Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Barbearia Mantovani: um clássico surgido em 1930

05 de fevereiro de 2015 9
Octavio Mantovani com o neto Giancarlo Mantovani em 1967, no salão localizado em frente ao Museu Municipal. Foto: Ivam Mantovani, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Tesoura em ação: Octavio Mantovani com o neto Giancarlo Mantovani em 1967, no salão localizado em frente ao Museu Municipal. Foto: Ivam Mantovani, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Barbearias que retomam a estética “do tempo do êpa” viraram febre nos últimos anos. Em Caxias do Sul, estabelecimentos como o Estúdio Jefferson Hoffmann e o Differenza Espaço de Beleza incluíram espaços retrô que relembram os antigos salões de corte à navalha e toalha quente. Na carona dessa “novidade”, retomamos a história da lendária Barbearia Mantovani.

Comandado por Octavio Mantovani (1909-1996), o espaço foi aberto em maio de 1930, na Rua Sinimbu, entre o portão principal da Metalúrgica Abramo Eberle (ainda em casarões de madeira) e a antiga Vidraçaria Ghidalli. Posteriormente, ocupou mais dois endereços: na Rua Visconde de Pelotas, defronte ao Museu Municipal, e, por fim, na Rua Pinheiro Machado, entre a Moreira César e a Coronel Flores.

Em 1986: a fachada da barbearia na rua Pinheiro Machado, 2.425. Foto: Ivam Mantovani, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Em 1986: a fachada da barbearia na Rua Pinheiro Machado, 2.425, e a bisneta de seu Octavio, Cássia Fernanda Dal Corno, que também cortava o cabelo com ele. Foto: Ivam Mantovani, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Filho de seu Octavio, Ivam Mantovani recorda que o pai migrou do município de Nova Veneza (SC) para Caxias aos 14 anos. Em 1923, o jovem começou a trabalhar na antiga Cantina Pezzi (na esquina da Sinimbu com a Marquês do Herval), lavando garrafões. Posteriormente, aprendeu o ofício de barbeiro com outro lendário profissional da cidade, o sr. Dani.

– Com o dinheiro que juntava na cantina, ele pagava para aprender a trabalhar – recorda o filho.

Seu Octavio em 1986, repousando na cadeira por onde passaram gerações e gerações de clientes desde 1930. Foto: Maria da Graça Soares, banco de dados/Pioneiro

Técnica dominada, seu Octavio exerceu o mesmo ofício durante mais de seis décadas. E não foram poucos os que passaram por sua cadeira para o clássico “barba, cabelo e bigode” – dos oito aos oitenta, inclusive mulheres.

Ele abandonou as tesouras somente quando ficou doente, em 1996, ano em que também faleceu, aos 86 anos.

Espaço preservado no Museu

Cadeira, tesouras, navalhas, escovas, pincel, a placa original do estabelecimento e todo tipo de utensílio usado por seu Octavio Mantovani estão disponíveis para visitação no Museu Municipal (Rua Visconde de Pelotas, 586).

O acervo, doado pelos filhos Ivam, Edson e Deise Mantovani, integra um espaço dedicado à saúde e higiene pessoal. No segundo andar do Museu, o público pode conferir ainda uma farmácia, um consultório médico e outro de dentista.

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

A barbearia doada e preservada no Museu Municipal. Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Rodrigo Lopes

Apetrechos de barbear também compõem o acervo. Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Desde 1930: a placa original. Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Rodrigo Lopes

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Mobiliário da antiga barbearia compõe o espaço dedicado à saúde e higiene. Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Visitação

Visitas ao Museu Municipal podem ser feitas de terça a sábado, das 9h às 17h, inclusive de escolas e grupos especiais. Contatos: (54) 3221.2423 e 3215.4445 ou museumunicipal@caxias.rs.gov.br.

A entrada é franca.

Foto:  acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami , divulgação

Seu Octavio em 1988, na barbearia localizada na Rua Pinheiro Machado. Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami , divulgação

Foto:  acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami , divulgação

Trajetória de 66 anos: de 1930 até 1996, seu Octavio dedicou-se ao ofício. Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami , divulgação

Espaço pode ser visitado diariamente, com entrada franca. Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Era uma vez…

A segunda cadeira de barbeiro de seu Octavio Mantovani foi adquirida do Clube Juvenil na metade dos anos 1940, quando a agremiação desativou o salão de beleza que mantinha na sede. Ela também foi doada pela família ao Museu Municipal, mas acabou sumindo durante uma reforma na parte dos fundos.

Por aí…

Barbearias tradicionais atualmente estão concentradas em antigas galerias, entre elas a Central, a São Pelegrino e a Galeria do do Comércio, defronte à Praça Dante Alighieri. Nesta última, o destaque vai para a clássica Barbearia Central.

