Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

São Romédio, talian e as origens de Caxias do Sul

12 de março de 2015 3

Placa confeccionada pelo antigo morador Alvis Santos Fiedler destaca a história da fundação da comunidade, em 1876. Foto: Daniela Xu, banco de dados

O slogan da comunidade de São Romédio, Aqui Nasceu Caxias do Sul, ganha mais um reforço. A igreja foi a escolhida para, uma vez por mês, sediar a missa rezada no dialeto dos primeiros imigrantes, o talian – reconhecido como referência cultural brasileira pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2014. A primeira celebração está prevista para ocorrer em 30 de maio.

Pesaram na escolha a localização e a rica história do lugar, cuja fundação remete a 25 de dezembro de 1876 – São Romédio foi a primeira comunidade constituída dentro da área da antiga sede municipal, que era a Quinta Légua. Os 139 anos dessa trajetória, aliás, serão comemorados neste domingo (15), com uma missa, às 10h45min, seguida de almoço no salão paroquial.

Clique nas imagens para ampliar.

Foto: reprodução de arte de Alvis Santos Fiedler

As três igrejas

Em 1877, um ano após a chegada dos primeiros imigrantes italianos vindos da província de Trento, a comunidade de São Romédio construiu com tábuas rústicas a primeira capela em homenagem ao padroeiro. Ela foi erguida entre os lotes 16 e 37 do Travessão Santa Teresa e inaugurada no ano seguinte por Dom Bartolomeu Tiecher.

Em 1894, o vigário da Paróquia Santa Teresa D’Avila de Caxias, Dom Giovanni Argenta, participou do lançamento da pedra fundamental da nova capela, também em madeira, mas bem maior. Já o templo atual começou a tomar forma em 15 de novembro de 1931, quando Dom João Meneguzzi concedeu a bênção da pedra fundamental da nova igreja, que seria construída em alvenaria.

Ela foi inaugurada em 20 de maio de 1933, com a presença de um grande número de integrantes da Sociedade Igreja São Romédio, do padre Orestes Valletta e dos padrinhos, os senhores Galeazo Paganelli e Antonio Travi e suas respectivas esposas. Valetta também abençoou a nova imagem do padroeiro, que teve como padrinhos Guerino Sanvito e Eugênio Fochezatto e suas esposas.

O terreno onde a igreja se encontra foi doado à Mitra Diocesana por Angélico e Maria Giordano Pedron, e pela viúva Rosa Fedrizzi Pezzi, conforme consta na Ata N°. 1, de 12 de julho de 1931.

Em 1942: registro da festa de bodas de prata de Luminato e Maria Pedron defronte à igreja. Foto: Julio Calegari, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Bodas de prata em 1942

Em 15 de janeiro de 1942, São Romédio sediou a cerimônia de bodas de prata do casal Luminato e Maria Pedron (foto acima). Conforme informações disponibilizadas pelo leitor e pesquisador Gilmar Pedron Lorenzi (neto de Angélico Pedron, irmão de Luminato), o tio-avô era proprietário da Cantina Cruzeiro do Sul, então localizada na Rua Visconde de Pelotas, quase esquina com a Tronca.

Bastante influente na sociedade caxiense dos anos 1920 e 1930, Luminato foi um grande comerciante de vinhos e um dos primeiros associados da Cooperativa Vinícola Riograndense. Além auxiliar na construção do Hospital Pompéia, foi presidente do lendário Esporte Clube Cruzeiro do Sul. Ele faleceu em 1971, aos 82 anos.

Registro da Festa do Padroeiro São Romédio em 1938, com os irmãos Alvis e Alfredo Santos Fiedler (os dois meninos à frente, de boina, ao centro). Foto: acervo São Romédio, divulgação

Registro da Festa do Padroeiro São Romédio em 1938, com os irmãos Alvis e Alfredo Santos Fiedler (os dois meninos à frente, de boina, ao centro). Foto: acervo São Romédio, divulgação

Alvis Fiedler, 84 anos, e a foto da festa de 1938, onde aparece com o irmão Alfredo. Foto: Roni Rigon, banco de dados

Memória preservada

Em 2006, por ocasião do aniversário de 130 anos, foi organizada uma espécie de memorial de São Romédio, com boa parte da história recordada em fotos e textos, no salão da comunidade. O trabalho teve o auxílio do pesquisador, historiador e colaborador Alvis Santos Fiedler, filho de Augusto Fiedler e Amália Santini Fiedler. Seu Alvis nasceu em São Romédio em 10 de março de 1931 e na última terça comemorou 84 anos.

Ele também aparece na foto acima (ao centro, com a mão na boca), durante uma festa do padroeiro em 1938. A imagem traz, entre outros, Homero Mário Pedron, Italino Pedron, Horácio Francisco Pedron, Alcides Fedrizzi, Alfredo Fiedler (o Pópo, o menino ao centro, com as mãos nos bolsos), Maria Giacoma Giordano Pedron, Atílio Pedron e Íria Amélia Pedron Travi.

Alvis Fiedler auxiliou na elaboração do Memorial de São Romédio em 2006. Foto: Roni Rigon, banco de dados

História em fotos

Confira a seguir outras imagens históricas da localidade.

