Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Carnaval: Christian e as antigas folias de salão

07 de fevereiro de 2015 4

Tempos de lança-perfume: Christiano Carpes Antunes em meio ao Bloco das Chinesas do Recreio da Juventude, formado por Ieda Rombaldi Cenatti e Neusa Ricardo, em 1960. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Carnaval em clubes tradicionais de Caxias, como o Juvenil, o Recreio da Juventude e o Guarany, marcaram época nos anos 1950 e 1960. Tempos em que o primeiro colunista social do Pioneiro, Christiano Carpes Antunes (1934-1967), também costumava dar amplo destaque aos bailes e, logicamente, participar de vários deles – a caráter.

As imagens deste post, disponibilizadas pela filha do colunista, Suzete Antunes, trazem um pouco da animação daquele período – quando os foliões faziam visitas aos clubes vizinhos e nem sonhavam com a proibição do então obrigatório lança-perfume.

Os tubos, inclusive, aparecem na maior parte das fotos, sobre as mesas ou nas mãos dos associados (imagens acima e abaixo).

O “marajá” Christian (sentado ao centro) com Blauto Schmitt e esposa, Edith Nandi e a atriz Ítala Nandi (em pé), no Carnaval do Recreio da Juventude em 1960. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Christian junto ao lendário Bloco das Falenas do Clube Juvenil em 1959. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Entre confetes e serpentinas: Christian e foliãs no Clube Juvenil, no final dos anos 1950. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Noites de folia reuniam centenas de associados nos salões do Recreio da Juventude e do Clube Juvenil. Foto: Studio Tomazoni Caxias, acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Aos 18 anos: o jovem Christiano com a amiga Neila Ramos em 1952. Foto: Foto Viana, acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Christian e Lourdes Ponzi Pettinelli: agitos no Baile de Carnaval de 1959 do Recreio da Juventude. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Tempos de lança-perfume

Surgido ainda no Carnaval de 1906, no Rio de Janeiro, o spray conhecido como lança-perfume foi imediatamente incorporado aos festejos pelo Brasil, principalmente nas batalhas de confete, nos corsos e bailes.

À base de cloreto de etila e devido à combinação de gás, perfume e e essências, ele formava um fino jato com efeito congelante ao ser liberado – daí a sensação de prazer e excitação em meio à folia.

No início da década de 1960, por recomendação do jornalista e apresentador de TV Flávio Cavalcanti – e obedecendo a um decreto do então presidente Jânio Quadros –, o produto fabricado na Argentina pela Rodhia acabou sendo oficialmente proibido no Brasil.

O motivo: casos de morte por embriaguez, quedas de janelas nos clubes, desmaios e aceleração cardíaca após a inalação.

Fotos colorizadas

Conforme a filha de Christiano, Suzete Antunes, o pai também costumava colorir as imagens em preto e branco, conforme vemos em algumas reproduções deste post.

- Ele mesmo colorizava. E as páginas dos álbuns de fotos são todas decoradas com desenhos e frases sobre o assunto – recorda Suzete.

Em 1960: o trio “peregrino, marajá e palhaço”, formado por Clóvis Rossi, Christian e Darwin Gazzana, no Clube Juvenil. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

A versão “colorizada” por Christian. Foto: acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Animação de outrora: Heloisa Heillert e Saly Cardoso Luz em fevereiro de 1960, no Juvenil. Foto: Óptica Caxiense, acervo pessoal de Suzete Antunes, divulgação

Retomada

No próximo dia 17, os antigos bailes de folia serão lembrados no Carnaval Interclubes, promovido em conjunto pelo Clube Juvenil, Recreio da Juventude e Recreio Cruzeiro.

Comentários (4)

  • Suzete Antunes diz: 7 de fevereiro de 2015

    Ficou lindo Rodrigo! Obrigada por resgatar a memória de meu pai para a Caxias que ele tanto amava.

  • Maria Helena Muratore diz: 7 de fevereiro de 2015

    Otima a reportagem sobre os Carnavais dos anos1950 e 1960 .Parabéns Rodrigo .Parabéns tb. para a filha do Christiano Antunes , Suzete, por ter enviado tão belas fotos .

  • ademir luis dambros diz: 7 de fevereiro de 2015

    Mesmo vivendo nessa epoca atual se entende porque existem tantas pessoas saudosas. So quem viveu nesse tempo onde tudo era divertimento dentro do mais puro respeito, sem violencia sabe como isso nao voltara infelizmente.

  • maria luiza antunes Moreira diz: 8 de fevereiro de 2015

    Saudades e muita emoção ao rever momentos tão lindos do Carnval de Caxias,onde meu irmão Christiano participava com sua alegria . Minha sobrinha Suzete Antunes possue um acervo precioso sobre todos acontecimentos sociais da época . Parabéns Rodrigo Lopes pelo teu texto !

Envie seu Comentário