Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Bairro São Pelegrino em 1958

26 de novembro de 2014 0
Foto: acervo pessoal de Beatriz Soldatelli Gollo, divulgação

O Monumento à Itália no ano de sua inauguração, em 1958, com o cruzamento da Avenida Júlio de Castilhos e da Rua Feijó Júnior ao fundo. À direita, o piloto Arno Viero. Foto: acervo pessoal de Beatriz Soldatelli Gollo, divulgação

Milhares de pessoas passam por ele diariamente, mas poucos sabem da história que cerca um dos marcos do bairro São Pelegrino: o Monumento à Itália. A tradicional “bota”, esculpida em pedra pelo mestre canteiro José Zambon, foi inaugurada por ocasião da visita do presidente italiano Giovanni Gronchi a Caxias, em 13 de setembro de 1958.

Gronchi circulou pela cidade na companhia do presidente Juscelino Kubitschek, que naquele ano quebrou o protocolo de governo e não compareceu na abertura oficial da Festa da Uva – a justificativa foi de que, exatamente no período da festa, em fevereiro/março, JK aguardava pelo político italiano no Rio de Janeiro, o que acabou não se concretizando. Para compensar, Juscelino e Gronchi chegaram a Caxias seis meses depois.

A placa oficial traz os dizeres: “Giovanni Gronchi, presidente da Itália, aqui esteve hoje, em visita à nova pátria dos artífices que transformaram o Campo dos Bugres na moderna Caxias do Sul. Homenagem do município – 13.09.1958”. 

A imagem acima, captada a partir da Praça João Pessoa, destaca o monumento em finais de 1958, com as já movimentadas Av. Júlio de Castillhos e Rua Feijó Júnior, além do Edifício Irmãos Pasqual, erguido em 1950, ao fundo. Ao lado da escultura vemos o aviador Arno Viero, amigo do radialista Nestor Gollo, um dos idealizadores do projeto.

O registro integra o acervo pessoal de Beatriz Soldatelli Gollo, viúva de Nestor.

Foto: acervo pessoal de Beatriz Soldatelli Gollo, divulgação

Projeto original do monumento. Foto: acervo pessoal de Beatriz Soldatelli Gollo, divulgação

O monumento hoje. Foto: Jonas Ramos

Atração quase “invisível”: o monumento atualmente, captado a partir da Praça João Pessoa. Foto: Jonas Ramos

Outra placa

Conforme detalhado no livro Os Poderes Fazem História, de Guiomar Chies, 20 anos depois, em 1978, o “mapa” recebeu uma placa extra, oferecida pela Câmara de Vereadores. Ela homenageava dois caxienses que haviam se inscrito como voluntários para defender a Itália na Primeira Guerra Mundial: o sargento Rafael Zambelli e o soldado Angelo Bracagioli.

Na prefeitura

A visita do presidente Gronchi pela região em 1958 resultou ainda em um segundo monumento, no estacionamento da prefeitura, à época o parque de exposições da Festa da Uva.

Cada pedra da torre corresponde aos municípios pelos quais Gronchi passou na ocasião: Antônio Prado, Bento Gonçalves, Caxias, Encantado, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Guaporé, Nova Prata e Veranópolis.

Veja mais fotos da passagem do presidente italiano por Caxias em 1958 clicando AQUI.

Foto: reprodução

Capa do Pioneiro de 13 de setembro de 1958 foi publicada em italiano, numa homenagem à visita do presidente. Foto: reprodução

Na imprensa

Nas reproduções acima e abaixo, a cobertura dedicada à passagem do presidente Giovanni Gronchi por Caxias em setembro de 1958.

Foto: reprodução

Metalúrgica Abramo Eberle publicou um anúncio dando as boas-vindas e saudando o político italiano. Foto: reprodução

Foto: reprodução

Cobertura do jornal destacou a passagem de Gronchi por vários pontos da cidade, entre eles o Monumento Nacional ao Imigrante, inaugurado quatro anos antes, em 1954. Foto: reprodução

Foto: reprodução

Presidente também visitou a Igreja São Pelegrino e desfilou em carro aberto pelas ruas centrais. Foto: reprodução

Envie seu Comentário