Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Um veraneio e um passeio a cavalo

06 de janeiro de 2015 0
Em 1979: cavalos de aluguel faziam a alegria dos veranistas no litoral do RS. Foto: JB Scalco, banco de dados/Agência RBS

Em 1971: cavalos de aluguel faziam a alegria dos veranistas no litoral do RS. Foto: JB Scalco, banco de dados/Agência RBS

Houve época em que andar a cavalo nas praias do Litoral Norte não implicava participar das polêmicas cavalgadas realizadas à beira-mar todos os anos. Num tempo de restritas alternativas de lazer nos balneários gaúchos, os cavalos de aluguel eram uma das principais atrações – e um programa ansiosamente aguardado pelos veranistas dos anos 1950, 1960 e 1970.

Em diversas praias, moradores dispunham de cavalos – de porte grande e médio e até pôneis – devidamente encilhados, que eram oferecidos aos visitantes em troca de um valor cobrado por hora de empréstimo.

Com o passar do tempo e o aumento do número de veículos nas ruas e de banhistas na areia, o convívio com os animais foi criando conflitos.

Protestos e denúncias de maus-tratos, por parte de alguns locatários e proprietários, acabaram extinguindo, especialmente durante os anos 1980, essa antiga tradição dos veraneios sulistas.

Em 1961: Foto: banco de dados/Agência RBS

Um flagrante em 1961. Foto: banco de dados/Agência RBS

Em 1979: cavalos de aluguel faziam a alegria dos veranistas no litoral do RS. Foto: JB Scalco, banco de dados/Agência RBS

Em 1979: veranistas dispunham de cavalos para passear na orla. Foto: JB Scalco, banco de dados/Agência RBS

Pais e filhos: passeio de cavalo pela beira da praia em fevereiro de 1973. Foto: Galeno Rodrigues, banco de dados/Agência RBS

Pais e filhos: passeio de cavalo pela beira da praia em fevereiro de 1973. Foto: Galeno Rodrigues, banco de dados/Agência RBS

Foto:

Há 35 anos: em 1979, famílias se reuniam na beira da praia para passear a cavalo. Foto: Antonio Paheco, banco de dados/Agência RBS

Você lembra dessa época? Deixe seu comentário no blog.

O texto acima foi publicado originalmente na coluna Almanaque Gaúcho, do colega Ricardo Chaves, de Zero Hora.

Envie seu Comentário