Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Nos tempos da Cantina Antunes

02 de maio de 2015 1

Armando Luiz Antunes em frente à sua residência em meados da década de 1930. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A coluna relembrando a boate Quinta Estação também traz à tona as memórias da antiga Vinícola Luiz Antunes e de seu fundador, Armando Luiz Antunes.

Fundada em 1865, em Porto Alegre, a Cantina Antunes chegou a Caxias por volta de 1910, mas teve seu apogeu verificado entre as décadas de 1930 e 1950. Filho do português Luiz Antunes – e aconselhado por ele –, o empresário Armando Luiz Antunes mudou-se para a cidade disposto a abrir uma filial da empresa em 1913 – essa, aliás, é a provável data da construção do pórtico derrubado em novembro de 2012 e reconstruído meses depois.

Químico prático, com especialização em vitivinicultura, Antunes buscava impulsionar o cultivo de uvas e o comércio de vinhos. Após transformar Caxias na principal fornecedora da bebida na região, o empresário transferiu-se definitivamente para a Serra.

Junto ao complexo do bairro Panazzolo, Armando construiu um amplo casarão de madeira para morar com a esposa, Jandira Neves, e as quatro filhas: Noêmia, as gêmeas Ilka e Ilza e Nilza. Posteriormente, foi erguida a casa em alvenaria existente até hoje. Ambas integravam a famosa Quinta São Luiz.

Nas imagens abaixo, Armando Luiz Antunes na recepção da vinícola, onde localizava-se uma das mais emblemáticas fotos de seus vinhedos (emoldurada no quadro ao fundo e reproduzida a seguir).

Armando Luiz Antunes (sentado, de terno branco), o prefeito Dante Marcucci (o terceiro sentado, a partir da esquerda) e políticos de Caxias do Sul na sala de recepção da Vinícola Antunes nos anos 1940. Foto: Studio Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Colheita de uva nos parreirais da Vinícola Luiz Antunes & Cia em 1937. Foto: Giacomo Geremia, acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Comentários (1)

  • Irene T. Bosa diz: 22 de maio de 2015

    Gostei muito dessa memoria sobre a cantina Antunes, até porque meu pai trabalhou muitos anos , conheci todas as dependências inclusive a filial da rua Marechal Floriano. Parabéns.

Envie seu Comentário