imigrante adquiriu do governo do Estado o lote número 5 da quadra 12, então localizada no trecho da Rua Bento Gonçalves, entre a Garibaldi e a Visconde de Pelotas. Em solo brasileiro, o casal teve mais 11 filhos: Olímpia, Lucinda, Avelino (pai da leitora), José, Eugenia, Druzila, Giselda, Clara, Erina, Henrique e Bruna.

Após décadas atuando como pedreiro e construtor de diversas capelas e igrejas da região, Nicoletti faleceu em 3 de fevereiro de 1943, aos 84 anos. Angela morreu apenas dois anos depois, em 3 de novembro de 1945, poucos meses antes de a carta reproduzida acima ser enviada por um dos irmãos.

Eugenio Nicoletti, avô da leitora Laura Nicoletti, nasceu em 1859, na Itália, e morreu em 1943, em Caxias do Sul. Foto: Atelier Geremia, acervo pessoal de Laura Nicoletti, divulgação

Eugenio Nicoletti, avô da leitora Laura Nicoletti, nasceu em 1859, na Itália, e morreu em 1943, em Caxias do Sul. Foto: Atelier Geremia, acervo pessoal de Laura Nicoletti, divulgação

Angela Faganello, avó da leitora Laura Nicoletti, nasceu em 1862, na Itália, e morreu em 1945, em Caxias do Sul. Foto: Atelier Geremia, acervo pessoal de Laura Nicoletti, divulgação

Angela Faganello, avó da leitora Laura Nicoletti, nasceu em 1862, na Itália, e morreu em 1945, em Caxias do Sul. Foto: Atelier Geremia, acervo pessoal de Laura Nicoletti, divulgação

Árvore genealógica

Uma lei municipal de 1991 nomeou de Eugenio Nicoletti uma rua no bairro Esplanada. Parte das informações desta coluna integra um álbum com a árvore genealógica da família Nicoletti/Faganello, desenvolvido por dona Laura em 1995, por ocasião dos 120 anos de imigração italiana na região.

A professora aposentada mora até hoje no terreno adquirido pelo avô no final do século 19. A antiga casa de madeira cedeu lugar a um prédio de oito andares.

Comentários (2)

  • Daniel Faganello diz: 17 de junho de 2014

    Que bom saber da História da vossa Família
    Abraços! Daniel Faganello
    Caçador SC

  • Terezinha Faganello diz: 17 de abril de 2015

    nunca me habia interesado por nuetro apellido ,pero para mi fue una gran alegria de saber nuestras origenes . SOY DEL PARAGUAY.

Envie seu Comentário