Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Corrida de carreteras na Festa da Uva de 1961

19 de junho de 2015 1

Ítalo Bertão e sua carretera Chevrolet 1938 na largada da prova, em 19 de março de 1961, em Caxias do Sul. Foto: acervo pessoal, divulgação

Às vésperas da Festa da Uva 2016, recordamos de uma das atrações mais aguardadas pelo público nas edições realizadas nas décadas de 1950 e 1960: as provas de carreteras. Um dos destaques do evento de 1961, por exemplo, foi a IV Copa Festa da Uva, após três disputas realizadas nas celebrações de 1950, 1954 e 1958.

A prova de força livre deu-se em 19 de março daquele ano, com largada e chegada em Caxias. Mas o trajeto, percorrido por alguns dos melhores pilotos gaúchos e também de convidados do Paraná e de Santa Catarina, incluiu passagens por Bento Gonçalves, Garibaldi, Farroupilha e São Sebastião do Caí, com retorno por Novo Hamburgo e Nova Petrópolis.

Foi uma grande aventura pelas estradas da Serra, com direito a terra, pó e muitas curvas – às vezes, com barrancos e peraus logo ao lado da pista. Resultado: dos 11 veículos que receberam a bandeirada de largada apenas dois completaram a disputa.

O vencedor foi Ítalo Bertão, representante de Passo Fundo e um dos grandes nomes do automobilismo gaúcho da época, pilotando a carreteira Chevrolet 1938 com o número 9. Em segundo lugar, ficou Germano Schlögl, vindo do Paraná, com o Ford número 19. O terceiro lugar do pódio, como se viu, acabou vago.

Catharino Andreatta, um dos mais famosos pilotos gaúchos de todos os tempos, capotou sua carreteira. Já Aristides Bertuol, de Bento Gonçalves, que retornava às provas naquela disputa, também não concluiu o percurso.

Interlagos em 1956: a carretera de número 4 foi conduzida pela dupla Aristides Bertuol e Valdir Rebeschini. Foto: acervo família Bertuol, divulgação

“O Ás do Volante” de Bento Gonçalves

Falando em carreteras, na última segunda ocorreu o lançamento do projeto Aristides Bertuol – O Piloto da Carretera nº 4.
A iniciativa prevê a documentação em livro de algumas das mais significativas passagens da vida do piloto, além de detalhar o tempo das corridas de automóveis em circuitos, autódromos e estradas do Brasil.

Com edição do jornalista e fotógrafo Fabiano Mazzotti, o livro terá textos do também jornalista Guilherme Arruda. Em 200 páginas, a obra promete retratar o perfil de Bertuol (1916-1979) como empresário e político de Bento Gonçalves, além de focar nos anos áureos das corridas de carretera.

O livro deve lançado em 2016, quando o lendário piloto completaria 100 anos.

Na imagem acima, um registro da Disputa 1ª Mil Milhas Brasileiras, no Autódromo de Interlagos (São Paulo), em 24 e 25 de novembro de 1956. A dupla Aristides Bertuol e Valdir Rebeschini ficou em terceiro lugar.

Leia mais sobre a trajetória de Aristides Bertuol clicando AQUI.

Comentários (1)

  • Joel Robinson diz: 19 de junho de 2015

    Assisti muitas corridas das carreteras no Circuito da Pedra Redonda em Poa, aquilo era corrida.

Envie seu Comentário