Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Trajetória da família Zandomeneghi

26 de março de 2015 0

Jubileu de prata em 1940: Agostinho e Cecilia Furlan Zandomeneghi com o filho caçula Vasco. Em pé, da esquerda para direita, os irmãos Claudio, Anieza (Ignes), Raimundo Antonio (que se tornaria irmão lassalista), Hugo, Rita e Ivo. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A Cooperativa Vinícola São Victor marcou época no bairro São Pelegrino a partir de 1929. Localizada em ponto privilegiado, na Rua Augusto Pestana, junto à Estação Férrea e ao vaivém dos trens, foi uma das tantas responsáveis por alavancar o setor na primeira metade do século 20.

Um dos fundadores da empresa – e atuante como diretor comercial por 36 anos –, Agostinho Zandomeneghi (1894-1965) fez jus à máxima “o olho do dono é que engorda o gado”. Para ficar ainda mais próximo do negócio, em 1937 o empresário deixou a casa do pai, o imigrante italiano Pietro Zandomeneghi, em São Victor da 5ª Légua, e adquiriu um terreno urbano de 900 metros quadrados nas proximidades da empresa.

Surgia em 1938, na Rua Feijó Júnior, 953, o imóvel que ficaria identificado até hoje como “o casarão do final das Os Dezoito do Forte”. A mudança para a nova casa também coincidiu com o batizado da primeira neta de Agostinho e Cecília Furlan Zandomeneghi: Elizete Cecília Rossato.

Na foto que abre o post vemos o clã Zandomeneghi por ocasião dos 25 anos de união de Agostinho e Cecília, em 14 de abril de 1940. Sentados estão o casal com o filho caçula, Vasco. Em pé, da esquerda para direita, vemos os irmãos Claudio Armando Zandomeneghi, Anieza Zandomeneghi Rossato (mais conhecida por Ignes), Raimundo Antonio Zandomeneghi (que se tornaria irmão lassalista), Hugo Pedro Zandomeneghi, Rita Regina Zandomeneghi Basso e o pequeno Ivo Germano Zandomeneghi, então com 10 anos.

Nascido em 28 de março de 1930, seu Ivo completa 85 anos neste sábado.

Os irmãos Zandomeneghi: Agostinho (à esquerda) e Giovanni (João), com Angela, Giacoma e Antonia. Foto: Júlio Calegari, acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Os cinco irmãos

Acima vemos os irmãos Agostinho (à esquerda) e Giovanni (João) Zandomenenghi acompanhados pelas irmãs: Angela (casada com Angelo Bisol), Giacoma (casada com Secondo Pistorello) e Antonia (casada com Pedro Viezzer). As três irmãs eram conhecidas como Angelina, Giacomina e Antonina.

Os cinco eram filhos dos pioneiros imigrantes italianos Pietro Zandomeneghi e Regina Brisoto Zandomeneghi.

As bodas de ouro

As imagens a seguir, de 14 de abril de 1965, trazem dois momentos da comemoração dos 50 anos de casamento de Agostinho e Cecília Zandomeneghi, com os seis filhos e os netos.

Bodas de ouro em 1965: Agostinho e Cecília com os filhos Rita, Anieza, o irmão Raimundo, Cláudio, Ivo e Vasco. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

50 anos de casamento: Agostinho e Cecília em 1965 com os netos. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Memórias do casarão

As primas Lais Simone Zandomenegui e Lorita Zandomeneghi Rossato Menegotto, netas de Agostinho e Cecília, recordaram da infância no casarão, em meados dos anos 1950. Em recente depoimento ao Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, vieram à tona lembranças do dia a dia e da convivência dos Zandomeneghi com famílias vizinhas, como os Viola, Dal Pont e Turra.

Segundo Lais, as portas da casa raramente eram trancadas à chave. A área externa, nos fundos, concentrava um parreiral e diversas árvores frutíferas, além de temperos e flores. Paras as crianças, o espaço também era um saudável cenário para brincadeiras.

As irmãs Anieza e Rita defronte ao casarão da família na Rua Feijó Júnior. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Agostinho e Cecília posando com o novíssimo Ford defronte à casa, em 1951.Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Em 1951: Agostinho e Cecília posando com o novíssimo Ford na lateral do casarão. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Na parte interna, o casarão era composto de três quartos, banheiro, copa, cozinha, sala de jantar e sala de visitas. Os dois cômodos principais eram originalmente separados por uma parede em forma de arco. Pinturas com motivos florais e executadas diretamente nas paredes complementavam a decoração, valorizada por belíssimos ladrilhos hidráulicos.

Já o porão era depósito para salames, queijos e enormes recipientes de vinho de 200 litros, que todos ajudavam a engarrafar para o próprio consumo. Outra recordação de Lais e Lorita diz respeito às festas de funcionários promovidas na cooperativa, quando as duas auxiliavam nos preparativos.

– Ajudávamos a levar os pratos e toalhas na cooperativa para os almoços.

Casarão foi erguido em 1938 e, no início dos anos 1960, recebeu um segundo pavimento. Foto: acervo de família, cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O imóvel

Concebida originalmente como moradia térrea, a casa recebeu em 1960 um segundo pavimento, obra do arquiteto italiano João Viel. Posteriormente, abrigou espaços comerciais, como uma locadora de vídeo, uma loja de presentes e utilidades domésticas, e uma mostra temporária de decoração. Tombado pelo Patrimônio Histórico, o imóvel atualmente passa por reformas e, nos fundos, abrigará um centro empresarial.

Já os prédios da antiga Cooperativa Vinícola São Victor, na Rua Augusto Pestana, foram readequados para abrigar duas casas noturnas no Largo da Estação.

O casarão no final dos anos 1980, quando abrigou uma “locadora de filmes”. Foto: acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Casarão abrigou a loja Raffinatta até 2012. Foto: Daniela Xu, banco de dados/Pioneiro

Colaboração

Algumas das informações desta coluna foram fornecidas por Lais Simone Zandomeneghi (filha de Hugo e Itália Zandomeneghi) e Lorita Zandomeneghi Rossato Menegotto (filha de Anieza Zandomeneghi Rossato e Paulino Rossato).

Envie seu Comentário