Você recorda de outra barbearia que marcou época? Deixe seu recado.

Comentários (9)

  • Elaine Felicio Federizzi diz: 5 de fevereiro de 2015

    Muito Bom ver a história tão bem preservada.
    Um abraço ao Sr. Ivan Mantovani e esposa, pessoas que nos permitiram concretizar um trabalho do Curso de Fotografia da UCS, com informações e fotos do Fotógrafo Giancarlo Mantovani.

    Abraços

    Elaine Federizzi

  • Leandro diz: 5 de fevereiro de 2015

    Bom dia…

    Lembro (inclusive fui inúmeras vezes quando era criança) que existia uma Barbearia na frente do Cemitério Santa Catarina, inclusive o Barbeiro (não recordo o nome) era afinador de gaitas… Vale a pena fazer uma matéria para recordar…

    Att. Leandro

  • Adauto Celso Sambaquy diz: 5 de fevereiro de 2015

    Seu Otávio Mantovani foi o meu barbeiro desde a minha infância. Lembro de quando a barbearia estava na frente da Escola Normal Duque de Caxias e depois na Sinimbú. Sempre tinha um caso para contar e estava sempre de bom humor. Sua diversão era a bicicleta, na qual visitava os bairros de Caxias. Seus filhos eram meus amigos desde a infância e o Ivan foi meu colega de Banco do Brasil. Grande pessoa, grande profissional que se dedicou à profissão com amor e carinho. Resta hoje a saudade de um tempo maravilhoso que vivi na minha cidade natal.
    Obrigado por mais essa recordação maravilhosa de uma Caxias que ficou na memória de todos nós.

  • Ivan Zeni dos Santos diz: 5 de fevereiro de 2015

    Grande iniciativa do Ivam Mantovani em doar a barbearia ao Museu Municipal. Deveria doar também a bicicleta que foi de seu pai. Tive o prazer de restaura-la, dentro do possivel. É uma das remanecentes, tipo passeio, fabricadas na Italia no início do século XX.

  • Vinícius Gatelli diz: 5 de fevereiro de 2015

    Como é bom recordar destes locais que marcam a história de Caxias do Sul…Ainda tem barbearias que lembram essa época.a decoração de algumas não são do estilo daquela época (acho que deveria ser), mas tem barbeiros que mesmo passado dos 65 anos ou mais ainda exercem o ofício…
    Nas galerias do centro caxiense sempre tem um “Mantovani” que traz boas recordações…

  • Vinícius Gatelli diz: 5 de fevereiro de 2015

    Como é bom recordar destes locais que marcam a história de Caxias do Sul…Ainda tem barbearias que lembram essa época.a decoração de algumas não são do estilo daquela época (acho que deveria ser), mas tem barbeiros que mesmo passado dos 65 anos ou mais ainda exercem o ofício…
    Nas galerias do centro caxiense sempre tem um “Mantovani” que traz boas recordações…

  • CARLOS ALBERTO MENEGAZ diz: 5 de fevereiro de 2015

    LEMBRO MUITO DAS ANTIGAS BARBEARIAS INCLUSIVE POR VARIAS VEZES TIVE MEU CABELO CORTADO POR UMA DESSAS MAQUINA DE CORTAR CAMELO MANUAL, BARBEARIA DO PACHECO BR 116 QUASE EM FRENTE INDUSTRIA DE CAMAS RODRIGUES HOJE JUSSARA COLCHOES A CASA QUE ABRIGAVA A BARBEARIA FOI DEMOLIDA PARA DAR ESPAÇO A NOVA SAIDA DA UCS!!!!!!!!

  • Geraldo Cemin diz: 5 de fevereiro de 2015

    Legal lembrar dessas histórias, eu cortei o cabelo varias vezes nessa cadeira com o seu Mantovani ali na Pinheiro Machado. Tinha ou ainda tem (não moro mais em Caxias) uma barbearia chamada Barbearia do Povo ali o pessoal também era gente do bem. Essa
    também passou por várias gerações ultimamente estava localizada na rua Ernesto Alves próximo aos Bombeiros era no mesmo estilo da Barbearia do Mantovani

  • Cássia Fernanda Dal Corno diz: 6 de fevereiro de 2015

    Gostaria de me incluir na história e informar que a menina que aparece na 2ª foto sou eu. Vinda de uma sucessão de primogênitos – meu avô (Ivam), minha mãe (Giselle) e eu própria -, tive tempo e a grande honra de conhecer meu bisavô e cortar cabelo com ele também.

Envie seu Comentário