Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Getúlio Vargas e o inseparável guardião Gregório Fortunato

23 de agosto de 2014 0
Vargas descerra o Monumento ao Imigrante em 1954, sob o olhar atento do prefeito Euclides Triches, da primeira-dama, Neda Ungaretti Triches, e dezenas de autoridades. Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Vargas descerra o Monumento ao Imigrante em 1954, sob o olhar atento do prefeito Euclides Triches, da primeira-dama, Neda Ungaretti Triches, e dezenas de autoridades locais e nacionais. Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Quando chegou a Caxias do Sul em 1954, para a inauguração do Monumento ao Imigrante e do NOVO PAVILHÃO da Festa da Uva, Getúlio Vargas ficou hospedado na luxuosa chácara do empresário Julio Ungaretti, na Rua Os Dezoito do Forte, quase esquina com a Rua Treze de Maio – Ungaretti era o presidente daquela edição, que ficou conhecida como a FESTA INTERMINÁVEL.

Em 28 de fevereiro de 1954, Vargas desfilou em carro aberto pela Júlio de Castilhos e visitou a Feira Industrial. Também foi conferir a produção da Metalúrgica Abramo Eberle, que vivia seu auge.

Na foto abaixo, o presidente aparece no escritório da empresa, entre o comerciante Otoni Minghelli, o prefeito Euclides Triches, o diretor Júlio João Eberle e o fiel escudeiro Gregório Fortunato (de chapéu). Todos sob as vistas de Abramo Eberle (no quadro).

Getúlio confere os clássicos produtos da Metalúrgica Abramo Eberle. Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Getúlio confere os clássicos produtos da Metalúrgica Abramo Eberle. Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O presidente Getúlio Vargas e o empresário Otoni Minghelli desfilam em carro oficial pela Av. Júlio, durante a Festa da Uva de 1954. Seis meses depois, Getúlio “sairia da vida para entrar na história”. Foto: coleção de Hildo Boff, acervo pessoal de Ricardo Boff, divulgação

O presidente Getúlio Vargas e o empresário Otoni Minghelli desfilam em carro oficial pela Av. Júlio, durante a Festa da Uva de 1954. Seis meses depois, Getúlio “sairia da vida para entrar na história”. Foto: coleção de Hildo Boff, acervo pessoal de Ricardo Boff, divulgação

Sempre por perto

Chefe da guarda pessoal de Vargas, Gregório Fortunato, ou pelo menos seu indefectível chapéu, aparecem em praticamente todas as imagens feitas durante a permanência do presidente em Caxias – especialmente na cerimônia no Monumento ao Imigrante, conforme vemos na sequência abaixo.

Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Getúlio Vargas cumprimenta a rainha da Festa da Uva de 1954, Maria Elisa Eberle, sob a guarda de Gregório Fortunato (ao fundo, à direita). Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Detalhe da cerimônia de inauguração do Monumento ao Imigrante em 1954, com Gregório identificado apenas pelo chapéu (ao fundo). Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Getúlio discursa, Gregório observa em meio às autoridades (com o chapéu, à direita). Foto: Ulysses Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Na tevê

Gregório Fortunato foi imortalizado pelo ator Tony Tornado na minissérie Agosto, baseada no romance de Rubem Fonseca e exibida pela Globo em 1993.

Conhecido como o Anjo Negro de Getúlio Vargas, ele nasceu em São Borja (mesma terra do presidente), em 1900. Conforme consta no Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930, depois ser julgado por ordenar um assassinato em outubro de 1956, Gregório foi condenado a 25 anos de reclusão. Sua pena foi comutada para 20 anos pelo presidente Juscelino Kubitschek e, depois, para 15 anos pelo presidente João Goulart.

Em 23 de outubro de 1962, Gregório Fortunato foi assassinado na penitenciária Lemos de Brito, no Rio de Janeiro.

Os atores Carlos Bernardo (Getúlio Vargas) e Tony Tornado (Gregório Fortunato) em cena da minissérie Agosto, de 1993. Foto: Nelson  Di Rago, TV Globo, divulgação

Os atores Carlos Bernardo (Getúlio Vargas) e Tony Tornado (Gregório Fortunato) em cena da minissérie Agosto, de 1993. Foto: Nelson Di Rago, TV Globo, divulgação

Tony Tornado e a interpretação memorável de Gregório Fortunato na minissérie Agosto.  Foto: Nelson  Di Rago, TV Globo, divulgação

Tony Tornado e a interpretação memorável de Gregório Fortunato na minissérie Agosto. Foto: Nelson Di Rago, TV Globo, divulgação

Confira o vídeo em que Getúlio Vargas chega ao aeroporto de Caxias do Sul clicando AQUI.

Confira o vídeo em que Getúlio Vargas inaugura o Monumento ao Imigrante clicando AQUI.

Envie seu Comentário