Festa de São Romédio em meados dos anos 1940: na imagem aparecem, entre outros, Horacio Francisco Pedron, Maria Segat Pedron, Alcides Fedrizzi, Antonio Fedrizzi, Lorena Lourdes Pedron, Ivone Maria Pedron e Íria Amélia Pedron. Menino com a argola (à direita) confirma a tradição dos jogos de argola em garrafas, um dos principais divertimentos dos participantes. Foto: acervo de Josephina Pedron Lorenzi e família, divulgação

Foto: acervo São Romédio, divulgação

Festa na comunidade em meados dos anos 1940: atrás da menina aparecem as primas Rosalina Pedron (à direita) e Irma Giordano. Ao fundo, o primeiro prédio do salão de festas da Sociedade São Romédio. Foto: acervo São Romédio, divulgação

Senhores da comunidade de São Romédio em 1938: entre outros, identificamos Homero Mario Pedron, Longhi, Guerino Pezzi, Horacio Francisco Pedron, Alvoredo Pelini, Francisco Pezzi, Alcides Fedrizzi, Giuseppe Tessari (José), Antonio Fedrizzi, Luminato Pedron e Alfredo José Fedrizzi. Foto: acervo pessoal de Josephina Pedron Lorenzi, divulgação

Ingressos

A comissão organizadora informa que restam poucos ingressos para a festa deste domingo. Mais informações pelos fones (54) 3213.2369, com Neiva, ou (54) 3213.2008, com Gládis.

Igreja celebrará missas no dialeto talian uma vez por mês, a partir de 30 de maio. Foto: Daniela Xu, banco de dados

Patrimônio

A Igreja de São Romédio é patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio Grande do Sul desde 2006. A data oficial do padroeiro São Romédio é 15 de janeiro, dia de seu falecimento, mas ele é festejado em março devido à época de férias.

No último final de semana, dia 7, a Igreja de São Romédio também promoveu a bênção dos animais. Além da missa e do almoço deste domingo (15), no sábado (14) haverá uma procissão ao redor do terreno da igreja, a partir das 18h30min.

Padre Roque Grazziottin participou da tradicional bênção dos animais. Foto: Roni Rigon

As previsões do tempo em talian

As previsões do tempo adotadas pelos habitantes de São Romédio eram embasadas nos provérbios populares italianos. Os reproduzidos aqui, no dialeto local, integram o livro Memórias, escrito por João Antônio Tessari, nascido na localidade.

Quando ala matina el mato del santo fuma, la piova avicina (Quando de manhã o mato do Santo evapora, a chuva não demora)

Nuvole venitale dal norte, piova vanti note (Nuvens vindas do norte, chuva antes da noite)

Celo com nuvole pecorele, áqua spechio cantínele (Céu com pequenas nuvens em forma de ovelhas, águas da chuva cantando se espalham)

Quando el buz de la Nona Légua se scura, la piova dopo meda hora vien secura (Quando o buraco da Nona Légua ficar escuro, a chuva após meia hora vem segura)

Quando i fiore de questa pianta se avicina, no ghe più perículo della brina (Quando as flores desta planta se aproxima, não há mais perigo de geada fina)

Quando i rospi, le rane e i grili cantano tuti quanti, la piova vien su i campi (Quando os sapos, as rãs e os grilos cantarem juntos, a chuva estará nos campos)

Quando du temporai, uno que vien del nordeste, laltro que vien dal sudeste, se bótano com la testa, el perículo lé la tempésta (Quando dois temporais, um que vem do nordeste, outro que vem do sudeste, se chocam entre si, o perigo é a tempestade de pedra.)

Nuvole rosse ala sera, bon tempo se espera. Nuvole rosse a la matina la piova se avicina (Nuvens vermelhas ao anoitecer bom tempo se espera. Nuvens vermelhas pela manhã a chuva se avizinha)

La piova que vien da note, la vá de trot (A chuva que vem a noite, ela vai de trote)

La luna piena setembrina, per sete mezi la indovina (A lua cheia setembrina, por sete meses o seu tempo adivinha)

Se non piove su rami, piove su i ovi (Se não chover nos ramos, choverá nos ovos – na Páscoa)

Leia mais sobre o documentário Brasil Talian, que estreia nesta quinta (12), em Antônio Prado, clicando AQUI.

Foto: Roni Rigon

São Romédio pintado por Antonio Cremonese. Foto: Roni Rigon

São Romédio por Cremonese

Em 1915, o artista plástico italiano Antonio Cremonese pintou uma bela representação de São Romédio, com o urso e os mártires Cismio, Alessandro e Martírio queimando na fogueira. No alto, três anjos com coroas nas mãos aguardando para recebê-los e torná-los santos. A imagem (foto acima) é um dos destaques do templo.

Antonio Cremonese foi responsável também pelas belas pinturas da igreja dos ex-votos de Nossa Senhora do Caravaggio, em Farroupilha, e por várias outras obras murais em igrejas na região. Cremonese chegou a Serra em 1914 e faleceu em Flores da Cunha em 16 de fevereiro de 1943.

Leia mais sobre a participação da comunidade de São Romédio em antigas Festas da Uva e sobre a família Tessari clicando AQUI.

Comentários (3)

  • ademir luis dambros diz: 12 de março de 2015

    Alem das familias citadas nessa reportagem a familia dambros Simeone e Angelo dambros pai e filho respectivamente tiveram grande participaçao na historia dessa comunidade.

  • angelo diz: 12 de março de 2015

    Parabéns a comunidade e a brilhante ideia da missa em Talian. São pessoas como estas que fazem com que nossa cultura e nosso dialeto não se apaguem.

  • ademir luis dambros diz: 13 de março de 2015

    Na frente do cemiterio havia a placa original com os nomes dos imigrantes fundadores de Sao romedio acredito que a tenham mantido intacta pois tem um grande valor historico para a cidade e principalmente para as familias.

Envie seu Comentário