Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Femaçã 2015 x Festuva 1932

29 de janeiro de 2015 2


Em meio à polêmica do cartaz da Femaçã, recordamos de uma mala-direta que também valeu-se da nudez para divulgar a maior festa típica da região: a Festa da Uva. Porém, em 1932, há 83 anos.

A história foi recontada em matéria publicada pelo Pioneiro em 12 de março de 1998. Confira o texto na íntegra:

Festas da Uva guardam segredos. Um deles está relacionado à propaganda da festa de 1932. Na época, o diretor do evento e presidente da Associação de Comerciantes, Dante Marcucci, solicitou ao sobrinho, Fernando Balén, endereçar dois folhetos de divulgação da festa para pessoas do Rio de Janeiro e de São Paulo.
O primeiro folheto dessa que seria a primeira mala-direta feita em Caxias do Sul era normal, com informações sobre a festa. Já o segundo foi ilustrado com o tema mais audaz para a época: o corpo feminino livre de qualquer traje. Só agora divulgado por Balén, o folheto traz uma jovem nua, com o sexo coberto apenas por uma folha de parreira. No espelho que reflete a imagem da bem fornida moça, a frase “Salve a Festa da Uva”. Aos pés, uma frase bíblica de Salomão relacionando os prazeres do corpo ao degustar a uva e o vinho. Até hoje ninguém sabe qual a procedência da ilustração e como ela foi parar na Festa da Uva. Balén, participante da história, conta que foi convidado por Marcucci para encarregar-se da mala-direta por ser um exímio datilógrafo. Havia concluído o curso com o louvor de bater 84 palavras por minuto.
- Deram-me uma mesinha, uma máquina Remington modelo 120, um monte de envelopes, milhares de impressos e os guias telefônicos do Rio de Janeiro e de São Paulo – contou.
A tarefa de Balén era bastante simples, embora muito trabalhosa.
- Eu devia endereçar, rua por rua, os envelopes, colocar neles os dois impressos e depois pôr no correio – relembra Balén.
O trabalho iniciou em dezembro de 1931 e seguiu até fevereiro. Muitas vezes, Balén ficou em frente à máquina por oito ou dez horas diárias. O folheto que tratava da festa informava sobre a data de realização e as atrações.
- O outro não mostrei a ninguém.
Quem assina a fotografia do folheto “secreto” é Léo, acompanhado do número 17, ou 74, já que deve ter sido retocado. Mas esses dados não esclarecem a procedência. Nem mesmo Balén tem a mínima ideia de onde saiu a ilustração e nem como ela foi aproveitada para divulgar a festa. O texto que acompanha o folheto é inspirado no Cântico dos Cânticos, parte da Bíblia, Antigo Testamento, atribuída a Salomão. São três frases. A primeira e a segunda são condensadas. A terceira é o versículo 12 do capítulo sete. Devem ter origem em traduções, correntes na época, dos padres Matos Soares e Antônio Pereira de Figueiredo. As traduções das bíblias mais atuais têm o versículo ampliado. 

O texto bíblico de Salomão

“Os teus peitos serão os cachos na vide (videira). E o teu paladar, como o bom vinho que se bebe suavemente e faz com que falem os lábios dos que dormem. Levantamo-nos de manhã para ir às vinhas; vejamos se florescem as vides, e se se abre a flor; ali te darei o meu amor”.

Comentários (2)

  • Lucimara Legnaghi diz: 30 de janeiro de 2015

    Na época não havia internet, mídias sociais, não gerava polêmica e ninguém se promivia. Hoje tudo é visto como ofença, o belo e o criativo não pode ser utilizado, gera intriga. A Femaçã está de parabéns!

  • Dynho Gonçalves diz: 30 de janeiro de 2015

    A polêmica ela está presente na vida de um ser humano, se o famoso carnaval do Rio de Janeiro que traz traços de nudez fossem promovido na serra gaúcha passaria despercebido,mas como se trata de uma cultura diferente ainda haverá muitas discussões, mas foi uma brilhante idéia de marketing,por esse motivo que gerou tantas especulações.
    Tenho absoluta certeza que a Femaçã será um SUCESSO!!

Envie seu Comentário