Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Câmara de Vereadores: as antigas sedes do Legislativo caxiense

30 de dezembro de 2014 1
Foto: Studio Geremia, divulgação

Os vereadores da legislatura de 1947 a 1951, quando a Câmara funcionava na Rua Dr. Montaury, no terreno onde hoje situa-se a Casa da Cultura. Ao centro, o presidente Ruben Bento Alves, que posteriormente viria a ser prefeito de Caxias do Sul. Foto: Studio Geremia, divulgação

O Poder Legislativo de Caxias do Sul passou por vários endereços desde o final do Século 19, quando foi instituído. O livro Os Poderes Fazem História, de Guiomar Chies, registra que a Câmara de Vereadores funcionou em 11 locais. Conforme Chies, o primeiro Conselho Municipal ocupou um imóvel de Rodolfo Felix Laner, na Av. Júlio de Castilhos, 2.126.

Em julho de 1892, o Legislativo mudou-se para o prédio da Junta Governativa, também na Júlio, na altura do número 2.069. Na terceira mudança, instalou-se no casarão de dois andares da antiga Intendência Municipal, na Rua Dr. Montaury, onde atualmente está localizada a Casa da Cultura.

Em 1935, ocupou o prédio do atual Museu Municipal, na Visconde de Pelotas. Sem data exata, retornou ao prédio da Dr. Montaury, cujas instalações então acolhiam a Biblioteca Pública e a lendária Escola de Belas Artes.

Na foto acima vemos os vereadores que integraram a legislatura de 1947 a 1951. São eles: Isidoro Moretto, pai do bispo Dom Paulo Moretto (primeiro à esquerda), Humberto Bassanesi, Constantino Bampi, Francisco Andriollo, Germano Pisani, Adelmar Facciolli, Augustinho Ballardin, Angelo Bonalume, Ruben Bento Alves (o presidente da mesa, ao centro), Guerino Zugno e Demétrio da Luz.

Foto: Paulo de Araújo, banco de dados/Pioneiro

Sessão em 1987, quando o Legislativo situava-se no sexto andar do Edifício Mútuo Socorro. Foto: Paulo de Araújo, banco de dados/Pioneiro

Sessão no Edifício Mútuo Socorro em 1987

O tradicional Edifício Mútuo Socorro, situado na Rua Garibaldi esquina com a Sinimbu, abrigou o Legislativo por 26 anos. Do início de 1962 até dezembro de 1988, seis legislaturas trabalharam no sexto andar do prédio.

Na foto acima, datada de março de 1987, percebe-se a sessão com a seguinte composição de vereadores: Ary Bergozza, Dino Périco, Dionisio Sandi, Édio Frizzo, Guerino Pisoni Netto, João Ruaro, José Bassanessi, Licínio Schemes, Milton Comassetto, Victor Hugo De Lazzer, Adelar Santarem, Adir Rech, Ambrosio Bonalume, Getúlio Demori, José Vanin, Valter Susin, Virvi Sirtoli, João da Rosa, Nelson Susin, Rachel Grazziotin e Sergio Cercatto.

Foto: Raul Ben, banco de dados/Pioneiro

Promulgação da Lei Orgânica em 4 de abril de 1990. Foto: Raul Ben, banco de dados/Pioneiro

Lei Orgânica e incêndio em 1992

No período em que funcionou junto ao Centro Administrativo, de 1988 a 1992, o Legislativo ficou marcado por dois fatos emblemáticos. No dia 4 de abril de 1990, na presidência de Guerino Pisoni Neto (foto acima), foi promulgada a Lei Orgânica, cujo documento adequou-se ao regimento da Constituição Federal de 1988.

Já em 17 de fevereiro de 1992, um incêndio destruiu completamente a Câmara de Vereadores e atingiu algumas secretarias da prefeitura.

Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

O incêndio de 17 de fevereiro de 1992. Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

Sinistro destruiu o acervo do legislativo e atingiu algumas secretarias da prefeitura. Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

Fogo destruiu todo o plenário e boa parte dos gabinetes dos vereadores em fevereiro de 1992. Foto: Gilmar Gomes, banco de dados/Pioneiro

Foto: Carla Pauletti, banco de dados/Pioneiro

Causas do sinistro apontaram para um possível curto-circuito em uma sala próxima. Foto: Carla Pauletti, banco de dados/Pioneiro

Foto: Carla Pauletti, banco de dados/Pioneiro

Destroços ficaram espalhados por todo o saguão da prefeitura. Foto: Carla Pauletti, banco de dados/Pioneiro

Logo após o sinistro, o prédio da Codeca, então localizado no largo da prefeitura, acolheu as reuniões dos vereadores. Já entre fevereiro e julho de 1992, a Câmara funcionou provisoriamente no CTG Rincão da Lealdade. E permaneceu na Rua Sinimbu, 2.019, na Galeria Jotacê, até a inauguração do prédio próprio, em novembro de 1996.

A construção da atual sede, na Rua Alfredo Chaves, tomou forma, desde o processo licitatório, nas gestões dos presidentes Nelson Suzin, Rachel Grazziotin, Getúlio Demori, Zoraido Silva e Kalil Sehbe Neto.

As informações desta coluna são uma colaboração do repórter fotográfico Roni Rigon.

Comentários (1)

  • Carlos Neujahr diz: 30 de dezembro de 2014

    A instituição Camara dos Vereadores é a base da nossa POLITICA…e da DEMOCRACIA e CIDADANIA…Bons tempos em que vereador não era “profissional”, não eram remunerados, ou simbolicamente remunerados. O dinheiro dos impostos economizados com salário dos vereadores, gabinetes, assessores, etc…eram reinvestidos em saúde, educação, segurança, infraestrutura, etc…ou seja, não em palavras ao vento, mas em ações para o POVO…Quando voltarmos à isto, nossa verdadeira POLITICA será resgatada…POLITICA não é profissão…é SERVIÇO…

Envie seu Comentário