Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Os 80 anos do Círculo Operário Caxiense

30 de outubro de 2014 0
Foto:

O prédio da atual farmácia-sede do Círculo Operário Caxiense, na esquina da Sinimbu com a Visconde de Pelotas, ainda com os tijolos aparentes em 1945, época em que foi adquirido do Recreio da Juventude. Foto: Studio Geremia, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

Uma das entidades mais presentes no cotidiano da comunidade, o Círculo Operário Caxiense – hoje Círculo Operadora Integrada de Saúde –, chega aos 80 anos nesta sexta-feira, dia 31 de outubro. Além dos festejos internos, a programação oficial inclui uma missa celebrada pelo bispo Dom Alessandro Ruffinoni, às 19h, na Catedral Diocesana, com a participação especial do Vocal Aldo Locatelli.

Toda essa história remete a 1934, quando o sacerdote Orestes Valeta decidiu implantar em Caxias uma ideia desenvolvida pelo padre jesuíta Leopoldo Brentano nos municípios de Porto Alegre e Pelotas: os Círculos Operários.

Brentano, que conhecia as dificuldades enfrentadas pelas famílias e mantinha uma relação bastante próxima com os trabalhadores, propôs reuni-los em uma entidade associativa. O objetivo: defender os interesses da classe e solucionar problemas relacionados ao bem-estar e à saúde básica.

Foto:

Há 80 anos: momento da aprovação do Estatuto do Círculo Operário Caxiense em 31 de outubro de 1934. Padre Orestes Valeta (3º sentado, à esquerda) foi o impulsionador da entidade e primeiro assistente eclesiástico. Foto: Lauro Schimitt, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

Foto: Julio Calegari

A bênção da bandeira do Círculo Operário Caxiense, no dia 1° de maio (Dia do Trabalhador), em 1935, nas escadarias da Catedral Diocesana. Foto: Julio Calegari, divulgação

Foto:

O bispado de Caxias do Sul em meados da década de 1930. Casa Canônica, ao lado da Catedral, abrigou os encontros do Círculo Operário até 1944. Foto: Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A fundação

A convite de Valeta, Padre Brentano veio para a Serra, onde reuniu um grupo de 34 participantes e, em 31 de outubro de 1934, deu o início oficial aos trabalhos sociais do Círculo Operário Caxiense.

As pioneiras reuniões da entidade ocorriam no Bispado, ao lado da Catedral, mas em 1945, por iniciativa do padre Ângelo Tronca, começaram as tratativas para a aquisição de uma sede própria.

Naquele mesmo ano, com o apoio da comunidade e de empresários, a entidade comprou o prédio onde funcionava a sede social do Recreio da Juventude, na esquina da Sinimbu com a Visconde de Pelotas – hoje a farmácia matriz do Círculo.

Foto:

Vista frontal do projeto da sede do Recreio da Juventude, pela Rua Visconde de Pelotas, no início da década de 1920. Prédio que ficaria conhecido como o da Farmácia do Círculo foi concluído em 1923. Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Foto:

Inauguração do novo prédio do Círculo, na esquina da Sinimbu com a Visconde de Pelotas, em 8 de junho de 1947, dois anos após o imóvel ser vendido pelo Recreio da Juventude. Paredes de tijolos aparentes foram rebocadas e fachada sofreu algumas modificações. Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Foto: Studio Geremia

Década de 1950: aulas do curso de corte e costura, orientadas pelas freiras, ocorriam no último andar do edifício-sede (atual farmácia do Centro). Foto: Studio Geremia, acervo do Círculo Operário Caxiense, divulgação

Foto: acervo

O grupo de bocha e bolão do Círculo em um registro de 1953. Foto: acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

O novo prédio

A crescente oferta de serviços – e de associados – acabou obrigando a direção a construir um novo prédio. Em 1960, começava a subir na Visconde de Pelotas, ao lado da primeira sede, o Edifício São José Operário, batizado em homenagem ao padroeiro do homem trabalhador e de sua família.

Os 13 andares foram entregues oficialmente em 25 de julho de 1965.

Foto: Studio Geremia

O início da construção do novo prédio na Rua Visconde de Pelotas, ao lado da sede principal, em 1960. Foto: Studio Geremia, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

Foto: Studio Geremia

O novo Edifício São José Operário em construção no início dos anos 1960. Repare na Rua Visconde de Pelotas tomada de paralelepípedos e ainda com trânsito em mão dupla. Foto: Studio Geremia, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

Foto:

O novo edifício do Círculo Operário Caxiense e seus 13 andares concluídos. Inauguração ocorreu em 25 de julho de 1965. Em outubro daquele ano, o padre Ângelo Tronca passou a residir no último andar, onde permaneceu até seu falecimento, em 1993. Foto: Studio Geremia, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

Assim como a maior parte das ruas centrais nos anos 1960, a Visconde de Pelotas da sequência acima era tomada de paralelepípedos e recebia veículos nos dois sentidos.

Foto:

Turma do curso de datilografia, oferecido nas dependências do Edifício São José Operário em meados dos anos 1970. Foto: Studio Beux, divulgação

Foto:

Atendimento odontológico no Círculo Operário Caxiense na década de 1970. Foto: Studio Beux, acervo Círculo Operário Caxiense, divulgação

História em livro

Recentemente foi lançado o livro Círculo: Uma Trajetória de Conquistas e Realizações, pela Editora Belas Letras.

Envie seu Comentário