Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

140 anos de imigração italiana: família Cofferri

13 de agosto de 2015 2

Os Cofferri em meados da década de 1920. Foto: acervo de família, divulgação

Descendentes do pioneiros imigrantes italianos Tommaso Cofferri e Pasqua Pagani Cofferri voltam a se reunir. Espalhados por diversas cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Espírito Santo, eles participam do IV Encontro da Família Cofferi, dia 6 de setembro, em Roca Sales, no Vale do Taquari.

A trajetória da família no Brasil remete a janeiro de 1877, quando Tommaso, a esposa Pasqua e os seis filhos saíram da localidade de Fara Olivana con Sola, na província de Bergamo, rumo ao porto de Gênova. O sonho de “fazer a América”, porém, foi pontuado por imprevistos. Durante a viagem, nasceu a sétima filha do casal, Maria, registrada brasileira. Na sequência, a mãe Pasqua adoeceu, provavelmente devido às precárias condições de higiene e infraestrutura do navio

Desembarcada no Porto de Paranaguá em 1º de abril de 1877, conforme carimbo no verso do passaporte familiar, Pasqua acabou falecendo menos de dois meses depois, em 28 de maio, no hospital da cidade paranaense.

Toda essa história foi descoberta em 2007, após a realização do primeiro encontro da família. Na época, o bisneto Ático Fassini buscou informações junto ao Livro de Registros de Óbitos de 1877 na Cúria Diocesana de Paranaguá. Os dados identificavam a bisavó como “Páscula Conferi, italiana, casada, marido ignorado e sepultada extra muris” (como indigente).

Após a morte da matriarca, Tommaso e os agora sete filhos foram obrigados a seguir viagem, desembarcando primeiramente no porto de Rio Grande. De lá, em embarcações menores, seguiram até Porto Alegre e Montenegro.

O destino, após dias de percurso pela mata fechada e com bagagens carregadas muitas vezes nas costas, era a antiga colônia de Conde D´Eu (Garibaldi e Coronel Pilar). Foi onde receberam o lote nº 85, na Linha Figueira de Melo. O título definitivo das terras chegou 10 anos depois, em 1887.

Morte em 1907

Após o falecimento de Pasqua,Tommaso nunca mais casou. Ele faleceu em 4 de junho de 1907, aos 78 anos.

Os sete filhos tiveram os seguintes casamentos: Tereza com Giuseppe Cenati; Gioanna com Lourenzo Tombini; Pascoal com Catarina Soldati; Stefano com Disolina Ferrari; Luigi com Lucrécia Tirloni; Angelo com Inocenta Scapini: e Maria com Giuseppe Barili.

Conforme a organização, o número de descendentes espalhados pelo Brasil chega a 3 mil pessoas.

Clique nas imagens para ampliar.

O passaporte familiar, datado de 1877. Foto: acervo de família, divulgação

As imagens

Na foto acima o passaporte familiar, emitido em 1877, contendo os nomes do casal e dos filhos e as respectivas idades: Tommaso (48 anos), Pasqua (34 anos), os filhos Tereza (18), Gioanna (17), Pascoale (14), Stefano (12), Luigi (oito) e Angelo (três). Na coluna à esquerda eram descritas as características físicas do patriarca.

Abaixo, o recibo de pagamento de impostos de Tommaso Cofferri junto à Intendência Municipal de Bento Gonçalves, em 1892. As grafias do sobrenome variam bastante, tanto na Itália quanto nos cartórios brasileiros. Em inúmeros recibos consta o nome Cufferi Thomaso (com Th).

Nos registros de nascimento de dois filhos em Fara Olivana consta Cofferri. No passaporte aparece Coferri e, na entrada no Brasil, Cufferi.

Foto: acervo de família, divulgação

O encontro

Mais informações sobre o encontro com Dolores Wiesel Cofferi, pelo e-mail dcofferi@terra.com.br ou pelos fones (54) 9972.5399 ou 3223.7113.

O encontro também está sendo divulgado via Facebook, na comunidade Família Cofferri.

O brasão da família Cofferi. Foto: acervo de família, divulgação

Comentários (2)

  • zenilda Braga Scapini diz: 31 de agosto de 2016

    Gostei muito de sua matéria e estou sempre procurando algumas informações o Senhor fala os casamentos onde casou Ângelo co Inocenta Scapini já procurei nas listas dos portos onde ouve os desembarque e os Scapini Desembarcaram no Espírito Santo onde encontrei meus bisavós e três filhos.Aqui eles tiveram mais filhos meu avô e outros. Vieram de Verona em 1922 Navio Las Palmas.
    Sei que alguns deles sairam do ES. para o Paraná e Sta Catarina Fico grata por outras informaões. Sobrenome
    Nome
    Segundo_Nome
    Parentesco
    Idade
    Pai
    Mãe

    Pesquisar
    SCAPINI Cesare Pasquale Chefe 33 SCAPINI Antonio BROGNARA Regina
    Pesquisar
    TRAMBAJOLI Maria Esposa 26 TRAMBAJOLI Secondo
    Pesquisar
    SCAPINI Ernesto Filho 5 SCAPINI Cesare Pasquale TRAMBAJOLI Maria
    Pesquisar
    SCAPINI Angelo Filho 3 SCAPINI Cesare Pasquale TRAMBAJOLI Maria
    Pesquisar
    SCAPINI Rosa Filha 1 SCAPINI Cesare Pasquale TRAMBAJOLI Maria

  • edison oliveira diz: 30 de outubro de 2016

    gostaria de saber sobre a familia pontarolo, mais precisamente sobre bortolo pontarolo, foi ao parana com familia, mas nao consegui mais informacoes, se vc tiver acesso a algo envie, por favor.

Envie seu Comentário