Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Os 20 anos do fim do jornal Folha de Hoje

31 de outubro de 2014 0
Funcionários da Folha de Hoje comemoram o quarto ano de atividades defronte à sede, em novembro de 1993. Foto: Luiz Chaves, divulgação

Funcionários da Folha de Hoje comemoram o quarto ano de atividades defronte à sede, em novembro de 1993. Foto: Luiz Chaves, divulgação

Há exatos 20 anos, em 31 de outubro de 1994, a equipe do jornal Folha de Hoje produzia a sua última edição, veiculada no dia 1º de novembro. Idealizado pelo empresário Paulo Lisboa Triches, a Folha iniciou suas atividades em 17 de setembro de 1988, com circulação semanal. Em 14 de novembro de 1989, o jornal passou a ser publicado de segunda a sábado.

O empreendimento, localizado na esquina das ruas Marechal Floriano e Tronca, evidenciava-se pela autonomia no processo de impressão. Uma moderna máquina americana da marca Harrys Graphics tinha capacidade para imprimir uma edição de 32 páginas em 25 minutos, com fotos coloridas.

Na redação, o editor Paulo Cancian conduzia uma equipe formada por nomes como Mário Gardelin, Guilherme Arruda, Paulo Dias, Otaviano Fonseca, Darci Demétrio, Ibanor Sartor, Antônio Braga, Vasco Rech, Almir Borba, Ésio Marchisio, Roberto Hunoff, José Susin, João Pedro Lobo Costa, Gilberto Mendes, Paulo Gargioni e Carlos Henrique Iotti, entre outros.

A Folha de Hoje também revelou uma nova geração de profissionais, como os ilustradores Samuel Casal e Zambi, além do escritor e professor Paulo Ribeiro. Antônio Feldmann iniciou na editoria de Política e atualmente exerce a função de vice-prefeito no município. O colunista que vos escreve começou no jornalismo atuando no arquivo fotográfico da Folha, em 1991. O fotógrafo Roni Rigon, um dos idealizadores da coluna Memória, e os jornalistas Hermes Lorenzon, Daniel Angeli, Márcio Serafini, Ivanete Benelli e Rosilene Pozza, há anos trabalhando no Pioneiro e nos veículos do Grupo RBS, também passaram por lá.

Olivar Mattia, Lilian Meneghel, Alda Nunes e Dolaimes Stedile Angeli visitam a Folha em maio de 1991, com as atenções do editor Antonio Braga (à direita). Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

Olivar Mattia, Lirian Meneghel, Alda Nunes e Dolaimes Stedile Angeli visitam a Folha em maio de 1991, com as atenções do editor Antonio Braga (à direita). Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro

As visitas

Entre as inúmeras visitas da comunidade, destacamos a recepção do editor Antonio Braga (de barba, à direita) aos professores do então Departamento de Comunicação da UCS Olivar Mattia, Lirian Meneghel, Alda Nunes e Dolaimes Stedile Angeli, em maio de 1991 (acima).

Em abril, alunos de Relações Públicas da UCS também visitaram o jornal e conheceram o funcionamento da editoria de Polícia, comandada por Ésio Marchisio (foto abaixo). Em 1992, era instalado o curso de Jornalismo na UCS.

Ésio Marchisio (atrás da coluna) e Susana Diefenbach (à esquerda) recebem alunas de RP da UCS em 1991. Foto: Nereu de Almeida, banco de dados/Pioneiro

Ésio Marchisio (atrás da coluna) e Susana Diefenbach (à esquerda) recebem alunas de RP da UCS em 1991. Foto: Nereu de Almeida, banco de dados/Pioneiro

Tetra-campeonato na manchete

No período de quase cinco anos, entre 1989 e 1994, a Folha destacou-se com a cobertura da confusão em torno do comício eleitoral do então candidato à Presidência Fernando Collor de Mello, na Praça Dante Alighieri, em 1989, e de duas edições da Festa Nacional da Uva.

Naqueles tempos, fatos de forte apelo comunitário, como o incêndio na prefeitura, em 17 de fevereiro de 1992, as reportagens policiais e as coberturas esportivas exigiam agilidade extra dos repórteres e fotógrafos, que ainda não dispunham da tecnologia digital para transmissão de dados.

Foto: reprodução/Pioneiro

Foto: reprodução/Pioneiro

Na imagem acima, a edição de 18 de julho de 1994, que trouxe a conquista do tetra pela Seleção Brasileira na Copa do Mundo realizada nos Estados Unidos.

A imagem de Dunga com a taça foi transmitida pela Agencia France Press, que, no ano anterior, havia instalado em Caxias do Sul a recepção via computador, com sinal de satélite. Antes disso, as fotos eram disponibilizadas pela linha física do sistema telefônico.

Encontro no dia 29

Os ex-funcionários da Folha promovem encontros até hoje para reviver e celebrar a amizade. Os jornalistas Paulo Cancian e Rosa Ana Bisinella são voluntários permanentes na organização dos almoços. O próximo encontro Filhos da Folha ocorre dia 29 de novembro.

Envie seu Comentário